Vitória goleia Jacobina por 4×1 e dá grande passo para assegurar a liderança do Baianão

Não foi uma bonita bonita, nem teve uma atuação brilhante. O Vitória fez 4×1, mas o placar dilatado não refletiu o chamado “jogo para encantar a torcida”. Fizemos o básico, soubemos aproveitar os vacilos do Jacobina e os dois últimos gols, que transformaram um triunfo simples em goleada, saíram já com o adversário “morto” em campo e também por méritos do menino Jhemerson, que deu assistência de calcanhar para Euller marcar o terceiro gol e dele mesmo marcar seu primeiro gol pelos profissionais, em belo passe de Paulinho.

Primeiro Tempo – O Vitória abusou de jogar a base de chutões e de forçar pelos flancos na partida de hoje e, mesmo sem o brilho dos últimos jogos pela Copa do Brasil e Nordestão, o placar já apontava 2×0 com 25min, através dos gols de Paulinho, de pênalti, e de André Lima, depois do rebote do goleiro Waldson. O Jacobina pouco acionou Caíque, e nestas poucas vezes, o gigante da camisa 23 foi bastante feliz, até os 37min quando numa falha de Kanu, José Welison e Vinicius a bola ia sobrando para o atacante do Jacobina, o que forçou o goleiro cometer a penalidade máxima, convertida por Peixoto.

Segundo Tempo – O Vitória se acomodou muito cedo e passou a cadenciar a partida desde o pontapé da etapa complementar. Entretanto, André Lima quase marcou o terceiro num belo arremate de fora da área, de canhota, que tirou tinta da trave. A equipe mandante começou a gostar do jogo e perdeu boas oportunidades com Marcelo Silva e Peixoto. O jogo seguia neste ritmo lento, e quando parecia que a chata partida terminaria em 2×1, a estrela de Jhemerson brilhou. O menino da camisa 17 entrou no lugar do “apagado” Cárdenas (hoje não acertou nada) e em poucos minutos deixou Euller de cara para fazer o terceiro gol. Já nos acréscimos, aos 47min, em lance parecido pelo setor esquerdo, Paulinho rolou de calcanhar para Jhemerson marcar seu primeiro gol como profissional com uma finalização precisa no canto esquerdo de Waldson. Vitória 4×1.

Vitória Sempre!

#rumoaobicampeonato

Mesmo com Time B, Leão vai a Jacobina para vencer

O Vitória volta as suas atenções para o Campeonato Baiano 2017. Já classificado para a fase final do estadual, o rubro-negro utilizará novamente o Time B, ou seja, com os reservas. Entretanto, se engana aquele que pensa que o Leão não estará motivado para a partida de logo mais no estádio José Rocha (o Correio* me induziu ao erro), em Jacobina. A meta é garantir logo a melhor campanha geral da primeira fase que dará ao Vitória o direito de jogar por 4 empates para sagrar-se bicampeão baiano, além de jogar as partidas decisivas em casa, assim como vai acontecer na Copa do Nordeste. Para tal, nos próximos 3 jogos, o Vitória precisa somar entre 4 a 6 pontos, ou até mesmo três, caso Fluminense de Feira e Bahia tropecem até lá, sem falar que, dia 09/04, acontecerá o clássico Sar-VI, na Fonte Nova.

Como está suspenso para o primeiro duelo contra o River (PI) pelo Nordestão, Kanu estará como titular daa zaga hoje, ao lado do prata-da-casa Vinícius. Além dele, o outro considerado titular que estará entre os 11 hoje é o volante José Welison, que formará dupla de volante com Bruno Ramires. Para este confronto, o técnico Argel voltará à formação 4-3-3, com Cárdenas sendo o único meia de armação.

Com remotíssimas chances de classificação à fase final, o Jacobina sabe que para alcançar esta ambiciosa meta tem que vencer seus próximos três jogos e ainda contar com uma marota combinação de resultados, pois eles só podem alcançar até 15 pontos. Por isso, Vitória da Conquista (11pts), Jacuipense (11pts) e Bahia de Feira (10pts) precisam perder 2 jogos, cada, pelo menos.  Missão complicada para o Jegue da Chapada.

Mesmo assim, o time do Vitória precisa levar a partida a sério, pois não faltará disposição, luta e vibração do time mandante. Seria espetacular para o povo de Jacobina ver o seu time local ganhar do Maior do Nordeste, que tem um dos elencos mais caros da região. Sabe-se que mesmo com o time reserva, o Leão tem a força necessária para vencer a limitada, mas aguerrida equipe de Jacobina. Basta jogar com a bola no chão, evitar o excesso de chutões, não trocar a chuteira por salto alto e lembrar sempre que garantir a primeira posição o quanto antes será um grande trunfo em busca do Bicampeonato Baiano.

Relacionados
Goleiros:
Caíque, Ronaldo e Wallace;

Laterais: Salino, Euller, Norberto e Geferson;

Zagueiros: Kanu, Vinícius, Renê Santos e Bruno;

Volantes: Bruno Ramires e José Welison;

Meias: Jhemerson e Cárdenas;

Atacantes: Pineda, André Lima, Paulinho, David e Rafaelson.

Vitória Sempre!

#CampeonatoBaianoÉnosso

#RumoAoBicampeonato

#FechadoComOLeão

VITÓRIA ENFRENTA O RIVER-PI NAS QUARTAS DO NORDESTÃO

Vai pegar fogo no Cabaré! Acabou há poucos minutos o sorteio da Fase Final da Copa do Nordeste, edição 2017. Do lado esquerdo do “organograma” dos duelos eliminatórios ficaram Sport, Campinense, Santa Cruz e Itabaiana. Já do lado direito ficaram Vitória, River-PI, Bahia e Sergipe.

O Vitória enfrentará o River do Piauí nos dias 29/03, em Teresina, e faz o jogo de volta no Barradão, em 02 de abril (domingo). A separação das chaves pretende esquentar ainda mais a competição se os maiores clubes da região comprovarem seu favoritismo e avançarem às semifinais. Caso isso aconteça, teremos Sport x Santa Cruz e Bahia x Vitória nas semifinais.  Clássicos locais de muita tradição e, na sequência, acontecerá a velha rivalidade entre baianos e pernambucanos na grande final.

O River-PI, nosso adversário das quartas-de-finais, tem como principal trunfo o forte calor e o gramado irregular como mandante, além de muita luta e disposição em campo, para compensar a falta de talentos individuais. Por isso, o rubro-negro precisa levar a sério a partida da próxima quarta-feira, para trazer um triunfo ou um bom resultado de empate, de preferências com gols marcados, pois o critério de gols fora de casa é válido a partir desta fase. Confira abaixo os demais confrontos:

Sport x Campinense-PB (Jogo decisivo no Recife)

Santa Cruz x Itabaiana-SE (Jogo decisivo no Recife)

Bahia x Sergipe-SE (Jogo decisivo em Salvador)

Missão Cumprida!

Se no pré-jogo de ontem eu escrevi que vencer era a missão do Vitória, então o rubro-negro cumpriu à risca a “minha ordem”. Novamente utilizando o 4-4-2 com os dois meias alternando entre jogar centralizados e abertos pelos flancos, o Leão da Barra mostrou mais uma vez o quanto este esquema de jogo facilita para se ter um melhor rendimento em campo. Com boa posse de bola e tranquilidade para rodar a bola, o rubro-negro dominou a equipe sergipana na primeira etapa e abriu 2×0 com Kieza, aos 30min, com um belo cruzamento de Geferson, e com David, aos 40min com um petardo de canhota, de fora da área.

Logo no pontapé inicial, o Sergipe mostrou que estava nervoso, na saída de bola do meio de campo eles erraram o passe, Geferson cobrou rápido e por pouco Kieza não abriu o placar com menos de 2 minutos de jogo. O Sergipe reagiu com uma cobrança de falta de Hiago, que tirou tinta da trave direita de Fernando Miguel. O jogo seguia a nosso favor, entretanto os gols só saíram nos últimos 15 minutos do primeiro tempo.

Segundo Tempo – Com 2×0 de frente e praticamente com o triunfo e o primeiro lugar assegurados, os jogadores rubro-negros voltaram muito dispersos e passou a jogar com uma displicência irritante. Já o técnico do Sergipe mudou duas peças e o time colorado teve outra postura. Bastante ofensivo e explorando nossos flancos, eles passaram a criar várias jogadas perigosas e cruzamentos na área para Fabiano Tanque, de 1,92m, tentar diminuir o placar. Mas o Sergipe conseguiu seu gol num lançamento verticalizado pelo setor esquerdo de nossa defesa, quando Alan Costa saiu precipitado para dar o combate em Hiago, que fez o cruzamento e a bola atingiu o braço do zagueirão. Na cobrança, o próprio Hiago marcou. 2×1.

Depois daí, o Sergipe cresceu demais na partida, ao tempo que o Vitória tentava retornar ao patamar de foco e seriedade do primeiro tempo. Foram vários lances criados pelos sergipanos nas costas de Geferson e Patric, com cruzamentos perigosos para Fabiano Tanque, que fez Fernando Miguel fazer dois golpes de vista, uma passando por cima do travessão, outra raspando a trave. Ainda teve uma falta cobrada pelo meia Elton, que exigiu uma defesaça de Fernando Miguel. A bola foi praticamente no ângulo. Que sufoco!

Cárdenas tenta mostrar futebol que não apresentou em 2016, quando veio para ser o camisa 10 do Leão.

Cárdenas – Os dois Xavier do time estavam muito mal na partida e Argel conseguiu fazer o rubro-negro reagir quando tirou os dois para as entradas de Cárdenas (no lugar de Cleiton) e Paulinho (no lugar de Gabriel, um pouco depois da entrada do colombiano). O baixinho camisa 8 confirmou que merece ser mais utilizado e melhor analisado pela torcida. Em poucos minutos, ele deixou Kieza, Gabriel Xavier e Paulinho, de cara com o goleiro Ferreira. Na primeira jogada, ele lançou pelo alto e K9 dominou na direção do gol, mas o arqueiro sergipano deu uma de líbero e evitou a finalização. No segundo lance, Cárdenas foi a linha de fundo pela esquerda e cruzou para Gabriel Xavier soltar o rojão no meio do gol, para defesa segura de Ferreira e, por fim, um passe verticalizado para Paulinho, que enfeitou demais na jogada e se atrapalhou na finalização.

Talvez o fato de chegarem outros meias talentosos e a sistemática não-convocação para a maioria dos jogos, fez Cárdenas acordar pra vida. Pois nas últimas partidas que têm entrado, ele está sendo muito mais agudo, buscando o passe vertical, na direção do gol, diferente daquele estilo preguiçoso da temporada passada. E isso a torcida precisa analisar, enxergar e valorizar. Aqui no Vitória existe esta mania de que quando se escolhe um jogador como “ruim” ou “imprestável”, não é visto nem reconhecido quando este melhora, à medida que os “ídolos” não são criticados quando erram ou não atuam com qualidade: É a história de só enxergar os defeitos de quem não gosta e de exaltar apenas as virtudes de quem se gosta. Precisamos mudar isso e analisar os jogadores e os jogos de forma ampla, imparcial e eliminando, como critério de avaliação, a simpatia ou antipatia pelos jogadores.

Vitória Sempre!

#Copa do Nordeste

#AgoraÉmata-mata

#Ohexaestávindo

Vencer no Batistão, eis a missão

O Vitória vai para a última jornada da fase de grupos do Nordestão 2017 precisando apenas de 1 empate para garantir a classificação, mas o objetivo é vencer o Sergipe e passar à fase eliminatória como líder do grupo, fato que lhe dará a vantagem de fazer os jogos decisivos em casa.

No primeiro confronto, na rodada de abertura, o Vitória fez 3×1 com gols de David, Gabriel Xavier e Kieza, naquela que foi a primeira partida oficial do Leão na temporada. Passadas 5 rodadas, a equipe sergipana confirmou sua boa fase com a excelente pontuação na tabela e que é ratificada também em seu campeonato estadual, onde também briga pela conquista do bicampeonato.

A partida desta quarta-feira promete grandes emoções, pois a torcida sergipana promete ocupar as 15 mil cadeiras da Arena Batistão, colorir de vermelho e branco a arquibancada para celebrar esta inédita classificação à segunda fase da Copa do Nordeste. Por isso mesmo, o técnico rubro-negro, Argel Fucks, precisa ter uma conversa séria com o nosso time, para evitar o salto alto, pois em caso de um deslize corremos sérios riscos de sermos eliminados. Em entrevistas à TVs e Rádios baianas, Argel confirmou que pretende buscar o triunfo para assegurar as vantagens para o mata-mata e reconheceu a importância do jogo e que os nossos atletas estarão comprometidos com os objetivos traçados.

Kieza é esperança de gols do Vitória para esta quarta-feira.

Apesar de viver uma excelente fase em seu estadual e no regional, a equipe do Sergipe tem sérias limitações técnicas e o Vitória segue favorito para o duelo. Da parte do colorado de Aracaju vamos ver um time aguerrido e com bastante vontade de retribuir a sua torcida com um triunfo. O Vitória precisa fazer um jogo inteligente, não ficar aguardando demais o jogo do adversário, temos que impor nosso ritmo mesmo fora de casa e não vacilar nas conclusões de jogadas.

No jogo de Salvador, o Sergipe veio bastante recuado e disposto a sair com o empate, mas não deu certo devido aos talentos individuais de nossos jogadores, além do fato da equipe ter cansado no segundo tempo, pois jogar apenas para marcar exige muito vigor físico e concentração. Acredito que a partida da noite desta quarta-feira, eles vão sair mais para o jogo, o que facilitará nossos contra-ataques e passes verticalizados nas costas das linhas sergipanas.

RELACIONADOS

Goleiros: Caíque e Fernando Miguel;
Laterais: Euller, Geferson e Patric;
Zagueiros: Alan Costa, Kanu e Vinícius;
Volantes: Bruno Ramires, Uillian Correia, Willian Farias e José Welison;
Meias: Cárdenas, Cleiton Xavier e Gabriel Xavier;
Atacantes: André Lima, David, Kieza, Paulinho e Pineda.

Vitória Sempre!

#CopadoNordeste2017

#RumoAoHexa

Seja com time reserva ou titular, o Leão segue a brocar!

Sete partidas pelo Baianão 2017 e sete triunfos. O Vitória segue arrasador no campeonato baiano rumo ao bicampeonato e tem tudo para repetir o feito de 2005 quando levantamos o título de forma invicta, sob a batuta do também contestado Renê Simões, na época. Parece que batemos o recorde com o sétimo triunfo consecutivo na competição local, na história recente. Se de “grão em grão, a galinha enche o papo”, de 1×0 em 1×0 vamos seguindo vencendo os adversários e se aproximando cada vez mais da Taça.

Como previsto no pré-jogo, bastou o Vitória jogar no 4-3-3 pra o futebol cair drasticamente. E sigo questionando Argel neste quesito, à medida em que ele já deve ter notado que o time é outro quando atua com dois meias e dois atacantes e que, em determinados momentos, o atacante de beirada recua fazendo o 4-5-1, sobretudo quando estamos sem a posse de bola.

Entretanto, mesmo com um futebol bem abaixo do que vimos contra o Vasco, o Leão jogou para o gasto e conseguiu mais um triunfo com o time reserva. O que reforços verdadeiramente qualificados não fazem por um time, não é mesmo? Nos últimos anos das gestões AP, CF e RV nos acostumamos a tropeçar para times do nosso interior, até dentro do Barradão. A costumeira vantagem das finais saiu de nossas mãos para o rival e foi assim que eles ganharam seus últimos títulos. Somente no ano passado conseguimos reverter a vantagem deles, por termos vencido o primeiro jogo da final por 2×0. Coisa que não acontecia há quase 10 anos (reverter a vantagem de quem joga por dois resultados iguais).

Pineda faz o sinal de “fora zica” depois de marcar gol de cabeça. Foto: Margarida Neide (A Tarde).

Este elenco de 2017 não é galático, nem supertime, mas é forte o suficiente para as competições regionais do primeiro semestre, e a contar com todas as peças que foram trazidas para o setor de meio campo e ataque dá sim para pensar em feitos interessantes nas competições nacionais. Mas ainda acho que precisamos trazer um zagueiro xerifão, rodado e com “cara de titular”, um lateral esquerdo de responsa e também um goleiro de maior “nome” no cenário nacional, pois já disse que não confio plenamente em Fernando Miguel, e Caíque ainda precisa amadurecer mais o seu lado emocional/psicológico.

O gol do Leão na partida de ontem só saiu nos acréscimos do primeiro tempo, quando Norberto cumpriu o Manual do Lateral: foi a linha de fundo, levantou a cabeça e cruzou na medida para o chileno Jean Paul Pineda tirar a zica, numa bela cabeçada. Vitória 1×0. No segundo tempo, o Vitória pouco acionou o goleiro adversário. Em contrapartida, a Jacuipense, que precisava ao menos empatar para seguir no G4, tentou reagir e fez Caíque fazer umas três defesas importantes na etapa complementar.

Agora, o Vitória vai concentrar suas energias para o duelo decisivo desta quarta-feira, contra o Sergipe, pela Copa do Nordeste, em que precisamos vencer para garantir o primeiro lugar do grupo. Em caso de empate, passaremos como um dos melhores segundo colocados. O Vitória não pode nem pensar em derrota, pois aí poderia nos eliminar precocemente desta importante competição regional em que buscamos o hexa.

Vitória Sempre!

#maisotimismo

#menoscorneta

PRELEÇÃO | Vitória x Jacuipense

A batalha da Copa do Brasil deu uma pausa e o Vitória volta a focar no Campeonato Baiano. Neste domingo o rubro-negro enfrenta a Jacuipense que começou mal o estadual, mas se recuperou e atualmente está no G4 da competição, após vencer seus últimos 3 jogos consecutivamente.

Com a proximidade das fase decisiva da Copa do Nordeste, em que disputaremos  liderança na próxima semana contra o Sergipe, Argel Fucks resolveu escalar o time misto para o duelo deste domingão, às 16h, no Santuário. Com isso o line-up será:

Caíque, Norberto, Vinícius, Alan Costa e Euller, Uillian Correia, Bruno Ramires e Cárdenas, Paulinho, Pineda e André Lima. Ou seja, ele retornou a famigerada tática 4-3-3 que vem sendo bastante criticado pela torcida. E realmente eu não entendo esta postura de Argel, pois ele já viu que o time rende mais com dois meias, numa formação mais tradicional, onde o meio de campo fica mais povoado. Cárdenas que vinha jogando bem com outro meia ao lado, novamente vai ser fritado por este esquema, já que ele não é um meia tão agudo e indicado para ficar sozinho na construção de jogadas. O curioso é que nos jogos tido como mais duros, Argel adota o 4-4-2. (:/)

Entretanto, mesmo com o time alternativo o Vitória entra em campo como favorito e tem tudo para vencer mais uma no Baianão e encaminhar mais ainda a classificação como primeiro lugar, que dará as vantagens de jogar por resultados iguais e com a segunda partida no Barradão. Da parte da Jacuipense poderemos esperar muita raça, marcação apertada, retranca e tentativas de nos pegar desprevenidos com contra-ataques rápidos. Nada de jogar com salto alto, pois a jacupa tem as suas virtudes e está em ascensão no Baianão.