Ídolo do Vitória, Pichetti assiste a BAVI com torcedores no Rio de Janeiro

Pichetti - Vitória 2x0 Bahia - 01-05-2016 (12)
Lá se vão mais de 20 anos de quando ele pisou no gramado trajando a camisa do Vitória. O carinho pelo clube, no entanto, não ficou no passado. O ex-atacante Pichetti fez questão de assistir ao primeiro BAVI da final do Campeonato baiano junto com a Torcida Vitória 40 Graus (www.facebook.com/ECV40graus), formada por fanáticos rubro-negros residentes no Rio de Janeiro.
 
Logo que chegou, Pichetti foi muito aplaudido pelos presentes. Não é para menos. Grande nome da campanha do vice-campeonato brasileiro em 1993, permaneceu no Leão até 1995, mas por ele ficaria mais: “Confesso que eu não tinha vontade de sair, mas acho que meu ciclo estava acabando. Futebol é assim mesmo. Meio contrariado, eu fui embora do Vitória, mas eu saí com título. Saber o que é ganhar um Baiano foi muito bom”.
 
Pra relembrar os bons momentos que viveu pelo rubro-negro baiano, o ex-jogador não pensou duas vezes quando foi convidado para assistir a partida no bar Arco-íris da Lapa, na tradicional região da capital carioca, onde se reúnem os torcedores. Ele já estava certo de ir ao Maracanã ver Botafogo x Vasco, mas trocou o apoio ao time de General Severiano, onde também atuou, pela equipe do Barradão e terminou assistindo a uma vitória.
Pichetti, o segundo da esquerda para a direita, é referenciado pela torcida rubro-negra no RJ

Pichetti, o segundo da esquerda para a direita, é referenciado pela torcida rubro-negra no RJ

Experiente em BAVIs, elogia o duelo: “Eu joguei muitos clássicos. Comecei no Juventude, tinha o clássico CAJU (Caxias x Juventude). Aqui no Rio, tudo é clássico, os quatro grandes. Mas, igual ao BAVI, que eu tive oportunidade de participar, é uma sensação que não tem palavras pra explicar. Você ouvir a Fonte Nova lotada gritar seu nome, fazer um gol no Bahia, não existe coisa melhor”.
 
Pichetti relembrou também o fatídico pênalti na primeira partida da final de 1993 e reclamou do árbitro: “O próprio (Renato) Marsiglia veio posteriormente admitir: ‘é, um lance duvidoso…’. Me tirar do segundo jogo… ‘Ah, mas era em São Paulo, contra o poderoso Palmeiras’. Mas quem quer ficar de fora de um jogo? Foi 1 a 0 só, a gente podia reverter a situação”. E confessa que o sentimento de chateação foi grande: “Na época, eu nem assisti ao segundo jogo. Eu não tive coragem. Eu queria muito estar naquele jogo e infelizmente… coisas do futebol”.
 
Das histórias curiosas de bastidores, ele ri principalmente do ex-volante folclórico: “A gente sempre teve curiosidade de saber por quê do apelido Vampeta. Aí, ele jovem, mas já muito sacana, ele tirava a dentadura, ficava com dois dentes e falava ‘não precisa explicar mais nada, falaram que eu parecia um vampiro misturado com o capeta’. Era muito engraçado”.
 
Ao final do papo com a galera, Pichetti decretou: “Vamos ganhar esse ano de novo, como torcedor!”.
 
Por: Tiago Bittencourt

Organização da Rede Vitória Sem Fronteiras

Vitória vence rival e coloca a mão na Taça

ficha-vitoria2x0bahia-2016

O Vitória manteve a superioridade nos clássicos e a freguesia do rival. É o oitavo clássico consecutivo que o lado de lá sai perdedor ou com um mero empate. Mas, na tarde de ontem, o Leão foi valente e repetiu o placar do primeiro Ba-Vi da temporada, 2×0, com gols de Diego Renan e Amaral. Com o triunfo, o rubro-negro tirou a vantagem dos pélassacos e colocou uma mão na taça. Seremos campeões no Domingo que vem até sendo derrotado por diferença simples de um gol.

Ficamos mal acostumados a golear o rival – Não foi um primor de jogo. O primeiro tempo foi bastante ruim, fraco, sem muitas jogadas plásticas e grandes defesas dos goleiros. Ambas equipes ficaram “se estudando” e mais preocupadas com a manutenção da sua estratégia de jogo do que tentar maior ofensividade. Tanto é verdade, que somente aos 21 minutos o quadro melhorou. Num lançamento na área, Vânder cai e o juiz marcou penalidade máxima. Dois minutos de muitas reclamações dos tricolores até Diego Renan cobrar e abrir o placar. Vitória 1×0.

O Vitória tinha um “domínio” do jogo, mas errava os passes finais, principalmente por Leandro Domingues que teve uma atuação discretíssima e que, pelo menos para mim, estas últimas partidas pífias do camisa 30 podem recuar a sua renovação de contrato. Eu só digo que se fosse Arthur Maia estas atuações, o cara seria brutalmente vaiado pela torcida, que escolhe ao seu bel prazer os “protegidinhos”  e os “vilões”. Aliás, para completar a informação, nem mesmo no “auge” Leandro Domingues foi decisivo em finais contra o Bahia. Não recordo de jogo algum, final alguma entre Bahia x Vitória em que ganhamos com uma atuação destacada de Domingues. Ele sempre murchou nas decisões, ao contrário de Bebeto, Agnaldo, Neto Baiano e Ramon Menezes.

Nas poucas vezes que a sardinha chegava ao ataque parava no excelente e promissor goleiro Caíque. Entretanto, num lance bisonho entre Ramon e Diego Renan, quase eles empataram o jogo. Mas a agonia tricolor aumentou aos 43 minutos, quando numa bela jogada trabalhada desde o campo de defesa com Amaral, o Leão fez seu segundo gol através do próprio camisa 5, que foi na frente para finalizar de primeira, num chute espetacular, após passe de Vânder. Vitória 2×0.

vitoria2x0bahia-jogo1-baiano16

Segundo tempo – O Vitória poderia ter matado a decisão de vez se não fossem o excesso de individualidade de Marinho, que por vários lances cortou a defesa toda do bahia e ao invés de cruzar ou passar para Kieza e demais companheiros, preferiu chutar em gol, mesmo sem ângulo. E também pelo excesso de dribles de Leandro Domingues, que pegou uma duas bolas de frente, em que poderia chutar e preferiu tentar o drible, perdendo o diacho da bola. E exatamente por estas faltas de jogo coletivo de LD e Marinho que Kieza foi coadjuvante na partida, só tendo uma única chance real de gol já perto do final, quando José Welison fez um cruzamento primoroso para um voleio lindo de K9, que Marcelo Lomba fez uma defesa sensacional (calando um conhecido corneteiro do cara, aqui do blog). DETALHE: Que partidaça fez William Farias. Marcou bastante e apoiou o ataque com muita qualidade. Foi um verdadeiro leão, sem dúvidas o melhor jogador em campo pelo Leão da Barra.

Arbitragem – Daronco fazia uma boa arbitragem até marcar o nosso pênalti. Realmente pelos replays não ficou muito claro a penalidade e talvez por isso, ele passou a querer compensar, invertendo faltas, dando sucessivos cartões amarelos para nossos jogadores e sendo complacentes com a violência dos jogadores do rival, sobretudo do lateral Moisés, do zagueiro Lucas Fonseca e do volante Feijão. A torcida se irritava também quando todo contra-ataque perigoso que construíamos, o árbitro inventava uma falta para o Bahia, parando assim o lance e travando o jogo.

O ápice de que Daronco quis se redimir do pênalti foi no melhor lance de Leandro Domingues na partida. O camisa 30 conseguiu, enfim, emplacar uma série de dribles e quando ia entrando de cara pro gol foi arrastado por Lucas Fonseca, que se marcado seria expulso por já ter amarelo. Daronco não deu nada, disse que foi simulação de LD e não expulsou nosso meia, que também já estava amarelado. Se foi mesmo simulação, por que não expulsou LD? No mais o bahia pouco nos ameaçou e o tal brocador foi bem broxante para a torcida multicolorida.

Agora é trabalhar durante a semana e entrar na finalíssima com o mesmo empenho para assegurar o título. A torcida deseja muito ver este título com outro triunfo em cima do rival, que através de seu presidente tentou melar o campeonato com a situação de Victor Ramos, além daquela torcida se achar demais. Merecemos o título e que ele venha com outro triunfo leonino sobre a sardinha de itinga! Nada de salto alto e de jogar pra segurar vantagem, viu jogadores, Mancini e diretoria? Queremos dar outro pau na sardinha!

Agora é DECISÃO! Preparem a sacola, sardinhas!

prelecao do abbehusen

Agora acabou o caô de verdade, a hora de separar meninos de homens tá chegando e o primeiro embate na final do baiano será neste domingo às 16h no Santuário Manoel Barradas. Vitória e a sardinha de Lauro de Freitas duelam na primeira partida final que decidirá o novo campeão estadual em 2016. Jogo tenso e cercado por polêmicas criadas apenas pelo medo do pseudo presidente tricolor no último mês.

O técnico Mancini realizará um treino fechado na tarde desta sexta-feira e com isso não teremos certeza da escalação do rubro-negro para este jogo. Mancini sempre surpreende em clássicos e neste não deve ser diferente. As dúvidas para esta partida são as presenças de Tiago Real, Norberto, Fernando Miguel, Amaral e Dagoberto, todos sentiram lesões recentes e são dúvidas para este duelo. O provável time do Vitória para este jogo será Caique (Fernando Miguel), José Wellison (Norberto), Victor Ramos, Ramon, Diego Renan, Marcelo (Amaral), Willian Farias, Leandro Domingues , Marinho, Vander (Dagoberto/David) e Kieza.

O técnico Doriva ganhou uma semana de treinamento para aprontar a equipe para esta primeira final. O técnico espera contar com Lucas Fonseca e Hernane para este jogo, os dois atletas se recuperam de lesões e com o “providencial adiamento” da primeira partida ganharam chances reais de participarem do jogo. A equipe de Itinga deve ir a campo com Marcelo Lomba, Tinga, Lucas Fonseca (Robson), Eder, Moisés, Feijão, Paulo Roberto, Juninho, Edgar Junio, Thiago Ribeiro, Hernane (Luisinho).

A decisão para o Vitória será nesta primeira partida, pois a vantagem de jogar por dois resultados iguais é do rival. Precisamos vencer o jogo e com uma margem de gols que nos dê tranquilidade para o jogo de volta na nossa casa de praia. Infelizmente o preço dos ingressos pode afastar uma parte considerável da torcida para esta primeira decisão. Entendo que cada torcedor tem suas limitações financeiras e suas prioridades, mas quem puder comparecer ao estádio faça essa força, percebemos claramente nos últimos dias que é o Vitória contra tudo e contra todos, é tribunal, é choro do rival, é imprensa tendenciosa plantando informação falsa, o que nos resta é a união com o nosso time e o apoio que virá das arquibancadas.

FICHA-PREJOGO-SARVI2016b

Jogo apimentado, clássico retado e preço salgado!

Pra cima das sardinhas Leão! SRN e Bom jogo a todos.

Sem sustos, Vitória bate Náutico-RR e já visualiza Final de Domingo

POSJOGO-VITORIA_3X1_NAUTICO-RR

Desta vez não houve trauma algum. O Vitória não titubeou e fez seu dever de casa ao vencer o modesto Náutico-RR por 3×1 e segue firme na Copa do Brasil, o atalho mais curto para a Libertadores. O nosso próximo adversário nesta competição será a Portuguesa de Desportos, que desde o episódio Heverton entrou numa crise profunda e hoje habita os porões do futebol brasileiro. O rubro-negro focaliza tudo agora para a primeira partida da Final do Estadual contra a sardinha assanhada, no domingo.

Inexperiente em grandes competições e tendo apenas 3 adversários em seu nanométrico estadual, o Náutico-RR não ofereceu perigo algum ao Leão. Time muito limitado, bobo e ingênuo e a marcação à pressão desde a saída de bola confirmou isso no time roraimense. Foram várias bolas retomadas assim e aos 9 minutos em cobrança de falta esplendorosa, Marinho colocou lá na gaveta. Vitória 1×0!

Acredito que o Vitória não levou o jogo a sério e talvez, não quis humilhar o adversário, pois era para ser daqueles jogos tipo Brasil x Alemanha (gooool da alemanha [7x]). Perdemos muitos lances bobos e era nítido o preciosismo de alguns de nossos atletas, fora que Leandro Domingues voltou a lembrar o velho apelido “Leandro Dormindo”. Tanto isso é verdade que somente aos 23 minutos chegamos ao segundo gol quando Euller acertou seu primeiro lance na partida, finalmente. Cruzou bem para Marinho, a la Bebeto, fazer de voleio. Vitória 2×0. Como Euller gosta de ser criticado, perdeu um gol de cara aos 40 min (acertou o travessão) e no minuto seguinte fez um gol contra patético, do mesmo modo que já vimos em jogos da base e em alguns dos profissionais.

Olhe rapaziada, Euller e Vânder não podem falar nada do Vitória e de nossa torcida quando saírem daqui. Não lhes faltaram oportunidades e os caras raramente emplacam. Este Euller é só ligeiramente (bem ligeiramente) melhor que Mansur, o que não é mérito algum, diga-se de passagem. E o Vânder é um preguiçoso nato e toda bola que vai nele, ele já vai caindo no chão…Não venham dizer que era perseguido não. Vocês não fazem por onde merecer “idolatria” da torcida.

Segundo tempo – O time até começou igual no começo da etapa inicial, marcando a saída de bola do Náutico, tomando bolas dos zagueiros e perdendo chances incríveis em progressão geométrica. O Vitória tirou o pé do acelerador aos poucos e ficou aquele jogo chato, sonolento e sem vibração. Somente nos acréscimos que o terceiro gol saiu e nos pés de Alívio, que veio da ponta esquerda e encobriu o goleiro com categoria.

Agora todos os caminhos levam para o Barradão no domingo para retomar a hegemonia estadual e fazer uma bela pescaria daquele peixe rico em ômega-3.

Vitória encara Náutico-RR pela Copa do Brasil

prelecao do abbehusen

Nesta quarta-feira às 21:45 acontece a partida de volta da primeira fase da Copa do Brasil 2016. Vitória e Naútico-RR duelam na Arena Itaipava Fonte Nova pela vaga da segunda eliminatória, que será contra a Portuguesa-SP que se classificou ontem à noite, após vencer por 1×0 o Parnahyba-PI. Bom jogo para o torcedor rubro negro acompanhar na nossa casa de praia, que durante a semana e neste horário oferece maior conforto que o nosso Barradão.

Mancini ainda não definiu a equipe que jogará nesta quarta-feira. A intenção do técnico rubro negro é utilizar a maioria dos atletas titulares e dar oportunidade e ritmo a jogadores que podem compor nosso time titular nas próximas rodadas. Chance para Norberto e Dagoberto ganharem ritmo e quem sabe mais uma chance para Maia mostrar seu valor e entrar na briga pela vaga no nosso meio de campo com Leandro Domingues.  O Vitória deverá ir a campo com Fernando Miguel, José Wellison (Norberto), Ramon, VR, Diego Renan, Marcelo, Farias,  Domingues (Artur Maia), Marinho, Vander e  Dagoberto.

O técnico do Náutico-RR,  Antonino Moreira, irá efetuar alterações no time que perdeu a primeira partida por 3×2 na semana passada. Os jogadores Paulo Henrique, Anderson, e João Paulo perderam espaço no time titular e serão substituídos por Leandro, Dudé e Paulo Macapá. O Náutico-RR deve ir a campo com Leandro, Djair, Alan Caruaru, Fabinho, Wagner, Eduardo Magrão, Dudé,  Heitor,  Paulo Macapá, Bruninho e Robemar.

Partida para atropelar e garantir a passagem para a segunda fase da copa do Brasil. Não podemos admitir que o Vitória vacile contra um time amador e sem aspiração alguma nas competições nacionais que disputa. Entrando com time reserva ou titular esta partida será um treino de luxo para a final de domingo no Barradão.

SRN e Bom jogo a todos.

Vitoria_vs_Nautico-Roraima

Confira abaixo a lista completa dos relacionados:

Goleiros: Caíque e Fernando Miguel
Zagueiros: Ramon, Victor Ramos e Vinicius
Laterais: Diego Renan, Euller e Norberto
Volantes: Flávio, José Welison, Marcelo e Willian Farias
Meias: Alípio, Arthur Maia e Leandro Domingues
Atacantes: Dagoberto, Gabriel, Marinho, Robert, Vander e Willian Henrique

Vitória detona Cancão de Fogo e encara a Sardinha na decisão

vitoria3x0juazeirense

O Vitória fez seu dever de casa na tarde deste feriadão de Tiradentes ao bater a Juazeirense por 3×0, garantindo assim a passagem para a Decisão do campeonato contra a sardinha podre da RM de Salvador. Depois de um primeiro tempo sonolento, chato e sem muitas emoções, com direito a gols perdidos por Vânder e Leandro Domingues, o Leão foi valente na etapa complementar e passou de fase sem sustos.

Quem foi ao jogo realmente chegou a hesitar por algum momento em ter escolhido outro lazer para curtir, ao invés do Barradão. Foi um primeiro tempo ridículo, monótono e nas duas melhores chances criadas foram desperdiçadas. Entretanto, tudo mudou no segundo tempo. Logo no primeiro minuto, o palhaço-árbitro Jaílson Macedo Freitas não deu uma falta para o Leão e na sequência do lance o Cancão de Fogo acertou a trave. Lance que alterou o quadro da partida.

O Vitória tomou a bola na trave como um “acorda, vacilão!” e partiu com mais seriedade à meta adversária. Aos 12 minutos, em um cruzamento na área, Kieza desviou de cabeça para Amaral Pitbull soltar o rojão, de prima. Vitória 1×0. Quatro minutos depois em uma tabela sensacional entre Dagoberto, Leandro Domingues e Amaral, a bola sobrou para Diego Renan, que da entrada da meia lua soltou o petardo e ampliou o placar para 2×0.

g_201642118442213

O cancão de fogo sentiu o golpe e fraquejava. O Leão com 2×0 em campo fez que nem numa luta de boxe e partiu para o nocaute. Marinho, Dagoberto e Leandro Domingues começaram a se entender em campo e colocar o time do interior na roda. E aos 22 minutos, Dagoberto, o estreante da camisa 22 cobrou escanteio na medida para Victor Ramos, vulgo Tufão, marcar de cabeça. Vitória 3×0. É o primeiro gol de VR3 em seu novo retorno à Toca e agora cresce a expectativa de nas finais ele aparecer como algoz da sardinha assanhada do presidente frouxo, adorador de tapetão mesmo sem ter razão.

As finais entre VITÓRIA e a sardinha acontecerão nos dias 1º e 8 de maio no Barradão e na Arena Fonte Nova, respectivamente. Vamos pra cima deles, vencer as duas partidas e desmoralizar de vez o “presidente moderno e inovador” do lado de lá.

A um passo da DECISÃO

prelecao do abbehusen

O torcedor do Vitória tem  encontro marcado com seu time às 16h desta quinta-feira no Manoel Barradas pela semifinal do campeonato baiano. Vitória e Juazeirense irão duelar pela vaga na final contra o vencedor do confronto entre o touro e a sardinha hoje à noite. Expectativa de bom público e bom futebol na tarde do feriado em Salvador.

O técnico Mancini contará com os reforços de Alípio, Norberto, Kieza, Ramon e Dagoberto para esta partida, mas ainda não conta com Tiago Real, Mattis e Maicon Silva que estão em fase de recuperação de contusão e transição. A única dúvida do técnico para esta partida está entre a utilização de Dagoberto ou Vander na equipe titular. O Vitória deverá ir a campo com Fernando Miguel, José Wellison, Victor Ramos, Ramon, Diego Renan, Amaral, Willian Farias,  Leandro Domingues, Marinho, Vander (Dagoberto) e Kieza.

O técnico da Juazeirense, Evandro Guimarães, não deve mudar a equipe que enfrentará o Vitória nessa quinta. As opções para deixar sua equipe mais ofensiva podem ser as entradas do atacante Sassá e do meia Everlan que entraram no segundo tempo do jogo em Juazeiro e melhoraram a equipe naquela ocasião. A equipe de Juazeiro deve ir a campo com Tigre, Alex, Merson, Ricardo Braz, Deca, Capone, Diego Teles, Naldo (Everlan), Nem (Sassá), Nino Guerreiro, Willian Carioca e Evandro.

Bom jogo para nosso time encorpar, adquirir maior entrosamento e promover a estreia de Dagol. Expectativa de bom público no Barradão e de uma boa partida do time rubro negro. O Vitória possui uma boa vantagem nesse confronto, mas não deve entrar em campo acomodado, pois a lembrança do revés para o Colo Colo deve estar viva na memória de nossos atletas e especialmente dos nossos dirigentes.

Observação: Vamos aderir à campanha que já acontece forte nas redes sociais, vamos nos associar e tornar o nosso clube mais forte. Passamos o número de 10 mil sócios no SMV, mas ainda falta muito para atingir um número desejável para o tamanho da nossa torcida.

SRN e Bom jogo a todos.

 Segue relacionados:

Goleiros: Fernando Miguel e Caíque

Laterais: Diego Renan, Euller e Norberto.

Zagueiros: Victor Ramos, Ramon e Vinícius.

Volantes: Amaral, Willian Farias, José Welison e Marcelo.

Meias: Leandro Domingues, Arthur Maia, Alípio e Flávio.