ESSA HUMILHAÇÃO É INFINITA? O BURACO NÃO TEM FIM?

É meus amigos, o Vitória ontem promoveu ao seu torcedor um vexame daqueles. Depois de anos voltei a ficar sem dormir direito por causa de futebol (eu jurava que já tinha me vacinado disso), mas a raiva e a adrenalina não cessaram e tô aqui praticamente “virado”, com olhos pesados! Perder faz parte do futebol, mas tomar 3×0 de um timinho com nome de Família e que atualmente é o bônus game da poderosa Série B é demais!

A forma como o Vitória perdeu ontem para este timeco do Maranhão me fez reativar meu sentimento de pura raiva, impotência e vergonha em altas doses da Série B de 2005 quando o Vitória, presidido por Paulo Carneiro, tomou 4 do Anapolina e da União Barbarense, 3 do CRB e parou na Série C. Este mesmo ex presidente, que sempre volta à mente das pessoas de curta memória, também esteve na direção máxima do clube quando fomos eliminados da Copa do Brasil por Taguatinga (1990), Remo (1991), Paraná (1996), ABC (2000, tomando 2×1 no Barradão), Figueirense (2002) e Baraúnas-RN (2005, tomando 2×1 no Barradão, com Cícero Ramalho de 42 anos fazendo salseiro em cima de Marcelo Heleno e Claudiomiro). Fora a perda da Copa do Nordeste de 1998 para o modestíssimo América-RN. Vale lembrar que em suas devidas épocas estes times eram bem menores que o rubro-negro e o Figueirense de 2002 tinha décadas de séries B e C, só vindo a ganhar um pouco mais de status no cenário anos mais tardes, quando inclusive voltou à primeira divisão tendo permanecido por algumas temporadaS, tendo o ponto máximo quando foi finalista de uma Copa do Brasil, contra o Fluminense, em 2007, se não estou enganado!

Lembrei disso, porque basta o Vitória fazer uma lambança para voltarem a falar de PC, como se ele só tivesse resultados positivos no clube e nenhuma vergonha na sua passagem de presidente, por onde ficou por cerca de 16 anos. Mas enfim, voltemos ao século XXI e ao ano de 2018, ou seja, perto do encerramento da segunda década dos anos 2000 (como o tempo passa rápido!)

Os resultados em campo nos últimos 3 anos nos causam raiva e decepção, mas não são piores que 2005 quando fomos rebaixados pra TERCEIRA DIVISÃO, e o presidente da época era o “mito” PC.

O Vitória de ontem foi medíocre e irritou até o mais otimista dos torcedores. E tenho a certeza que eu não fui o único a não ter uma noite de sono tranquila. Um time que tem Maracás como zagueiro, sair sem tomar gols nosso é muita humilhação. O Vitória não tem perspectiva alguma com este elenco e treinador. Ontem foi a gota d’água. Tantos treinos fechados, tantas conversas bonitas de jogadores, treinadores e do presidente, pro torcedor ver um time que não chutou uma bola em gol contra um adversário tão frágil? O Sampaio Correia se fez em cima de Pedro Botelho, ganhando praticamente todas as jogadas e mais uma vez o goleiro Caíque mostrou que não tem cacife para estar no elenco do Vitória, nem pra ser reserva imediato. Dois gols ridículos, vergonhosos, coisa de amador, de gente que nunca jogou bola e entra no baba no gol porque os organizadores do baba não aceitam tal pessoa como jogador de linha.

O Vitória subestimou demais o adversário, a ponto de Vágner Mancini ter levado um time todo modificado, cheio de reservas que não agregam nada ao elenco. O certo seria trocar apenas as peças que não podiam jogar. PORRA, é quarta de final de uma copa do nordeste que dá quase R$ 4 milhões ao vencedor e faz o time entrar nas oitavas da Copa do Brasil. O único título palpável do ano, já que perdemos o estadual e o Vitória negligencia a porra da competição e em troco de que? Temos time pra brigar pelo Brasileirão? Por que poupar, DESGRAÇA?

Enfim, seria um sonho a diretoria vir hoje com a notícia da demissão de Mancini, do diretor Damiani e de meia dúzia de pernas de pau que faz parte deste elenco, a começar por Denílson que é uma desgraça, começou a carreira agora e se acha uma estrelinha a ponto de não viajar com o time, porque ficou “de mal” pelo fato de ter perdido a posição pra André Lima. Agora reflitam: André Lima, muito mais conhecido e respeitado no cenário nacional, por onde passou foi artilheiro (Grêmio e Botafogo, em especial) ficou este tempo todo na reserva. Alguém viu algum ato de indisciplina do camisa 99? Agora uma lebara daquelas, que parece um mamulengo, não tem um fundamento sequer em bom nível, dá calundu quando é substituído, dá uma de criança mimada e não viaja com o elenco para uma partida decisiva. É brincadeira uma porra dessas?

Ricardo David, mostre que você é HOMEM, tem aquilo roxo, e mostre que o clube tem uma Hierarquia e que há consequências para atos de indisciplina! Ontem foi mais um episódio que jogador que chega aqui faz o que quer e sai de boa na lagoa. Além de Denílson, Mancini e Damiani, tem que pegar a BR: Botelho, Correia, Farias, Kanu, Ramon, CAÍQUE, Lucas, Lucas Marques e Fillipe Soutto. Estes jogadores não agregam mais nada ao elenco e pelo menos três destes são lideranças negativas e membros da igrejinha do treinador.

APESAR DE TUDO

 VITÓRIA SEMPRE!

#PCNUNCAMAIS

#ALEXIPORTELANUNCAMAIS

#LIGADOMALNEMAPAUJUVENAL

Anúncios

ESCLARECIMENTO | O papel do Conselho Deliberativo

Antes de partir para o tema do dia, quero deixar claro que perdi toda a empolgação, confiança e entusiasmo com este elenco e treinador do EC VITÓRIA. Por conta disso, darei um tempo na cobertura do time nos próximos jogos enquanto Vágner Mancini e sua panelinha continuarem no rubro-negro. Falta pulso e coragem da diretoria em dar um basta nisso e não gosto de ficar me repetindo. Não farei pré e pós-jogo enquanto esses jogadores e este treinador paneleiro fizerem parte do ECV, principalmente sendo presa fácil para todo e qualquer adversário. Neste período, vou focar em trazer assuntos relacionados à gestão do clube e o papel de cada um, já que nossa imprensa não tem o mínimo de interesse em esclarecer isso para o povão!

Bem, vou começar por onde grande parte da torcida (e até mesmo da imprensa) comete muita injustiça, pela ignorância (no sentido de desconhecer) e de ter uma visão distorcida do papel do Conselho Deliberativo. Antes de mais anda, até eu fazia parte da turma de ignorantes acerca do papel do conselheiro deliberativo, antes de entrar na seara política do clube.

Creio que 95% da torcida de qualquer time acha que Conselho Deliberativo é um órgão capaz de contratar, demitir ou cancelar contratações ou demissões de jogadores, treinadores e diretores de futebol, e que está 24h dentro do clube, sendo solicitado pelo Presidente para a tomada de decisão. Este é um erro crasso. Nós, do Conselho Deliberativo do Vitória, nos reunimos uma vez por mês, em algumas situações duas vezes por mês. Não temos uma sala dentro do clube, não ficamos 24h dentro do clube. O Presidente do Conselho até tem uma sala dentro do clube, mas só dá expediente duas vezes a três vezes por semana, a depender da demanda, das necessidades e quase sempre para tirar dúvida de qualquer conselheiro e acompanhar as ações do Conselho Diretor.

Este desconhecimento da torcida é fruto da falta deste tema ser veiculado pela grande mídia, seja ela local, regional ou nacional. Pelo estatuto do Vitória, pra ser mais claro, o papel do Conselho Deliberativo é fiscalizar as ações já tomadas pelo Conselho Diretor (Presidente e Vice Presidente) referente à Administração Geral do Clube, que inclui orçamento, despesas, receitas, fluxo de caixa, além de propor medidas para reforma do estatuto, indicação da Comenda Arthêmio Valente. Tudo isso pode ser LIDO com todos os detalhes a partir do artigo 33. As responsabilidades e tarefas do Conselho Deliberativo estão expostas no Artigo 36 e lá vocês ficarão sabendo que não temos PODER DE DECISÃO sobre as ações tomadas pelo Conselho Diretor, principalmente em relação ao futebol.

Se engana quem acha que o conselheiro pode, na hora que quiser, entrar na sala do presidente e cancelar uma contratação ou demissão, ou contratar um jogador, diretor ou técnico no lugar do presidente. A parte mais radical que o Conselho pode tomar é convocar uma AGE para destituir os membros do Conselho Diretor e para isso é preciso ter a assinatura de 2/3 dos conselheiros, para depois convocar a AGE para os sócios-torcedores referendarem ou não a destituição. E não é qualquer motivo que faz os membros do Conselho Diretor serem destituídos. Tem que ser, obrigatoriamente, por Gestão Irregular e/ou Temerária e ambas se calcam em supostas ações de falcatruas, rombo de orçamento, desvios de dinheiro, dilapidação do patrimônio físico do clube, corrupção passiva ou ativa, enfim ilegalidades de natureza administrativa. Não faz parte da motivação de destituição os resultados do time de futebol, porque se houvesse seria uma bagunça enorme e uma insegurança terrível na governabilidade de qualquer presidente eleito.

É lógico que os resultados esportivos pelo time do futebol são os mais relevantes para a torcida e imprensa. Afinal, o Vitória é um clube de futebol, tem o futebol como carro-chefe da instituição. E perder ou ganhar faz parte do esporte. Ninguém entra achando que vai ganhar todos os jogos e todos os campeonatos. Toda e qualquer agremiação, esportiva ou não, tem suas diretrizes para evitar que qualquer crise institucional comprometa a governabilidade de seu líder máximo. Inclusive, em qualquer empresa em que o presidente ou CEO seja trocado por qualquer coisa, os profissionais de topo de linha não terão vontade de vir trabalhar nesta organização, justamente por não ter a estabilidade e segurança para executar o seu trabalho.

Portanto, recomendo que leiam os artigos 33 e 36 para saber quais são as atribuições do Conselho Deliberativo. Para entender melhor a função do Conselho Diretor leiam os artigos 41 e 42 e para o Conselho Fiscal leiam os artigos 50 e 51. Essa é a parte que posso fazer: Trazer a Carta Magna do Clube para esclarecer a responsabilidade e composição de cada órgão do Esporte Clube Vitória.

Na última segunda-feira participei da reunião do Conselho Deliberativo com o Conselho Diretor, em que o tema tratado foi o Futebol Profissional do Clube e a questão do Basquete. Eu e muitos conselheiros questionamos o presidente, demos sugestões, externamos nossa insatisfação com o elenco do futebol, com o técnico, com o diretor Erasmo Damiani, questionamos a real situação do basquete. Agora quem toma a decisão de acatar ou não as nossas orientações e reclamações é o presidente. Não temos a caneta na mão, é o presidente que decide no final das contas. Portanto, vamos parar de repetir a falácia da imprensa de que o Conselho Deliberativo está omisso e sendo cordeirinho do Conselho Diretor! Nós questionamos, nós falamos face-a-face nossas insatisfações, mas não temos poder de decisão! Entendam isso, por favor!

CLIQUE AQUI para ler o Estatuto Social do ECV.

ACORDA, RICARDO DAVID!!!

Foda-se a Estabilidade Administrativa. Acima dela está o AMOR pelo ESPORTE CLUBE VITÓRIA e se tem uma coisa que tem que ser sempre combatida pelo povo (inclusive na Política Partidária) é Estelionato Eleitoral. O povo tem força, mas não sabe usá-la. Todo prefeito, governador, presidente da república ou presidente de clube de futebol que seja eleito por voto do povo (ou sócio-torcedor) tem que fazer pressão e pedir renúncia ou trabalhar para derrubar quem chega no cargo prometendo várias coisas e não realiza nada. Hoje, estamos vendo isso com o senhor Ricardo David, que antes de ser eleito tinha a RECEITA de SOLUÇÕES para todos os problemas do Vitória e não vimos até agora NENHUMA de suas promessas serem realizadas e até a do Basquete que ele prometia aumento nos investimentos está praticamente perto de oficializar a saída da NBB por problemas miúdos com a Universidade Universo que foram se acumulando, chegando ao ponto crítico da faculdade estar seriamente decidida a não renovar.

RICARDO DAVID está se mostrando mais um erro até aqui! E não vou cair na besteira de repetir os mal intencionados, que torcem pra um certo dirigente, de culpar a torcida. A torcida que se associou no tempo certo para votar, escolheu seu candidato. Acreditou naquele que sentiu maior confiança e verdade. Se o cara que chegou lá não fez o que prometeu, a culpa não é de seu eleitor, é dele apenas. O sócio-torcedor não tem poder decisório do dia a dia do clube, não pode vetar uma contratação ruim de jogador ou treinador, não tem o poder de barrar o presidente de fazer X ou Y. Cabe ao sócio-torcedor cobrar, junto com o Conselho Deliberativo, ações por parte da diretoria, e se for o caso criar o clima para uma AGE para destituir do cargo, desde que se cumpra o que o Estatuto Social do Clube para tal medida. 

A verdade é que o VITÓRIA está perdido com mais um novato na presidência do clube. Um presidente que se dizia preparado há mais de seis meses e que já tinha patrocínios de omoplatas fechados (Cadê? Até agora estou procurando?) e que iria trazer alguém experimentado no futebol e traz um DAMIANI altamente inexperiente no cenário nacional, tendo apenas atuado em DIVISÕES DE BASE!!!! Então isso é indício claro de Estelionato Eleitoral.

RD ainda fez a merda de renovar com boa parte do elenco pipoqueiro de 2017 que só venceu 3 ou 4 partidas em casa na Série A. Pra piorar, as perdas de David e Trellez não tiveram seus substitutos à altura, além de trazer uma caralhada de jogador ruim, sem expressão e que nada agrega valor ao atual elenco, sendo a maioria pra “completar baba”, tão ruins que os contestados jogadores de 2017 seguem titulares por serem “menos ruins”.

Mais uma vez chegamos a quarta rodada do Brasileirão com apenas 01 ponto ganho e sendo presa fácil para qualquer catado. Este time do Fluminense não tem nada, gente! É um time super comum e que pode até disputar rebaixamento! E vem pra cá e vira pra cima da gente de uma forma tão fácil e bestial. Estou super revoltado! Mas nas reuniões do Conselho vou fazer a minha parte com indagações sérias ao presidente (as que ele for). Meus colegas de conselho também estão com sangue nos olhos e se com Ivã, que foi nosso presidente na Chapa VDT, teve cobranças e reuniões pesadas, não será com Ricardo David, que vem da chapa concorrente Vitória de Todos Nós, e que não tem nenhuma ligação ideológica conosco, que iremos aliviar.

Enfim, acredito que se Ricardo David não reverter essa situação humilhante do Vitória em campo, ele vai ser forçado a pedir sua renúncia e reconhecer que não estava preparado para assumir o Vitória. Caso contrário, os sócio-torcedores e conselheiros terão que partir sim para uma AGE para pedir a destituição do Conselho Diretor, por estelionato eleitoral e Gestão Temerária (por estar colocando a instituição ECV em constante constrangimento).

Vitória Sempre!

OPINIÃO | Vitória 0x1 Jahia

 

Temos que ser racionais e sinceros acima de tudo: Com 7 titulares fora das finais era missão “impossível” ganhar o estadual 2018. Qualquer time que tivesse a mesma situação do Vitória contra o seu maior rival a chance de sucumbir seria enorme. Vamos pegar um exemplo radical? Tire os 7 principais jogadores do Real Madrid e bote pra jogar contra o Barcelona completo ou vice-versa, quero ver este time vencer com folga. E se a gente que fez este paralelo com duas potências mundiais, imagina então quando somos um time limitado já completo, a lógica é que sem 7 considerados titulares seria pior ainda, concordam?

Mesmo assim, fatiado pelo TJD-BA, o Vitória teve, nos 180 min, boa chance de sair com o título. No primeiro jogo da Arena Lava-Jato, o Vitória perdeu uma grande chance de abrir o placar com Belusso, no lance seguinte tomamos o gol e o jogo virou pra eles. Fizeram 2×0, mas ainda assim conseguimos fazer um golzinho na Arena, forçando apenas um triunfo simples no jogo da volta, realizado ontem. E repito mais uma vez: mesmo todo esfacelado por conta de julgamentos e punições tendenciosas do Ba-Vi do dia 18/02, chegamos no jogo de ontem com certa confiança em fazer o placar mínimo e levantar o tri. Nos 12 minutos iniciais só deu Vitória, com 7 desfalques, e perdemos de novo duas grandes chances. Uma com Juninho, a mais absurda de todas, e outra naquela blitzrieg em que Neílton, Belusso e Nickson tentaram a finalização, desviada pela zaga e goleiro do rival. Não fizemos! Pagamos o preço. 

Mal começou o segundo tempo e nossa zaga mostrou porque é, desde já, uma das piores dentre os 20 clubes da Série A 2018. Uma sucessão de erros de posicionamento, baixa qualidade técnica e perda de foco resultaram no gol das sardinhas. No lance o rival explorou o buraco deixado pelo improvisado lateral direito Rodrigo Andrade, Vinicius Bailarino tripudiou o medíocre Wallison Maia, lançou pra Zé Vivian, que bateu fraco, Falhando Miguel dá um rebote nojento e Elton foi mais esperto que Botelho e pimba! 1×0 sardinhas.

Depois daí vimos um Vitória tentando se aprumar no jogo, sem sucesso. Mesmo assim ainda perdemos duas grandes chances, ambas com Belusso. A primeira ele driblou o marcador e chutou forte para a defesa do goleiro Douglas e na outra, Pedro Botelho caprichou no cruzamento, mas nosso camisa 9 não conseguiu cabecear a contento. Pra piorar perdemos Neílton na metade do segundo tempo, aumentando os desfalques da equipe titular para OITO. E aí complica, né galera? Vamos ser coerentes!

Entretanto, mesmo com todos os desfalques Vágner Mancini tem sua grande parcela de culpa na perda deste estadual, pois ele teimou em improvisar tendo jogadores na posição e não mostrou coerência nas duas finais. No jogo de ontem mesmo, ele poderia ter colocado Cedric na lateral direita. Não entendo porque este “medo” de colocar o cara, ele foi muito bem na Copa São Paulo, tem velocidade, tem drible, tem poder de infiltração. E não venham me dizer que era porque ele é novinho não, pois Luan também é e foi titular ontem! Mas já que improvisou, porque não foi com José Wellison que joga de lateral direito desde 2016? Aí pega um segundo volante (Rodrigo Andrade) de 21 anos e que nunca jogou como lateral no seu ex-time (Paysandu) e coloca na função. Mas para ser justo, pelo menos no primeiro tempo Rodrigo Andrade deu conta do recado e anulou Marco Antônio, que no jogo da Arena fez salseiro em cima de Lucas.

A teimosia de Mancini prosseguiu quando toda a torcida e parte da imprensa baiana falavam que Fillipe Soutto e Uillian Correia são volantes lentos e sem pegada, mas prevaleceu a panela do treinador. Neste setor ele poderia ter colocado José Welison na função do camisa 5 e Rodrigo Andrade (ou o próprio Correia) de 2º volante. Chegamos na lateral esquerda e ao invés de botar Juninho em sua real posição, preferiu insistir com o borra-botas do Pedro Botelho, jogadorzinho comum, sem sal. E lá na meiuca, mesmo tendo Guilherme Costa, Baumjohann e Flávio (da base), ele preferiu a manutenção de Juninho como meia. Desta vez não deu certo. Contra times um pouco mais duro, Juninho se mostra abaixo da crítica na função de meia e ontem parecia que tinha sentiu o jogo, principalmente após perder aquele gol de cara. Errou tudo que tentou! Portanto, por mais que tenhamos 7 (depois 8 desfalques do time titular) eu ponho Mancini como um dos fatores para nossa derrota de ontem, pois inventou demais, improvisou demais e quem faz isso sempre toma na tarraqueta, cedo ou tarde.

Por fim vem a diretoria, que na campanha da Eleição-Tampão de 2017, se mostrava muito antenada com futebol moderno, com tecnologia de prospecção de jogador, de que tinham a fórmula mágica pra tudo e que todos os nossos problemas acabariam. E realmente, até este momento, o presidente Ricardo David tem se aproximado demais dos produtos Tabajara do extinto programa de humor global Casseta & Planeta, que era liderada pelo saudoso Bussunda.

Além de ter contratado mal como os medíocres Pedro Botelho (nem o CRB quis), Wallison Maia (nível Alan Costa), Lucas (só tem currículo), além de ter apostado no alemão que só tinha jogado duas partidas em 2017, eles renovaram com vários jogadores que não vinham bem desde o ano passado como Fernando Miguel, Kanu (só tem garra!), Fillipe Soutto e Uillian Correia (mais por causa da sua última partida, quando fez uma penalidade infantil que quase nos custou um rebaixamento).

A junção dos contratados com os remanescentes do ano passado (sobretudo os da defesa) resultou num time fraco, previsível e que já tinha mostrado que em decisões pipocam (muitos deles estiveram presentes na semifinal do Nordestão do ano passado). Pra piorar, até no departamento que o Vitória era soberano (Jurídico) o rubro-negro passou a perder. Ricardo David e seus pares comeram mosca, não lutaram com galhardia para defender os atletas rubro-negros e de acusar outros jogadores do rival que também participaram da briga e passaram ilesos como Lucas Fonseca, Zé Rafael e Mena.

Pra terminar com chave de ouro, no último julgamento, o do STJD, ao invés de deixar com Patrícia Saleão, que desde 2007 defende o Vitória contra ataques de clubes adversários, resolveu misteriosamente deixar para o novato Roberto Dantas, amigo pessoal e membro da chapa de RD em 2016, fazer a defesa. E pagamos caro por isso, pois, até quem tinha sido absolvido nas duas instâncias inferiores foi condenado e ficou de fora da finalíssima. Falo do zagueiro Ramon e tivemos que jogar com o instável Bruno Bispo, que milagrosamente fez uma partida segura ontem. Daí eu tiro a conclusão que a troca de Patrícia por Roberto foi uma estratégia erradíssima e ao meu ver, a tentativa foi de promover Roberto, que está iniciando agora no Direito Esportivo. Patrícia Saleão tem 11 anos de experiência só com o Vitória! Isso foi muito amadorismo!

Pra encerrar o papo, que já está muito longo por sinal, a diretoria está deixando os dirigentes da sardinha dominarem o TJD colocando até conselheiros eleitos em 2017 como promotor do TJD e que nos julgou, deixaram a sardinha se infiltrar na Federação Bahiana, além de ter permitido todo o ataque da mídia baiana em cima de nós no caso da briga do SarVi de 18/02 em que eles nos colocaram como únicos culpados e os jogadores do rival como pobres inocentes, vítimas da truculência. Ricardo David deveria ter sido mais firme na defesa do CLUBE nesta situação. Essa omissão nos fez muito mal e até mesmo nossos torcedores passaram a acreditar na hipótese implantada e sustentada pela venal imprensa esportiva baiana.

Enfim, até Ivã de Almeida conseguiu ser campeão baiano e INVICTO e o PHD de Futebol formado em Harvard e pós doutorado em Sourbonne não conseguiu. Pior, permitiu que o jahia voltasse a levantar um título no Barradão depois de 20 anos. A julgar por isso, RD já mostra que tem o “selo Carlos Falcão” de “qualidade”, pois nem Mundico nem Ivã – O Terrível, perderam títulos baianos pra sardinha e assim como Falcão, RD já começou perdendo. Agora, mais do que nunca, a Copa do Nordeste virou obrigação! Se neste mandato tampão RD não ser campeão do nordeste e permitir o bi do rival no baianão, uma certa figura controversa ganhará força e poderá, de fato, reassumir o Clube e quem mais tá colaborando com isso são os seus sucessores com tantos erros amadores e falta de malícia nos bastidores do esporte.

Vitória Sempre!

Contra tudo e contra todos, Vitória parte rumo ao tri!

E o Vitória chega a mais uma decisão do Campeonato Baiano e com a possibilidade real de conquistar seu quarto tricampeonato na competição. Ainda que o TJD-BA viciado com conselheiros do Bahia e cronista esportivo notório torcedor da sardinha, tenham julgado e condenado os atletas rubro-negros com um excesso de rigor e os do jahia com uma dose cavalar de benevolência, o Leão da Barra conseguiu se classificar em primeiro lugar no estadual, garantindo as vantagens e venceu também a difícil partida contra o Fluminense de Feira, no Joia da Princesa, na rodada final da 1ª fase, o que nos garantiu a classificação como líder.

Na briga generalizada do Ba-Vi do dia 18/02/2018, se o árbitro fosse COERENTE e JUSTO a partida terminaria dali, pois seria bem compreensível se fossem expulsos 4 ou 5 de cada lado, e não expulsar 3 do Vitória e 3 do jahia, sendo que dois eram reservas, o que deixou o jogo desproporcional e com o psicológico dos atletas rubro-negros mais bombardeado, por ter perdido naquela ocasião, seu principal zagueiro, seu atacante goleador e seu meia puxador de contra-ataque. Tal medida, justificou as novas expulsões, até a derradeira. E o árbitro seguia com um rigor excessivo para os lances envolvendo os atletas do Vitória. A expulsão de Correia corrobora com isso, pois ele poderia muito bem não dar amarelo, porque a falta não foi pra amarelo. Mas enfim…

O Vitória mostrou a força de seu elenco com essas suspensões pesadas. O rubro-negro foi líder do Grupo B do Nordestão jogando as duas últimas rodadas com o time reserva e fez 7 gols (4×1 no Ferroviário e 3×1 no Globo). Neste ínterim vimos o menino Nickson se firmar entre os titulares, a melhora gradativa de Wallison Maia, o faro artilheiro de Jonatas Belusso e a agradável surpresa do auxiliar Anderson Batatais que foi posto à prova contra o Bahia de Feira e passou a semifinal invicto (um empate fora e um triunfo em casa, que poderia ter sido por goleada, devido ao numero grande de chances desperdiçadas).

Tentaram nos dilacerar e nos enfraquecer na competição, mas nosso elenco mostrou sua força, ratificando que elenco bom não é aquele que tem a maior quantidade de “renomados” e sim de jogadores que entrem e deem conta do recado. Ainda acharam pouco e depois de terem liberado a torcida da sardinha pro jogo da primeira fase no Barradão, onde eles quebraram alambrados e banheiros gerando um prejuízo de R$ 25 mil, eles se movimentaram nos bastidores e sorrateiramente a Torcida Única voltou agora na Final. Não teve sequer uma briga entre torcidas dentro e nos arredores daquele jogo da vergonha. Nem mesmo quando o medíocre Vinicius fez aquela dancinha de cunho sexual na frente da TUI, ninguém da nossa organizada jogou nada ou tentou invadir o campo pra pegar ele. Agora, o torcedor do Vitória não pode nem mais ir numa final, não podemos mais ir na Fonte Nova, um espaço que também tem dinheiro do cidadão rubro-negro, que custeou indiretamente a construção desta arena com seus impostos embutidos em tudo que consumimos, de uma Caneta Bic® a compra de um apartamento ou automóvel.

Por isso, mais do que nunca a expressão CONTRA TUDO E CONTRA TODOS é válida e nunca um título de campeonato baiano será tão honroso e gostoso como o de 2018. Mancini fez mistério na escalação, ninguém sabe o que passa na cabeça dele. Mas uma coisa é certa: A torcida está sedenta por este título e espera que todo jogador que entre em campo nestas finais, a começar pela de amanhã, entre com muita vontade de fazer gols, de garantir um triunfo por 2 ou mais gols de diferença para fazermos a festa no Barradão no dia 08. Não podemos dar chance a sardinha ganhar este campeonato “no grito” e no “submundo dos bastidores”. Mesmo sem tantos jogadores importantes, ainda somos mais time, somos mais fortes que eles! E que os nossos atletas não voltem a cair na arapuca que eles armaram lá no jogo do dia 18/02. Ali foi tudo pensado, não se enganem não. A ideia era causar um tumulto no Barradão para voltar a torcida única, e de quebra com o Vitória perdendo mando de campo, mas a TUI não reagiu como as sardinhas imaginaram! Enfim…

VAI PRA CIMA LEÃO, QUERO TE VER CAMPEÃO!

Mesmo sem nossos principais jogadores e SEM A FORÇA DE NOSSO GRITO QUE JÁ CALOU ELAS NA FONTE NOVA VÁRIAS VEZES NOS ÚLTIMOS SARVIS LÁ NAQUELA ARENA, eu SOU MAIS VITÓRIA!

O Campeonato Baiano caminha para seu fim

A palhaçada continua! A principal emissora de televisão do estado, detentora dos Direitos Transmissivos do Campeonato Baiano segue com sua retórica tendenciosa e enviesada apenas para culpabilizar o Vitória e seus jogadores nos incidentes do domingo passado, além de esquecer da Campanha Social Feminista “Sou Mulher, Quero Respeito”, já que Vinicius deu declarações machistas e de cunho sexual com as mulheres dos jogadores e torcida. O ataque segue a todo vapor em todos os telejornais da Tv Bahia, cada vez mais Tv Jahia, e desde segunda-feira eu deixei de assistir o GE Local.

Para completar um procurador do TJD, que se expõe sem cerimônias como torcedor e sócio-torcedor do Rival, adentrou ontem pedindo a exclusão do atual campeonato e o rebaixamento do Vitória do Baianão e os setores da imprensa seguem dando vazão para este tipo de conduta, sem ouvir o outro lado, sem dar ao lado rubro-negro o direito de resposta ou de se defender. Setores da Imprensa e membros do Poder Judiciário Baiano já estão condenando o Vitória, não separam o lado profissional de seu lado passional enquanto torcedor, pois todos têm sua vida e gostos pessoais fora do exercício das profissões.

É neste cenário que eu digo a vocês — O Campeonato Baiano está caminhando para o seu fim e que triste fim! Digamos que toda essa pressão criada (que lembra e muito o açodamento jurídico e midiático para condenar Lula e tirá-lo do páreo eleitoral) determine a punição do Vitória pedida pelo Procurador Hermes Hilarião (nunca um sobrenome combina tanto com o fato em questão). Como Oscar disse no post abaixo na tag de comentários: Qual vai ser a graça do Campeonato Baiano? Quem vai sustentá-lo? Este campeonato só vive pela dupla Ba-Vi, é o único jogo que dá renda e tem atenção do público local e de outras regiões. É um dos piores estaduais do país e até o campeonato sergipano e o alagoano têm mais qualidade técnica entre os seus representantes.

Alguém aqui acredita que somente com o Jahia, o Estadual se sustenta, ou melhor, subirá de patamar e será mais valorizado no cenário nacional? O mais curioso é que o rival foi um dos primeiros clubes a assinar contrato com o Esporte Interativo para o Brasileirão 2019-2022, enquanto o Vitória permaneceu com a Rede Globo, e a TV Jahia, filial da Vênus Platinada segue protegendo os tricolores e soltando os cachorros no seu parceiro comercial, EC Vitória, que segue no contrato global das transmissões do BR.

O presidente Ricardo David já deu sinais de desgaste nesta situação criada e repetida pela TV Bahia desde então. Não será surpresa se ele tomar uma decisão drástica ainda neste ano em relação ao Campeonato Baiano. É muito forte entre meus colegas do Conselho Deliberativo que o presidente do clube tome uma atitude mais enérgica contra o que estão fazendo com o Leão. Várias ideias estão surgindo, desde sair do Estadual agora ou ano que vem, ou utilizar equipes sub23 a partir de 2019, como uma forma de boicote.

Vale ressaltar que o VITÓRIA tem prejuízo nesta competição todos os anos, praticamente o clube paga para jogar e se tem alguém lucrando neste torneio não são os clubes. A cota de transmissão de todo o campeonato não chega a 1 milhão. É a única competição da temporada que não se premia nem com um picolé, o campeão. Tem times pequenos do RJ e São Paulo que ganham 4 milhões em seus estaduais, a dupla Ba-Vi recebe apenas R$ 800 mil.

Então, a Imprensa Baiana, os procuradores e membros do TJD-BA (em que muitos deles são amigos pessoais do presidente da sardinha, Guilherme Bellintani) estão na verdade matando, de vez, o Campeonato Baiano. E repito: Sem o Vitória, esta competição não se sustenta. Acaba de vez. E se o Vitória largar a competição quero ver a FBF lucrar ou elevar o nível da competição tendo apenas a Sardinha como protagonista do torneio.

Para piorar, já estão sendo veiculadas as informações que os repórteres Danilo Ribeiro e Daniela Leone estão no rol de testemunha de acusação contra o ECV, em que pretendem insistir na tese (e na produção de provas) de que Mancini e a Diretoria rubro-negra orientaram a última expulsão para acabar o jogo. Eu nunca vi em canto nenhum, membros da imprensa testemunhar contra um clube de futebol. Isso é seríssimo. A imprensa daqui está escancarando não só tomar parte, mas fazer parte de um dos lados, quando o Código de Ética da Profissão preza pela isenção e neutralidade.

Enfim, como torcedor e como conselheiro, eu já estou disposto a acatar uma decisão do ECV em sair da competição e deixar o Baianinho apenas para a Tv Jahia, Sardinha e FBF. Quero ver este campeonato se sustentar sem a gente! Quero ver que graça terá, para o torcedor do jahia, ganhar vários títulos em cima dos times fracos do interior, que só fazem figuração na última divisão nacional, a Série D.

E ninguém poderá, depois, querer nos culpar pela “morte” do nosso estadual. Os fatos estão aí. Estão provocando o Vitória a tomar esta postura unilateral e até inédita (não conheço caso parecido no futebol brasileiro, quiçá no mundo)! Toda ação, tem sua reação. Apesar de achar que o procurador do TJD-Ba tá querendo aparecer e que seu pleito não vai dar em nada, só essa intenção já nos dá margem para tomarmos uma medida mais radical.

Vitória Sempre!

#FechadoComOECV

A PALHAÇADA E O LADO QUE A IMPRENSA NÃO MOSTRA, NEM MOSTRARÁ

O BaVi de ontem certamente foi o mais vergonhoso da história deste clássico tradicional do futebol nordestino. O jogo que estava sendo fraco tecnicamente terminou da pior maneira possível, graças a um jogador do rival que já tinha provocado durante a semana, em sua rede social, chamando o Barradão de Barralixo e que iria pra cima das mães e irmãs (na mensagem não deixa claro se são os familiares de nossos jogadores ou de nossos torcedores). Depois de fazer o seu gol em cobrança de pênalti, o cara partiu para uma dança provocativa e de teor sexual na frente da nossa torcida, e pior, da Torcida Uniformizada Os Imbatíveis (TUI). Façam a correlação da provocação da semana e da comemoração do gol. Impossível achar que foi inocente, né?

A atitude de Fernando Miguel e dos demais jogadores do Vitória não são dignas, mas compreensível porque os jogadores ficaram sabendo deste fato, tanto é que Rhayner tinha publicado algo logo após a postagem de Vinicius, dando várias indiretas sobre o que meia da sardinha tinha escrito. E também sem querer justificar, Fernando Miguel não agrediu Vinicius, apenas o puxou e exigiu respeito. O primeiro jogador que agrediu foi Edson, do rival, sempre ele. E basta apenas um agredir para a violência se espalhar e nisso aconteceu o show de horrores, principalmente Kanu que parecia lembrar sua época na corda do Chiclete com Banana.

Depois de 15 minutos de paralisação veio os dois pesos e as duas medidas do árbitro Jaílson Macedo Freitas. Ele poderia muito bem ter expulsado Kanu e Vinicius e deixava os demais jogadores alertados que na próxima confusão não teria complacência. O jogo seguiria normal, com cada qual com -1, mas não. Para ajudar o seu time, ele expulsou 3 do Vitória e 3 do Jahia, mas dois tricolores estavam no banco. Ou seja, ele pendeu pro rival ficar com maior número de jogadores em campo, isso desequilibra taticamente e tecnicamente qualquer time.

O jogo rolou por mais 12 minutos, com o bahia com dois a mais em campo, e eles não conseguiram fazer o gol. Talvez já encomendado, Jaílson resolveu expulsar mais um do Leão por volta dos 32 minutos; Uilliam Correia. Numa falta boba, que nem amarelo merecia. A minha visão é de que Jaílson estava mal intencionado. O Vitória com a expulsão de Correia ficava com seis em campo e o jahia com 9. Iria ou não iria facilitar um triunfo do tricolor? Antes mesmo da bola rolar, Bruno Bispo foi expulso depois de retardar a cobrança de falta do incolor, chutando a bola para longe e como manda a regra, o jogo termina quando um time fica com menos de seis atletas de linha.

Após o término da partida, a Imprensa Sardinhêsca passou a acusar, em bloco, que o Vitória provocou o fim da partida e que o jahia vai sair vencedor com o placar de 3×0 e em alguns veículos mais sensacionalistas eles aventaram até que o Vitória pode ser rebaixado e eliminado das demais competições da temporada. Olha o nível de parcialidade de nossa imprensa, rapaz. Até o momento ninguém tem um vídeo ou foto confirmando que a ordem de forçar a última expulsão partiu da diretoria ou do treinador Vágner Mancini. Tudo especulação! Escutei, enquanto retornava pra casa, a Transamérica FM, e em casa assisti o Cartão Verde e hoje de manhã a TV BA, todos estão fechados com o jahia e já cravando que eles ganharão os pontos. Se depender da imprensa já estamos condenados, sem direito ao Devido Processo Legal.

Primeiramente, o caso vai ter que ser julgado pela FBF, TJD e em última instância no STJD. Isso pode demorar meses ou anos, a depender da vontade e das demandas dos tribunais desportivos. Vale lembrar que o caso de 1999, quando o Bahia fugiu literalmente da Final do Barradão, só teve encerramento em 2006, quando o presidente da FBF, Ednaldo Rodrigues, numa declaração covarde, deu o título dividido entre os dois clubes, quando o VITÓRIA tinha o direito conquistado no campo de jogar a Finalíssima no Barradão e não na Fonte Nova.

Segundo, enquanto não provarem que a ordem veio da diretoria ou do treinador eu defenderei meu clube. E pensando bem, se comprovarem que foi a mando eu termino compreendendo a decisão, apesar de não concordar, pois Jailson quis bagunçar o clássico. Ele deixou o jahia com maior número de jogadores de propósito para facilitar o triunfo tricolor, pois uma derrota tricolor ontem complicaria demais a situação da sardinha na competição. Como diz uma letra de Rita Lee “pra pedir silêncio, eu berro. Pra fazer barulho eu mesmo faço”. Se é pra bagunçar, vamos bagunçar! E digo mais, se o Vitória for declarado perdedor da partida, seria ótimo a gente largar o Campeonato Baiano pra FBF e sardinha curtirem.

Estamos no século XXI, que coisa bizarra essas artimanhas de bastidores para salvar a sardinha. Já deixamos de disputar finais do baiano, já ficamos de fora de uma Copa do Nordeste por irmos mal num estadual, por que a Sardinha não pode sofrer as consequências de suas campanhas ruins no Baianão? Por que toda vez que eles estão pra pagar um mico homérico aparecem Jaílsons e Arilsons pra fazer o jogo pra eles? Ou então surgem as goleadas estranhas como as contra o Primeiro Passo em 2008, 2015 e este ano quando eles fizeram 6 gols só no segundo tempo?

Terceiro, eu não descarto que toda esta celeuma de Vinicius provocar no meio de semana, jornalista falar mal do espaço por onde a torcida visitante entra, que ele chegou a chamar de Curral no jornal que ele escreve, a comemoração desrespeitosa de Vinicius na frente da TUI, a quebra de alambrados e até a briga entre eles dentro do espaço deles, foi armado para voltar a ter torcida única nas finais do Baianão, pois eles sabem que na Arena Fonte Nova cabe muito mais pessoas e a acústica do estádio favorece à intimidação, como aconteceu na semifinal do Nordestão do ano passado. Do rival a gente pode esperar tudo. É um falso campeão, é um clube acostumado a ganhar nos bastidores, de ser antiético, de corromper jogadores adversários, fazer conchavos com árbitros e até com presidentes de outras agremiações, de enviar documentos falsos para um clube tentar nos prejudicar (Caso Victor Ramos e Inter-RS, em 2016).

Vitória Sempre!