Sobre Fábio Monteiro

Fabio Monteiro,nascido em Salvador-BA. Apaixonado por futebol, informática, computação gráfica, livros, seriados, música e em cultura em geral.

E segue a falta de criatividade. A Série B é logo ali…

Cientistas já deram o veredicto: O uso descontrolado, prolongado e a todo custo de antibiótico faz a bactéria e outros agentes biológicos causadores de enfermidades a criarem resistência e se adaptarem aos remédios, ocasionando, portanto a falta de efeito. No futebol, Mancini está para o antibiótico como o Vitória está para àquele paciente que qualquer dorzinha de cabeça, início de gripe ou dor nas juntas mete antibiótico pra dentro. E com a quarta passagem em 10 anos, o antibiótico Mancini, ao meu ver, já perdeu o efeito para o EC Vitória.

Incrível, revoltante e raso como as sucessivas gestões do Rubro-Negro rodam nos mesmos nomes ad infinitum. Não se atentam que tudo tem o seu prazo de validade e Mancini é um dos treinadores que ratificam esta comparação. Ele sempre começa bem em todos os clubes que trabalha, mas já do meio pro fim da jornada misteriosamente ele perde os vestiários e o time entra em derrocada até ele ser demitido. Uma das causas deste efeito-borboleta de Mancini é que, infelizmente, ele só trabalha com o 4-3-3 travestido de 4-2-3-1 no “futibó muderno”. Quando o seu estilo de jogo e suas “surpresas” deixam de ser “surpresas” para os adversários, ele não consegue reinventar o estilo de jogo da equipe e pode ser do Palmeiras ao Náutico, ele sempre se atrapalha, perde sucessivos jogos e sai demitido. Loop Infinito.

Não traria jamais Mancini para este momento. Joguem no Google “Senhor Rebaixamento” e vejam as primeiras respostas dadas! Além dele não ter perfil de evitar rebaixamento, ele faz justamente o contrário, piora o que tá ruim e cai com o time! Sinceramente, estou resignado e já começo a acreditar que não temos mais solução! É daí pra baixo. Quero estar errado, mas remédio antigo usado direto perde efeito. Isso é científico. Só milagre.

Diretor de Futebol – Depois de demitir Petkovic para dar uma satisfação a parte da torcida engabelada pela mídia, o presidente em exercício do clube, Agenor Gordilho, anuncia a vinda de Cléber Giglio, cara que só tem experiência no modesto Figueirense, num período em que o Figueira não fez nada de extraordinário. Se ainda fosse aquele gestor que arrumou o time que foi finalista da Copa do Brasil contra o Fluminense em 2009, seria um pequeno alento, mas este Giglio não fez nada demais até agora e para piorar, foi Agente FIFA de jogador. [Pausa para respiração profunda e olhar moribundo!]

Quero muito que estes dois queimem a minha língua e façam o “impossível” de salvar este ano em que já estamos praticamente rebaixados, pois precisamos vencer 11 das próximas 22 partidas e o Vitória tem um histórico decepcionante quando está na ponta da faca, basta lembrar o que era preciso para evitar os rebaixamentos de 2004, 2005, 2010 e 2014. Compare com a atual situação e tente ser otimista! Eu prefiro acreditar que Nárnia, Hogwarts e a Terra-Média existem de verdade!

Gloria Quæ Sera TamenLeandro Salino, Paulinho, Alan Costa e Bruno Ramires não são mais jogadores do Vitória. Os dois primeiros vão para o futebol árabe, Alan Costa para o Goiás a pedido de Argel e Bruno Ramires para o Moreirense de Portugal. Quatro carniças a menos! Aleluia! Amém!

#Paz

A “fritura” de Petkovic é baseada em fofocaria da imprensa baiana!

Todos já devem saber que eu não defendo em 100% a atual diretoria que aí está. A fraca campanha da Série A e as sucessivas promessas de melhorias no elenco não cumpridas, além de outro motivo que não quero expor aqui, convenceram-me de que não posso colaborar com a permanência de Ivã de Almeida à frente do clube. Entretanto, eu sou pelo justo e sou muito vacinado às artimanhas de nossa imprensa esportiva, que mesmo com todos os defeitos que conhecemos, ela tem o poder de manipular e criar bodes expiatórios na hora que bem entender e boa parte da torcida compra essa ideia e repete por aí como verdadeiros papagaios de auditório.

Depois de Sinval Vieira e Ivã de Almeida, o alvo agora é o gerente de futebol Dejan Petkovic, que está no clube desde o dia 02 de maio, portanto, um pouco mais de 2 meses no cargo, num clube que vinha tendo resultados em campo não convincentes desde o começo do ano e onde a ruindade do elenco já tinha sido exposta. Não foi nada causado por uma suposta insatisfação do elenco com o gringo, que é o causador desta campanha vergonhosa, não! Trata-se de uma fritura baseada em fofoca da pior espécie, onde ninguém tem prova de nada, nem entrevista gravada com jogador algum para confirmar tal desarmonia. É só “me disseram”, “dizem que”…tudo colocado na vala da especulação e achismo total.

Dejan Petkovic quando foi jogador era conhecido sim por um temperamento explosivo e sempre foi avesso à entrevistas, são poucas as exclusivas dadas por ele, mesmo no auge. E quando cedia, não poupava seu lado sincero em criticar arbitragens, rebater perguntas idiotas ou acusações insanas da imprensa. Bem como já foi confirmado que ele teve problemas com algumas estrelas, sobretudo com Edílson, quando ambos jogavam pelo Flamengo por volta do ano 2000/2001. Mas enquanto dirigente de futebol, nada foi provado até agora sobre este tipo de atitude. Mas as pessoas teimam em querer imputar o que era o cara enquanto jogador agora na função de gestor.

Estive numa reunião do Conselho, onde Pet apresentou seu Planejamento Estratégico (coisa de médio a longo prazo), muitas pessoas tiraram dúvidas, se encantaram com o que ele apresentou. Ao final, ele escutou de muitos que não o queriam como treinador de futebol e sim como Manager. E uma das críticas mais duras foi a minha e ele respondeu completamente de boa. Se ele realmente mantivesse aquele ranço “bateu-levou”, eu não seria o único a levar “um chepo”, bem como outros que pontuaram na cara dele que não desejavam tê-lo como treinador do clube.

Agora vamos nos atrelar ao que a imprensa veicula – De acordo com as rádios e programas televisivos, Petkovic perdeu o grupo na suposta discussão com Willian Farias, no jogo contra o Coritiba na Fonte Nova. Isso surgiu por Emídio Pinto. Realmente as câmeras pegaram Petkovic e Willian Farias trocando palavras ambos com caras fechadas, mas é a primeira vez na história do futebol que um jogador não gosta de ser substituído e procura saber, de modo deselegante, o porquê para o treinador? Treinador gosta de ser questionado ou presenciar ato de rebeldia de seu subordinado? Ao final do jogo e nos dias seguintes Pet e WF amenizaram a situação.

Aí depois surgiu a história que Petkovic mandou cortar guloseimas como Pizza, Refrigerantes, bolos e salgadinhos dentro da concentração, além de barrar que os jogadores levem para dentro do clube seus “barbeiros” pessoais para dar o grau no visual dentro das instalações do clube. Bem, parece que estas informações procedem (e preciso apurar mais). Entretanto, um dos lemas prometidos pela Chapa foi a profissionalização do futebol e esta questão é um subitem da profissionalização, pois como é que num esporte de alto rendimento, onde está em jogo uma Série A, jogador profissional tenha uma alimentação tão fora do padrão que o esporte pede? Sabiam que nos triunfos, Argel Fucks liberava pizza, refrigerantes e todo tipo de comida gordurosa e não recomendada a atletas de alto rendimento? Será que era esse um dos grandes pilares dos caras forem contra a saída dele?

Enfim, quem aqui leva para seu ambiente de trabalho seu barbeiro predileto para cortar o cabelo dentro de seu local de trabalho? Quem aqui leva Uísque, Cerveja, Vinho ou qualquer outro tipo de bebida alcoólica para tomar no almoço ou em pleno expediente do ambiente de trabalho? Por que no Futebol, tido como profissional, levar comidas gordurosas têm que ser permitido? E desde quando Gestor de Futebol tem que ficar submisso e virar refém da vontade de atletas? E quem aqui pode cravar com absoluta certeza, sem intermédio da imprensa, que Petkovic não se relaciona bem com os atletas? Tirando este boato lançado pela imprensa, quem aqui garante que isso é verdadeiro?

PERGUNTAR NÃO OFENDE e lancei várias perguntas que aposto que ninguém sabe responder com segurança, sem apontar que souberam do fato a partir da imprensa.

A minha tese para esta fritura de Pet é que isso, além de ser uma marca de nossa imprensa em individualizar os fracassos do clube como um todo; de achar bodes expiatórios, deve ser porquê Pet não dá exclusiva em programa de ninguém da imprensa e está evitando vazamento de informações, como da contratação do lateral esquerdo Juninho, que ninguém da mídia soube antes. Só souberam depois que o cara desembarcou na Toca do Leão.

Outra coisa, o Vitória vem jogando mal (apesar de ter sido campeão baiano invicto) desde o começo do ano. Penamos em vários jogos do Estadual, inclusive aquele do Galícia no Pituaçu, que vencemos na cagada suprema, contra o ECPP em Vitória da Conquista, aquela partida pífia contra a Juazeirense em Juazeiro e todas Pet não estava aqui. O elenco mostrou que era fraco e não confiável bem antes de Pet assumir. Portanto, como é que um cara que só tem 2 meses no clube tem que levar toda a culpa? O projeto de Pet é de médio a longo prazo e não no curtíssimo. As pessoas precisam entender isso!

Vitória Sempre!

Injustiça Jamais!

DESABAFO SOBRE A VDT

Votei na Chapa Vitória do Torcedor na primeira eleição “bate-chapa” do ECV ocorrida em dezembro do ano passado. Diante as outras três concorrentes, eu apostei na única que acenava com o “novo”, a que não tinha nenhum ex-dirigente na liderança ou buscando voltar a algum cargo máximo. Além disso, a VdT prometia algo que as outras três chapas e seus líderes tiveram a chance de fazer e não fizeram quando administraram o Vitória: Abrir o clube ao sócio-torcedor, a partir de eleições diretas para o cargo de Presidente.

Entretanto, se por um lado a abertura do clube ao sócio-torcedor já é realidade, o mesmo não se pode dizer do Departamento de Futebol do clube. O Vitória vem errando muito desde janeiro. Montou um time que no papel parecia ser forte, mas dentro das quatro linhas se mostrou muito fraco e incapaz. Perdemos o maior título do semestre (o Nordestão, sendo eliminado na semifinal pelo rival) e ganhamos o estadual de forma invicta, mas Deus sabe como foi…várias partidas ruins, gols achados nos minutos finais. O time não passava confiança. Eliminação na Copa do Brasil para um pequeno Paraná e este início de Série A medonho, que envergonha e entristece muito.

Para piorar, nos últimos dias, o presidente do conselho deliberativo, acompanhado por outros conselheiros e até pelo vice-presidente do clube, Agenor Gordilho, tentaram de forma tranquila, sem briga e sem tensão, convencer Ivã de Almeida a renunciar à presidência do clube, para acalmar os ânimos e re-oxigenar o clube. O presidente rejeitou a proposta amigável de sua saída, além de ter feito algumas atitudes que irritaram mais ainda àqueles que tiveram a coragem e o altruísmo de pedir a sua renúncia do cargo. Não sou maluco para “vazar” quais foram estas atitudes, mas elas causaram desconforto em toda a diretoria e se estendeu a todo o Conselho Deliberativo, que agora e em massa, se declara oposição a Ivã de Almeida. No final da manhã foi noticiado que Agenor Gordilho deixou o cargo de Vice-Presidente do Conselho Diretor e outros diretores podem fazer o mesmo nos próximos dias ou horas.

Já no final da noite, após a derrota humilhante para o Grêmio por 3×1, o Presidente do Conselho Deliberativo, Paulo Catharino Filho, comunicou que Ivã de Almeida entregou uma carta pedindo licença de 90 dias. Em decorrência disso, o vice Agenor, que teria pedido renúncia pela manhã, assumirá o Clube durante este período. Considero esta medida super-paliativa e que tende a não ser a solução. Esta deveria ser pela renúncia do presidente e total reformulação da diretoria em todos os setores do clube.

Votei na VDT, não me arrependo e não tenho culpa nenhuma na fraca campanha do clube nesta Série A, afinal eu não contratei ou dispensei nenhum jogador nem treinador. Vamos recapitular o pleito 2016? Foram 4 chapas, sendo três concorrentes à VDT: Uma com Paulo Carneiro, que tentava voltar ao clube como Presidente, outra com Raimundo Viana (reeleição) e outra que foi dissidente do grupo de Raimundo Viana, bastante atrelada à administração Aléxi/Falcão (Vitória de Todos Nós, encabeçada por Ricardo Davi). Eu não queria estes caras e não queria ficar em cima do muro, logo me juntei à VdT.

Eu não deveria justificar nada disso acima, afinal o voto é para ser, em tese, secreto. Cada pessoa vota na chapa (grupo ou partido) que acredita ser o melhor para representar seus anseios. Cada pessoa tem sua visão de mundo e sua “tribo”. Mas aqui no Brasil, ultimamente, surgiu a ideia arrogante e presunçosa do “eleitor inteligente” aquele que acha que somente a sua visão é a correta e que quem pensa diferente é burro, alienado ou ingênuo. O ápice desta babaquice egocêntrica eleitoral se deu no ano de 2014, quando muitos dos eleitores de partido da Direita Brasileira e milhares de brasileiros que se deixaram manipular pelos meios de comunicação, sobretudo a Rede Globo, adotaram o lema “A culpa não é minha, eu votei em Aécio”, após a vitória da petista sobre o “super-herói” da vênus platinada, que deveria expurgar os “comunistas petistas” do Poder.

Não demorou muito e este lema do “a culpa não é minha, eu votei em Aécio” deu uma rasteira nestas pessoas, pois o mineirinho foi acusado, preso e teve seu mandato de senador suspenso neste ano de 2017 por envolvimentos em atos ilícitos envolvendo o pedido de propina de R$ 2 milhões a empresários ligados à JBS, fora outras acusações de participação de Aécio nos esquemas espúrios da Petrobras (Operação Lava-Jato) e em Furnas.

Enfim, esta história de culpar, ironizar e escarnecer eleitores que pensam diferente de você é algo antidemocrático, arrogante, presunçoso, contraproducente, oco e vazio. Pois, eleitores votam em algo por acreditar e, queira você ou não (desconheço seus interesses ou afinidades), democratização, profissionalização, por exemplo, são pleitos históricos comuns a maioria dos torcedores e contemplada durante a campanha na plataforma de governo vendida pela chapa Vitória do Torcedor. Eu faço questão de direcionar este texto para o torcedor Rodrigo Falcão (rmfalcao), que praticamente fica todo dia me atacando usando este tipo de comportamento.

Cara, eu votei de acordo com a minha coerência, visão de mundo e anseio esportivo. Não queria ninguém da outras chapas, todos os concorrentes tiveram a chance de abrir o clube e não fizeram, todos os concorrentes já fizeram várias merdas com o clube, gente que deixou o Clube humilhado na Série C, gente que participou diretamente da diretoria que perdeu 2 penta baianos para times do interior e que já fizeram campanhas vergonhosas na Série A. E se não fosse o ano iluminado de Marinho, o carismático Raimundo Viana teria rebaixado o clube também em 2016. Portanto, a cara do “novo”, e do “diferente” era a VdT.

Agora, se a “Vitória do Torcedor” descumpriu as promessas da profissionalização do departamento de futebol e de grandes conquistas esportivas, eles que respondam por isso, não os que votaram. Isso é mais do que lógico. A propósito, te devolvo a questão: você votou em quem? Para ter tanta firmeza em acusar e escarnecer quem teve opção diferente, deve dispor de segurança máxima na hipotética gestão do grupo que você apoiou, correto?

VITÓRIA SEMPRE!

Palmeiras x Vitória | Parada Dura!

Depois de pagar o maior mico ao ser goleado em casa para o Vasco, por 4×1, e com 8 desfalques, o Vitória volta a campo daqui a pouco para enfrentar o atual campeão brasileiro SE Palmeiras, dentro de sua arena, com um elenco bastante forte e diversificado. Quem joga Série A é isso mesmo, pai! Tem os adversários de seu “tope” e as paradas duras. E o que temos para hoje é uma Parada Dura, perto da hora do almoço. Melhor até almoçar às 10h para não ter uma indigestão.

Para piorar, o rubro-negro, uma das zagas mais vazadas da competição terá três desfalques neste setor. Por conta disso haverá a estreia de Wallace que jogará ao lado de Alan Costa. De qualquer forma, o Vitória precisa se desdobrar para bater o Palmeiras dentro da sua nova Arena. O time alviverde é muito bem treinado por Cuca, possui um dos melhores planteis do futebol brasileiro desde a temporada passada. Mesmo vindo de três derrotas consecutivas (2 pelo BR e uma pela Libertadores) e tendo os desfalques de Thiago Martins, Fabiano e Jean, o “porco” tem jogadores decisivos como Alejandro Guerra, Roger Guedes, Willian e Dudu, fora do faro de gol do zagueiro Mina, cotado para jogar no Barcelona em 2018.

Infelizmente é preciso ser realista. O Vitória vencer hoje será a grande zebra da rodada. Tudo conspira contra o rubro-negro: campanha fraca, retrospecto negativo para o adversário, desfalques no pior setor da equipe, além de ter um elenco super limitado tecnicamente e numericamente. Entretanto, como nas duas últimas rodadas aconteceram zebras inimagináveis, quem sabe é a nossa vez? Só nos resta torcer! A parada é dura, mas vamos que vamos!

VITÓRIA SEMPRE!

Noite de jantar Bacalhau no “Restaurante Barradão”

Depois de degustar Dragão à Goiana no sábado passado, o Leão Comilão tá com vontade de papar um bacalhau no jantar desta quarta-feira, no Barradão. O Vasco vem mais quebrado que pacote de Cream Cracker em mercado de bairro, ou seja, é a grande chance da gente fazer dois triunfos consecutivos pela primeira vez neste Brasileirão. Fora que a equipe cruzmaltina é conhecida por ser muito freguês nosso, sobretudo em nosso santuário.

O técnico Alexandre Gallo deve repetir o mesmo time que enfrentou o Atlético-GO na rodada passada, com exceção de Willian Farias (lesionado) que será substituído por Uillian Correia; e por Geferson que entra na lateral esquerda no lugar de Thallyson. Com a necessidade imperiosa de vencer esta noite, para respirar mais e sair da zona de rebaixamento, o elenco rubro-negro sabe que o próximo duelo será pedreira (Palmeiras, na capital paulista), o time não pode vacilar e perder esta chance de pegar um Vasco com seis desfalques, além da venda de Douglas para o Manchester City. Se com todos os titulares, a equipe carioca já não é lá grandes coisas (apesar de estar entre os 10 primeiros), com tantas ausências a tendência é do Vitória ter um jogo mais fácil, propício para repetir aquele domínio feito sobre o Bahia há 15 dias, no Barradão.

Protagonistas dos confrontos na Copa do Brasil deste ano, Nenê e W. Farias não jogam hoje.

O Vasco do treinador Milton Mendes chega a Salvador depois de uma derrota no clássico para o Flamengo e que ficou marcado pela violência entre os torcedores e Polícia Militar ao final daquela partida, que resultou na morte de um torcedor vascaíno. Com risco de perder vários mandos de campo, inclusive com interdição do São Januário, o Bacalhau tentará amenizar esta “crise” no campo hoje à noite.

Apesar dos enormes desfalques, o técnico vascaíno pretende dificultar ao máximo o jogo e aproveitar os contra-ataques, principalmente pelas pontas, através de Yago Pikachu e Escudero. Este, por sinal, mais uma vez “vira” titular nos jogos contra a gente. Impressionante como no futebol brasileiro existe esta supervalorização do “misticismo”. É por essas e outras babaquices, que o futebol brasileiro não vai pra frente. Na Copa do Brasil ele jogou as duas partidas contra nós, porque apostaram na “lei do ex”. Terminada a eliminatória, o argentino voltou a ser esquecido nas reservas vascaínas. E depois de várias rodadas sem nem entrar faltando 5 minutos, olha Escudero titular novamente? Que ele repita as péssimas atuações neste ano, sobretudo pela Copa do Brasil.

Enfim, o Vitória entra como favorito absoluto na partida de logo mais. O Vasco é nosso cliente vip em se tratando de duelos em campeonato brasileiro no Barradão. Seus principais jogadores estão de fora e seus substitutos imediatos não chegam nem perto de seus titulares. Os nossos jogadores e comissão técnica sabem da importância de um triunfo hoje e provavelmente se esforçarão bastante. Entretanto, para vencer será preciso estar atento, focado, jogar com vontade e alegria. Não tenho dúvidas de que se isso for feito, o triunfo virá! Esta é a grande chance do Leão fazer sua primeira “double-win” no Brasileirão e de André Lima ratificar as pazes com as redes, ampliando a sua artilharia no clube na temporada.

Vitória Sempre!

Relacionados

Goleiros
Fernando Miguel e Caique;

Laterais
Leandro Salino, Thallyson, Patric e Geferson;

Zagueiros
Alan Costa, Renê Santos, Kanu, Ramon e Fred;

Volantes
Bruno Ramires e Uillian Correia;

Meias
Cleiton Xavier, Carlos Eduardo, Jhemerson e Yago;

Atacantes
Paulinho, Júnior, Rafaelson, Neilton, David e André Lima.

Vitória vence Atlético-GO e respira no Brasileirão

Não foi na mesma pegada do último domingo quando enfrentamos o Bahia, mas o Vitória conseguiu o resultado positivo, isso que importa. Se no clássico dominamos e impomos nosso ritmo de jogo e saímos com um empate em 0x0, desta vez, o rubro-negro sofreu com a pressão do Dragão Goiano, mas foi mais eficiente nas finalizações e venceu por 2×1, saindo momentaneamente da zona do rebaixamento. André Lima e Uillian Correia fizeram os gols do pequeno alívio para o Leão da Barra.

Primeiro Tempo – Também em péssima campanha na elite do futebol nacional, o Atlético-GO mostrou que estava muito disposto a retomar o caminho das vitórias na tarde de ontem no Estádio Olímpico de Goiânia. O anfitrião se jogou todo ao ataque e aproveitou as costas de nossas laterais, sobretudo no lado de Thallyson, conhecido por ser um péssimo marcador. Não foi a toa que os principais lances dos goianos foram em cruzamentos para a grande área e, por sorte nossa, o atacante Everaldo não estava inspirado. Ele perdeu duas grandes chances em cabeçadas que não assustaram o goleiro Fernando Miguel. E como diz o filósofo Muricy Ramalho “a bola pune”. O Dragão pagou caro por não ter aproveitado as chances criadas no começo da partida e aos 36min Patric lançou na área para Cleiton Xavier, que dominou com classe, e serviu a André Lima estufar as redes. Vitória 1×0. E meu Mussurunga Diamonds (time 2 do Cartola FC, agradece!!). Depois de nosso gol, o jogo mudou e passamos a ter maior volume de jogo e no finalzinho David fez grande jogada pela esquerda e acertou a trave num chute violento.

Segundo Tempo – No intervalo o técnico Alexandre Gallo deve ter tomado o comprimido da retranca, pois a postura do Vitória foi só de se defender. Para piorar, aos 7 minutos Willian Farias sentiu o joelho numa disputa de bola e saiu do jogo. O técnico escolheu o zagueiro Fred para substitui-lo. Antes disso, o meia Yago já tinha sido trocado pelo volante Uillian Correia, ou seja, passamos a ser mais defensivo ainda. O Dragão voltou a crescer na partida e de tanto rondar nosso campo de defesa, conseguiu o empate aos 23 minutos, quando Bruno Pacheco cobrou escanteio, Everaldo desviou de cabeça para Andrigo, camisa 11, soltar o rojão. Vitória 1×1.

Forçado a colocar Rafaelson depois da lesão de André Lima para manter o esquema com um homem de área, o Vitória viu o time goiano ameaçar a virada, com boas jogadas do gordinho Walter e dos laterais Jonathan e Bruno Pacheco que sempre que podiam faziam o chuveirinho em nossa área. Numa destas jogadas, o Atlético acertou a trave numa cabeçada, assustando o goleiro Fernando Miguel. “A bola pune 2”. Tal qual o primeiro tempo, quando no momento em que esteve melhor, o Dragão pagou caro por não ter feito o segundo gol. Aos 42 minutos, num ótimo contra-ataque, o Vitória selou o triunfo, quando David fez uma boa jogada pela direita e cruzou rasteiro para área, Rafaelson fez o corta luz e a bola sobrou para Uillian Correia, que com categoria e raiva, dominou a pelota e soltou um canhão sem chances para Felipe Garcia. Vitória 2×1.

O futebol é mesmo muito contraditório e misterioso. No dia em que encurralamos e dominamos de cabo a rabo o maior rival, o placar foi de 0x0 e ontem quando fizemos uma partida muito fraca, com pequeníssimos momentos de superioridade, sendo dominado e atacado por mais de 70% da partida, saímos vencedores pelo placar de 2×1. Ótimo resultado o de ontem, pois além de voltarmos a vencer fora de casa, o triunfo foi sobre uma equipe concorrente nesta maldita luta contra a despromoção. Além disso, quebramos um tabu de 17 anos sem vencer em Goiânia pela Série A (a última vez foi no ano 2000 quando vencemos o Goiás por 5×4, com show de Allan Delon, que fez três golaços naquela ocasião)

VITÓRIA SEMPRE!

PRELEÇÃO | Atlético-GO x Vitória

E neste Sabadão temos um compromisso através da telinha do Premiere com o nosso Leão. Ocorrerá às 16h, no estádio Olímpico, o famoso jogo de seis pontos entre Atlético Goianiense e Vitória. Jogo com previsão de sufoco e muito sofrimento, pois mesmo estando na lanterna da série A, o Dragão não dá vida fácil aos seus adversários no seu pequeno caldeirão em Goiânia.

Para este jogo, o técnico do Leão, Alexandre Gallo deverá manter a mesma base que teve um bom desempenho na última partida contra as Sardinhas de Itinga. As únicas baixas na equipe serão as ausências de Geferson suspenso e a contusão de Kieza. Thallyson e David deverão ser os substitutos para esta partida. Outro desfalque de última hora ocorreu pela negociação e exportação do nosso representante das “Legitimas” para o Japão. Sem fazer o mínimo de esforço o Vitória liberou nosso chinelinho para respirar novos ares e Gabriel Xavier finalmente vai parar de irritar a torcida rubro negra. O Vitória deve ir a campo com Fernando Miguel, Patric, Kanu, Ramon (Fred), Thallyson, Farias, Yago, Cleiton Xavier, Carlos Eduardo, André Lima e David.

O técnico Doriva sinalizou nos treinamentos da semana uma mudança no esquema do time goiano para esta partida contra o Vitória, ele optou pela entrada de um volante na vaga em aberta deixada pela suspensão do meia Jorginho. Além desse desfalque a equipe goiana não poderá contar com o zagueiro Marcão que retornou de empréstimo ao Atlético-PR, em seu lugar entrará Eduardo Bauermann.  A provável escalação do Dragão deve ser formada por Felipe, Eduardo, Eduardo Bauermann, Roger Carvalho, Bruno Pacheco, Silva, Marcão Silva, Andrigo, Luiz Fernando, Breno Lopes e Everaldo.

De surpresa nesta viagem temos o retorno de Caíque e Jhemerson a lista de relacionados. Que estes jogadores voltem a ser produtivos e que possam ajudar nosso clube na nossa batalha diária contra o rebaixamento em 2017. Que nosso time mantenha a produção criada no SarVI, mas que desta vez tenhamos competência para concluir em gol as diversas chances criadas. Partida boa para voltarmos a vencer longe de Salvador e tentar sair desta zona maldita em que nos encontramos.

Segue relacionados:

Goleiros: Fernando Miguel e Caíque

Laterais: Thallyson, Leandro Salino e Patric

Zagueiros: Kanu, Fred, Ramon e Renê Santos

Volantes: Willian Farias e Uillian Correia

Meias: Carlos Eduardo, Yago, Cleiton Xavier e Jhemerson

Atacantes: Neilton, André Lima, Júnior, David e Rafaelson

SRN e bom jogo a todos!