Chega do 4-3-3 no Vitória! É hora de se reinventar e sair da mesmice!

O uso indiscriminado da formação 4-3-3 é um problema de todo o futebol brasileiro e não apenas do Esporte Clube Vitória. Desde o estouro desta ideia de jogo com o Barcelona de Guardiola no período 2006-2010, os clubes pelo mundo a fora – e principalmente os brasileiros – resolveram extinguir o 442 e demais esquemas para só jogar no 433 tentando imitar ao máximo a postura do Barcelona. Já são quase 10 anos em que todos os principais clubes brasileiros atuam nessa formação e são poucos os que se estabelecem, e dentre os que se estabelecem com essa formação, estão os clubes mais endinheirados e que podem contratar melhores jogadores, além de toda infraestrutura do clube, que por consequência, fortalece esse esquema de jogo na formação, isto é, nas divisões de base.

Tudo que começa tem o seu fim Acredito que estamos no limite do uso desta tática e isso reflete bastante a diminuição de times brasileiros vencedores de Libertadores e Mundial de Clube e da própria Seleção não ganhar uma Copa há 17 anos! E esse desgaste chegou com muito mais força no EC Vitória. Já são 6 anos atuando nesse esquema de jogo, independente do treinador que chegue. Aliás, é outro sintoma da doença que assola o futebol nacional. Nossos treinadores enraizaram esse esquema de jogo e parecem não ter mais força para sair desse vício. 

O Vitória não tem o mesmo poderio financeiro das equipes do eixo para contratar os jogadores mais adaptados e talhados para o 433, fora que os jogadores que atuam no país são arredios a treinamentos mais longos na questão tática e de fundamentos, ao contrário dos que atuam na Europa, pois ou eles aceitam isso ou perdem espaços pelo Velho Mundo e regressam ao Brasil. Os times nacionais mais acostumados com o 433 e mais endinheirados investem em jogadores que já enraizaram o esquema e a parte tática atuando pelos clubes europeus. Lá, na Europa, os jogadores são obrigados a serem profissionais. Aqui há boleiros e tem uma diferença enorme entre ser boleiro e ser jogador profissional, em sua essência.

A última temporada que o 433 se deu bem no Vitória foi em 2013, mas se não tínhamos jogadores com carreiras longas na Europa, em contrapartida tínhamos atletas de maior qualidade técnica e treinadores que conseguiram tirar o melhor da equipe naquela proposta de jogo (Caio Jr e Ney Franco). De 2016 pra cá, o Vitória tem formado times muito ruins e com jogadores, principalmente os extremos, muito fracos para o esquema. Nossos extremos não voltam para marcar e nossos volantes não cobrem as laterais, por isso é comum vermos o Vitória todo arreganhado quando os adversários retomam a bola. Os dois últimos gols do São Bento no sábado passado confirmam isso! 

O principal fator de nos últimos 3 anos o Vitória ser a pior defesa nos campeonatos nacionais não é culpa exclusiva da dupla de zaga, tudo começa com a marcação lá em cima, dos extremos e dos volantes. Não vemos isso no Leão da Barra. No nosso caso é bem pontual, como o Felipe Garcia que costuma marcar a saída de bola do adversário e com isso já conseguiu retomar a bola e criar dois gols. Isso deveria ser feito por mais jogadores e não por um e outro, esporadicamente. Sem a recomposição dos extremos como meias centrais para defender-se e sem os volantes reta-guardando as laterais, o rubro-negro vira presa fácil para os times minimamente organizados e treinados. E até os times ruins crescem por conta desse grande buraco defensivo que começa lá na frente com nossos jogadores ofensivos.

Tem tanto time aí com dupla de zaga pior, mas que não toma tantos gols, justamente por ter maior compactação e participação de jogadores de frente na recomposição defensiva. A dupla de zaga do Oeste-SP é Kanu e Maracás. Só tomaram dois gols nesses 4 primeiros jogos. Nós tomamos DEZ. Kanu e Maracás passam longe de ser zagueiros de topo, tipo Kanneman e Geromel, Victor Cuesta e Moledo, Rodrigo Caio e Léo Duarte.

OSMAR LOSS é o novo treinador do Vitória para a sequência da Série B

Acredito que o Vitória deva abolir, temporariamente, o esquema 433 e voltar a jogar no 352 ou no 361, ou seja, povoando mais o meio de campo, já que não temos pontas de extrema qualidade, velocidade, poder de finalização e muito menos de recomposição defensiva. Ou até mesmo reativar a tática que deu fama e títulos ao Futebol Brasileiro, o clássico 442, que parece ter virado crime hediondo nas mentes da imprensa e de treinadores brasileiros. Foi no 442 que a Seleção se tornou hegemônica e venerada nas copas, foi no 442 as melhores campanhas do Vitória no cenário nacional. A exceção foi a campanha de 1999 quando atuávamos no 433 com Artur, Tuta e Cláudio no ataque; Otacílio, Baiano e Fernando na meiúca.

Que o novo treinador, anunciado hoje, Osmar Loss, venha com isso em mente e varie a tática. Perceba que não temos jogadores capacitados para atuar no 433, pois eles não possuem características de marcação. Pelo fato de ter menos pessoas no meio de campo é obrigatório que os pontas voltem pra ajudar o setor, marcando pelo centro enquanto os volantes abrem para cobrir as laterais. Isso é óbvio. E o Vitória faz tudo ao contrário e digo sem medo de errar que somos o time que joga mais errado e mais feio dentre os 20 da Série A e os 20 da Série B.

Vitória Sempre!

Vitória 1×3 São Bento | RUMO A TERCEIRA DIVISÃO

O Vitória segue a sua toada de vexames e perdeu a terceira de quatro partidas na Série B. Desta vez com maior requinte de crueldade, já que o adversário é (em tese) a pior equipe desta Segunda Divisão, que foi rebaixado no campeonato paulista e que tinha até a tarde de ontem apenas uma vitória no ano em 16 partidas realizadas na temporada. Novamente o placar de 3×1, de virada, e na quarta rodada já temos a defesa mais vazada. Continuem insistindo com esses jogadores ruins, dando eternas chances a Ramon e a outros que vem empenando o baba há mais de 2 anos! Continuem!

O primeiro tempo foi até movimentado, com o rubro-negro sendo dominante das ações do jogo e com boas chances desperdiçadas, entre elas um chute forte de Felipe Garcia que o goleiro do São Bento deu rebote e na sobra Neto Baiano também chutou em cima, minutos depois Neto perdeu um gol incrível na pequena área! O gol só veio aos 36min, entretanto, poderia ter acontecido com 1 a 2 minutos antes, quando foi marcado pênalti em Ruan Potó.

Na cobrança, Neto Baiano – o dono da bola – queria tomar a pelota pra cobrar, em mais um ato de egoísmo e egocentrismo deste atacante perna-de-pau, falador e cintura de concreto. Nickson é o cobrador oficial do Leão desde o começo da temporada, inclusive já converteu uns 4 no começo da temporada e o fato dele ter perdido a posição não altera que ele é o cobrador nº1, quando ele atua né? Pelo menos, eu penso assim! Com certeza, a forma agressiva que Neto tentou tomar pra si a cobrança de pênalti desconcentrou Nickson, que telegrafou para o goleiro Paulo Vítor. Logo no lance após a defesa do pênalti, a tv filmou a reação abrupta de Neto (que parecia xingar e escaldar Nickson). Porém, rolou escanteio no desenrolar da jogada, o próprio Nickson cobrou com perfeição para a forte cabeçada de Felipe Garcia. 1×0! e um pouco de calma e esquecimento da treta de Neto com Nickson!

Só que alguma coisa aconteceu no intervalo, pois o time voltou muito apático e o São Bento nem parecia ser a equipe tão medíocre que estava sendo no ano de 2019. Passou a dominar o jogo e aos poucos foi mostrando que estava mais perto da virada do que sofrer mais um revés. Logo aos 8 min veio o gol de empate, numa cabeçada de Elton que Léo Gomes, Felipe Garcia e Everton Sena nem sobem no lance, facilitando demais a vida do jogador do time sorocabano. Aos 33 minutos, em um contra-ataque em que nossa defesa estava toda exposta, o São Bento virou o placar em um chute cruzado de Régis, que Lucas Arcanjo espalmou no meio da área, para a simples cabeçada do meia Fábio Bahia. Já nos acréscimos em outro contra-ataque que o São Bento encaixou e pegou nossa defesa mais aberta que pernas de gestantes no trabalho de parto “normal” e Régis tripudiou Lucas Arcanjo e Ramon, que bisonhamente tentou “defender” a bola numa cabeça rente ao chão, parecendo um peixe se debatendo na beira dum riacho!

Enfim, apesar de Paulo Carneiro ainda não ter completado um mês no comando do clube, eu não confio mais na redenção da temporada. Estamos caminhando para a Terceira Divisão e coincidentemente com PC no comando. Claro que sei que a culpa dele agora é mínima, o que Ivã de Almeida e Ricardo David fizeram é algo que demora pra consertar. O estrago foi muito grande e não estou falando apenas da parte financeira. Hoje a marca VITÓRIA é uma chacota e não atrai patrocinador nenhum. Que patrocinador vai querer associar a sua empresa a um clube em frangalhos, que coleciona vexames e não tem capacidade nenhuma de brigar por títulos? Que jogador de qualidade MÉDIA vai querer vir para um Titanic que já colidiu com o iceberg? Por isso que PC teve que trazer esses jogadores da Deep Web como Dedé, Romisson, Ítalo, Marciel, Marcelo, o decadente Anselmo Ramon, et cetera.

Sinceramente, depois de ontem joguei a toalha. Dos novos contratados não há um que dê esperança. Nem mesmo este Felipe Gedoz, que sabe jogar bola, mas depois do relativo sucesso no futebol uruguaio e no Atlético-PR entrou na esbórnia e não consegue mais ter foco na carreira. No Goiás ele parecia mais um lutador de sumô do que um jogador de futebol profissional. E o Zé Ivaldo desde que ascendeu aos profissionais do Atlético-PR sempre foi a última opção dos diversos treinadores que por lá passaram, só jogava quando todos os titulares e os reservas imediatos ficavam indisponíveis!

Enfim, ainda há a figura do Tencati que misteriosamente PC o mantém. Será que o desgraçado do Ricardo David deixou multa rescisória milionária com esse Zé Ninguém? O cara só treinou o Londrina na vida. Currículo vazio!!! Só mesmo uma multa alta para manter esse entregador de coletes, Renê Simões 2.0. Fala bonito, aponta os erros e as soluções nas coletivas, mas nunca soluciona! Incrível! Só um verdadeiro milagre (desses jogadores da deep web derem certo ou que novas contratações, dessa vez de jogadores mais experimentados, sejam feitas) para que o Vitória não brigue para o descenso a Série C. A derrota de ontem foi sintomática! O São Bento é a baba do boi cansado e fez 3×1 no Vitória numa facilidade incrível!

VITÓRIA x SÃO BENTO | Vencer é obrigação!

Depois de tomar um baile do Guarani, quando abriu o placar e permitiu a rápida reação bugrina, com direito a dois gols em dois minutos, o Vitória volta a campo neste sábado para enfrentar o São Bento-SP no Barradão. O adversário, que é da cidade de Sorocaba, está na zona de rebaixamento, na penúltima posição e soma apenas um ponto em 9 disputados. Além disso, não contará com o goleiro titular Henal, o volante Feijão e possivelmente com o atacante Zé Roberto. Esses dois últimos são conhecidos daqui, pois passaram no rival sem deixar saudades por lá, registre-se. Portanto, de acordo com este contexto, é obrigação o Vitória vencer esta partida e quebrar o tabu de não vencer dois jogos seguidos no Barradão, fato que já dura 8 meses, quando vencemos o América-MG e o Vasco, ainda pela Série A de 2018.

Algumas cabeças rolaram após a vergonhosa derrota para o Bugre. Primeiro foi Victor Ramos, que falhou no terceiro gol e pediu desligamento do clube, depois Caíque, que após a falha grotesca no gol de empate e a saída estabanada no começo do lance que resultou o terceiro gol do Guarani, foi afastado e não vai nem no banco. Outro que não deve ser relacionado é o meia Andrigo. O treinador Cláudio Tencati deve formar o time com Ronaldo (Lucas), Matheus Rocha, Everton Sena, Ramon (Dedé) e Capa; Gabriel Bispo, Rodrigo Andrade (Léo Gomes), Nickson, Ruan Potó, Felipe Garcia e Neto Baiano.

Que o Vitória volte a apresentar um bom futebol e que vença sem sustos a modesta equipe do São Bento, que não nada demais em seu elenco e que disputa apenas para se manter na Série B do Brasileirão!

Vitória Sempre!

Guarani 3×2 Vitória | Erros individuais e coletivos que parecem Loop Infinito

Mais uma vez que o Vitória perde em jogo que coincide com a data do aniversário. Já virou “tradição”. Você torcedor, consegue lembrar de alguma vez que o Vitória jogou no dia 13 de maio e venceu? Eu não consigo. E teve ano que até fomos eliminados tomando goleada na Copa do Brasil. Desta vez parecia que seria diferente, pois o Leão abriu o placar aos 29 minutos, entretanto em mais uma entregada típica de Caíque, permitimos o empate e a reação bugrina, que chegou a abrir 3×1, mas conseguimos o “gol engana-besta” aos 44min do segundo tempo, só que não deu e o placar terminou por 3×2 ao time de Campinas. Em três jogos na Série B, o Vitória perdeu dois e venceu apenas uma e, pra variar, já tem a pior defesa da competição! Que sina!

Primeiro Tempo Logo em seu primeiro ataque, o Guarani assustou. Cobrança de falta na área e o zagueiro Ferreira cabeceou com perigo exigindo elasticidade de Caíque, que mandou para escanteio. O Guarani percebeu que a bola aérea era a tormenta rubro-negra e insistiu nessa jogada, mas sem lograr êxito, ao passo que o Vitória continuava com uma atuação mambembe, insossa e numa madorna irritante. Somente com uma falha conjunta do arqueiro Giovanni e do zagueiro Xandão, do Bugre, que o Vitória abriu o placar, quando Felipe Garcia tomou a bola do zagueiro e passou pra Neto Baiano, finalmente, desencantar. Vitória 1×0.

Como já disse no texto contra o Botafogo-SP, basta o rubro-negro sair na frente, que se assusta com o feito e permite a rápida reação do adversário e desta vez com mais uma patacoada de Caíque. Ratificando um dos meus textos anteriores: TEMOS TRÊS CATADORES DE BORBOLETAS e não goleiros. O “grande à toa” que adora dar faniquito nas redes sociais e nos jogos quando a torcida o critica, aprontou mais uma. Já não bastou as sucessivas falhas de 2017 e 2018, sobretudo contra o Sampaio Correia, no Nordestão da temporada passada. Caíque foi pra bola como se fosse matar uma muriçoca, a redonda bateu no atacante do Bugre e entrou! Até quando veremos diretorias esperarem uma redenção deste goleirinho fake?

Que desgraça, velho! Já são quase três anos esperando esse suposto “Novo Dida”. São quase três anos que este cara “entrega a paçoca” em momentos importantes e ainda repetem que ele vai dar a volta por cima. Ele vai dar a volta por cima na casa do caralho, não no Vitória! Talvez nem no futebol, quem sabe como apanhador de frutas e cocos em fazendas e sítios? Ainda existe o Pronatec? Olhe os cursos do SENAI-CIMATEC, Caíque. Vai se interessar por outra coisa, na moral!

Segundo Tempo Time ruim e com emocional de adolescente vítima de bullying é batata saber o destino né? Aos 7 e 9 minutos o Bugre, que não vencia há 79 dias, fez o segundo e o terceiro gol, numa facilidade incrível e com o sistema defensivo do Vitória errando todos os fundamentos básicos: marcação, posicionamento e concentração. Matheus Rocha tomou um drible de carroceiro do lateral Bugrino, que cruzou na área, Capa deu uma de pistoleiro (mata para os outros), cabeceando e ajeitando para Mateusinho soltar o petardo, que ainda bateu na trave antes de entrar. Dois minutos depois, num lateral no campo defensivo do Guarani, ficou exposto o quanto o nosso time continua desarrumado, mesmo com Tencati ter tido praticamente um mês só de treinamento (18 dias depois da eliminação do baiano e nordestão + 10 do jogo contra o Vila para o de ontem). Em três toques na bola, o lateral cobrado da defesa bugrina, terminou no terceiro gol, quando Caíque saiu atabalhoado, atrapalhando a zaga e na sequência do lance, culminou com o gol de Arthur, com um chute que desviou e tirou o catador de mangas, do lance!

Cláudio Tencati

Pra mim já está na hora de Tencati passar no RH no Leão. Ele lembra bastante Renê Simões (boa conversa, educado, polido, demonstra saber os problemas e como solucioná-los nas entrevistas coletivas, mas nos jogos não vemos um milímetro de evolução, pelo contrário, é estagnação e involução). Tencati já teve todo o tempo do mundo para mostrar a que veio e não está diferente de Marcelo Chamusca (eca!). Além desses 28 dias que ele teve para implantar sua filosofia de jogo, cerca de 15 jogadores foram trocados de lá pra cá. Então, já era para vermos alguma marca de Tencati na forma de jogar do Vitória e não estamos vendo isso. Qual é o esquema de jogo de Tencati? Quais são as jogadas ensaiadas? Por que Andrigo segue titular o tempo todo?

Nickson, com pouco tempo que teve, fez mais que Andrigo esses jogos todos. O segundo gol rubro-negro, já no final da partida, foi de um cruzamento do meia, filho de Jackson. Nickson não é nenhum craque, sei disso! Mas é muito mal utilizado no clube. Ano passado ele vinha bem, mas foi forçado a ser sacado com a vinda de Rhayner e este ano que ele pode fazer muito bem a ponta direita ou até a função de meia central, fica vendo Andrigo passear em campo, sem nem suar o rosto, como se estivesse andando tranquilamente num shopping center.

Tá difícil!! A derrota de ontem foi um grande balde de água fria em nossa autoestima. Os erros individuais e coletivos destes jogadores não acabam e se repetem como loop infinito. Com esse elenco e esse treinador a Série C é muito, mas muito real.

Guarani x VITÓRIA | Vencer pra virar a chave no ano e comemorar os 120 anos

O Vitória comemora seu 120º no dia de hoje e, para terminar o dia em festa, vencer o Guarani em Campinas no confronto desta segunda-feira é o desejo de todo torcedor rubro-negro. Após acabar com o jejum de quase 3 meses sem vencer, quando viramos o jogo contra o Vila Nova no sábado da semana passada, o Leão da Barra mudará a chave se somar mais três pontos no duelo desta noite. Será o início de uma mudança de expectativa do clube na atual edição da Série B. Uma vitória nesta segunda-feira representará um Vitória que passa a ser candidato ao acesso, pois com certeza dará um novo ânimo no time, que deixará de ser visto como um bonus stage ou mero coadjuvante!

Já o Guarani continua com sua draga e está sem vencer há 79 dias e como diz o Temeroso: “tem que manter isso aí”, pelo menos nesta rodada! O time é treinado pelo inexpressivo treinador Vinícius Eutrópio, que ousou em dizer que o Guarani tem mais tradição que o Vitória! Ora bolas, que ele defenda o clube em que ele é funcionário, mas daí a mentir, não dá. O Guarani, por mais que tenha sido campeão brasileiro em 1978, não é mais tradicional que o VITÓRIA nem a pau, Juvenal. Temos muito mais torcida e mais participações (e dignas) na Série A. Fora que já tem 9 anos que o Bugre não sabe o que é disputar uma Série A, a sua última participação foi em 2010!! A Ponte Preta tem frequentado mais – e melhor – a Série A que o Bugre Campineiro. Então, menos Eutrópio, menos!

Para o grande jogo desta noite, o técnico rubro-negro, Cláudio Tencati deve fazer algumas mudanças no time titular, entre elas com Gabriel Bispo e Felipe Garcia entre os titulares. O resto da equipe é a mesma da partida contra o Vila Nova, no Barradão. A entrada de Felipe Garcia é por conta da contusão de Caíque Souza, por ter entrado bem nos últimos 15 minutos finais, além de ter recuperado a bola do zagueiro e dado a assistência para o gol de virada, de Ruan Potó, aos 44min do segundo tempo!

Já o Bugre apresenta dúvidas em sua escalação, sobretudo no ataque quando 3 jogadores brigam por duas vagas. A tendência é pela escalação de Éder Luís com Mateusinho. O Guarani tem apenas 01 ponto em duas rodadas e por isso está na zona de rebaixamento. Para o time de Campinas é imperial vencer hoje para acabar a zica e se afastar do pelotão de baixo da tábua de classificação.

Como ambas equipes possuem elencos bastante limitados e ainda em fases ruins, não vejo um grande favorito para a partida. Entretanto, acredito que o Vitória tem boa possibilidade de somar mais três pontos neste confronto, principalmente se mantiver aquele espírito aguerrido da última partida. Além disso, será preciso contar com a inspiração de Ruan Potó, Felipe Garcia e quem sabe, até do faro de gol, que parece estar perdido, do centroavante Neto Baiano.

Que no dia dos seus 120 anos, dê VITÓRIA! Parabéns ECV: Duas cores, um Leão, uma Paixão!

VITÓRIA SEMPRE!

Presidente apresenta mais 4 atletas e tem mais chegando

Foto: ASCOM/ECV

Ontem (06/05), o Presidente do Clube, Paulo Carneiro, apresentou mais quatro jogadores para o elenco principal do Leão da Barra: o lateral direito Van e o volante Gabriel Bispo, que vieram do Bahia de Feira, o volante Romisson (ex Guarani) e o atacante Ítalo (ex São Caetano). Essas novas contratações seguem o processo de reformulação do elenco para a disputa da Série B, em que o presidente foca o acesso à elite, como salva-guarda financeira do clube, como também pelo valor da autoestima da torcida. E apesar de não serem jogadores “tarimbados”, de “nome” e “prestígio”, são atletas que estão querendo crescer na carreira e isso muita das vezes é o que mais dá certo, já que eles encaram o clube como um fator preponderante para seu crescimento no cenário e não como retrocesso profissional, como costuma acontecer com medalhões balzaquianos. 

Além destes atletas apresentados nesta segunda-feira, o clube já está prestes a anunciar o também volante Marciel, do Corinthians, e do centroavante Marcelo, da base do Cruzeiro. Há também tratativas com o atacante Léo Passos, do sub23 do Palmeiras. Todos esses primeiros contratados da Nova Era PC são jogadores de 20 a 24 anos, mudando completamente o viés de Ricardo David, que entupiu o time de jogadores veteranos desde o ano passado com Arouca, Aderllan, Neto Baiano, Fabrício, Edcarlos, entre outros.

Se tá chegando gente, por outro lado tá saindo também. Nas últimas semanas já deixaram o clube vários jogadores como Edcarlos, Fabrício, Yago, Benitez, Arroyo, Jeferson, Cedric (vai ser emprestado ao Bahia de Feira) e Leandro Vilela. Ainda não tive a confirmação se Thales e Wesley Dias deixaram o clube, mas o sumiço deles na relação já indica muita isso. Outros que podem pegar a pista é o zagueiro Ramon e os centroavantes Léo Ceará e Neto Baiano (com contrato até o final deste mês). Portanto, está sendo feita uma grande e necessária reformulação do plantel e com razão, já que este grupo de jogadores não conseguiu render nada nas primeiras competições do ano e colecionou mais vexames que criança colecionando álbum de figurinhas de campeonato brasileiro!

CARTOLA FC

Vamos falar um pouco de nossa liga. Passadas 3 rodadas, meu time Kattaclysma está em 5º lugar e fez 55,73 pontos na #Rodada3. No geral já tenho 175,95 pontos acumulados. O G3 da liga está assim: Ferreiro FC, V-i-t-ó-r-i-a e FC Baiano. A partir desta rodada não tem mais as regras específicas e vale a “lei” de jogador negativado valorizar caso pontue bem e positivado desvalorizar caso tenha pontuação ruim. Não perca tempo, o mercado fecha no sábado às 14h, monte logo seu time clique aqui para fazer parte da liga do blog.

Vitória 2×1 Vila Nova | O jejum acabou!

Finalmente acabou a inhaca e o Vitória voltou a vencer depois de 3 meses e de virada, que dizem que é mais gostoso! O torcedor rubro-negro já estava tendo o amargo sabor de se sentir um torcedor do Íbis, tamanha a falta de vitórias leoninas nos últimos tempos. Nas últimas 60 pelejas oficiais, apenas 12 vitórias e 4 em mais de 20 apenas nesta temporada! Mas toda essa “ziquizira” foi embora ao apito final do árbitro, quando o placar marcava Vitória 2×1 Vila Nova/GO. Entretanto, não foi um jogo fácil e sequer o rubro-negro fez uma boa partida. Vamos ao relato da partida:

Primeiro Tempo Ainda sem a reformulação devida do elenco, até pelo pouco tempo que o novo presidente tem que assumiu, vimos ainda uma base gofada jogar, entretanto com muitas mudanças no line up com os dois extremos sendo com meninos da divisão de base: na esquerda Caíque Souza e na direita o lépido Ruan Potó, que se tornou o nome da partida. Por ainda estar com um time fraco tanto tecnicamente como mentalmente, o Vila Nova foi melhor em campo e teve mais chances de gol. Aos 15 min, Caíque teve que defender uma bomba de fora da área do meia Helder, do Vila. Seis minutos depois, Joseph lançou Jeferson e não é que o maldito, que não acertou nenhum cruzamento em quase 2 temporadas no Leão, na primeira que pegou livre, acertou? Cruzou na medida para Neto Moura abrir o placar e deixar a torcida do Vitória com aquela cara de que viria mais uma tragédia. Not Today – Quatro minutos depois, o preguiçoso Andrigo teve um lampejo e lançou para Ruan Potó, que balançou e deixou seu marcador no chão e chutou no canto, a bola desviou na zaga, matando o goleiro do Vila. Vitória 1×1. A virada quase veio ainda no primeiro tempo, quando Neto Baiano cabeceou forte para excelente defesa do goleiro Rafael Santos.

Segundo Tempo Levemente mais organizado em campo, o Vitória tentava virar o jogo, mas cometia muitos erros de passes. Já o Vila foi muito bem nos contra ataques e por incrível que pareça, foram eles que tiveram as melhores chances de gol. Uma delas logo no começo da etapa complementar numa cabeçada do atacante Bruno Mota, depois com Capixaba que chutou pra fora de frente com Caíque, outro chute que passou tirando tinta da trave de Patrick Willian, aos 25 min, e a mais perigosa de todas e que seria um castigo enorme para a torcida rubro-negra: a bola em que Jeferson foi lançado e encobriu Caíque…a bola passou bem perto do gol. Imagine, o cara que era um dos mais criticados do elenco, que não tem nem 15 dias que nos deixou, fazer um gol e uma assistência contra nós? Que susto! E como quem não faz, toma, o rubro-negro foi certeiro e ratificou mais uma vez este ditado futebolístico: Aos 44 minutos, numa saída de bola errada dos zagueiros do Vila, Felipe Garcia (que entrou no lugar de Caíque Souza, lesionado) tomou a bola e cruzou na área, para Ruan Potó bater de canhota, virar o jogo e sair pra galera! Vitória 2×1! Acabava assim o jejum do Leão!

Ruan Potó, 20 anos, se emociona com seus dois gols em seu primeiro jogo como profissional.  Foto: Correio24h

Enfim, voltamos a vencer, mas tá claro que com este elnco não dá. O presidente Paulo Carneiro e sua diretoria precisam vestir as fantasias de sapo e darem seus pulos para reforçar este plantel, que ainda tem muita gente pra cair fora! Não faltou vontade hoje, mas a qualidade técnica deste grupo de jogadores é muito limitada e não permite nada mais que lutar contra o rebaixamento à Série C. Time muito ruim e aquém da história do clube. Esta é a realidade! O próximo jogo do Leão será na próxima segunda-feira, 13/05, dia do aniversário do clube, quando enfrentará o Guarani, em Campinas.

PONTO POSITIVO Ao final da partida, o presidente Paulo Carneiro “quebrou o protocolo”, desceu no campo de jogo e mesmo com a chuva forte que estava rolando, foi lá para abraçar e cumprimentar os jogadores. Fato pequeno, mas que faz toda a diferença, já que tivemos muita omissão e distanciamento dos últimos dois presidentes para com os atletas.