Sobre Fábio Monteiro

Fabio Monteiro,nascido em Salvador-BA. Apaixonado por futebol, informática, computação gráfica, livros, seriados, música e em cultura em geral.

A Reforma do Estatuto e suas Fake News

1- Para evitar politização da Reforma, ela tem de ser feita pelo próximo Conselho, que será proporcional.

FAKE NEWS! A Reforma do Estatuto se iniciou no Conselho Deliberativo, que tem esta competência prevista no Estatuto atual. Mas, ela só termina com a deliberação dos Sócios na Assembleia Geral Extraordinária. Ou seja, a decisão sobre o que deve e o que não deve constar no Estatuto é do Sócio e não do Conselho. Além disso, a Comissão tem recebido diversas emendas de Sócios e reavaliando a Minuta. 

2- Os membros da Comissão de Reforma não entendem de futebol, por isso não estão aptos a trabalhar no novo Estatuto;

FAKE NEWS! A Comissão é composta por conselheiros, como rege o atual Estatuto. Para ser conselheiro, não precisa ter sido jogador, técnico, dirigente ou comentarista esportivo. O conhecimento requerido é sobre questões jurídicas, contábeis, processuais, regimentais, etc. Na Comissão de Reforma do Estatuto não há profissionais do futebol, mas há advogado, administrador, auditor federal, jornalista, publicitário.

3- A Minuta apresenta Comissões Permanentes para “interferir” no trabalho do presidente do Clube.

FAKE NEWS! As Comissões já são previstas no atual Estatuto. A Minuta apenas detalhou as atividades delas, deixando claro que possuem caráter consultivo e propositivo, sem poder de veto sob a gestão e sem poder executivo.

4- A Comissão quer transformar o Vitória num “serviço público”.

FAKE NEWS! A proposta apresentada na Minuta é de evitar poder absoluto no Vitória, com cada órgão respeitando as competências dos outros. No Conselho Deliberativo, a proposta apresentada foi de descentralizar o poder do Presidente, com a criação da Mesa Diretora, composta também por dois vice-presidentes e um secretário. Quatro membros, oriundos das duas chapas mais bem votadas. Uma possível omissão do Presidente em um caso de ação obrigatória seria resolvida seguindo a hierarquia, de maneira mais célere.

5- Raimundo Viana é o “mentor” da Minuta da Reforma do Estatuto.

FAKE NEWS! A Comissão de Reforma do Estatuto foi formada em junho de 2018. Raimundo Viana somente entrou na Comissão na reunião do Conselho Deliberativo no último dia 15 de março. Desde então, tem colaborado com sugestões e revisões da Minuta, sem qualquer imposição e preservadas as decisões da maioria da Comissão. Raimundo Viana sequer é o relator da Minuta.

6- A Reforma do Estatuto é para atingir Paulo Carneiro. 

FAKE NEWS! A Minuta da Reforma do Estatuto foi um trabalho técnico e não político. Foram analisados cerca de 30 estatutos de clubes de futebol, do ABC ao Barcelona, além do Código Civil, do Profut e de outras legislações. Não há, a princípio, disposição na Minuta que impeça qualquer ex-dirigente de se candidatar.

7- Estão propondo reformar o Estatuto para se beneficiar politicamente.

FAKE NEWS! A nova reforma o Estatuto foi anunciada na mesma Assembleia Geral Extraordinária de 2 de abril de 2017, que aprovou o atual Estatuto. Por conta de demandas judiciais, naquela AGE os Sócios não puderam votar artigo por artigo e sim dizer sim ou não para o texto na íntegra. Na AGE marcada para 31 de março, o Sócio vai poder deliberar sobre o Estatuto pela primeira vez na história do Clube.

Entre a cruz e a espada

Por: Marcos Thomaz

No cenário de terra arrasada em que está mergulhado o Esporte Clube Vitória, tenho visto muitos comentários superficiais atribuindo ao torcedor eleitor da “chapa da destruição” e ao processo democrático a responsabilidade pelo caos instalado, eu diria, entranhado no clube. Típico da obtusidade reinante nesses tempos.

Pois bem, esta tese rasa e reducionista não resiste a alguns contrapontos básicos, principalmente quando ampliamos o horizonte de observação sobre todo o processo, que nos trouxe até esta situação caótica:

1) APOIO A RICARDO DAVID – Antes de se revelar o estelionatário eleitoral já indicado nos primeiros atos da gestão e, hoje, consumado, o tal Ricardo David foi eleito por ampla maioria dos sócios. E, além do lugar-comum, pode-se atribuir uma série de fatores que convergiu para impulsionar o nome do dito cujo:

  • A chapa de RD reunia em sua “carta programa” temas-anseios do torcedor (profissionalização do clube, gestão arrojada, fortalecimento de outros esportes como o basquete SIC etc). Tudo isso embalado em discurso bem articulado, perfil bem apresentado (típico de marketeiro de eleição de Conselho Regional, mas no momento, o mais “atraente” diante da embaçada visão do torcedor)!! Se, como se comprovou mais tarde, as “propostas” não passavam de engodo, sem nenhum detalhamento consubstancial, são “outros 500”, mas nada o desabonava à época…

 

  • Outro poderoso ponto de adesão a Ricardo David era a rejeição a todos os outros candidatos, especialmente os históricos opositores reunidos em um mesmo chapão!?!? O impostor foi diretamente beneficiado pelo sentimento de negação as outras figuras já desgastadas por repetidas passagens pelo clube!

2) ATAQUES A DEMOCRACIA Demonizar o processo democrático pela situação vivida pelo clube e ver esse discurso ecoar dentre os próprios torcedores comuns é de dar calafrios!! Toda mudança gera adaptação e a despeito do péssimo começo dessa experiência, o processo democrático nos permite mudar a cada eleição (como será feito agora, com antecipação, inclusive!). Somos um clube historicamente alheio a este processo aberto, com domínio centrado nas mãos de uns poucos e real dificuldade em consolidação de novos nomes/forças. Isso demanda tempo e estabelecimento do processo (essa afirmação nada tem a ver com insistência no erro – casos como o atual devem de fato ser abortados, mas trato da maturação do sistema de democracia do clube). Basta ver o exemplo do rival, que após décadas chafurdando na lama, vive POR VIAS DEMOCRÁTICAS o seu melhor panorama em muito tempo! Ademais, a opção real e única é deixar o clube nas mãos e sob total controle dos coronéis, como propôs explicitamente e nestes mesmos termos um “ex-dono do ECV”?? Sobre isso tratarei mais adiante…

Continuando a falar de Democracia… É bom ter atenção e senso analítico para não jogar absolutamente tudo na mesma vala. Com os nervos à flor da pele, a capacidade de percepção escoa pelo ralo… Vejamos que, se no Conselho Diretor o “start” democrático nos lega duas catastróficas gestões em sequência, a mesma avaliação não pode ser transferida ao Conselho Deliberativo. Apesar das queixas e ataques diuturnos nas redes e grupos específicos de discussão do Vitória aos membros, pela primeira vez na história vi um Conselho sair da posição de figura decorativa. Mesmo engessados por um estatuto que condiciona aos conselheiros quase apenas “assistir enquanto o mundo explode”, de maneira inédita, houve publicação de manifesto contra a gestão, pedido público de renúncia, contingenciamento orçamentário e até rejeição das contas da gestão Ivã de Almeida, etc. Aos incautos, saudosos de um tempo romantizado (“quando o presente está nebuloso, o passado é sempre pintado em tons suaves”) lembro que o mesmo Conselho Deliberativo que dizia AMÉM aos desmandos de Paulo Carneiro, uma década depois aclamava, sem quaisquer questionamentos a reeleição de Alexi Portela. Esse era o modelo de conselheiros ideal e atuante??

3) EX-DIRIGENTES Em meio as trevas atuais do ECV, nada mais natural que o pronunciamento e manifestação de figuras históricas do clube, assim como o clamor da torcida em torno desses nomes para “resgatá-lo”. E, talvez, “a toque de caixa”, de imediato, nem haja outra opção viável ao clube, senão a união desses “beneméritos” e pessoas com serviços prestados ao clube. A questão é, se realmente é honesto, com base em distanciamento temporal e decepção total atual apagar o passado, “dourar a pílula” e maquiar a história do clube nas referidas gestões de outros tempos?? Como se à época vivêssemos em “um mar de rosas” e não pudéssemos elencar uma série de pontos que nos fazia rejeitar a continuidade daquele referido modelo!?!?! Além disso, outro problema é a condução, ou oportunismo que esses estão fazendo da situação para ofuscar ou legitimar as próprias falhas de outrora. Vejamos:

ALEXI PORTELA Presidente mais emblemático pós ERA PC, Alexi Portela, carrega no currículo a reorganização do clube, vice campeonato da Copa do Brasil, mas em paralelo rebaixamentos, papelões como o patrocínio da Champs e contratações que nem valem discorrer. Mas o que mais me espanta é vê-lo apontar o dedo a terceiros condenando-os pela escolha de Ricardo David a presidente. Ora, “o que me lasca é minha memória”. Lembro-me bem que David era Diretor de Marketing de Carlos Falcão, aquele atualmente rebaixado ao posto de segundo pior presidente da história do ECV. E quem colocou o tal Falcão lá, senão AP?? Puta mundo cíclico… Portanto caro Portela, você pode se autodenominar coronel, baluarte etc, mas não condenar a democracia por todas as mazelas, quando a gênesis do apocalipse foi desencadeada por seu poder ilimitado enquanto “coronelzinho da Toca!!”

PAULO CARNEIRO O maior presidente da história do clube sempre carregará em seu currículo algumas nódoas! Nos legou a maior parte do nosso patrimônio, feitos históricos em campo, orgulho exacerbado, mas também nos deixou na maior pindaíba de todos os tempos (atualmente caminha-se para igualar, mas…). Fomos pela primeira vez a série C, com funcionários sem receber salários há mais de ano. Após este episódio, dirigiu o rival, nos colocou na justiça, até voltar com a empáfia contumaz a participar e tentar influenciar TUDO no ECV. Pegando carona no entorpecimento nacional, alguns ainda ensaiam chamá-lo de MITO, eu continuo a me referir a Paulo Carneiro, com toda a carga paradoxal que este nome carrega no ECV!!

Marcos Thomaz rabisca seus pensamentos no site: https://marcosthomazm.wixsite.com/

Íntegra da minuta do novo estatuto já está liberada

A íntegra da minuta do novo estatuto do EC VITÓRIA já está liberada para todo e qualquer rubro-negro fazer a devida leitura. Ao final deste post deixarei o link para vocês terem acesso ao conteúdo da nova reforma do estatuto. Em suma a nova “constituição” do clube tem como destaques:

– Divisão mais claras dos assuntos, criação de sumário e links em referências.

– Observação do que preconizam o Código Civil e o Profut.

– Criação de documentos guias para o Clube, como o “Planejamento Estratégico do VITÓRIA”, que vislumbrará o Clube dez anos à frente, e o “Plano de Gestão”, documento que será obrigatório apresentar um resumo no registro de candidatura ao Conselho Gestor e o qual deverá ser seguido no tempo do mandato.

– Prestação de contas de forma mais rigorosa.

– Aprofundamento das penalidades a Sócios e representantes eleitos que cometerem infrações: penalidades administrativa, civil e criminal.

– Obrigatoriedade de manter registros e documentos em segurança mais rígida, com luz às aos dados a preservar.

– Prestígio dos símbolos do VITÓRIA com vistas na sua preservação e boa utilização.

– Inserção de proprietário de cadeira cativa no processo político, por opção pessoal, desde que pagando taxa.

– Criação do Conselho Consultivo, que comportará os conselheiros natos, mantida a vitaliciedade e acrescentadas competências específicas.

– Transformação da Comissão de Ética em Conselho de Ética, com membros eleitos via Conselho Deliberativo.

– Transformação da Ouvidoria em órgão do Clube e atuando também como ombudsman, com membros eleitos via Conselho Deliberativo e possibilidade de Sócios não-eleitos participarem, sem remuneração em todos os casos.

– Criação da Mesa Diretora do Conselho Deliberativo, que descentraliza o poder da Presidência.

– Criação de Comissões Permanentes para auxiliar as Diretorias Executivas.

– Estabelecimento da Moção de Desconfiança, que permitirá destituir o Presidente que descumprir o Plano de Gestão sem justificativa razoável.

– Processo eleitoral mais claro.

– Critérios de elegibilidade e causas de inelegibilidade mais definidos.

– Regramento da apresentação da proposta anual do orçamento e da sua execução, bem como das práticas de transparência.

– Revisão dos Instrumentos Normativos Complementares.

– Rito da reforma do Estatuto mais bem definido.

– Rito da destituição de Presidente mais bem definido.

– Instituição da Comenda Raimundo Rocha Pires aos Sócios com 30 anos de associação.

A minuta foi enviada com uma proposta de rito até a sua aprovação: publicar o documento no site do VITÓRIA e convocar Sócios e Conselheiros, ao mesmo tempo, ao envio de emendas; ao fim do prazo, a Comissão apresenta nova redação para discussão do Conselho Deliberativo; feitas as possíveis alterações, é apresentado o texto final para a AGE deliberar, com possibilidade de defesa das emendas previamente enviadas.

Portanto, não é algo imposto pelo Conselho Deliberativo, pois são os sócio-torcedores com mais de 18 meses de filiação que vão decidir se aprovam na íntegra, se emendam artigos ou se reprovam. O conselho deliberativo e a comissão da reforma estatutária só podem confeccionar o documento e levar para aprovação dos sócios. Leiam toda a minuta e percebam que ela não tem nada do chamado “viés ideológico” como alguns grupos de oposição falam. A minuta é extremamente técnica e visa tão somente fortalecer os freios e contrapesos do Conselho Gestor (presidente e vice presidente), pois em toda a história do ECV, os presidentes sempre fizeram o que quiseram, o que dava na telha, sem se importar com as consequências – e pior – fazendo dos conselhos Fiscal e Deliberativos meras peças decorativas dentre a composição administrativa do EC Vitória.

Para encerrar, venho aqui REFUTAR mais uma vez a mentira do ex-presidente PC, que em seu áudio afirmou pela enésima vez que houve acordo entre P.Catharino e C.Deliberativo para votar em bloco em RD. Isso é uma mentira ridícula. Ninguém foi induzido a votar em ninguém em bloco. Inclusive, a eleição tampão de 2017 foi tão heterogênea dentro do conselho, que o candidato a vice-presidente da chapa do Vitória Gigante foi Lucas Brandão, que é conselheiro pela VDT. Ainda teve uma parte que votou em Raimundo Viana e conheço pelo menos umas 20 pessoas que não foram votar, ou seja, não acreditaram em nenhum dos candidatos para o mandato tampão de Ivã de Almeida.

O ex-presidente deve ter visto o sucesso da máquina de fakenews de Bolsonaro e está querendo implantar a mesma tática de repetir uma mentira até ela virar “verdade” na mente dos torcedores mais desavisados. Não houve sequer uma menção ao conselho votar em bloco em A, B ou C nas eleições de 2017. Cada conselheiro votou com sua consciência individual e como já disse aqui, foi tão heterogêneo, que o candidato a vice da chapa envolvendo PC, era um conselheiro da VDT.

Link da Minuta

http://www.ecvitoria.com.br/wp-content/uploads/2019/03/993468102_cf4a5032e78b6826768b29f2d86a007f.pdf

Prints de alguns artigos da minuta do novo estatuto

Segue aqui alguns dos artigos mais interessantes que pincei da nova minuta. Enquanto a minuta não estiver postada no site oficial eu não vou postar a íntegra aqui. Se sou contra vazamentos de documentos do clube, eu tenho que prezar pelos ritos. Se o documento total ainda não foi disponibilizado oficialmente, não será eu que vai vazá-lo. Entretanto, os trechos eu posso postar, até porque é de suma relevância para o conhecimento da torcida, até mesmo pra evitar que seja ludibriada por quem está louco pra retornar ao clube e tem enorme dificuldade de seguir os ritos estatutários, por estar acostumado a agir como proprietário do clube e que os demais órgãos são meras peças decorativas e que por isso não deve dar esclarecimentos, nem solicitar autorização para contrações de empréstimos e de desfazer de bens móveis e imóveis do clube.

 

Comissão envia minuta da reforma do Estatuto do Vitória ao Presidente do Conselho Deliberativo

A necessidade de modernizar e suprir questões vagas no atual Estatuto do Vitória impôs um trabalho minucioso da Comissão de Reforma, que resultou na minuta apresentada ao Presidente do Conselho Deliberativo, Robinson Almeida, e ao colegiado nesta semana.

Foram analisados cerca de 30 estatutos de clubes de futebol do Brasil e do exterior, estatutos de entidade de organização do esporte e leis em vigor no país para chegar ao novo texto.

PRINCIPAIS NOVIDADES

– Divisão mais claras dos assuntos, criação de sumário e links em referências.

– Observação do que preconizam o Código Civil e o Profut.

– Criação de documentos guias para o Clube, como o “Planejamento Estratégico do VITÓRIA”, que vislumbrará o Clube dez anos à frente, e o “Plano de Gestão”, documento que será obrigatório apresentar um resumo no registro de candidatura ao Conselho Gestor e o qual deverá ser seguido no tempo do mandato.

– Prestação de contas de forma mais rigorosa.

– Aprofundamento das penalidades e responsabilizações civil e criminal.

– Obrigatoriedade de manter registros e documentos em segurança mais rígida, com luz aos dados a preservar.

– Prestígio dos símbolos do VITÓRIA com vistas na sua preservação e boa utilização.

– Inserção de proprietário de cadeira cativa no processo político, por opção pessoal, desde que pagando taxa.

– Criação do Conselho Consultivo, que comportará os conselheiros natos, mantida a vitaliciedade e acrescentadas competências específicas.

– Transformação da Comissão de Ética em Conselho de Ética, com membros eleitos via Conselho Deliberativo.

– Transformação da Ouvidoria em órgão do Clube e atuando também como ombudsman, com membros eleitos via Conselho Deliberativo e possibilidade de Sócios não-eleitos participarem, sem remuneração em todos os casos.

– Criação da Mesa Diretora do Conselho Deliberativo, que descentraliza o poder da Presidência.

– Criação de Comissões Permanentes para auxiliar as Diretorias Executivas.

– Estabelecimento da Moção de Desconfiança, que permitirá destituir o Presidente que descumprir o Plano de Gestão sem justificativa razoável.

– Processo eleitoral mais claro.

– Critérios de elegibilidade e causas de inelegibilidade mais definidos.

– Regramento da apresentação da proposta anual do orçamento e da sua execução, bem como das práticas de transparência.

– Revisão dos Instrumentos Normativos Complementares.

– Rito da reforma do Estatuto mais bem definido.

– Rito da destituição de Presidente mais bem definido.

– Instituição da Comenda Raimundo Rocha Pires aos Sócios com 30 anos de associação.

A minuta foi enviada com uma proposta de rito até a sua aprovação: publicar o documento no site do VITÓRIA e convocar Sócios e Conselheiros, ao mesmo tempo, ao envio de emendas; ao fim do prazo, a Comissão apresenta nova redação para discussão do Conselho Deliberativo; feitas as possíveis alterações, é apresentado o texto final para a AGE deliberar, com possibilidade de defesa das emendas previamente enviadas.

Carta do Conselho Deliberativo à torcida do Vitória

Torcedor do Vitória,
O momento do nosso Clube é péssimo e, mais do que nunca, exige que nós, conselheiros eleitos para o triênio 2017-2019, sejamos claros e diretos no nosso manifesto.
Esta explanação pública era necessária desde o início de 2017, quando os líderes da chapa Vitória do Torcedor, da qual fizemos parte, começaram a mostrar que, enquanto dirigentes, o belo discurso não seria ratificado pela prática.
Faltou transparência e, no mínimo, honrar as suas “bandeiras”. E este comportamento foi estendido pela atual gestão que, além de tão incompetente quanto, se mostrou ainda mais mentirosa, ao descumprir toda a plataforma com a qual foi eleita.
A renúncia da dupla Ricardo David e Chico Salles é o clamor de toda a torcida do Vitória, inclusive nosso. Entendemos que, apesar da dificuldade que uma nova Diretoria tampão teria de administrar o Clube e da impossibilidade de fazer mágica que transforme os nossos resultados esportivos em tão pouco tempo, o Vitória precisa respirar e se afastar de figuras que nada podem contribuir e, além disso, têm se especializado em destruir o Vitória.
No entanto, a renúncia tem demorado bastante para acontecer e isso teria uma explicação, além da já conhecida vaidade. Eles têm a caneta na mão e podem dizer para onde vai cada centavo gasto pelo Vitória. O Conselho Deliberativo pode tão somente propor fiscalizar os atos e propor controles. Por isso, o orçamento aprovado para 2019 foi de R$45 milhões, bem abaixo dos R$73 milhões que Ricardo David queria na primeira reunião para tal.
No ano passado, o orçamento aprovado foi de R$102 milhões. Mas, sabemos do estouro que será divulgado em abril, quando deverão prestar contas. Na última parcial divulgada ao Conselho Deliberativo, referente ao acumulado até setembro, a receita realizada era aproximadamente 10% abaixo do previsto e a despesa aproximadamente 10% acima, desconsiderando uma reversão de R$9,5 milhões em provisões feita no início de 2018, provisões estas que foram contabilizadas por esta mesma gestão no fechamento das contas de 2017, distorcendo a real situação do clube.
Sabendo que no último trimestre não houve qualquer mudança de rumo, o resultado final em 2019 será desastroso, com as consequências que já vemos desde o ano passado, como endividamento, antecipação de receita, atraso no pagamento de obrigações e até mesmo uma apressada e mal planejada venda de um jovem jogador tão promissor que, ao contrário do que foi dito no site oficial, deverá ter a totalidade dos seus direitos econômicos adquiridos pelo Hoffenheim até o final do ano por um valor já fixado.
A despeito da real situação de descumprimento orçamentário e irresponsabilidade com as finanças do clube, o presidente do Conselho Diretor apontou em diversas entrevistas o resultado final do primeiro semestre como trunfo da gestão e exemplo a ser seguido. Além de utilizarem artifícios contábeis para maquiar o resultado do exercício, as informações tardam a chegar para o Conselho Deliberativo que, mesmo após promessas de que teria prestações de contas mais ágeis, precisa de muito tempo, paciência e insistência para que estas reuniões aconteçam. 
O próprio Conselho Fiscal tem tido dificuldades para conseguir as informações requisitadas. O balancete de novembro foi entregue no final de janeiro e o de dezembro continua pendente, assim como outras informações importantes do clube, como o valor atual do endividamento, que já foi questionado pelos Conselhos Deliberativo e Fiscal, sem resposta objetiva para ambos.
Fato é que, jogado no lixo o valor que dispunham, a Diretoria do Vitória recorreu a um pedido de empréstimo bancário mediante garantia pessoal do pagamento. Ou seja, se eles saírem e o Clube não pagar o empréstimo, sofrerão prejuízo do patrimônio próprio. Esta pode ser parte da explicação para a insistência de gestores reprovados e indesejados por toda a torcida se manterem nessa posição desgastante, com tantos resultados negativos e perspectiva nula de evolução. Esta é a situação que estão nos fazendo passar.
Nos assusta que pessoas que se apresentaram torcedoras do Vitória continuem trabalhando para esta gestão, enquanto têm a obrigação moral de reconhecer publicamente os malfeitos, as mentiras, o desrespeito, enfim, o descalabro a que Ricardo David nos levou. O mínimo que esperávamos de alguém que preza e quer o bem do Vitória é se afastar e não fazer parte de algo tão danoso. Há coisas na vida que dinheiro nenhum pode comprar.
Nós, Conselheiros do Esporte Clube Vitória, não corroboramos as lamentáveis ações desta gestão. 
NÓS EXIGIMOS AS RENÚNCIAS DE RICARDO DAVID E DE CHICO SALLES!
O poder do Conselho Deliberativo é centralizado na figura do Presidente. Aguardamos ansiosamente que ele assuma de fato o cargo, tome as rédeas da situação, faça contato e atenda aos requerimentos dos Conselheiros.
Estamos todos consternados por ter chegado a este ponto. É compreensível que o torcedor culpe os membros do Conselho Deliberativo por tudo o que vem acontecendo, mas era imprescindível mostrar que, na maioria das vezes, fomos relegados pelos que colocam a política e a vaidade acima dos interesses do Vitória.

Vitória 1×2 Atlético-BA | Quantos metros de profundidade tem este poço?

Quantos metros de profundidade tem esse poço de vergonha que o VITÓRIA adentrou desde 2014? É o mesmo do Pré-Sal? Quando a gente pensa que já viu de tudo, o Vitória mostra que o fundo do poço ainda está longe de chegar. Todos que que têm minha faixa etária, isto é, nascidos na primeira metade dos anos 80, se acostumaram a ver o VITÓRIA destruir nos campeonatos estaduais e regionais. Dificilmente perdíamos dois jogos seguidos ou ficávamos três jogos sem vencer disputando as competições regionais e o Vitória 2019 já chegou a 5 partidas sem ganhar jogando Campeonato Baiano e Copa do Nordeste, encarando equipes do porte de Moto Club/MA, CSA/AL, Juazeirense, Jequié, Jacobina, etc. Os maiores clubes que o rubro-negro enfrentou até aqui foram o rival e o Ceará, que a nível nacional é do nosso “naipe”.

Se fizermos um recorte no ano, nos últimos 8 jogos apenas uma vitória foi conquistada. Vamos ampliar mais um pouco o horizonte? Vamos pegar os últimos 26 jogos do Vitória (incluindo a reta final do Brasileirão 2018) e chegamos a 4 vitórias. Tão somente 4 vitórias em quase 30 partidas disputadas!!! O que esses merdas estão fazendo com nosso clube? Lembro que a gente aprendeu a ter orgulho e tirar onda até com torcedor de time do eixo, principalmente os baianos “sulistas”, lembro que sempre batia de frente no colégio com este tipo de torcedor lá atrás. Lá no primeiro projeto de blog, início dos anos 2000, eu recordo que discutia com torcedor do Inter, Cruzeiro, Palmeiras, Flamengo de cabeça erguida, com uma certa altivez, confesso!

Agora não consigo nem tirar onda com torcedor de Moto Clube, Sampaio Correia, Ceará, Santa Cruz, Náutico e até mesmo do Jahia, que eu sempre escaldava de todas as formas. O Vitória se aproxima a cada ano – desde 2014 (repito) – dos menores times de futebol do Nordeste e está se tornando até freguês de times que aparecem na Série A como eclipses totais da lua, outros que só conheceram a Série A do Brasileirão na época da Ditadura Militar, em que se criou um ditado popular que dizia “aonde a Arena* ia mal, mais um time no Nacional”, chegando ao ponto de ter 94 times na edição de 1979. Clubes que eu nunca vi jogar uma Série A desde que me conheço por gente.

Por pior que seja a crise do clube, seja ela técnica (time), administrativa ou ambas, o Vitória não pode nunca perder de virada, no Barradão, para o inexpressivo e xexelento Atlético de Alagoinhas, que passou uns 2 ou 3 anos na Segunda Divisão do Campeonato Baiano. O Vitória não pode, jamais, FICAR CINCO JOGOS SEM VENCER EM COMPETIÇÕES LOCAIS, em que os adversários são minúsculos e frequentadores dos porões do futebol brasileiro. O Vitória não tem o direito de ser presa fácil para equipes do MARANHÃO, nem de ALAGOAS, PARAÍBA, PIAUÍ, SERGIPE, RIO GRANDE DO NORTE E ATÉ MESMO DO CEARÁ (que está apresentando crescimento como um todo de forma muito, mas muito recente). O único estado do Nordeste que consigo vislumbrar do porte do nosso é o de Pernambuco e ainda sim, limito ao Sport Club do Recife, pois Santa Cruz e Náutico são irrelevantes, andam mais nas divisões de acesso do que na elite e quando estes jogam na elite se equiparam a golfinhos, sobem, pulam, fazem uma gracinha e mergulham de novo na profundeza do oceano.

FORA RICARDO DAVID. Você é um câncer em metástase e precisa ser extirpado do clube. Tenha semancol, ninguém te aguenta mais, RENUNCIE! Você enganou os sócio-torcedores com seu papinho progressista, com frases bem articuladas. Você usou a tática da oratória, do vendedor sagaz, dos primeiros políticos corruptos e mentirosos da Grécia e Roma Antigas pra ludibriar a torcida, apenas para massagear seu ego ampliando seu status quo de empresário para Presidente de Clube de Massa.

MARCELO CHAMUSCA

FORA MARCELO CHAMUSCA! Você é um treinador fraco, ridículo, arrogante, prepotente, que acha ser mais do que realmente é. Você é um Mancini piorado 3x, que não suporta ser questionado pela imprensa e torcida. Você é um bosta como profissional de futebol, só treinou times pequenos, sendo o Vitória o maior de sua carreira até aqui. Volte pros times do interior de São Paulo ou para times de SE, AL, MA, PI, PB, RN e cia. SAIA DO VITÓRIA, seu retranqueiro desgraçado. O cara jogou pelo empate com o Moto Club (tomou 2×0), e ontem tirou dois atacantes para colocar um lateral e um volante, para tentar segurar resultado de 1×0 com o nanico Atlético de Alagoinhas? Ah vá pra merda com esse pensamento pequeno, de treinador pequeno, que só treina time pequeno! Por mais que o VITÓRIA esteja colecionando DIRETORIAS RIDÍCULAS de 2014 pra cá, o VITÓRIA é muito pra você, Marcelo Chamusca. Vá treinar o Galícia, o Jequié, o Jacobina, seu embuste miserento!!!

CHEGA DE VERGONHAS E DE COLECIONAR FRACASSOS! A TORCIDA NÃO AGUENTA MAIS. RENUNCIA RICARDO DAVID, TENHA VERGONHA NA CARA E SE PIQUE TAMBÉM MARCELO CHAMUSCA. O VITÓRIA É MUITO GRANDE PRA VOCÊS DOIS. VOLTE PRA SUA EMPRESA DE ENERGIA SOLAR, RD. E VÁ TREINAR O BANGU, MARCELO CHAMUSCA!

*Arena é a sigla de Aliança Renovadora Nacional e foi um partido político, surgido em 1965, que dava sustentação ao Regime Militar.