DR rubro-negro

barradaoo

Somente em grandes campanhas e decisões, o Barradão fica assim.

Pois é gente. Vamos discutir a relação que temos com nosso clube? Antes de mais nada, vocês me conhecem e sabem que não curto estas ondas que viraram moda de “torcedor-modelo”, “torcedor-superior” ou “super torcedor” por achar que sou melhor que outros torcedores, por eu ser sócio (desde 2007) e ter um acervo enorme de CAMISAS e outros produtos oficiais do Clube, em detrimento quem não tem (mesmo àqueles que têm condição financeira para ser sócio e ter coleção particular de produtos oficiais).

Mas se tem uma coisa, que os “torcedores modelos” têm um pouco de razão é o nosso “amor frio” ao clube. E vocês devem estar se perguntando, por que eu agora levantei este tema? Pois bem, visitando o site do Paysandu, time do Norte, que não disputa uma Série A há quase dez anos e que passou as últimas 5 temporadas entre Série D e C e recém promovido à Série B, eu vi que eles possuem 14.616 sócios-torcedores. Nós só temos 6.500, por aí.

Fora isso, torcidas de clubes do nosso mesmo patamar como Remo, Ceará, Fortaleza, Sport Recife e Santa Cruz sempre colocam mais torcedores nos estádios, mesmo sem possuir títulos nacionais ou estarem sempre chegando em decisões importantes (destes somente o Sport tem título nacional e um deles recente, 2008). Em relação a Remo e Paysandu pelo Pará; Ceará e Fortaleza por Ceará, talvez a questão de possuírem 40 estaduais, em média, e não ter uma diferença muito grande de títulos locais para seus rivais imediatos ajude bastante o fato destas torcidas lotarem quase sempre em seus mandos de campos.

ceara torcida

O Ceará “mora” na Série B e mesmo com menos história que nós, tem uma torcida muito mais presente.

Entretanto, quando coloco na roda, o Santa Cruz, que SÓ AGORA (porque paramos de ganhar o baianão) nos ultrapassou em conquistas regionais (faturaram agora o 28º título pernambucano, contra 40 do Sport e 21 do Náutico), vejo que nossa torcida, ao longo do tempo, se notabiliza para lotar apenas nas grandes campanhas e decisões. Não temos a cultura de abraçar o time como uma religião como fazem os paraenses, cearenses e pernambucanos. Em contrapartida, ainda somos uma das torcidas mais exigentes e corneteiras, sobretudo com crias da base e estranhamente temos paciência quase filosófica com jogadores vindos do eixo ou gringos, preferencialmente os argentinos, uruguaios e paraguaios de pele branca e rostinho de “boa-praça”. Expulsamos e detonamos vários atletas em nossas história, muitas das vezes por causa de uma exibição ruim ou por “não ir com a cara”.

Além disso, o pessimismo reina bastante em nosso subconsciente. Sempre achamos que tal jogador tá vindo pra gente porque não tem qualidade, que vem pra tirar férias, que não presta. Sempre achamos que vamos perder o jogo mesmo quando estamos com 2 ou mais gols de vantagens. Desdenhamos todas as contratações do clube e muitas delas viram ídolos. Temos mania de comprar camisas piratas e muitos de nós compramos à vista CAMISAS OFICIAIS de clubes europeus, mas desdenhamos do próprio clube e acha que pagar mais de R$ 100 em nosso manto é caro demais.

Que amor é esse que dizemos ter pelo Clube? Vamos esquecer os últimos 18 meses, que foi só de tragédias e que afugentam e abalam qualquer torcida. Mas mesmo quando fomos 5º colocado em 2013, vice da Copa do Brasil de 2010 e em nosso auge como TIME, entre as décadas de 90 e metade dos anos 2000 a gente sempre teve uma média de público abaixo dos 15 mil e números muitos irrelevantes de sócios-torcedores. Nossos materiais boiam nas lojas…Começou a mudar um pouco a partir de 2012, é verdade.

Por que nossa torcida é fria, seletiva (só lota, na boa), super exigente e tão pouco participativa e vibrante em relação a clubes similares ao nosso e que também não possuem títulos nacionais? Somos um dos times do Nordeste com maior participação na Série A e mesmo assim, clubes que passam 6 anos na Série C como o Fortaleza lota estreia de campeonato cearense, coloca 50 mil brincando contra times medíocres e durante os jogos é cantando o tempo inteiro e a nossa só canta graças a TUI e é comum ouvir o “senta, senta” nas laterais do campo. Por que agimos assim e por que não amamos mais loucamente nosso clube?

Torcida-Santa-Cruz-Foto-DivulgacaoCoralNet_LANIMA20111016_0148_26

O Santa Cruz, assim como o Ceará, vive mais na Série B que na A e tem uma das torcidas mais loucas pelo time.

Nós como torcida, precisamos nos analisar, refletir e mudar comportamentos que são históricos e que põe em xeque nosso amor ao Clube. Especula-se que somos quase 3 milhões de torcedores e não temos nem 15 mil sócios, não conseguimos ficar um ano com média acima de 20 mil torcedores por jogo.

Anúncios

115 respostas em “DR rubro-negro

  1. O marketing do ECV, também é muito fraco e muito desse time sempre faz promoções de ingresso coisa que o nosso não faz, nem quando esta ruim das pernas. Claro tbm que tem muitos torcedores que não abraça o time.

    Curtir

  2. Belo texto Fábio!
    Sempre leio os textos e os comentários aqui do blog mas nunca tinha comentado.
    Concordo plenamente com quando dizem que a torcida do Vitoria não tem esse fanatismo cego e que se amarra em diversas oportunidades para ir ao Barradão. Fui sócio entre 2010 e 2011 e de 2013 ao inicio de ano.
    Mas mesmo quando não era sócio sempre fui bastante ao Barradão… Morava no São Rafael e ia andando, mas mesmo depois que me mudei continuei indo… O que me afastou do Barradão não foi o acesso (apesar de entender que não é fácil) e sim as apresentações ridículas do time e essas imposições toscas com contratações e manutenção de titulares Ad infinitum… Entram e saem técnicos e sem falar das barcas de jogadores mas é difícil ver um padrão de jogo e uma vontade de ganhar do nosso time… Os jogadores entram em campo parecendo o baba do boi cansado… Essas coisas que foram minando a nossa paixão e afastando a torcida… Por isso a nossa media de publica está pior do que nunca e por isso n enchemos nem jogos importantes como a semi final contra o Ceara.
    Mas discordo em parte quando dizem q a torcida do Vitoria só apoia em momentos ruins ou jogos em horários bons… A torcida do Vitoria enche o estadio quando existe o apelo por parte dos jogadores e da diretoria… Quando ela sente que o time precisa dela… Fui para os jogos da reta final do brasileirão de 2010… Lutando para não cair… Contra Corinthias 1×1 e contra Cruzeiro 1×0 (gol contra de Gabriel Paulista) e o estadio estava lotado nos dois jogos e em outros que não me recordo… Como também no embalo daquela campanha da serie de B de 2012… jogos as 19:30 em dias de semana e com chuva… o estadio enchia!
    Mas parte da culpa da torcida não encher mais o estadio é da diretoria, e não me refiro (novamente) a falta de montagem de planteis competitivos, e sim do marketing do vitoria que não existe se pensarmos em campanhas para chamar o torcedor pro estadio. Eles até fizeram boas campanhas com a marca do vitoria como a de doador de sangue a com a de doação de órgãos, mas falo em chamar o torcedor pro estadio, você se lembram da ultima? E olhe que tivemos 3 bons momentos nos últimos tempos (2010/2012/2013) e não me recordo de nada pra chamar o torcedor ou para aumentar o numero de socios. Só conseguiremos aumentar o numero de torcedor com campanhas de marketing!! Independente do momento do time, mas com essas boas campanhas os torcedores de forma geral se sentiriam muito mais suscetíveis a se associar e a diretoria acéfala não movimenta!!
    Então é isso!! Força Leão!!
    Abraços

    Curtir

  3. Nem Fábio e nem ninguém afirmou que o Vitória não deve ambicionar o título da série b.

    Seria obrigação lutar pelo título da série b.

    Ocorre que, a política “dinheiro na mão é vendaval” tornou os investimentos difíceis.

    650 mil para Escudero/ Juan/ J Wagner e Neto Baiano.

    A discussão de pagamento de 2 milhões ao Ceará é ridícula.

    Faz um pré-contrato com o cara e pega esses 2 milhões e contrata um jogador de peso.

    Tenta contratar Kleber Gladiador para o ataque.

    Mas o Vitória deve lutar é para se consolidar como principal força regional.

    Ademais, a única esperança para nosso clube é a base e um “espírito de competição”.

    O clássico River X Boca, ontem, não tem um único jogador de excelência.

    Mas os infelizes dividem todas as bolas/ tem fome de conquistas e são fortes para a disputa da Libertadores.

    Curtir

  4. segundo o GE, no treino apronto de hj, foi confirmado o time titular; Fernando Miguel LG Ednei Maracas e Mansur; Amaral Daksom(?) JW e Escudero; Vander e Elton. Flavio barrado p Daksom????

    Curtir

  5. De parabéns o debate propositivo na CASA. 101 comentários em pouco mais de 48 hs de um debate em alto nível. Eu,que caminho pelo certo,com perfeito funcionamento dos neurônios e perfeita sintonia na ordem dos cromossomos,uma exceção na casa.. rs ,não poderia deixar de cumprimentar meus amigos virtuais pelo sucesso da CASA nesse quesito.Ponto negativo a teimosia da ausência de Jessiquinha,Rogério Silveira,Manoel Novaes( meu advogado), Cristopher e Mocota,o polêmico,dentre outros missivistas de alto gabarito,cujas ausências deixam de enriquecer ainda mais o debate.

    Curtir

    • Daniloca,

      Também andei sumido e agora voltei a me manifestar. Não vou postar sempre, mas de vez em quando. Sinto também a falta dos que você citou, especialmente Jessy Olhar de Felina e Mocota.

      Abraço para você, Daniloca, que é um rubro-negro enrustido!

      Curtir

  6. São verdadeiros “tratados” sobre os motivos pra não ir ao Barradão, que vão do “você não manda em mim” aos cuidados com a “doença hemorroidária”, que estão quase me convencendo a não passar nem pela Paralela…

    Curtir

    • Ricardo, quando falo em “investir pesado”, quero dizer correr riscos, deixar um pouco a politica de pés no chão, fazer mais dentro das condicoes do time. Eu sou sócio. Nem pior, nem melhor do que ninguem. Mas acredito na hipotese da associacao pra gerar renda e possibilidades de contratacoes melhores ou erros menores nestas contratacoes, pelo menos. Entretanto acho dificil emplacar por que a imensa maioria nao acha entende assim.

      Curtir

    • Associar ? Não, eles estão aguardando a hipótese 2, a do magnata russo encharcado de Vodka, que, enganado pelo imaculado Paulo Carneiro, investisse seu dinheiro achando que o Vitória é um grande campeão brasileiro …

      Curtir

    • Aproveito pra chamar a atencao pra isso. Todos os que dizem querer a democracia e querem mudar o rumo das coisas estao associados? E condicao para um possivel voto. Uma das razoes para me associar foi a possibilidade de interferencia e a sensacao de estar efetivamente fazendo algo. Passei a comprar somente camisas oficiais, como ja falou fabio.
      Como disse antes, nao me sinto melhor ou pior do que nenhum torcedor, nem me acho mais certo do que ninguem. Mas me sinto participante direto do processo. Antes me via apenas reclamando sem dar nenhuma contribuicao.
      Era pegar ou largar. Peguei e só largo depois de dar o meu voto certo ou errado.

      Curtir

      • Vai ter voto direto sim, só precisa ajustar a regra e isso é que será o mais importante…

        Curtir

  7. O que acho:
    – os times de grande torcida sao via de regra times do povao, da massa
    – O DNA do Vitoria e elitista. Deixou de participar de Estaduais por que nao queria disputar com time de pobre
    – foi criado um hino novo com a intencao de popularizacao (o original e muito mais bonito e equipara-se aos hinos dos clubes mais tradicionais)
    – pela origem popular do rival a imprensa sempre o valorizou mais
    – no inicio dos anos 70 um presidente do Vitoria ameacou um jornalista de morte e depois o cara morreu. Diz a lenda que a imprensa fez “greve de noticias do leao” e, pra se ter uma ideia, o Vitoria foi bi bahiano e os caras ignoraram completamente. Dai a má vontade da imprensa com o clube.
    Acho que todos esses fatores influenciam no tamanho da torcida.
    – ha dois caminhos possiveis:
    1 – pagar pra ver. Encher o cofre com socios-torcedores pra que errem nas contratacoes com jogadores cada vez melhores
    2 – o vitoria fazer um investimento pesado pra ganharmos uma copa do brasil, sulamericana ou serie B para ganhar socio-torcedores.
    Pelo perfil do torcedor, eu apostaria na segunda hipotese.

    Curtir

    • Nessa hipótese 2, teríamos que contar com o surgimento de um magnata russo, trêbado de tanta vodka, que se compadeceria deste Time com Torcida Exigente Elitista Virgem de Títulos de Expressão, não custa sonhar…

      Curtir

      • Essa estória de torcedor- modelo foi feita pra dar argumento a quem não tem. Não me sinto melhor nem mais Vitória que ninguém. Mas qual é a lógica de esperar bom time, se não há garantia de dinheiro pra isso, esperar um bom presidente, se eximindo do direito de escolher. Na minha opinião, prefiro uma torcida apaixonada do que esta falsa racionalidade. Mesmo estando em minoria aqui.

        Curtir

      • Existe sim o torcedor-modelo, que é justamente àquele que tira onda por ser sócio, finge ter uma paciência infinita e se mostra, via texto ou por bravatas, que nenhuma derrota o abala, e que mesmo que esteja a pior diretoria no clube, sempre acha que a culpa de tudo é a torcida e não da diretoria. E só acho que os clubes de grande torcida ganharam PRIMEIRO títulos para depois ganhar torcida. Nunca vi um time nascer com torcida grande pra depois vir os títulos. ESTA INVERSÃO DE LÓGICA eu não aceito.

        Curtir

      • Seu problema é que assim como o termo torcedor-modelo é reducionista, você sempre quer ter a última palavra. Quem aqui está livrando a barra da diretoria ? Me responda como sair deste estado sem o mínimo de garantia financeira ? Me responda como escolher uma administração melhor, se a base de associados é pequena até pra exercer qualquer pressão ?

        Curtir

      • E por acaso eu disse que você se encaixa neste perfil e que está livrando a cara desta diretoria? Ah, não adianta colocar 30 mil sócios pra esta diretoria, QUE ELA NÃO VAI CONTRATAR JOGADOR DE QUALIDADE. Eles não sabem gastar o recurso do clube e sempre preferem o custo mínimo possível.

        Curtir

      • “E só acho que os clubes de grande torcida ganharam PRIMEIRO títulos para depois ganhar torcida. Nunca vi um time nascer com torcida grande pra depois vir os títulos. ESTA INVERSÃO DE LÓGICA eu não aceito.”

        Onde assino?

        Curtir

    • A torcida do vitória cresceu no últimos 20 anos, somos populares porém em menor número que o rival. Eu moro em Fazenda Coutos (subúrbio), um dos bairros mais pobres de Salvador, mas temos por aqui muitos torcedores do vitória, como em qualquer bairro de Salvador.

      Quem vai ao barradão, por exemplo, na maioria das vezes mora em periferias,onde precisa pegar ônibus nas estações Pirajá e mussurunga.

      Esse rótulo de elite precisa ser revisto, mesmo porque futebol é um esporte popular, não é tênis!

      Curtir

  8. Um dos grandes problemas do Vitória é esse:

    Grandes contratações servem como propaganda para o marketing e obviamente tem mais chances de viabilizar um lucro como investimento a longo prazo, trazer torcedor para o estádio e qualidade para o time em campo.

    Mas as grandes contratações que fazemos, são de jogadores consagrados ou “consagrados”.

    Renato Cajá, Maxi, Ramon Menezes, Jorge Wagner, Ricardinho…

    Nenhum deles é um investimento, é um GASTO, jogadores que não vão valorizar e que simplesmente vão sair do time com uma multa baixa…

    Investimento é uma coisa diferente…

    Lucas Lima, Everton Ribeiro, Ricardo Goulart, Paulinho…

    A mudança de mentalidade tem que ser feita e tem que vender esses caras para gerar caixa e fazer cada vez mais investimento.

    É um clube-empresa de fato.

    É Desse modo que poderemos gerar lucro para se dar ao luxo de ter um jogador que consome apenas caixa (apesar de gerar marketing), como Diego Souza ou um Ronaldinho Gaúcho aí por exemplo, com o Cruzeiro se esforçando para buscar investidores para pagar um salário de 1,4 milhões.

    Desse modo poderemos surpreender, investir bastante na base sem comprometer o time profissional, dar um bom material pro marketing e sermos campeões que é o objetivo final.

    Curtir

  9. Vitória em um time de uma região periférica do país que tem uma renda muito inferior ao centro financeiro, talvez o nosso maior erro é não enxergar isso. Sempre tentamos nos comparar com o que não cabe comparação. É como o Corinthians tentando se comparar com times da Europa e pra isso gastaria todo o seu caixa para contratar Platini que chegaria e no “arriar” das malas provaria que era titular. Sim temos que investir em Wellissons e Caças-ratos da vida, jogadores com identidade com a região, pq futebol é o m sua maior parte motivação, vide Paulo Henrique Ganso para perceber que categoria para passar e bater na bala não é suficiente. Somos nordestinos e por tradição não ganharemos jogando bonito e o encantando o país…

    Curtir

  10. Fábio, nos últimos jogos que fizemos na Fonte Nova e em Pituaçu, com mando de campo nosso, qual foi a média de público?

    Curtir

    • É difícil fazer este levantamento, mas foi fraco também, até porque nossa torcida adotou a postura que o único estádio que o Vitória tem que mandar seus jogos é o Barradão. Só nos clássicos teve acima de 20 mil.

      Curtir

      • média de 5000 pessoas na arena e pituaçu em 2013 e 2014… arena elevou um pouco e pituaçu baixou!

        Fonte: Elton Serra!!

        Curtir

  11. A nossa torcida precisa ser colocada em primeiro plano pela diretoria!
    Quando a torcida “sentir” que os anseios dela são também os anseios da Diretoria e jogadores, ela chegara junto!
    Não existe outra saída, nossa torcida é diferente mesmo, mas como falei, precisamos de expectativas, e nossa expectativa não é apenas ganhar Baianinho, nossa expectativa é ter um time “brioso” para entrar em qualquer campeonato para ganhar! Precisamos e necessitamos de títulos!
    Na última vez que disputamos a segunda divisão cansamos de encher o Barradão em meio de semana e as 19:30h, cansei de ver torcedor comprando ingresso a 50,00 na mão de cambista!
    O problema é dar clareza a torcida e criar expectativas positivas de títulos e conseguir o titulo!
    Nossa torcida é amargurada mesmo, e o remédio é um título.
    A Diretoria ter q entrar na Sul americana e Copa do Brasil com pensamento no titulo e pronto, montar time para isso, quando o jogador for contratado ele tem que entender que é para isso! Todos focados no mesmo objetivo!
    O jogador que entrar em campo tem que transmitir essa vontade durante o jogo!

    Saudações rubros negras!

    Curtir

    • Não penso assim. O torcedor tem que fazer aparte dele, independente de qualquer fator ou fato. Não creio na utilidade de torcedor que só se faz presente quando o time é mais qualificado, que a diretoria esteja com ele afinada e que seja necessário um titulo mais importante que o baianinho para se fazer presente nos momentos do clube, embora reconheça que são fatores importantes.

      Curtir

      • É difícil, mas a torcida tem que fazer a parte dele tentando ignorar qualquer fator adverso.

        Curtir

      • Ubaldão, dirigentes de futebol são engraçados e contraditórios. Quando a torcida pede reforços, contratações de impacto e principalmente cobram participar das decisões do clubes, eles dizem: FUTEBOL É NEGÓCIO E ISSO AQUI É UMA EMPRESA PRIVADA. Quando a torcida age com a mesma frieza eles dizem: A TORCIDA PRECISA COMPARECER, MOSTRAR AMOR PELO CLUBE.

        Isso é abusar da inteligência alheia. rsrsrsrs

        Curtir

    • “A nossa torcida precisa ser colocada em primeiro plano pela diretoria!
      Quando a torcida “sentir” que os anseios dela são também os anseios da Diretoria e jogadores, ela chegara junto!”

      Perfeito. Quer rir? então me faça rir primeiro!

      O que os dirigentes querem da torcida? DINHEIRO!
      O que a torcida quer do clube? ALEGRIAS e TÍTULOS

      Futebol é negócio, não é assim que eles mesmos dizem? Então valorizem seu produto que os consumidores vão atrás.

      Curtir

  12. Concordo quase que totalmente com Fábio, precisamos sim de uma reflexão…

    Podem me chamar de elitizado, mas eu não piso meus pés no Barradão no inverno nunca mais. Chega de tomar chuva, arriscar perder um pneu, ser assaltado, e ainda presenciar vexame.

    O Vitória também maltrata demais seu torcedor. Toda vez que enche, é pra dar vexame. Me lembro muito bem, jogo contra a final contra o Santos, o rebaixamento contra o Atlético-GO, o fiasco contra o São Caetano… Mesmo o jogo da subida, em 2012 foi um martirio… Quase paga um mico daqueles… É muita tortura… Já vi várias vezes amigos, entrarem em pânico quando o barradas enche… Dizem que é melhor quando os corneteiros não vão. Eu discordo, mas diante do exposto fica difícil.

    Fora a galera que anda 3, 4km meia noite pra pegar Buzu pra casa…

    Acompanho o time no conforto do meu lar, no ar condicionado…

    Quando parar de chover, posso pensar em ir pra lá.

    Já falei isso antes. Por mim o Vitória já estaria na fonte nova. Deixaria meu carro no shopping, e pegaria metrô de graça pro estádio. Na volta, ainda ia tomar um sorvete…

    SRN

    Curtir

  13. Acho que os principais fatores são:

    1 – O Vitória sempre peida quando o estádio lota e isso é um FATO INCONTESTÁVEL, das últimas 5 vezes que lotamos o estádio, o Vitória venceu quantos jogos?
    2 – O Estádio é desconfortável e mal localizado, aquele lugar é a boca do inferno.
    3 – O transporte para aquela região é PÉSSIMO e a segurança então…
    4 – O Vitória não é um time de POVÃO, a torcida não cai nessa de amor incondicional (AINDA BEM) tipo que o povo tinha por ACM AVÔ e que muitas pessoas de baixa renda ainda nutrem por seus candidatos.
    5 – A diretoria nunca ouviu falar em PROMOÇÃO, nem quando o time está em baixa.

    Acho que se rolar eleições diretas e associação em massa como as sardinhas fizeram as coisas podem melhorar exponencialmente. Amar o clube é uma coisa, se deixar “estuprar” é outra. Não mandamos nada, não temos nenhum poder de decisão, não sabemos de nada que realmente acontece, não há a mínima transparência. Como é que podemos confiar e investir algo mais que fé e emoção no Vitória se o clube há anos tem a maior receita da região, vive contratando RESTO de outros clubes e a grana pesada escoa quando eles trazem jogadores machucados e sem mercado para receber propina de seus empresários???

    Para mim o Vitória não deixa de ser grande por falta de participação da torcida, pelo contrário, deixa de ter uma torcida mais participativa e massiva pelo fato de NÃO QUERER SER GRANDE, torcida massiva e atuante (fiscalizando/cobrando) não é do interesse do grupo que o controla, o ECV é o playground da elite baiana e serve apenas aos seus interesses, não da torcida.

    Amar sim, ser trouxa não.

    Curtir

  14. Lemos:

    O Barradão é um Estádio medieval (concordo).

    O Barradão tem um péssimo acesso (relativo / para a maior parte sim).

    O que fazer:

    Sonhar como Mocota com uma super arena na Paralela com o custo de 300 milhões ?

    Jogar na Arena Fonte Nova ?

    Tentar modernizar o Barradão ?

    Modernizar como se o Governo do Bahia, nem a prometida via expressa, executou.

    Curtir

  15. Por que a Copa do Nordeste é a principal competição para o Vitória ?

    Por que não podemos comparar nosso clube, hoje, com Corinthians/ São Paulo/ Cruzeiro/ Internacional.

    O Vitória é para ser comparado ao Sport/ Ceará/ Bahia/ Santa

    “O “meme” acima circula no Facebook e somado ao resultado do Derby do final de semana, me fez expor uma reflexão que, embora pareça dolorosa aos tricolores, é na verdade a chave para a retomada de um Paraná Clube forte e vitorioso:

    Não há grau de comparação entre o Paraná e os outros dois clubes da cidade, Atlético e Coritiba.

    Nós, da imprensa, somos em parte culpados da percepção que se tem de que o Paraná tem as mesmas obrigações dos rivais de outrora. Não tem: falta ao Paraná muito no comparativo com a dupla, especialmente dinheiro. O Paraná é cobrado como se recebesse o mesmo que Atletiba, como se tivesse o potencial midiático da Velha Firma* da cidade, como se tivesse a mesma estrutura dos outros dois. É vendida ao torcedor a ideia de que o Paraná de hoje é tão competitivo quanto os outros dois e, por mais doloroso que isso possa soar, não é.

    Um rápido resgate histórico mostra alguns porquês. Escolhas erradas, como a venda do terreno do antigo Britânia ao invés da exploração imobiliária da região, a famigerada parceria que trocou direitos de jogadores por alimentação e uma sequencia de administrações nocivas minaram o que era a proposta inicial do Paraná: um clube com estrutura sólida (Pinheiros) e uma torcida participativa (Colorado). Basta ver quanto Thiago Neves, um dos melhores jogadores em atividade no futebol brasileiro, rendeu ao Paraná. Nem o orgulho de dizer que ele é do clube ficou.

    A revolução de 1995, que guindou o Atlético ao patamar de um dos maiores clubes do Brasil, com a conquista do título nacional de 2001, iniciou-se na verdade em 1989. Foi a fusão entre Pinheiros e Colorado que acordou a dupla Atletiba. Isso depois de 5 anos de domínio absoluto tricolor. O Coritiba, destaque nacional no fim dos 70, meados dos 80, ressurgiu na mesma época e voltou a frequentar a Série A, mais recentemente chegando a duas decisões de Copa do Brasil. A Velha Firma paranaense ficou à sombra do Paraná antes de se mobilizar. E o que fazia o Paraná se sobrepor aos dois era organização e dinheiro, que foram embora.

    O Paraná hoje tem menos estrutura, menos torcida, menos capacidade de arrecadação, menos dinheiro (é chato repetir, mas é isso: dinheiro) que os outros dois. Como o futebol ainda reserva mágica, pode ganhar e surpreender em campo. Mas a lógica é que não. Isso explica as 8 derrotas consecutivas para o Atlético e outras 5 partidas sem vencer o Coxa desde 2010. Isso explica porque o clube começa bem a Série B há três temporadas, mas não consegue se sustentar o suficiente para ficar no G4 ao final das 38 rodadas.

    Exigir do Paraná além do que ele pode oferecer é matar o clube a cada dia. E isso não é sinônimo de afastar o torcedor de campo, pelo contrário: esse tem papel fundamental no momento de reconstrução paranista. Há que se admitir que o potencial hoje é menor do que o de antes. Que fazer uma campanha honrosa, sonhando com pés no chão, é o melhor. Que o acesso no Estadual, obrigação, já veio. E por isso demitir técnico (o que nem foi cogitado) ou mudar todo um elenco, invadir campo, inverter faixas, só vai prejudicar.

    Afinal de contas, não importa o resultado, o sujeito muda até de sexo, mas não muda de time. E clubes argentinos e ingleses lidam bem com suas expectativas temporada após temporada. Até o supercampeão Liverpool atualmente só briga pra tentar chegar à Champions League; sem dinheiro, título é pra United, City, Chelsea e Arsenal, mais afortunados.

    A expectativa derrota o Paraná temporada após temporada. Ela parte de todos os setores do futebol paranaense, alguns mais hipócritas que os outros. Para que o clube possa realmente voltar a ser competitivo, é preciso repensá-lo e reinventá-lo.

    *A Velha Firma, The Old Firm: clássico escocês entre Celtic x Rangers, que mexe com todo o país através do futebol e fanatismo religioso.”

    Curtir

  16. Texto perfeito.

    Tem um texto sobre o Paraná Clube que traz uma reflexão comum entre os dois clubes:

    http://esportes.terra.com.br/futebol/abrindo-jogo/blog/2012/08/27/a-expectativa-e-a-pior-inimiga-do-parana-clube/

    Aconselho a leitura do texto.

    “A expectativa é a pior inimiga do Vitória”.

    Afirmo isso porque, se conseguirmos a mudança do Estatuto, o problema de Direção será sazonal.

    No entanto, a torcida do Vitória é complicadíssima.

    Como o vitória tem uma torcida menos participativa do que Remo/ Santa/ Payssandu/ Ceará/ Fortaleza ?????

    Não tem explicação. Eles tem o que para convencer a torcida a apoiá-los.

    Nossa média de público é pífia. Sempre foi.

    Na final da Copa do Nordeste de 2011, 3.000 assistiram o vitória x sport num sábado / na quarta, 30.000 torcedores do sport lotaram a ilha.

    E assim é com todos os grandes clubes do nordeste.

    Simples, aceitam a realidade do clube.

    Isso não é o suficiente. Para o crescimento, além da aceitação da situação atual, tem que pensar em se organizar para crescer o máximo possível.

    Se a pessoa for honesta, competência administrativa comprovada dificilmente aceitará o desafio de administrar o Vitória.

    Não compareço ao Estádio do Barradão com a frequência que gostaria porque resido no interior do Estado.

    Se o Vitória tiver eleições diretas votarei no candidato com sinceridade para afirmar a torcida a necessidade de um plano de crescimento contínuo e sustentável:

    1. Reforçar a divisão de base (não temos como comprar jogadores de ouro, mas podemos produzi-los – formá-los).

    2. Investimento na estrutura (modernização do Barradão e via expressa – até lá, discutiria a mudança do mando de campo para Fonte Nova e responsabilizaria o Governo do Bahia).

    3. Campanhas de marketing/ associação/ facebook/ twwiter/ produtos oficiais …. .

    4. O Vitória tem que se consolidar como força regional (copa do nordeste) e, a partir daí, com os valores da base, passar a ser competitivo na copa do brasil e sul americana.

    O torcedor do Vitória clássico espera um Internacional com associação de um XV de Piracicaba.

    Curtir

    • Mais é dose… Será que não podemos nos permitir ser ao menos campeões da série B? É sonhar alto demais???

      A torcida do Santa já se conformou… É time de terceira divisão… Lá o ingressado deve ser baratinho e sua torcida (na maior parte) deve ser bem antiga, do tipo que não acessa a internet nem vai ao cinema… O que lhe resta? Assistir aos jogos do Santinha no fim de semana grudado no radinho e pagando 5 conto no ingresso, transporte em Recife é muito bom… Tem metrô que corta a cidade, e não é caro.

      Curtir

    • Esse lance de se associar em massa pra ter um elenco tipo Internacional não existe, quem está no Vitória está lá pra encher os bolsos. Nem que a gente exceda todos os limites e bata todos os recordes de associação, eles vão dar um jeito de dizer que devemos ter pés no chão, que ainda estão pagando dívidas deixadas por Paulo Carneiro, a famosa herança maldita que nunca termina de ser paga, etc… Enquanto isso, alguns jogadores zumbis, cheios de cicatrizes são contratados, parte dos seus salários são caridosamente doados a dirigentes e conselheiros como agradecimento pela oportunidade dada e assim a vida segue.

      Quem aqui não sabe que parte do Salário (300 MIL) que Souza recebia no Jahia ia para o bolso de um certo alguém… É novidade para alguém aqui que parte dos salários de muitos jogadores que ficam encostados no Vitória vão parar nas contas de pessoas ligadas ao clube que participaram de suas contratações? É novidade que isso é uma prática comum?

      Sabendo disso, pedir $$AMOR$$ para a torcida não é o mesmo que chamá-la de tola?

      Curtir

  17. O Corinthians é o exemplo de torcida que empurrou um time, sempre teve a maior e mais apaixonada torcida de SP e veio ganhar o primeiro nacional em 90.

    Curtir

  18. Caro, Fábio!

    Todos aqui ficaram entristecidos, quando você “fechou” temporariamente essa casa, particularmente, também me senti órfão, afinal, esse é o espaço frequentado pela maioria dos rubro-negros, onde todos emitem suas opiniões com igual liberdade, como por exemplo, o Danilo “Bahêa” em suas inúmeras postagens aqui.
    Pois muito bem, o que pretendo dizer é que o tempo em que vc esteve ausente, sem postar
    seus textos, lhe fez bem, com certeza fluiu ainda mais, oxigênio em seus neurônios, daí, fomos presenteados com esse belíssimo texto, abordando uma verdade que cada um de nós temos as nossas próprias justificativas, para deixar de ir ou deixar de ser.
    Na minha humilde opinião, acredito que o ECV a cada dia vem perdendo espaço pela violência crescente em Salvador, pela insegurança, pela dificuldade na mobilidade urbana e também vale aquela velha história, “quem não dá assistência, abre concorrência”, e o Vitória, não dá a mínima pelo seu torcedor.
    Parabéns pelo texto

    Grande abraço.

    Curtir

  19. Sem piadas de biologia, responda: O que te faz acordar de manhã cedo e ter ânimo para levantar, tomar banho, beber café, blá, blá, blá… e ir trabalhar?
    Diremos: salário, convivência social, alguém tem que trabalhar por aqui, quem vai dar o leite das crianças?, sedentarismo mata, senão minha mulher me bate, o gato precisa comer whiskas…
    O bom texto de Fábio é reflexivo e contundente, mas traz exemplos consolidados, históricos de torcidas que tem a cultura de ir ao estádio ou aquelas, como a do palmeiras, que tiveram exemplos motivacionais claros que fizeram seus membros se associarem: títulos aos montes, não queda para a série B, estádio de ponta, contratações badaladas…
    Qual a realidade do Vitória? O que fazer para o torcedor ir ao estádio ou se associar?
    O que fazer para o torcedor do Vitória ter ânimo para levantar e ir trabalhar, entende?
    A primeira coisa, se quisermos ter uma mudança, é aceitar que a torcida do Vitória é diferente, e atenta aos mínimos detalhes, seja por parte de jogador ou diretoria. Fernando Miguel disse hoje em entrevista: “Não é qualquer jogador que consegue atuar no Vitória!”
    E não é mesmo! Nem todos aguentam a pressão.
    Não ir ao estádio teria relação com possibilidades grande de vexames, pois as derrotas são sempre mais marcantes que as vitórias? O estádio não se modernizou e as vias de acesso são ridículas? O torcedor está sendo bem tratado no Barradão, de forma a não comer coisas como na época do Habib´s? A saída do Barradão é tranquila? Tem bons jogadores lá para ver? unzinho só…O que a diretoria tem feito é bom para o clube, de forma que eu posso me animar a ir ao estádio?
    Se as respostas a essas perguntas representam mimos à torcida, e ela deve ir ao estádio enfrentando tudo e todos, então não coadunam com o que eu acho.
    Quanto a associação…
    Sangue é importante, mas a principal propaganda deve ser bola na rede.
    Que atleta do Vitória, hoje, serve de modelo para propaganda de marketing?
    Eu cito os dois únicos: Fernando Miguel e Flávio. Imagino esses dois falando claramente ao torcedor, indicando que a fase está ruim, mas que se associar pode ser o melhor remédio, pois tornaria o time forte, com potencial de boas contratações.
    Seriam os times sub-17 e sub-20 interessantes para participarem dessas propagandas?
    Para mim, sim, pois chamariam a atenção de jovens, sobretudo aqueles que olhariam e diriam: é possível. Haveria identificação com torcedores jovens e mirins que poderiam querer se associar, puxando os pais para uma boa conversa.
    Observando os principais times da série A, quais se tornaram grandes devido ao número de seus sócios? Não foi preciso o time se movimentar, para que os torcedores se identificassem a esse ponto? A culpa é toda de quem não se associa?
    Termina essa história de pés no chão, que está mascarada de incompetência de lama, e acorda e vai trabalhar diretoria, que a torcida vai junto, seja no estádio ou para ter a carteirinha.

    Abraços!

    Curtir

    • Interessante a sua reflexão. Deixo para todos a seguinte pergunta : se a diretoria prometesse em cartório que toda a renda do sócio SMV iria para reforçar o time profissional, teríamos associação em massa ?

      Curtir

  20. Sobre a volta de Pedro Ken, acho uma péssima ideia. Assisti o jogo do Fortaleza contra o Coritiba ontem pelo Sportv, pela Copa do Brasil. Ele não jogou nada. Além dele, Helder (ex-Sardinha), Cáceres (entrou no 2º tempo), Wellington, ex-zagueiro do Flamengo que chegou a ser especulado como reforço nosso ano passado, tudo umas porcarias. Não jogaram nada. O Fortaleza poderia ter aplicado uma sonora goleada, mas o tal Lúcio Maranhão (que Deus o tenha) errou tudo o que podia e mais um pouco. Posso errar em minha previsão, mas o Coxa e o Furacão são dois times que vão lutar para não cair este ano. São horríveis os dois.

    Curtir

  21. Fábio,

    Há muito tempo não posto nada por aqui, mas esse seu post me fez voltar para dizer que sempre senti que nossa torcida é grande, é razoavelmente fiel, mas se afasta muito facilmente do time. Lembro-me do primeiro rebaixamento do time, em 1991. Tomamos uma chuva danada numa Fonte Nova com mais de 30.000 pagantes. Vimos o Vitória abrir 1 a 0 sobre o Fluminense e depois tomar a virada. O Sport estava perdendo para o Flamengo, em Recife, e nós escapando. Depois o Sport também virou e nós caímos. Saímos tristes da Fonte, mas já em 92 o time voltou novamente, com Arthurzinho e companhia sendo Vice-Campeões da Série B, perdendo para o Paraná Clube de Adoilson, Ney Santos, Hélcio e Saulo numa Fonte Nova lotada. Em 92, assim como nos Brasileirões de 93 e 99, nossa torcida apoiou e ficou do lado do time. Em 2006, mesmo na Série C, colocamos 40 mil pessoas no Barradão, contra o Ferroviário do Ceará, no jogo da subida. Fizemos o mesmo em 2007, no jogo da subida contra o CRB, e em 2012. Então, nossa torcida é grande, é vibrante, mas às vezes entra num estado de letargia que a gente não entende o que passa.

    Concordo com todos os que falam que nosso time tinha tudo para ter um título nacional. Já temos no Sub-15 e Sub -20. Podemos ter agora no Sub-17. Mas ainda faltará um título nacional de profissionais. Podemos começar este ano, vencendo a Série B. Não custa nada sonhar. Mas a mentalidade de todos tem que ser diferente. Se em 2012 teve panelinha, agora não pode ter. Temos que ter fé e torcer e a diretoria tem que se mexer e oferecer boas contratações.

    Para finalizar, gostaria de dizer que Geovani, jogador do Sub-17, é daqui de Jacobina. Além disso, a musa do Jegue da Chapada foi eleita Musa do Baianão.

    Abraços a todos, inclusive ao tricolorido Daniloca.

    Oscar.

    Curtir

  22. Olha, quem te viu, quem te vê!!! Antes do jogo contra o siará, onde, apesar do mau futebol que estávamos jogando, tínhamos a melhor campo do torneio, disputávamos nossa única chance de título no primeiro semestre e só precisávamos ganhar, foram 11000, postei aqui que isso era vergonhoso, absurdo… Fui tachado pelo blogueiro e por outros participantes que agora aplaudem de me achar (vejam vocês) “super torcedor”, “torcedor modelo” e etc. E ainda tive meu comentário excluído. Bom saber que, enfim, tem gente que está acordando. Quando naquela campanha de 2013 o vitória teve média inferior ao rival num ano de cacetadas e intervenção, com luta contra o rebaixamento, vim aqui ao final do campeonato dizer que mais uma vez a torcida tinha decepcionado e também tive que ouvir do blogueiro um sem número de “senões”. Torcida fria, distante e passiva, e isso não vai mudar enqto ainda existirem esses muitos que ficam nessa de “a torcida do rival é alienada; a nossa não se contenta com pouco e mimimi”.

    Curtir

  23. Muito importante abordar esse assunto. Alguns colegas já disseram bem: que é uma questão difícil e complexa, e cada torcedor tem seus motivos para participar ou não da vida do clube.

    Eu vou acrescentar que a televisão oficial do futebol no Brasil, está acabando com as possibilidades do torcedor ir ao estádio. Já expliquei isso em outros textos e vou dizer novamente:

    Futebol as 19:30h, 21h e 22h é sofrência!!

    19:30h: você sai cansado do trabalho, pega trânsito engarrafado, chega no estádio depois que o jogo começou (muitas vezes). Sai do estádio por volta das 21h, pega novo engarrafamento e vai chegar lá pelas 22:30 as 23h. E ainda vai trabalhar de manhã cedo no dia seguinte.

    21/22h: horário irracional, estádio distante da maioria dos torcedores, violência urbana, falta de transporte público, falta de segurança, além de ter que chegar em casa de madrugada e trabalhar de manhã cedo no dia seguinte.

    E tem mais: inventaram agora na serie A o horário das 11h da manhã. Ou seja: o único dia da semana que a maioria das pessoas tem para acordar mais tarde, devido a rotina da semana, a TV oficial vai lá, e bota você pra acordar cedo e ver um jogo provavelmente lento e monótono por causa do calor do meio-dia. É de lascar amigos!

    EU VOS PERGUNTO; É VIÁVEL?

    Ok, eu entendo que ainda assim, muita gente se interessa em ir ao estádio e vai por fanatismo, mas muitos de nós somos pobres e não temos 40 reais para dar no ingresso, ao invés disso, sabiamente compramos o botijão de gás do mês.

    Se eu pessoalmente não posso dar 200 reais numa camisa oficial é porque eu sou pobre, e não vou fazer loucura com o pouco que tenho.

    Em outros textos já citei aqui que os clubes deveriam dar outras opções de produtos além das camisas oficiais. Camisas com estampas nas cores do clube, com escudo e desenhos representativos do clube, com preços melhores.

    Os clubes deveriam buscar parcerias com fabricantes que fornecem roupas, por exemplo: para a C&A, riachuello, renner. Porque se mesmo um pobre como eu vai todo mês a uma dessas lojas, comprar nem que seja uma camisa de 29,90 reais, por que os clubes com essas parcerias não podem fazer um produto representativo do clube por 39,90 ou 49,90 reais?

    Por que toda camisa nas lojas oficiais tem que custar 100, 150?
    Uma simples camisa retrô 150 reais a 200 reais? (a depender do clube)
    QUE MUITAS VEZES SOLTA A TINTA NAS PRIMEIRAS LAVAGENS.

    É mais simples comprar uma camisa numa loja comum nas cores do clube, e pedir pra uma estamparia colocar o escudo do clube na camisa de 29,90.

    Mais uma vez repito: SOU POBRE! E os clubes pensam que isso aqui é a europa.

    É preciso criar o hábito do torcedor comprar, naquilo que ele pode pagar.
    Da mesma forma inúmeras pessoas vão a C&A, riachuello, habitualmente, os clubes deveriam pegar esse modelo e criar produtos com preços populares para ter clientes fiéis e constantes.

    Curtir

    • Mais uma pra série de desculpas pra o torcedor (do Vitória) não freqüentar o Barradão : jogos às 11 h da manhã. Sacanagem é essa, acordar 9: 30 no fim de semana ! E ainda gastar com filtro solar ! Só quando o estádio tiver cobertura…

      Curtir

      • Tá ai… Leva um sombreiro, um banco pra não dar corrimento anal no calor daquele cimento… Acho que vai ser uma boa… Tem o resto da tarde livre…

        Agora na boa, pra mim o melhor horário é 16:20 do sábado.

        Curtir

      • kkkkkkkkkkk Esse Deivid é barril. O dia que eu descobrir como controlar as pessoas e fazê-las se submeterem a certas situações assim como o Vitória faz eu virarei um Deus ou pelo menos ficarei rico. kkkkkkkkkkkk

        Curtir

  24. Texto perfeito, Fábio!

    O torcedor do Vitória realmente não se ilude com qualquer coisa. Fato!

    Por exemplo:

    Se a gente perder uma final de Campeonato do Nordeste numa quarta-feira, não será um título Baiano, conquistado sob um timinho do interior no domingo, que irá fazer o revoltado torcedor rubro-negro de quinta-feira (após a derrota do Campeonato do Nordeste) pensar na segunda-feira (após a conquista do título estadual) que nosso time é um Bayern de Munique.

    Não sei se tal fato supramencionado é bom ou ruim, só sei que esta falta de paixão irracional, talvez, faz o torcedor rubro-negro ficar longe dos estádios.

    O torcedor do Vitória sempre olha mais para o quê perdeu (ou deixou de ganhar), do que o quê ganhou.

    Ô, torcedor exigente!

    O torcedor rubro-negro poderia fazer sua parte como torcedor (associar, ir ao estádio, comprar produtos oficiais, torcer…) e, assim teria maior respaldo para, paralelamente, transformar tamanha chatice em atitudes para exigir/impor aos gestores do Clube que os mesmos tenham ações profissionais na gestão do futebol.

    Parabéns, Fábio!

    Curtir

    • Completando:

      Seu texto mostrou que a culpa pela falta de público, além (é claro) das péssimas gestões do Clube, é do próprio torcedor.

      Culpados:

      Más gestões do Clube + torcedor

      Curtir

      • Sim, nosso torcedor tem culpa também, quando a gente pega clubes inferiores a nós, com menos história que nós e enchem com mais frequência, se associam mais, compram mais os artigos do clube.

        Curtir

    • Se isso é bom ou ruim ? Veja quantos títulos nacionais o Vitória tem ! A estratégia de deixar o time sozinho no estádio tem dado certo ?

      Curtir

  25. Quando a Torcida do Vitoria vai se conscientizar que torcer pro Vitoria LUTAR CONTRA TUDO, E CONTRA TODOS. Temos uma mídia (Regional e Nacional) que não gosta da gente, um governo que não apoia, setores públicos que só querem sacanear, federação que nos prejudicar e tantos outros setores. Só podemos contar com nos mesmo, COBRAR SEMPRE mas temos que apoiar (seja associando, comprando produtos oficiais, indo a jogos e/ou assinatura de tv e exigindo que contabilize como Vitoria).

    Falta da Diretoria tbm reconhecer o valor do torcedor. Sei que aos poucos isso esta acontecendo, mas temos que acelerar isso aí!

    Curtir

  26. Eu sou otimista, positivista, mas também sou realista.

    Eu gosto de me manter livre das paixões e fé no time por algum tempo e penso que os nossos dirigentes tem que fazer um trabalho mais competente dentro das limitações que o Vitória apresenta.

    E eles não tem feito…, falam nas rádios como se o Vitória fosse uma formiguinha entre 100 mil, esquecida a 10 mil anos…

    Não possuem visão ou experiência suficiente pra enxergar que o clube poderia ter um futuro grandioso, pensando a longo prazo, com investimento pesado em divisões de base, enxergando as contratações APENAS COMO GASTO E NÃO COMO INVESTIMENTO.

    É a ousadia e competência que me empolga, o Vitória tem pouquíssimo desta e nenhum daquela.

    Curtir

  27. Que belo texto…

    Realmente é pra se refletir. É impossível se chegar a apenas um, dois ou três fatores que expliquem os fatos que você apresentou. São inúmeras razões, variáveis, culturas, histórias.

    Eu acredito que os principais “motivos” que levam torcedores ao estádio são:

    a) Boa fase (brigar por títulos, jogar um futebol bonito, vender caro as derrotas)
    b) Sensação de crescimento do clube (entender que o seu clube está numa ascensão, como nosso exemplo de 2006 a 2010)
    c) cultura local (ter o hábito de ir ao estádio com a família ou com um grupo de amigos)
    d) orgulho da história do clube (o clube pode estar em boa ou má fase, mas ele já lhe deu inúmeras alegrias)

    Fui sócio do Vitória 100% assíduo aos jogos entre 2007 e 2011. Desses motivos citados, o que efetivamente me abateu foi o “b”. O Vitória era hegemônico no estado e sucessivamente subia de divisões, culminando com belas campanhas em 2008 e 2009. Eu tinha a sensação que o Vitória amadurecia pra uma libertadores ou por um título da Copa do Brasil. Não há como negar que a torcida em geral comprou essa ideia… O Vitória era comentado no Brasil como exemplo de ascensão e de bons resultados com um orçamento limitado. Nosso auge foi a final em 2010, mas depois daquela postura vergonhosa e inexplicável em Santos, o clube não parou mais de descer a ladeira.

    O resto da história todos nós conhecemos… Desperdiçamos nossa maior chance em décadas de um título nacional e sabe-se lá Deus quando teremos outra. É duro você continuar pagando pra ser sócio, se deslocando ao Barradão nos piores horários possíveis, sem qualquer conforto num estádio MEDIEVAL e sem qualquer perspectiva de conquistar algo importante.

    Não estou dizendo que quem vai pro estádio está errado, assim como tenho plena certeza de que também não estou errado em ter deixado de ir. Esse é um assunto que não existe certo ou errado, existe o que o seu coração manda. E o meu perdeu a vontade de dar, dar, dar e não receber nada em troca.

    E aí eu pergunto: o Vitória vive uma boa fase? Não. Temos a sensação de estarmos evoluindo? Não. Nossa torcida é culturalmente assídua (como Remo, Santa Cruz, Ceará, Jahia e etc)? Nunca foi. Temos orgulho da história do clube? Depende.

    Talvez essas respostas expliquem essa baixa média de público, alto grau de pessimismo e baixa dose de auto estima.

    Curtir

    • Bem lembrado. De 2006 a 2010, mesmo com algumas contratações bisonhas, o time saiu da C pra A em 3 temporadas, fez um ótimo Brasileirão em 2008, um médio em 2009 e finalista da Copa do Brasil, tendo ganho também os estaduais de 2007 a 2010, dando muita porrada no Bahia. Realmente a sensação para a torcida era que Alexi, mesmo com seu jeito muquirana, iria levar o Clube a patamares que Paulo Carneiro não tinha conseguido, mas depois da final da CdBr, tudo foi por água abaixo e desde 2011 colecionamos fracassos, exceto 2013, ano de eleição no clube.

      Curtir

    • E isso ai Leonardo. E assim que eu vejo.
      Nao tem o certo ou errado.
      Lembro que na epoca eu mencionei que AP perdeu uma grande oportunidade de se tornar O HEROI do filme chamado Esporte Clube Vitoria. Tudo por causa da sua covardia (no sentido da palavra) de nao querer investir pelo medo de se tornar outro PC.
      Um abraco

      Curtir

  28. Qualquer desculpa serve pra quem não quer se associar, ir ao estádio, etc. Não vejo maneira de tornar o Vitória grande de verdade, que não passe pela associação em massa (ao mesmo tempo da democratização real). E concordo que nos momentos de baixa é que conhecemos o tamanho de nossa torcida. São esses gatos pingados, o resto é agitador/falso democrata/ executivo de futebol -analfabeto funcional, que tem seu habitat na internet.

    Curtir

    • Não frequento o estádio com regularidade, nem por isso sou menos torcedor que ninguém, nem nenhuma das categorias negativas citadas acima. Sou torcedor do Vitória desde a década de 80, quando o que vivemos hoje era o normal, e as turmas de escola eram formadas por 2 a 3 torcedores do Vitória e 20 torcedores do Bahia. Só porque vivi esses tempos de “baixa”, não quer dizer que sou mais torcedor do que os jovens que viveram mais tempos de glória. O torcedor de estádio não é melhor que o torcedor de TV, fosse assim o Flamengo não poderia contar com a sua imensa torcida do Nordeste. O que precisamos entender é que existem diferentes tipos de torcedor. Todos somos Vitória, e o clube precisa trabalhar pra cativar e obter receitas em cada um desses tipos.

      Curtir

      • Sua categoria é “gato pingado”. Tem que ser muito ingênuo para achar que esta “gigantesca” torcida virtual influencia em alguma coisa no futuro de um clube. Então, na minha opinião, somos todos torcedores sim, mas se dependermos desta categoria virtual, continuaremos a viver os dissabores da série B.

        Curtir

  29. Um dos mais lucidos e ao mesmo tempo “polemico” (no bom sentido) texto publicado na casa.
    Polemico no sentido que cada um de nos por uma razao ou outra nos enquadramos no que foi escrito.
    Eu do meu lado resumo na frase “CUIDA BEM DE MIM”!!
    Nas ultimas decadas o clube (suas diretorias) nao cuidaram de mim, nao deu o valor que o torcedor merece e de tanto descaso fui me afastando.
    Hora, eu que moro longe, fazia a artimanha de tirar ferias nas semanas em que o Vitoria jogasse 2 vezes seguidas no Barradao. Artimanha porque tinha que convencer a esposa que aquelas datas eram as melhores (nem sempre) para ir a Salvador. E mais, tinha o SMV para ver 2 jogos por ano.
    Quando falo “cuida bem de mim” nao quero dizer que o clube tem que me tratar com luva de pelica. O que quero dizer e “me de motivo” para eu me sentir orgulhoso. Me de um titulo relevante. O campeonato bahiano a mim nao satifaz mais (que o Bahia ganhe todos, desde que O Vitoria conquiste titulos relevantes) . O Lampions League ainda mexe comigo, mas mesmo assim sua importancia e limitada.
    Talvez seja isso, EU SOU UM TORCEDOR EXIGENTE, que por ter um lado Virguliano dentro de mim, decide ir contra o que, na minha infancia, era o logico…TORCER PARA O VITORIA.

    Um abraco

    Curtir

  30. O texto de Fabio está impecável.
    Me deu uma vontade de falar umas coisas aqui,mas seria polemizar demais…heueueheu.

    Parabéns pela lucidez.

    Curtir

  31. É como eu já falei aqui antes, torcer na boa e quando o time tá bem é fácil… torcedor se vê é na merda, é quando precisa de apoio e está numa situação difícil… Torcida do Vitória gosta é de moleza, cobra time competitivo e não faz nada pra ajudar … em 2013 fizemos uma campanha espetacular e qual o resultado? qual o aumento de sócios? De média de público?? Nadaaa… É olhe o palmeiras aí… brigou pra não cair em 2014 e em 2015 bateu 100 mil sócios Pq viram que se não ajudassem o clube já era…

    Nem falo da base Pq é fato a impaciência e a queimação gratuita dos nossos jovens valores, a maioria saiu daqui execrados para brilharem lá fora… chover no molhado…

    Sábado estarei lá no velho e bom barradas com os mesmos 5 mil fiéis…

    Curtir

    • Galera, me perdoem se vou falar uma heresia aqui, corro até o risco de ser expulso do blog rsrsrs, brincadeira a parte, eu já observei em alguns bavis no Barradão que se não fosse a setorização e a cota para a torcida visitante no estádio, independente do momento dos dois clubes, eu acho que a torcida do bahia lotaria todas as dependências do estádio em alguns momentos, me corrijam se eu estiver errado.

      Curtir

      • Isso não existe. A torcida do jahia teme o Barradão, so em 2009 ou 2010 q o jahia vinha bem, q AP deu um espaço enorme a eles quase fez a gente pagar mico.

        Curtir

  32. a diferença do Vitória para esses times que frequentam e frequentaram o inferno do CB, é que vemos neles mudanças no corpo diretivo e por consequência oxigenação nas idéias. mesmo que deem errada, ha a possibilidade de mudança sempre.
    aqui só vemos mudança pra pior.
    o que aconteceu com o Vitória de positivo após a saída de PC para que o torcedor tenha T em ir ao estádio? Só em 2013 tivemos algo parecido com um time. A fora isso só pinceladas, lampejos de felicidade(vide o CB da segunda em 2012) e Copa do Brasil (mata-mata é menos difícil)
    não estou defendendo aqui a gestão de PC, mas mostrando que pelo menos com ele estávamos sempre em evidência e por consequência a torcida ficava “frenética”.
    hj tambem temos as mídias sociais, a internet mais fácil, e com isso sabemos de muito podres que não sabíamos, afastando o torcedor mais ainda
    hj temos uma diretoria calada, morta, com ações medíocres, que só afastam um torcedor que nunca teve um título de expressão no futebol profissional.
    uma torcida cansada, sem oxigênio, sem um pingo de esperança… só tomando pancada.
    tenho um exemplo em casa que combato no castigo.
    meu pequeno de 5 anos fica falando no time roxo por influencia da Tv e de outras pessoas. bolo na mão e tapa na boca
    o outro de 14 anos nem assiste mais futebol, é surf, skate, namorada, escola..
    de quem é a culpa? é minha que acompanho o Vitória nesse marasmo a 30 anos?
    estamos avido por mudanças, chega desse bla bla bla desse bando que “cuida” do Vitória

    Curtir

    • Meu caro amigo, o caso do Santa Cruz e Paysandu acabam com sua tese…Ambos os clubes estavam com diretorias horríveis, canalhas, sanguessugas e mesmo descendo divisão ano após ano e repetindo a última divisão por mais de três anos, Santa Cruz e Paysandu apresentavam nas ÚLTIMAS DIVISÕES públicos de 15 a 20 mil em média!!!! A gente em 2013 teve média final de 13 mil. JÁ TEM UNS 7 anos que não passamos de 10 mil sócios, pelo contrário…depois da final de 2010 contra o Santos, onde muita gente se associou só pra n pegar fila e n correr o risco de ficar de fora, batemos 10 mil sócios, em seguida houve CANCELAMENTO em massa e desde então estamos com 6500 sócio torcedores…

      Curtir

      • Alguém sabe dizer a média de público quando tínhamos elenco com jogadores realmente gabaritados? Pet, Bebeto, Túlio, Mazinho, Aristizabel entre outros? Acredito que essa decadência seja um dos motivos mais cabíveis para essa freqüência pequena de torcedores do Vitória, elencos ruins trás resultados ruins, tanto dentro como fora de campo. Tem que lembrar Fábio, que no mesmo ano do Santos o Vitória foi rebaixado e isso desmotiva muito torcedor, mas não resta dúvida que somos mais de cobrar, do que ajudar o nosso time.

        Curtir

      • Em 1997 tivemos O MELHOR ELENCO DO VITÓRIA em termos de jogadores “estrelas”, Bebeto, Petkovic, Túlio e Elivelton, jogadores com passagens brilhantes na Europa, Seleção e times do eixo. Mesmo assim o VitoriaMania só teve 2 mil associados e o público só era bom nos ba-vi’s e duelos contra os grandes do RJ-SP. Fora que Bebeto foi vaiado em algumas oportunidades…ACREDITEM!!!Nos demais jogos eram no máximo 10 mil…Tinha muita gente que passou a ir por causa de Tulio e Bebeto, pra variar tbm tinha a turma que dizia que eles só vieram porque não tinham mais mercado no eixo e Bebeto esteve na Copa de 98 e Tulio foi pro Cruzeiro, também em 1998. É sério…continuando a mexer em nossas feridas…se pra ver Carlinhos Bala, Reinaldo Aleluia, Clodoalcool, Bechara e Vandick com 37 anos, os torcedores do Santa, Paysandu, Ceará e Fortaleza enchiam…imagina como seria a idolatria se tivessem os elencos que ja tivemos entre 97 a 2004?

        Curtir

    • Se eles não cuidam , cuidamos nós fazendo a nossa parte que é torcendo ,independente deles dirigentes. O que não dá é para ficar somente clamando por mudanças na direção e deixando o time jogar sem sua torcida.

      Curtir

  33. Acho interessante a capacidade de analise do Fábio no que diz respeito ao Vitória e futebol.

    Fabio conseguiu falar bem sobre a característica do torcedor, mas Fábio meu questionamento
    é se esse perfil de torcedor também não tem relação com nossa origem e com a nossa direção ao longo da existência?

    Digo não para querer tirar nada do seu texto e tampouco justificar nada, apenas para que possamos um pouco refletir, sobre o que faz a nossa direção (não só a atual) em relação a torcida

    Há um histórico de desprezo do ECV em cativar seus torcedores e buscar o interior da Bahia

    Impressionante hoje ainda termos mais torcedores de outros times no interior que o do nosso Vitoria, acho que o torcedor não é muito levado a sério pelas sucessões de diretorias arrogantes

    Será quando o Clube for da torcida, (se é que um dia será) a história não poderá começar a mudar, mecher um pouco no ego de quem vive pelo clube, e fazer de verdade um Vitória Grande!!

    SRN

    Curtir

  34. Rapaz… me identifiquei. Excelente texto, Fábio.
    Tenho a impressão de q muitos de nós torce pelo Vitória e acha que torce pelo Barça.
    É estranho ver torcedores nossos contestando uma possível contratação de Little Richard por exemplo. O cara é o melhor jogador da região, nosso time tá na merda a algum tempo e ele não serve p gente?
    Sds.

    Curtir

  35. Post interessantíssimo. Não tenho dúvida que o torcedor do Vitória é apaixonado pelo seu clube. Basta ver as resenhas nas escolas, no trabalho, e o tempo que gastamos num blog como esse. Contudo, creio que não só o Vitória, mas o Bahia também tem dificuldade em transformar essa paixão em resultado financeiro.

    De modo geral, acho que o torcedor do Vitória não gosta de se associar. Veja os clubes como Bahiano, Associação, Espanhol. Todos sempre passaram por sérios problemas financeiros. Acho que a baixa adesão ao SMV passa pelo mesmo caminho. Veja que nem as boas campanhas fez o número de sócios melhorar significativamente. Por que isso acontece? Não sei. É preciso pesquisar os hábitos do baiano.

    Da minha parte, em apenas dois campeonatos brasileiros fui a 100% dos jogos: 93 e 99. Poderia ir mais, mas o trânsito do Barradas, a possibilidade de tomar chuva e uma certa dose de insegurança me levam mais à TV do que gostaria. Só compro camisa oficial, mas não todo ano. Acho caro dar 249 numa camisa. Sou um SMV irregular. Já me associei e descadastrei umas 3 vezes. Motivo: Nenhum. Talvez apenas a falta dum setor de MKT mais ativo pra me ligar e “cobrar” a adesão.

    O que mais me deixa chateado no Vitória? Saber que ele é usado para enriquecimento de uns e uso político por outros. E sempre foi isso. No meu caso, esse talvez seja o principal motivo de não gastar mais com meu clube, uma certa sensação de estar sendo enganado.

    Desculpe o texto longo. Essa foi quase uma sessão de terapia…

    Curtir

    • Acho que como torcedores do Vitória vivemos dando desculpas (uma delas são péssimos dirigentes que temos) para não irmos as jogos, comprarmos produtos oficiais e, principalmente não nos associarmos ao Clube. Eu em particular não atento para nenhuma delas. Quando estou em Salvador não quero saber se é jogo de qualidade, se tá chovendo, se o nosso elenco não tem jogadores de qualidades, vou ao barradão e quando possível compro os produtos, pois sou Vitória e só.

      Curtir

      • Eu concordo com vc que os torcedores do Vitória (eu incluído) apresentamos desculpas para o “apoio limitado” que oferecemos ao clube em relação à presença no estádio, SMV e produtos oficiais. Dito isto, e considerando que essa é uma realidade de longa data, o que a instituição pode fazer para mudar o cenário no curto, médio e longo prazo? Pra saber, só discutindo a relação e atentando para o que dizem os torcedores arredios ou infiéis. Sem perceber o que essa parcela da torcida vê como limitações, o time não conseguirá aumentar suas receitas. Ubaldo e Abb já estão devidamente conquistados (ou conscientizados). E qual o plano pros outros milhões que não contribuem em sua plena possibilidade?

        Curtir

Deixe aqui o seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s