Holofotes em Neymar, mas quem tá salvando é Coutinho

Fala galera, tava difícil falar da Copa da Rússia aqui com tantos jogos um atrás do outro, fora o período de São João e afazeres pessoais. Mas com o fim dos jogos de 9h, já que estamos na terceira e última rodada da 1ª fase dá pra gente fazer um pequeno balanço por aqui. E hoje vou focar mais no Brasil. Até aqui fizemos dois jogos, um empate em 1×1 na estréia e um triunfo de 2×0 sobre a Costa Rica conquistado nos acréscimos da partida e nas duas quem foi o destaque foi o meia Phillipe Coutinho com dois gols, sendo um deles um golaço de fora da área (jogo da Suiça) e um de biquinho da chuteira, quando todos já davam como certo o 0x0 com a aguerrida Costa Rica.

Antes da Copa todos os holofotes estavam em Neymar (e ainda estão), mas quem tá roubando a cena é um coadjuvante ou, sendo mais realista, o segundo protagonista do elenco, que é o Phillipe Coutinho que vem jogando muito bem nos últimos 3 anos no futebol europeu, tanto é que lhe rendeu a transferência do Liverpool para o Barcelona, onde já é uma das referências do time catalão depois de Messi e Luiz Suárez. Candidato ao posto de Bebeto (1994) e Rivaldo (2002), o ex vascaíno já foi eleito o melhor do jogo nas duas rodadas do Brasil até o momento e tem sido o jogador mais letal no setor ofensivo. Vamos para a terceira rodada nesta quarta-feira contra a Sérvia e já sabemos de quem podemos esperar os principais lances de gol, né?

Agora um resumo da Copa até aqui. Nestas duas primeiras rodadas, teve alguns jogos que já entraram na história da Copa e de meu acervo cerebral de memórias afetivas de todas as Copas em que pude ter o privilégio de assistir. O primeiro deles foi o elétrico Portugal 3×3 Espanha no dia 15/06 com um hat-trick de CR7, tendo o seu último gol uma belíssima cobrança de falta, em que o gajo mostrou concentração e foco no lance. Que jogão. Portugal sempre esteve na frente do placar e a Espanha, mesmo com elenco maior, teve que correr atrás e teve também a atuação destacada do sergipano Diego Costa, que fez dois gols nesta bela partida.

No Grupo C, o da futurosa geração francesa, os destaques foram os jogos parelhos e com placares magros, onde a França venceu a Austrália por 2×1 e o Peru por 1×0, e da Dinamarca que venceu por 1×0 o Peru e empatou em 1×1 com a Austrália. Tudo embolado neste grupo. No grupo D, o da Argentina, o destaque está sendo a péssima campanha da seleção portenha, que empatou na primeira partida em 1×1 com a Islândia, com direito a perda de pênalti pelo craque Messi e pela goleada da Croácia sobre os hermanos por 3×0, quando o mundo ficou estupefato com a falha grotesca do goleiro Caballero e das finalizações sensacionais de Rebic e Modric.

Em nosso grupo, o E, a surpresa está sendo a seleção da Sérvia, que em sua primeira Copa do Mundo como país independente tem chance de passar às oitavas (na Copa da África eles participaram como Sérvia e Montenegro, mas Montenegro virou país logo depois). Tida como a terceira equipe do grupo, a Sérvia (terra do ídolo Dejan Petkovic) venceu a Costa Rica e perdeu de virada para a Suiça, mas tem grande chance de ficar com a segunda vaga do grupo. Para isso precisa nos vencer e aí que está o problema. Caso vencesse os suiços, já estariam classificados agora. Sendo realista acredito que dá Brasil e Suiça neste grupo.

No Grupo F, o destaque é a campanha muito fraca da campeã Alemanha, que perdeu a partida 1 para o México por 1×0 e fez um dos jogos mais espetaculares de todas as Copas que já assisti, ao vencer a Suécia de virada, no sábado. Os tetracampeões terminaram o 1º tempo eliminados com o 1×0 dos suecos. Tinham 45min pra virar o jogo, pra piorar ainda tiveram jogador expulso no começo do segundo tempo e mesmo assim conseguiram o empate e a virada (nos acréscimos) em bela cobrança de falta de Toni Kroos. Neste jogo, os alemães partiram pra cima com tudo, numa dedicação extrema que fez a virada ser bem merecida.

No Grupo G parece que finalmente a Bélgica desencantou e tira a pecha de ser bom apenas no papel e nos jogos do Playstation e Xbox. O atacante de origem congolesa Romelu Lukaku tem sido o grande destaque com 4 gols em 2 jogos, além das belas atuações de Eden Hazard, De Bruyne e Mertens. Também neste grupo brilha a estrela do atacante inglês Harry Kane, que é o artilheiro da Copa com 5 gols, sendo 3 deles feito neste último final de semana em cima da frágil seleção de Panamá. 

Para encerrar, o Grupo H de Japão, Colômbia, Polônia e Senegal também está muito embaralhado, tendo como destaque negativo a eliminação precoce da Polônia em dois jogos (duas derrotas) quando ela chegou como Cabeça-de-Chave e liderada pelo atacante Robert Lewandoswky. Japão, Senegal e Colômbia estão forte na briga pelas duas vagas no grupo. Acredito que dá Japão e Colômbia, principalmente da atuação sólida dos colombianos ontem, quando deu 3×0 nos poloneses, com atuações destacadas de James Rodriguez, Cuadrado e Falcao García.

Enfim, que Copa do Mundo meus amigos! Com certeza esta é a melhor copa desde 2006!!! Ainda não tivemos nenhum zero a zero. Logo mais, às 11h teremos a definição do Grupo A (da anfitriã Rússia) com Uruguai x Rússia (vale a liderança) e o jogo da despedida entre Egito e Arábia Saudita. Às 15h será definido o grupo B com Espanha x Marrocos e Irã x Portugal. Vale ressaltar que não tem garantido neste grupo. Estes jogos das 15h prometem emoções. Somente o Marrocos está eliminado!

#COPADOMUNDO2018 

#AmorAoFutebol

#QueCopaAmigos!

Anúncios

Говоря о чемпионате мира ФИФА*

Do russo “Falando de Copa do Mundo da FIFA”. Como desde 2010 (pouco me importando para o complexo anti-seleção e anti-copa de muita gente que tem o costume ridículo de misturar política partidária e problemas sociais do País com o esporte Futebol), durante este período da Copa vou trazer minhas impressões acerca dos jogos da Rússia 2018.

Ontem, na abertura oficial da Maior Festa do Futebol, a seleção anfitriã contrariou todos os prognósticos e venceu a Arábia Saudita por 5×0 com muita facilidade. Sem vencer desde setembro do ano passado, a seleção russa entrou na Copa por ser o país-sede, por isso não disputou as eliminatórias, tendo feito apenas amistosos. E nestes duelos preparatórios a Rússia não vinha empolgando e até trocou de treinador recentemente. Porém, no jogo inaugural da Copa, os russos foram eficientes, agressivos e construíram a goleada sem muita resistências doas árabes.

O destaque foi o atacante reserva Cheryshev que fez dois belos gols na partida após substituir Dzagoev, que saiu com lesão muscular na parte traseira da coxa da perna esquerda. Formado na base do Real Madrid e com carreira construída na Espanha, o atacante era muito criticado pela imprensa e torcida russa por conta de não ter feito história no futebol russo e até mesmo por não falar fluentemente o idioma do país-sede, por conta de ter ido morar na Espanha ainda garoto. Coisas do Futebol. Com um triunfo tão expressivo, o time que parecia ser a presa fácil do grupo pode garantir sua classificação com um triunfo no Egito na segunda rodada.

URUGUAI 1×0 EGITO

Acabou há um pouco mais de meia-hora o segundo confronto do Grupo A, o mesmo da Rússia. A celeste olímpica fez um jogo burocrático com o Egito, que não utilizou o Mohamed Salah, e contou com péssimas atuações de Luis Suarez e Arrascaeta. A seleção uruguaia chegou a sofrer ataques perigosos do Egito mesmo com a ausência do craque do Liverpool. O centroavante do Barça, Luis Suárez, perdeu várias chances de gol, duas delas de forma inacreditável (uma no primeiro tempo e outra no segundo). Cavani e o zagueiro Godin que tentaram puxar de galões a equipe. Somente aos 44 minutos do segundo tempo, em cobrança de falta na grande área saiu o gol dos uruguaios através do zagueiro Gimenez, com uma forte cabeçada.

Daqui a pouco tem Marrocos x Irã que deve ser o jogo mais sem graça desta sexta-feira. Todos os olhos estão esperando o jogo das 15h entre Portugal x Espanha, o clássico da Península Ibérica, o confronto entre CR7 x Iniesta.

EC VITÓRIA

 

O Vitória oficializou há pouco a contratação do zagueiro Ruan Renato, 24 anos. O defensor é paulista e passou por Mogi-Mirim, Santa Rita-AL, Guaratinguetá-SP, Juventude e Austria Viena. Foi na equipe gaúcha, de Caxias do Sul, que o jogador teve seu maior momento da carreira até aqui quando despertou o interesse do futebol austríaco. Por lá, o jogador não se adaptou com o clima e o idioma e vem com boas referências. Inclusive, o Grêmio tentou sua contratação há quase 1 mês, segundo a imprensa gaúcha. Espero que seja uma grata contratação, que dê resultado e ajude a melhorar nosso miolo de zaga. O contrato de Ruan Renato com o Vitória é até dezembro de 2020.

RUMO AO HEXA, BRASIL!!!

Mancini escala mal, arbitragem bagunça o coreto e Vitória é goleado por São Paulo

O jogo de ontem teve grande influência da arbitragem. O Vitória estava de certa forma fazendo um jogo razoável, como fez contra o Corinthians. A grande diferença foi a teimosia e burrice de Mancini em mexer num setor sabendo que estaria jogando com a dupla de zaga reserva, o que facilitou mais ainda as coisas para o São Paulo. Como é que um treinador experiente como ele, que sabe que vai jogar com a zaga reserva contra o São Paulo que vem em ascensão na competição, tira um volante pegador como Rodrigo Andrade para improvisar Yago, que está muito mal este ano na sua posição de origem, e obviamente seria um risco maior, até para expor mais ainda a sua defesa? É por essas e outras que não confio mesmo em Mancini. É por essas falhas que eu não idolatro e nem o acho o máximo dos máximos como muita gente faz.

Antes do São Paulo abrir o placar, o Vitória perdeu duas grandes chances com Wallyson. Na primeira tentativa ele furou um cruzamento vindo da direita e na outra, chutou torto pra fora. O Vitória estava fazendo um jogo parelho e sem tomar grandes sustos, até a genialidade de Nenê entrar em ação, quando da entrada da área driblou o marcador e acertou o ângulo direito de Elias. Poucos minutos depois de fazer 1×0, o juiz apareceu. Apesar do histórico de expulsões de Yago, desta vez o cartão vermelho foi exagerado. Mesmo sendo imprudente com a movimentação dos braços que passaram perto do rosto do são-paulino, um cartão amarelo ali estaria resolvida a situação. Porém, ele resolveu expulsar e depois em lances similares gerados por jogadores do São Paulo, não vimos o mesmo critério ser aplicado.

Com uma zaga reserva e um segundo volante bem mediano, ficou fácil para o São Paulo. Já temos todas as nossas limitações de elenco, Mancini facilitou pro São Paulo e a arbitragem completou o serviço. Por isso, o São Paulo fez logo 2×0 antes do fim da etapa inicial e fez o terceiro antes mesmo dos 10 minutos do segundo tempo. Só não deu mais porque puxou o freio de mão e pelo fato de Diego Souza ter tido uma noite sem inspiração. Enfim, agora só uma puta combinação de resultados para o Vitória não passar o período da Copa ao lado das sardinhas na Zona de Rebaixamento.

Теперь это Кубок мира! Вперед Бразилия! Сохраните выбор!

No Vitória, o que se diz não se escreve

– “Prolongar a parceria entre o Vitória e a Universo. A participação do Leão no NBB segue agregando valor a nossa marca. O objetivo é estreitar laços com a LNB, Liga Nacional de Basquete. O Vitória precisa ser uma das lideranças do basquete nacional.”
– “Se não chegarmos a um acordo, não vamos montar outro time. Pelo menos não nesse ano. Não temos dinheiro para isso.”
As duas frases acima são atribuídas ao presidente do Esporte Clube Vitória, Ricardo David. A primeira, “embalada” em formato de proposta de campanha, e a última, um triste retrato, até aqui, desta gestão. Além do espaço de alguns meses, a real diferença entre ambas é o abismo que separa PROMESSA e AÇÃO.
Esta gestão, autoproclamada paladina da modernidade, em apenas seis meses já crava em seu currículo um dos maiores retrocessos da história do nosso clube: a extinção do basquete. A medida começava a desnudar o engodo que tem se apresentado o retórico, mas nada proativo ou resolutivo, Ricardo David. 
Mas, para espanto e indignação geral da Nação Rubro-negra, o fatídico episódio do basquete era apenas a ponta do novelo emaranhado que se transformou a administração do Vitória. Para desenredar esta história fio a fio e não deixar “ponto sem nó”, vamos fazer o sempre saudável exercício de comparação entre as principais propostas de campanha (abaixo) e os pífios resultados obtidos até aqui:
1- GESTÃO PROFISSIONAL
2- INOVAÇÃO E INTEGRAÇÃO
3- REFORMA DO BARRADÃO SEM MEGALOMANIA
4- AÇÕES DE MARKETING ASSERTIVAS
5- BASQUETE, REMO E DEMAIS ESPORTES OLÍMPICOS MAIS FORTES
6- INTERNACIONALIZAÇÃO DA MARCA
7- PROJETO DE FUTEBOL ALINHADO A TECNOLOGIA E INTEGRADO COM A DIVISÃO DE BASE
8- RECUPERAÇÃO DA MÉDIA DE PÚBLICO DO BARRADÃO
9- POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA
10- MAIS PARTICIPAÇÃO DE SÓCIOS E TORCEDORES NA VIDA DO CLUBE
11- EMPODERAMENTO DO CENTRO DE INTELIGÊNCIA DE MERCADO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO
Por razões óbvias, não vamos nos ater a ideias genéricas e abstratas como “Inovação e Integração” e “Ações de Marketing Assertivas”. Por critérios mais claros ainda, passaremos por cima do devaneio “Recuperação da média de público do Barradão”.
Sem muito esforço percebemos que o ESTELIONATO ELEITORAL praticado pelo grupo que o senhor Ricardo David “comanda” começa pela “venda” de uma ideia de CHOQUE DE GESTÃO. Ora, este conceito moderno pressupõe mudanças imediatas, pelo menos administrativas e organizacionais a curto prazo, mesmo em ambiente com tradição quase burocrática. Exige, mesmo em meio a dificuldade financeira, arrojo e criatividade.
E o que houve de grande modificação na estrutura e funcionamento de setores? Atração de investimentos, celeridade de serviços ofertados pelo clube ao seu torcedor, por exemplo?? 
SMV
O plano Sou Mais Vitória permanece com os mesmos problemas e nada de novo foi apresentado em seis meses de gestão. Qual a nova modalidade criada? Qual a melhora na comunicação com o torcedor? “O dinheiro ainda não pingou na conta”?
Esta gestão assumiu com o clube desabilitado ao programa Por um Futebol Melhor. Passados seis meses do mandato, a situação permanece. Ou seja o torcedor não pode se valer de um dos poucos benefícios de se associar, visto que a rede de conveniados própria do SMV é pequena, os descontos são ínfimos e as vantagens na própria loja do clube são irrisórias. Enquanto o Vitória dá 5% de desconto na camisa oficial, o rival oferece a própria camisa como brinde ao associado.
Se tratarmos especificamente da realidade da Rede Vitória Sem Fronteiras, de torcedores que moram fora de Salvador, é que a coisa desanda de vez. Onde está o alardeado plano exclusivo destinado a estes torcedores? É tão complexo assim elaborar algo já sugerido, com ideias aos montes e um público consumidor já pré-definido??
Nosso trabalho é mais do que conhecido do presidente que, quando foi diretor de marketing chegou a realizar ações para este segmento da torcida. Em campanha, inclusive, levantou a bandeira da atenção aos torcedores fora de Salvador, aliado aos pedidos de apoio para sua eleição. Após eleito, seu interesse direto tem sido igual a zero. Zero diálogo de Ricardo David com a Rede Vitória Sem Fronteiras.
MODERNIZAÇÃO, BASE E POLÍTICA DE CONTRATAÇÕES
Sobre o uso de tecnologia e afins, os tais “Empoderamento do Centro de Inteligência” e “Projeto de futebol alinhado a tecnologia e integrado com a divisão de base”, na prática, após a polêmica criada pela divulgação da contratação de uma empresa externa para executar o serviço de banco de dados e informações sobre atletas, o clube finalmente garante estar com o sistema implantado e operando. Ufa! Que o aprimoramento deste setor nos livre da contratação como Pedro Botelho, Lucas e Jonatas Belusso.
Estas propostas de “reforço da base e centro de inteligência” também remetem diretamente ao propalado conceito de investir na prospecção e contratação de jovens atletas! Na teoria excelente, mas na prática trouxemos apenas Rodrigo Andrade e Guilherme Costa, em um universo de quase 20 CONTRATAÇÕES NO ANO, em torno de 10% do total. 
O detalhe é que uma das justificativas para a política de contratações pouco arrojada no começo do ano foi a determinação de não envolver dinheiro nas negociações. Mas, em contraponto a esta política de valorização de jovens atletas foi contratado o “veterano” lateral direito Lucas, em transação que fez o Vitória abrir mão de valor que tinha a receber pela jovem promessa Yan.
Ainda sobre a formação de elenco, renovamos com boa parte do time quase rebaixado ano passado e fomos repatriar um velho conhecido (Rhayner), além de ensaiar retorno com outro (Victor Ramos), só vetado por pressão e rejeição quase unânime da torcida. Qualquer semelhança com o modelo histórico de gestão de outrora não é mera coincidência. O detalhe é que conseguiram piorar um elenco há tempos debilitado.
O fato é que entramos em 2018 cheio de expectativas e chegamos ao meio do ano como vice-campeões do baiano, eliminados precocemente no Nordestão, fora da Copa do Brasil, na zona de rebaixamento do Brasileirão e, como quase sempre nas últimas temporadas, à espera de um milagre. A gestão até poderia se valer das máximas “a bola não entrou”, “coisas do futebol” para justificar os insucessos em campo, mas a triste realidade de um plantel medíocre e um treinador sem comando e sem capacidade de se reinventar salta aos olhos de todo rubro-negro. 
Esse é o retrato de um clube sem planejamento, sem direção, com um presidente falastrão na campanha e omisso, beirando a covardia, na resolução de crises pontuais e esclarecimento de questões de forma transparente ao torcedor. Enquanto torcedores esperamos não ter que, além do desgosto de mais um iminente rebaixamento, ser submetidos a humilhação de ver uma camisa comemorativa a este inglório feito, como fez há algum tempo uma gestão que muito se assemelha a essa e, curiosamente, também era integrada pelo senhor Ricardo David.
Aos abutres de plantão, permanecemos atentos e não permitiremos que o insucesso desta e da famigerada gestão anterior anule o único legado de fato dos últimos anos: a abertura do Esporte Clube Vitória ao seu torcedor. Querem demonizar o direito dos sócios escolherem o comandante do clube, mas acham normal o obscuro modelo de eleição indireta feita por um grupo de centenas de conselheiros incrustados eternamente no clube. 
Democracia se aprimora, cultura se cria. Esperamos que tudo isso sirva para que o torcedor se associe e segure as rédeas do clube, e para que o sócio dê cada vez mais valor ao seu voto.
Estamos à postos para lutar para que estes tempos não retornem, assim como para que as promessas de quem precisa convencer – e às vezes ilude – o eleitor sejam cumpridas.
Rede Vitória Sem Fronteiras

Em jogo morno e truncado, Vitória bate a Chape e sai da zona de rebaixamento

Não foi um jogo para guardar na memória de ninguém. Muito apático, sonolento e truncado, com pouquíssimos lances de ação e trabalho dos goleiros, mas o Vitória conseguiu vencer com um golaço de Neílton, na metade do segundo tempo, e com isso saiu da zona do rebaixamento, chegando a 11 pontos e a 14ª colocação na tabela, mas que pode cair 1 ou 2 posições, a depender do restante da rodada que termina hoje à noite com mais três jogos. A surpresa ficou por conta da escalação do alteral Cedric entre os titulares e ao meu ver, ele fez uma partida regular, sem comprometer e mostrou, obviamente, mais repertório técnico que o “medalhão” Lucas.

Primeiro Tempo Os primeiros minutos de jogo pareciam animadores. A Chapecoense e Vitória tiveram boas chances no comecinho da partida, a chape com Apodi infernizando em cima de Jeferson e buscando o cruzamento na área pela ponta direita e o Leão com Rhayner e Lucas Marques em arremates de longe. Depois de uns 15 minutos mais ou menos veio a grande madorna. O jogo ficou muito feio, sem lances de emoção, muitos passes errados, jogadas encerradas antes da conclusão…Somente perto do final da etapa inicial é que o Vitória voltou a assustar, primeiro numa bela jogada na ponta esquerda de Jefferson que cruzou na área e André Lima quase fez de carrinho (que defesaça de Jandrey). Minutos depois, em outra bola cruzada na área, Neílton tentou um chute de meia-lua, mas foi fraco e o goleiro da Chape defendeu sem grandes problemas.

Segundo Tempo O rubro-negro tentou implantar uma blitzkrieg inicial, mas esbarrava nos passes errados e na falta de inspiração do meio de campo e dos jogadores de extremo, sobretudo por Wallyson, que fez uma péssima partida no contexto geral do jogo. Já a Chape também não estava em seus melhores dias. Seu principal jogador, Arthur Caíke, também estava muito mal, pra nossa sorte. Até as cobranças de falta dele estava ruim e na única que foi na direção do gol, o goleiro Ronaldo defendeu sem traumas. Por sinal, Ronaldo vem mostrando ter melhores fundamentos que Caíque, sobretudo para cortar cruzamentos e encaixar chutes, diferente do camisa 23, notório por espalmar e por ir e voltar em bolas alçadas na área. O jogo voltou a ser uma madorna, mas já com a torcida se irritando nas arquibancadas. Somente aos 20 min é que saiu o gol do alívio. Numa retomada de bola por parte da Chapecoense, Apodi quis tocar de primeira, errou o passe, Neílton pegou a redondinha e com muita classe chutou no ângulo direito de Jandrey. Vitória 1×0. 

Depois do gol, o jogo não mudou de cenário até os últimos 8 minutos, quando a Chape tentou fazer o abafa e conseguiu vários escanteios e rebotes próximos a nossa área, exigindo muita atenção e posicionamento dos zagueiros e volantes. O Vitória conseguiu “sofrer” bem este bombardeio catarinense nos minutos finais e garantiu mais um triunfo no Brasileirão, acalma um pouco os ânimos da torcida e agora vai encarar duas pauleiras fora de casa: Corinthians (sábado) e São Paulo, no próximo meio de semana.

Vitória Sempre!

É vencer para acalmar os ânimos

Depois de perder duas partidas consecutivas para Inter (3×2 em casa) e Santos (quando foi goleado por 5×2), a torcida rubro-negra mostrou que já está cansada de ver o clube neste marasmo de resultados e campanhas pífias que já duram quatro temporadas. Já rolou protestos no aeroporto, palavras de ordem contra o técnico Mancini (que já tinha discutido com torcedores antes), a vários jogadores como Uillian Correia, Rhayner e Pedro Botelho e agora o alvo está todo apontado para a diretoria do clube, sobretudo na figura do presidente Ricardo David, que teve seu nome pichado nas dependências do Barradão, na madrugada desta terça-feira! Por conta disso tudo, o Vitória precisa vencer hoje à noite a Chapecoense para acalmar um pouco os ânimos, pois as duas últimas rodadas antes da parada para a Copa do Mundo serão osso duro de roer: Corinthians (11ª rodada) e São Paulo (12ª) ambas na capital paulista.

Depois da humilhante derrota no domingo, o treinador Vágner Mancini falou na coletiva que novamente iria “oxigenar” a equipe titular, entretanto o elenco segue limitado e conta para esta partida com vários desfalques, o que significa que não serão mudanças feitas por visão de Mancini e sim por obrigação, por não ter outro, por não poder escalar a sua panelinha querida. Talvez o único que seja neste sentido é o Uillian Correia. Outros desfalques são: Elias (emprestado pela Chape), Fillipe Soutto, Belusso, Zé Welison, Juninho, Bryan e Willian Farias (todos lesionados) e Rodrigo Andrade (suspensão automática). Então o discurso do “professor” é aquilo que eu costumo chamar de retórica para acalentar bovino, que na linguagem popular significa “conversa pra boi dormir”. As mudanças que veremos hoje são puramente por lesões, suspensões e por acordo contratual (caso do goleiro Elias) e não porquê o Coçador de Barba teve uma epifania e se convenceu de que utilizando estes jogadores que irão ser titulares hoje são a solução para nossos problemas. Não se deixem enganar!

Também numa fase ruim dentro da competição e talvez seja a pior campanha inicial da Chape desde que ascendeu à Série A em 2013, o simpático time do oeste catarinense vem com desfalques, mas em menor número que o nosso. O técnico Gilson Kleina não poderá contar com o atacante Leandro Pereira, expulso na partida anterior contra o Atlético-MG e do volante Amaral, lesionado. Mesmo assim, a Chape é um time que merece total respeito e atenção, pois conta com jogadores em bom momento como a dupla de atacantes Arthur Caíke e Wellington Paulista, que vem marcando vários gols nas últimas rodadas, além do velocista Apodi que conhecemos muito bem, além de sabermos que ele cairá em cima de um lateral direito improvisado na esquerda.

Além disso, o Vitória (desde que eu me conheço) nunca venceu a Chapecoense no Barradão. Nos jogos que eu me lembro teve um empate (2014) e duas derrotas (2016 e 2017). Só recordo de um triunfo nosso no jogo da Arena Condá em 2016 quando demos 4×1 com boas atuações de Zé Love, Marinho e Kieza, partida que aconteceu um mês antes da tragédia do voo à Colômbia, onde a Chape enfrentaria o Atlético Nacional. Em jogos como mandante, a Chape sempre foi nosso algoz e que esta noite seja diferente. O Vitória precisa vencer de qualquer jeito para acalmar os ânimos e quem sabe recuperar a confiança para enfrentar o Corinthians e o São Paulo fora, na sequência.

Aconteceu ontem, a apresentação do novo Diretor de Futebol do Leão, Jorge Macedo, e poucos minutos depois saiu a notícia de que Pedro Botelho e Alexander Baumjohhan não terão seus contratos renovados e tiveram suas rescisões antecipadas. Há quem diga que a lista de dispensa é grande e que o elenco será bem reformulado neste período da parada para a Copa do Mundo FIFA 2018.

 

Vitória Sempre!

CARTOLA FC | Boletim da 9ª Rodada

Siiiiiiiiiiim, galera, vamos a mais um Boletim da Rodada de nossa Liga no Cartola FC. Bem, nas duas últimas rodadas eu errei a mão, principalmente na escolha do capitão da equipe e por isso despenquei da tabela. De vice-líder passei para a quinta posição (que droga!), mas estou preparado para retomar a onda ascendente que eu estava surfando, para buscar o título da nossa Liga Clássica.

Continuo sendo o Cartoleiro mais rico da nossa liga, mas perdi algumas cartoletas. Eu já tive 183,83 e agora estou com C$ 182,67. Por isso mesmo que para a rodada 10 meu foco será valorizar. Mas acredito que fiz a escolha certa para pontuar também. O segredo é esse, ter a mão certa para colocar aqueles que, ao mesmo tempo pontuem e valorizem bem.

Saí do segundo lugar, mas continuo perto dele. Menos de 20 pontos separam meu time do AFC Abbehusen e menos de 40 para o líder Vitória CzAr de Bruno Resende. Então sendo otimista, se eu fizer 100 pontos e o CzAr 60pts, eu passo ele! Então vou em busca de fazer uma pontuação melhor e desejar que o Bruno erre a mão (já separei o bode, a galinha e um litro de Sagatiba aqui, pra fazer um trabalhinho especial).

O mercado do Cartola para a rodada 10 está aberto e fecha amanhã! Não esqueça de montar o seu time!

Vitória Sempre!