Até quando iremos ser salvos por Kieza? Cadê os reforços, diretoria?

Mais uma vez salvos por Kieza. Seremos refém desta boa fase até quando?

Mais uma vez salvos por Kieza. Seremos refém desta boa fase até quando?

A pedra que 99% da torcida e parte da imprensa lançam ainda não acertou a consciência da Diretoria Rubro-Negra. Assim como na Era Aléxi Portela, Jorge Sampaio e Carlos Falcão, os mandatários do Leão da Barra só aparecem com anúncios de contratações depois de algum vexame (eliminação precoce ou goleada) ou por uma sequência de três ou mais partidas no Campeonato Brasileiro. Falava-se de contratações até a semana da final do estadual, ganhamos, tomamos 4×1 do Santa Cruz…mas bastou vencer de virada um Corinthians comum para este assunto virar “indesejado” na Toca do Leão. Para a diretoria somos um Real Madrid porque viramos contra o “todo poderoso midiático Timão”.

O empate melancólico contra o América-MG, conquistado à duras penas, num lance brigado de Alípio que resultou numa assistência sensacional para Kieza marcar, protelou por mais uma rodada o assunto e ontem, mais uma vez, mostramos que com este elenco que temos vamos sofrer bastante e o risco de voltar a frequentar a maldita Segunda Divisão é tiro certo de 100%. O Atlético Mineiro, por mais que tenha o elenco mais completo do país, veio à Salvador com ONZE DESFALQUES e isso afeta até o Real Madrid, quiçá o Atlético-MG, onde o futebol brasileiro está super nivelado por baixo, com um bocado de perna de pau ganhando fábulas e enchendo as burras de dinheiro, cachaça e orgia.

O Vitória até estava bem melhor que contra o América-MG e Corinthians (nos respectivos primeiros tempos). O jogo estava pau-a-pau, bem parelho. Acertamos a trave com Diego Renan, Kieza quase marcou numa jogada brigada entre os defensores, em que o goleiro Victor interveio no momento crucial da finalização de K9. Entretanto, apenas vontade e raça não garante qualidade nem triunfos em sequência. Como quem não faz toma, aos 36min veio o castigo quando num escanteio em jogada ensaiada, Marcos Rocha cruzou para Patrick abrir o marcador, com um frangaço de Fernando Miguel.

Diferentemente das partidas anteriores, caímos no começo da segunda etapa. O Atlético-MG fez uma blitzrieg nos 15 minutos iniciais e Fernando Miguel começou a tentar recuperar o prestígio com aquele gol estupidamente idiota que ele tomou. Nosso goleiro salvou umas três bolas cara a cara e numa delas ainda deu sorte da bola ainda ter se chocado na trave, após desvio com um dos pés. Depois destes sustos, voltamos a crescer na partida e Dagoberto apareceu bem novamente, fazendo o corredor esquerdo no lugar de David. O camisa 22 quase fez um golaço da entrada da área num chute de chapa, desviado pelo arqueiro atleticano.

Entretanto, sentíamos a falta de Marinho; e Victor Ramos ERRAVA todas as tentativas de saída de bola. Só que, curiosamente, quando ele resolveu lançar por cima, não é que deu certo? Ótimo lançamento para Kieza, que dominou no peito e com muita frieza e pensamento rápido, deu um toquinho na saída de Victor. 1×1 aos 35 minutos. Novamente sendo salvo pela boa fase de Kieza. Mais um jogo que perderíamos e o K9 ameniza a situação. Aí eu pergunto: Até quando? Se com a ausência de Marinho já perdemos 50% da força ofensiva e se por acaso Kieza se lesionar, ou se a fase “mágica” der um pause? Quem é que vai nos salvar? O Chapolim Colorado? O Super Raimundo Viana? Até quando também Mancini insistirá com Vânder, em detrimento de Alípio, e esperar por lampejos (cada vez mais escassos) de Leandro Domingues?

A torcida reconhece a garra e o poder de reação deste time rubro-negro, mas sabemos que temos um elenco fraco. Só temos a famosa “conta-do-chá”. Não temos um reserva para Kieza, nem para Marinho. Não temos lateral esquerdo (Diego Renan não é lateral esquerdo, definitivamente), não temos um meia central minimamente qualificado e regular. Em minha visão precisamos URGENTE de 01 lateral esquerdo, 02 meias-armadores (“camisa 10”), 1 extremo esquerdo (Escudero), 1 extremo direito (Rhayner) e 1 centroavante (para revezar ou fazer sombra a Kieza). Ou seja, no mínimo de SEIS REFORÇOS. Só assim para o Vitória fazer uma Série A digna, sem correr risco de rebaixamento e tentar algo mais do que uma mera participação mediana.

*O recado continua sendo dado. Se o rebaixamento vier a acontecer, não podem culpar a posição da Lua em relação à Terra, nem a Crise Mundial, tampouco a falta de aviso da torcida e de parte da imprensa. Esta demora só prejudica o clube e o fortalecimento de nossa torcida. Queremos muito mais que comemorar vitórias de três pontos em Série A.

Temos que aproveitar os desfalques do Galo

prelecao do abbehusen

PRELEÇÃO | Vitória x Atlético Mineiro

Após fazer a festa do título do campeonato baiano 2016, o Vitória irá retornar a sua casa de praia neste domingo às 16h para enfrentar o Atlético Mineiro. O duelo pela quarta rodada da Série A acontecerá na Arena Fon73 Nossa e a expectativa é de bom público e bom jogo na capital baiana.

O técnico Vagner Mancini ainda tem dúvidas na escalação do time titular para este jogo. Os problemas ficam por conta da situação dos jogadores Marinho e Tiago Real, que se recuperam de lesões e não são presenças garantidas na partida de domingo. A ausência confirmada é do lateral Norberto que foi expulso na partida contra o Coelho na última rodada. Para esta vaga Mancini pode escalar o lateral Maicon Silva, improvisar José Wellison ou deslocar Diego Renan com a entrada de Euler na lateral esquerda. O provável time do Vitória para este jogo será Fernando Miguel, Maicon Silva, Victor Ramos, Ramon, Diego Renan, Amaral, Farias, Leandro Domingues, Vander, Marinho (Dagoberto) e Kieza.

O técnico da equipe mineira, Marcelo Oliveira, tem inúmeros problemas para esta partida. Ao todo serão 11 desfalques no time titular do Atlético. Entre contundidos e convocados a lista possui Leonardo Silva, Erazo, Douglas Santos, Cazares, Dátolo, Luan, Robinho e Lucas Pratto. A provável equipe para esta partida é Victor, Marcos Rocha, Tiago, Edcarlos, Carlos Cesar, Rafael Carioca, Leandro Donizette, Júnior Urso, Patric (Eduardo), Hyuri; Carlos.

Independente dos desfalques do Atlético Mineiro, o único resultado admitido para a partida de domingo será o triunfo. Em casa, o Vitória deve sempre cumprir o papel de mandante e conquistar os três pontos, pois, fazendo isso, o risco de rebaixamento ficará afastado. A confirmação do time reserva do Atlético Mineiro para esta partida só aumenta a responsabilidade e a obrigação da vitória para o rubro-negro baiano. Esperamos que o time se comporte como protagonista nesta partida e chegue a segunda vitória nesta série A e aos 7 pontos de 12 disputados.

Onde eles estão com a cabeça?

imprensa

Por Herbem Gramacho

(jornalista do Correio da Bahia, na coluna do dia 26/05/2016, p.28)

“Onde os executivos do futebol brasileiro estão com a cabeça? Em que países eles vivem? É neste Brasil do salário mínimo de R$ 880, agora também com 10% de desemprego e retração prevista para 3,8% do PIB? Não pode ser!! Afinal, quem em sã consciência cobraria do torcedor 11% do salário mínimo por um ingresso para ver um jogo contra o Corinthians?

E ainda anuncia como “promoção” de R$ 100 por R$ 60 na compra antecipada? Sim, o Vitória fez isso. E não foi exceção justificada pela empolgação do primeiro jogo em casa no retorno à Série A poderia causar. É a regra, traçada pelo clube como estratégia para aumentar o número de associados, como se um time de futebol se resumisse a um conglomerado de condôminos e como se o torcedor não-sócio merecesse ser excluído do convívio.

Não foi a primeira vez. No Ba-Vi da final do Campeonato Baiano, no Barradão, o ingresso custou R$ 80. Nem será a última. De acordo com a tabela de preços anunciada pelo Vitória em Janeiro, o jogo contra o Flamengo, na 24ª rodada, também terá ingresso a R$ 100. (Aqui abre-se um parênteses, pois cabe a reflexão de se cobrar mais caro para ver Flamengo e Corinthians é provincianismo demais ou apenas lei de oferta e procura? Voto na primeira opção, por entender que a maior parte da torcida do Vitória quer ver seu time, e não o adversário).

Nos outros jogos da Série A, a política de valoração do jogo de acordo com o “peso” do adversário continua. Assim, para ver o Vitória diante de outros grandes do RJ, SP, MG e RS, o que totaliza nove partidas, o ingresso será de R$ 80. Contra os oito adversários de pouca expressão não fica barato: R$ 60.

Talvez achem que o torcedor do Vitória é essencialmente otário, além de rico. Mas o público de 20 mil no Ba-Vi e 12 mil diante do Corinthians – incluindo as torcidas adversárias nos dois casos – mostra que o torcedor sabe, melhor que ninguém, o que fazer com o seu dinheiro.

Em tempo: em Porto Alegre, onde o torcedor gremista pagou R$ 50 no setor mais barato do estádio na partida contra o Flamengo. Já nas oitavas de final da Taça Libertadores, o setor mais barato custou R$ 60. Os outros iam subindo para R$ 80 e R$ 100…o que não é barato para o povão em nenhum lugar do Brasil, e mesmo assim, ainda é mais barato que o Barradão.”

OPINIÃO DO BLOGUEIRO

Trouxe este maravilhoso texto para corroborar com o que escrevi tempos atrás sobre este absurdo e esta extorsão que a diretoria está fazendo com o seu torcedor. Querendo aumentar o sócio SMV pela extorsão aos torcedores comuns e não pelo despertar, na torcida, um projeto em que o clube ambicione a conquista de um título nacional (Copa do Brasil ou Série A) ou internacional (Sulamericana seria um bom começo). Não desperta, na torcida, através de contratações de jogadores importantes e qualificados para ratificar a busca pelos títulos inéditos e expressivos. Em qualquer lugar do mundo as torcidas crescem e se associam quando o clube dá algo em troca e este algo em troca são títulos ou pelo menos elencos que gerem expectativas para tal.

Além disso, é de uma mentalidade nanica e provinciana, estipular preços exageradamente altos contra os times midiáticos de RJ e SP, como se fôssemos todos “tabaréis” (no sentido mais pejorativo da palavra mesmo). Coisa que é até aceitável em Sergipe, Alagoas, Maranhão, Região Norte, mas em Salvador??? Num estado em que nossas maiores forças possuem muito mais história e torcedores locais que de fora, sobretudo na região metropolitana? E como bem pontuo, o torcedor do Vitória gosta de ver o seu time e não o adversário! 

Enfim, a diretoria está erradíssima em usar desta estratégia escrota para alavancar o SMV. Sou sócio desde 2007 e não é por isso que serei egoísta e não considerarei a situação de quem não pode ser sócio ou de quem mesmo NÃO DESEJA ser sócio, enquanto não for contagiado de que o Vitória irá dar algo bom em troca, além de títulos estaduais e vitórias de três pontos em Brasileiros e participações medianas na Copa do Brasil. Ninguém é obrigado a se associar. Até na relação trabalhista não é obrigatório se associar ou se sindicalizar à empresa em que o trabalhador labora. Coisas de uma diretoria avarenta e que só enxerga o clube como máquina de fazer dinheiro e do torcedor como massa de manobra e vaca de presépio.

 

Empate à base de muita raça!

America-1x1-Vitoria_kieza_1638675

Parece que Vágner Mancini consertou o posicionamento defensivo do Leão. Diferentemente dos jogos contra Santa Cruz e Corinthians, o rubro-negro não sofreu tantas infiltrações pelos meio-campistas do América-MG ontem à noite na Arena Independência. A melhor postura do time em campo e a mudança do estilo de jogo, sendo mais cauteloso do que ultra ofensivo gerou um primeiro tempo mais sólido, sem tomar grandes sustos do adversário e de mostrar aos torcedores do adversário que eles não iriam achar a moleza que o Santa Cruz encontrou.

Entretanto, o técnico Mancini fez um serviço incompleto, pois se melhorou a organização defensiva, a produção ofensiva decaiu. Não exigimos grandes defesas e nem criamos chances de gol ou de arremate na primeira etapa. Somente no segundo tempo o jogo ficou mais aberto e poderíamos ter feito o primeiro gol com Marinho, que recebeu belo lançamento, só que o camisa 7 preferiu a “soberba” da máscara do que objetividade e perdeu esta bela chance.

Com a entrada de Dagoberto no lugar de Tiago Real (que fez mais uma partida sem sal), o Vitória passou a dominar as ações ofensivas. Dagoberto teve lampejos de boa forma e fez belos passes e arriscou alguns chutes da entrada da área, sua marca registrada no Atlético-PR e São Paulo. Para mim, Dagoberto ainda tem muita lenha para queimar e na partida de ontem já foi mais incisivo que as anteriores. Muitos aqui esquecem que o cara está há cinco meses sem atuar com regularidade, vindo de contusão e que ritmo de jogo se pega aos poucos e não da noite pro dia. Só é o terceiro jogo do cara em 5 meses. Guardem suas cornetas, sejam pacientes. Eu aposto o quanto de pessimismo e cornetagem explícita choveria aqui se Grafite ou Ricardo Oliveira fossem anunciados pela gente em 2015 e não por Santa Cruz e Santos, respectivamente.

RTEmagicC_vitoriamerica.jpg

A bola pune – mesmo criando mais chances e tendo a melhor delas desperdiçada, o Vitória não abriu o marcador e como dizia o treinador filósofo, Muricy Ramalho, a bola pune. Quem não faz toma e num contra-ataque, o atacante Victor Rangel limpou nossa zaga toda na entrada da área e chutou no canto de Fernando Miguel. 1×0. Em seguida, Norberto fez uma idiotice e foi expulso (depois reclame quando Mancini te preterir de vez).

Sinal de Tragédia ligado – Com 1×0 contra e 1 jogador a menos, todos os rubro-negros pensaram com certeza que o sacode seria maior. Mas nos enganamos. Os primeiros momentos de turbulência foram vencidos com êxito pela nossa defesa e aos 39 minutos o América-MG provou de seu próprio veneno. Num contragolpe, Alípio disputou a bola com o zagueiro e já caído conseguiu um passe perfeito para Kieza, que venceu o lance com o goleiro João Ricardo, e de canhota legal fez o seu quarto gol em seu quarto jogo consecutivo. Dá-lhe K9! Outro que nossa mega-exigente torcida já estava ensaiando cornetagem, né amigo Kant? Viu aí? É só ser mais acionado que o cara aparece. Kieza é muito frio nas finalizações, isso é ótimo para o centroavante. Posso estar sendo precipitado, mas tudo indica que a contratação de Kieza, por três anos, foi a melhor aquisição do Vitória após a Era Paulo Carneiro.

ATUAÇÕES

Fernando Miguel fez mais uma bela partida. 9,0

Norberto teve uma atuação mediana, mas cagou tudo com a expulsão. 5,0

Victor Ramos jogou muito, mas vacilou no drible tomado que resultou no gol do Coelho. 6,5

Ramon melhorou bastante em relação aos dois jogos passados. 7,0

Diego Renan não está mais empolgando. 6,0

Amaral fez um jogo sólido. 6,5

William Farias voltou em grande estilo. 7,5

Leandro Dormindo zzzzzzzzzzzzzero

Tiago Real zzzzzzzzzzzzzzzzzzzero

Marinho teve uma atuação discreta e perdeu a melhor chance quando estava 0x0. 6,0

Kieza vem crescendo a cada jogo e alternando corretamente entre abrir nas pontas e centralizar. Mais um gol do K9. Nota 10.

VÁGNER MANCINI ajeitou o buraco da zaga, deu estabilidade na atuação e usou corretamente o banco de reservas, mas escalou errado Tiago Real na ponta direita. Era pra ter começado com Alípio. Aliás, Alípio já merece a vaga de Vander. Nota 7,0.

16 Euller entrou bem desta vez. 7,0

20 Alípio entrou no lugar de Marinho e fez a assistência do gol de empate. 9,0

22 Dagoberto entrou no lugar de Tiago Real e deu dinamismo na ponta esquerda. 7,5

Vitória encara o América-MG em busca de 1º triunfo como visitante

america.mineiro_vs_vitoria_2016

Depois de enfrentar duas equipes paulistas (Portuguesa, pela Copa do Brasil, e Corinthians pelo Brasileirão), o Leão da Barra terá pela frente dois adversários de Minas Gerais. O primeiro será o América na noite desta quarta-feira, tendo na sequência o Atlético-MG, na Arena Fonte Nova. Em sua primeira jornada como visitante o Vitória foi surrado pelo Santa Cruz, o que deu uma má impressão enorme pelo placar de 4×1 e a facilidade de como o time pernambucano fez os gols. Na semana seguinte à goleada, vencemos a Lusa por 3×1 e o Corinthians por 3×2, ambos de virada e este elemento pode sinalizar uma recuperação da autoconfiança dos nossos jogadores.

Vágner Mancini fará poucas mudanças em relação à escalação do jogo anterior, mas com o possível retorno de Willians Farias na meiuca, além de Alípio pintar na vaga de Vander (expulso contra o Corinthians). Sendo assim, o provável line-up rubro-negro será com Fernando Miguel, Norberto, Victor Ramos, Ramon e Diego Renan; Amaral, Marcelo (W. Farias), Leandro Domingues, Alípio (Tiago Real / Dagoberto), Marinho (David) e Kieza. Apesar da nossa boa recuperação e atuação no segundo tempo do Corinthians, enxergo que Mancini poderia ter sido mais ousado e até mexer um pouco com a zona de conforto de alguns jogadores, a exemplo de Ramon que vem jogando muito mal desde a finalíssima do Baiano. Daria vez a outro zagueiro, de preferência Kanu.

Já o América-MG não começou bem a Série B e perdeu as duas primeiras partidas, por isso, acredito que o Coelho irá pressionar bastante nossa defesa e buscar a todo custo o resultado positivo, pois as coisas estão ficando estreita por lá e Givanildo sabe que se a série de derrotas se alongar muito ele pode pegar o bilhete azul da demissão. Sabido e experiente, o técnico do Coelho irá orientar seus jogadores a forçarem as jogadas em nossos laterais, além de outros defeitos que ele possa ter detectado de nosso time. Portanto, espero que Mancini tenha um antídoto para o esquema de Givanildo e também saiba explorar os pontos fracos da equipe mineira. O provável time do América-MG será com: João Ricardo, Artur, Alison, Sueliton e Danilo Barcelos; Leandro Guerreiro, Claudinei (Alan Mineiro), Rafael Bastos e Helder (Eduardo), Tiago Luís e William Barbio (Victor Rangel).

O time mineiro é uma das mais limitadas tecnicamente da Série A, mas costuma vender caro a derrota em seu mando de campo. O Vitória precisa ficar atento em Rafael Bastos, que passou por aqui em 2009, Tiago Luís e pela velocidade de William Barbio. Estes três são as principais peças ofensivas do Coelho e que, achando marcação desatenta, podem fazer a diferença. Fora isso, dá para o Vitória fazer seu primeiro triunfo como visitante nesta Série A 2016, desde que jogue com inteligência, raça e determinação. Do lado de lá não tem nenhum supertime e aquele que impor melhor seu esquema de jogo terá a maior possibilidade de somar três pontos.

Victoria in Omnia Paratus!

RELACIONADOS PARA O JOGO

Goleiros: Fernando Miguel e Wallace
Zagueiros: Ramon, Kanu e Victor Ramos
Laterais: Diego Renan, Euller  e Norberto
Volantes: Willian Farias, José Welison, Amaral e Marcelo
Meias: Leandro Domingues, Flávio e Tiago Real
Atacantes:  Dagoberto, David, Marinho, Kieza e Alípio
 

Em jogo alucinante, Vitória vence o Corinthians de virada e quebra tabu de 20 anos

kieza2

Ontem o Barradão fez um teste surpresa para cardíacos. Vitória x Corinthians teve dois tempos distintos, sendo o primeiro da equipe paulista e o segundo nosso. Com um buraco no meio de campo e laterais que não fecham seus espaços, o Corinthians botou o Leão na roda e fez uma série incrível de passes verticalizados, tanto para o meio e principalmente nas laterais, onde as Avenidas José Welison e Diego Renan já começam a ganhar notoriedade nacional. E nesta toada, o time paulista abriu o placar aos 25 minutos, quando Uendel recebeu nas costas de Welison e de um ângulo difícil acertou o canto contrário de Fernando Miguel. A reação leonina foi rápida e o dorminhoco acordou, fez uma bela jogada pela ponta esquerda e da entrada da grande área chutou no cantinho de Walter. Vitória 1×1.

A torcida rubro-negra ainda vibrava, mas percebia que o sistema defensivo ainda estava bagunçado, com o Corinthians conseguindo encaçapar os chamados “passes de rasga-defesa” e novamente aproveitando das avenidas de nossos “laterais”, o time paulista fez o segundo gol aos 39 minutos, com outro lateral, Fágner, que recebeu cruzamento rasteiro que contou com falhas de Victor Ramos e Ramon. Daí ficou fácil para o lateral direito Fágner marcar. Corinthians 2×1.

Segundo Tempo – O que parecia o fim de jogo para o Vitória foi esquecido com a postura completamente diferente do time no segundo tempo. E apesar de não gostar muito de Vágner Mancini, pelo mesmo ser teimoso demais, o fato é que ele acertou o posicionamento dos nossos jogadores e ao mesmo tempo conseguiu motivar para buscar o resultado. Entretanto, como a teimosia é a sua marca, Mancini voltou com José Welison e bastou outras três entregadas do lateral improvisado, para a torcida trucidá-lo em vaias e somente com isso Mancini resolveu colocar Norberto, lateral de ofício, em campo.

O Vitória melhorou consideravelmente na partida. Atacando com mais eficiência e não mais tomando vareio e infiltrações na defesa. O resultado foi rápido e aos 11 minutos Vander puxou jogada pela esquerda e cruzou à meia altura na área, a bola bateu no ombro de Marinho e caiu na sua canhotinha nervosa, e quando cai ali é saco. Vitória 2×2.

ec-vitoria-marinho-corinthians_1637728

Finalmente Leandro Domingues deu o ar de sua graça, ele que já tinha feito o seu gol no primeiro tempo, deu uma assistência sensacional para Kieza, que passou como uma bala no meio de 4 corintianos e com a sua frieza na finalização fez a virada rubro-negra. Vitória 3×2, isso aos 20 minutos do segundo tempo. Estávamos, portanto, quebrando um tabu de 20 anos sem vencer o Corinthians em jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro (a última tinha sido em 1996 quando vencemos por 2×0 também no Barradão). Mas ainda tinha muito jogo. E a partida reservou os 29 minutos finais (contando com os acréscimos) para fortes emoções.

O treinador Tite, famoso por ser super cauteloso e retranqueiro, partiu para o ataque colocando Marlone, Romero e Luciano, tirando inclusive um dos volantes. O Vitória se segurou com muita raça e dedicação e a torcida percebeu isso e ressuscitou o cântico “Guerreiro, time de guerreiro”. Fernando Miguel foi peça-chave para a manutenção do triunfo. O goleiraço já tinha feito defesas importantes na primeira etapa, mas na fase final da partida, com o Corinthians com dois meias e três atacantes, as chances foram aparecendo e Miguel catou todas. Inclusive, a mais emblemática de todas já perto dos acréscimos quando Luciano cabeceou a queima roupa e nosso arqueiro conseguiu desviar com o joelho esquerdo.

Enfim, resistimos à tormenta corintiana e garantimos o primeiro triunfo na competição nacional. Agora enfrentaremos o campeão mineiro, o América na quarta-feira, às 21h no Independência. Passada a semana “paulista”, começa agora a semana “mineira”, pois no domingo (29) enfrentaremos o Atlético Mineiro na Arena Fonte Nova.

Obs.: Antes do início do jogo os rubro-negros viram no telão do Barradão que a previsão da inauguração da Arena Barradão será no dia 13 de maio de 2019, nos 120 anos do Leão.

ATUAÇÕES*

Fernando Miguel foi importantíssimo, defendeu bolas incríveis. 10

José Welison não suporta jogar na lateral numa Série A. 3,0

Victor Ramos teve atuação discreta no primeiro tempo e boa no segundo. 6,0

Ramon vem em queda livre, já merece uma temporada no banco de reservas. 4,0

Diego Renan é lateral direito, não esquerdo. Continua sendo uma avenida. 5,0

Amaral fez o seu feijão com arroz. 6,0

Marcelo foi um pouco melhor que o seu companheiro de posição. 6,5

Leandro Domingues não fez aquela partida 100% em alto nível, mas foi decisivo com um passe e um gol. 10.

Vander alternou bons e maus momentos, foi expulso por idiotice dele. 5,5

Marinho meio apagado no primeiro tempo e peça-vital da virada no segundo tempo, com correria interminável pra cima do lateral esquerdo corintiano. 10

Kieza rende muito mais como o “falso nove”, abrindo pela esquerda, centralizando em outros momentos, confundindo a marcação. Fez o gol da virada. 9,0.

VÁGNER MANCINI – Começou com a escalação errada, insistiu demais na marcação avançada contra um time em que todos seus meio-campistas possuem técnica, visão de bola e bom passes, por isso foi aquele tormento de bolas verticalizadas em nossa defesa. Corrigiu isso no segundo tempo e teve a decência de tirar o péssimo José Welison da lateral. Pelo primeiro tempo nota nota zero, pelo segundo nota dez. Pelo conjunto da ópera sua nota final é 7,5.

11 Tiago Real entrou no lugar de Domingues e pouco apareceu. Sem avaliação.

22 Dagoberto entrou no lugar de Kieza e pouco participou dos lances. Sem avaliação.

32 Norberto entrou no lugar de Welison e tomou conta do setor direito. Fez cruzamentos perigosos, não deixou a sua lateral desguarnecida e parece ter convencido Mancini de que é o titular da posição.

*OBSERVAÇÃO IMPORTANTE: Aqui são minhas avaliações de foro individual (pessoal). Não tento, com estas notas, falar em nome de toda uma torcida. Portanto, ao invés de debaterem sobre a minha avaliação pessoal, coloque as suas nos comentários que eu verei onde você discordou, sem para isso fazer campo de batalha. Preciso fazer isso porquê, em outros momentos, esta questão de minhas notas foram mal interpretadas e até ofensa já recebi aqui. Quero voltar a fazer isso, mas se eu perceber de novo certas posturas eu desisto de vez. Aquele abraço.

Primeira partida em casa é uma pedreira!

prelecao do abbehusen

Depois de conseguir avançar para a próxima fase na Copa do Brasil, o Vitória volta suas atenções para a segunda rodada do Brasileiro e para sua primeira atuação dentro de casa nessa competição, o adversário é o atual campeão brasileiro Corinthians. A partida será às 16h no Barradão. Prenuncio de jogo tenso e perigoso para o Leão da Barra, que independente das dificuldades precisa dos três pontos para se recuperar da desastrosa estreia em Recife.

Mancini não para de ter problemas neste início de Brasileiro. O time caindo de produção e desfalques importante na engrenagem do time titular tem tirado o sono do treinador rubro negro. Para esta partida Farias, Marinho e Caíque continuam de fora, o que obriga o treinador a quebrar a cabeça na procura pelos melhores substitutos para esta batalha. O provável time do Vitória para este jogo será Fernando Miguel, José Wellison, Victor Ramos, Ramon, Diego Renan, Amaral, Marcelo, Tiago Real, Leandro Domingues, Marinho e Kieza.

O técnico Tite não deverá promover mudanças na equipe que empatou com o Grêmio na estreia da série A. O Corinthians é um dos favoritos ao título do Brasileirão e vem a Salvador disposto a recuperar os pontos perdidos no Itaquerão diante da boa equipe gaúcha. A provável equipe para esta partida é Walter, Fagner, Felipe, Balbuena, Uendel, Bruno Henrique, Marquinhos Gabriel, Elias, Guilherme, Giovanni Augusto e André.

Partida extremamente difícil para o time baiano, o Corinthians é favorito para a partida de domingo, mas isso não significa dizer que teremos uma derrota pela frente. Futebol se resolve dentro das 4 linhas e espero que pela primeira vez em 2016 o nosso glorioso Vitória faça uma partida que mereça menção pela qualidade e pelo resultado.  A dinâmica desta partida deve ter o Corinthians propondo o jogo a todo o momento e o Vitória mais reativo, jogando e explorando os contra-ataques que devem ser raros contra o bom esquema armado pelo excelente e estratégico Tite.

vitoria vs corinthians 2016