OU AJEITA O DEPARTAMENTO DE FUTEBOL OU SEGUE RUMO À SEGUNDA DIVISÃO!

Mais uma pífia partida do elenco gofado do Vitória e mais uma derrota no lombo. Eu jamais esperaria ver um começo tão ruim do rubro-negro após Carlos Falcão e Raimundo Viana, mas numa breve pesquisa na internet eu descobri que os dois últimos ex-presidentes conseguiram resultados melhores nas três primeiras rodadas das Séries A 2014 e 2016, pois conseguiram 4 pontos nas três primeiras rodadas, ou seja, teve um triunfo na conta. Entretanto, este início de Brasileirão em que fizemos 1 ponto de 9 disputados se igualou ao terrível ano de 2010, onde jogamos toda a bela campanha e euforia da Copa do Brasil no ralo, com um rebaixamento vergonhoso, onde vencemos apenas 5 partidas de 38 jogos, tudo isso devido a insistência da diretoria Alexi Portela na manutenção de Ricardo Silva e de não ter reforçado o grupo a contento, por temer retaliação dos jogadores que poderiam se rebelar por se acharem injustiçados após o vice-campeonato da Copa do Brasil, palavras de Aléxi na rádio de Bocão, à época.

BR-2014 3ª rodada

Para piorar, os demais componentes das campanhas colocam a atual como a pior, pois em 2010 fizemos 1 gol nas três primeiras rodadas e neste ano de 2017 estamos “virgens”, não “brocamos” ninguém e já sofremos 2 gols, que poderia ser 3, pois na estreia tivemos um gol do Avaí anulado e um pênalti não marcado para os catarinenses, ou seja, poderíamos estar hoje com TRÊS DERROTAS EM TRÊS JOGOS. Ou seja, dos últimos 7 anos, este é o pior time do Vitória numa Série A. E o drama não acaba por aí, as próximas três rodadas enfrentaremos Fluminense e São Paulo, ambas fora de casa, voltando a jogar em Salvador, contra o Atlético Mineiro. A julgar pelo péssimo elenco que temos e da infeliz aposta em Petkovic como técnico, não é exagerado, nem terrorismo, visualizar três novas derrotas e chegarmos à Rodada#5 na última ou penúltima colocação, pois estaremos brigando pau a pau com o Atlético-GO, o “título” de pior time da competição. “ISSO É UMA VERGONHA!” (CASOY, Bóris).

Brasileirão 2016 3ª Rodada

Achei sinceramente que nunca mais teria o comportamento frio, desestimulado, apático e desleixado como tive em 2014 e parte de 2016, onde mesmo sendo Sócio SMV Prata Ativo eu me ausentei de muitos jogos de forma proposital, por saber que estaria jogando o dinheiro do transporte + lanche à toa, numa situação em que ao invés de me distrair eu iria me estressar. Fui aos dois primeiros jogos deste Brasileirão na Arena Lava Jato e já me vejo novamente me ausentando, propositalmente, dos jogos com nosso mando de campo.

A atual diretoria ESTÁ JOGANDO TODOS OS SEUS PRIMEIROS GRANDES PASSOS no lixo justamente por estar falhando no carro-chefe do clube, o futebol, o coração do ECV. Não adianta em nada abrir o clube para eleições diretas, evoluir no basquete, apostar no futebol feminino, marketing, estratégias de associação do SMV, interatividade e maior atualização das redes sociais e site do clube, se o futebol profissional continuar sendo mal tratado, dirigido por “BRINCANTES”, amiguinhos de Sudesb e Rádio Transamérica.

Brasileirão 2010 após a terceira rodada

De fato, no começo do ano o clube parecia estar montando um elenco forte e capaz de grandes feitos, ou ao menos, de não fazer o torcedor passar vergonha, mas os caras não deram liga e perdemos 5 meses com um treinador sem repertório, turrão, monotático e que vencia a duras penas adversários medíocres que atuam nos porões empoeirados do futebol brasileiro. O atual treinador que foi ídolo dentro de campo, Dejan Petkovic, ainda é um Moré/Harley/Trípodi no quesito Técnico de Futebol, pois está mantendo o mesmo esquema de jogo e os mesmos jogadores utilizados por Argel. E mesmo vendo o time jogar mal, ele demorou de fazer as alterações e ainda provocou a ira da torcida ao sacar o nosso melhor volante para colocar o perna de pau do Rafaelson, que se iguala em ruindade com Alan Pinheiro, Itacaré e Edson (nossos últimos centroavantes da base).

Outra coisa – o time que parecia abrir mão do chutão, voltou a fazer uso deste “atributo” no jogo de ontem, facilitando a vida para o Coritiba, além da inexplicável manutenção da Tartaruga Sem Casco do Cleiton Xavier. Jogador que veio com muito cartaz e que enganou a todos com uma bolinha miúda e completa inutilidade tanto na recomposição defensiva, como na ofensiva. Mesmo sem apresentar aquele futebol que encantou a torcida do River Plate entre 2013 e 2015, Pisculichi mostrou ontem que tem mais ofensividade e visão de jogo que CX, mas segue de fora do time titular.

Enfim, não temos muito a falar da partida de ontem não. Foi uma partida pífia e que escancarou mais uma vez que temos um elenco fraquíssimo em todos os setores e que não se pode jogar no 4-3-3 (ou 4-2-3-1) tendo laterais e pontas cabeçudos e de baixíssima qualidade técnica, além de usar um meia decadente como único armador da equipe. Com a formação atual, oriunda do time-base de Argel Fucks, este VITÓRIA aí não ganha de ninguém, nem mesmo do modestíssimo Atlético Goianiense.

SEJA POR BEM OU POR MAL

#ForaSinval

PS: Tem certas pessoas aqui que estão PERDENDO A COMPOSTURA nos comentários e depois saem falando por aí que eu sou “antidemocrático”, que eu “filtro” as críticas. Uma coisa é a crítica construtiva, é discordar de meu ponto de vista. Outra coisa é vir NO ESPAÇO CRIADO POR MIM DE FORMA GRATUITA E VOLUNTÁRIA, e ficar me desrespeitando ou me acusando de ter um caráter duvidoso, por agora estar no C.Deliberativo e ter feito campanha para a VdT, sendo que eu nunca deixei de criticar o que eu discordo aqui e PRINCIPALMENTE nas reuniões do Conselho, quando estou seguro do que vou falar. E só peço a palavra no CD, quando me sinto confiante na crítica que vou tecer. Não pego à toa, muito menos para me autopromover.

Além disso, as eleições já acabaram. Não existe mais Chapa VdT ou qualquer que seja, existe sim é uma DIRETORIA ELEITA E EMPOSSADA e que tem 3 anos de mandato e estamos entrando apenas no sexto mês. Poderíamos e Deveríamos estar melhor, sobretudo no coração do clube, mas ainda é muito cedo para a pedida da retirada de toda uma diretoria, quando o maior problema está na Diretoria de Futebol, que infelizmente, Sinval mostrou-se, realmente, estar desatualizado e muito equivocado sobre o Futebol Moderno e seu atual mercado de jogadores.

VITÓRIA SEMPRE!

O JABÁ ACABOU, O CAOS, A IMPRENSA PLANTOU!

“Pense num absurdo, na Bahia tem precedentes” MANGABEIRA, Octávio (ex-governador do Estado). É com esta frase que abro fogo, mais uma vez, a nossa “maravilhosa” imprensa esportiva baiana, que é mais provinciana que os costumes do Brasil Colônia, sobretudo das classes mais pobres que viviam a bajular as classes superiores, como é visto em filmes, seriados e novelas globais.

Pelo que soube, a nova gestão do EC Vitória cortou a “torneirinha” dos afagos financeiros a setores da imprensa, como passagens de avião, voar junto com a delegação do clube, direito de entrevista exclusiva com qualquer jogador ou dirigente indicado por eles, apoio financeiro a execução de programas esportivos de rádio e compra de espaços publicitários na TV, enfim, o chamado jabá. Fora de outras manias feitas por gestões passadas que criaram o “costume da boca torta” a certos personagens da nossa crônica esportiva que já estão caminhando para a sepultura, mas ainda arrotam bravatas e arrogâncias não sei de onde! Outro fator que causou a ira de nossa imprensa foi a sistemática condição de se fechar treinos, evitando que membros da imprensa possam gravar os treinos e trabalhos técnicos dos treinadores.

Bem, dito isto, fica fácil entender porque TODOS os programas radiofônicos e de televisão passaram a bater fortemente na atual administração do Rubro-Negro de uns tempos pra cá. Agora qualquer coisinha eles transformam num caos de proporções trágicas, como se fosse uma III Guerra Mundial iminente, com um possível apocalipse nuclear. Até uma simples e corriqueira demissão de um funcionário do departamento de futebol vira CRISE! Deram voz ao demitido nas rádios, botaram uma pilha do cacete e não levaram ninguém do clube para dar a sua versão. Cargo em clube de futebol não tem estabilidade de concurso público, é óbvio que vive-se de resultados do time em campo e dos cumprimentos das metas estabelecidas. O presidente Ivã achou por bem tirar Jorginho Sampaio agora, depois de 5 meses. Qual é o crime nisso aí? Por que o alarde? Além do caso envolvendo Jorginho Sampaio, a demissão de Argel e o anúncio de Petkovic como treinador e gestor viraram “crise sem precedentes” para a imprensa.

Outra coisa foi o caso do dinheiro do seguro sobre o falecimento do meia Arthur Maia. De forma amadora e completamente tendenciosa, quebrando todo o manual do bom jornalismo, o site do Boca de Latrina mais uma vez postou algo forte, visando apenas o sensacionalismo. O referido site também não buscou o lado do Vitória para dar a sua versão dos fatos. Para este “veículo” vale primeiro atirar para depois perguntar quem era a pessoa atingida. O Vitória fez sua Nota Oficial e nela consta que a parte do seguro a ser paga à família do jogador é da responsabilidade da CBF e não do VITÓRIA e que o clube tem direito ao seguro pelo fato do atleta ser um ativo do mesmo, pois ele estava emprestado à Chapecoense, mas os direitos econômicos e federativos eram do Vitória.

Por isso eu peço prudência aos torcedores e aos meus leitores para não aceitarem tudo que a imprensa joga no ventilador como verdades absolutas. Infelizmente, o jornalismo esportivo baiano é ridículo, vergonhoso e carrega manias deploráveis para manter o mínimo de lucratividade. A maioria age como torcedor travestido de jornalista, basta ver a diferença de cobertura da dupla Ba-Vi. Qualquer coisinha do rival é exaltada enquanto nossas conquistas são minimizadas a todo custo, omitem os problemas do Bahia até onde podem e lançam crises na gente sem a devida apuração dos fatos.

Temos também os cronistas que só visam encher os bolsos e que espalham fofoca quando não atendidos, muitos nem são formados em Jornalismo, a maioria está empregada por indicação de pessoas influentes, como políticos e empresários, fora os que são filhos de certas figuras já conhecidas do meio comunicacional. Há até jornalista que empresaria e agencia jogadores de futebol e que indicam e até colocam jogadores nos clubes. Cadê a ética nisso?

Há também os que possuem empresa de agenciamento de futebol e são apresentadores de programa esportivo. Então, vamos nos policiar galera! Cada cronista de nosso estado tem seu interesse pessoal, financeiro e político. Até porque é a primeira vez que o Vitória NÃO está sendo gerido por famílias tradicionais da Classe A. A chapa Vitória do Torcedor representa as classes B, C e D. Do atual Conselho Deliberativo cerca de 90% são de torcedores comuns de arquibancada. Então os cardeais que se acostumaram a brincar de serem donos do Vitória estão usando de tudo para que a gestão Ivã de Almeida dê errado. Na última semana teve um ex dirigente da chapa de Ricardo David que comprou espaço no site Arena Rubro-Negra para detonar seus desafetos e, para isso, divulgou informações sigilosas da última reunião do Conselho Deliberativo. Por conta deste fato, ele será acionado pela Comissão de Ética, correndo o risco de exclusão do título de Conselheiro Nato.

Enfim, reconheço que o carro-chefe do clube está falhando e falhando feio, que é o Futebol Profissional. Precisamos mais do que nunca dar um norte neste setor, fazer melhores contratações de atletas e de treinador, buscar títulos maiores, que com certeza diminuirá bastante este caos que querem impor na gestão Ivã de Almeida. Entretanto, os demais setores do clube estão evoluindo a passos largos, como a interatividade das redes sociais, a melhoria do site oficial (Comunicação), esportes olímpicos, patrimônio e jurídico. O presidente Ivã de Almeida sabe que o carro-chefe do clube precisa dar um upgrade e torço para que ele tome as rédeas disso o quanto antes. Mas eu não caio nesta pilha de nossa imprensa esportiva baiana e espero que meus leitores também tenham este tipo de postura.

#VAIDARCERTO

VITÓRIA SEMPRE!

O AMADORISMO IMPERA NO “CIRCO” VITÓRIA

É com muita tristeza, decepção, frustração e todo sentimento negativo que faço este texto. Apoiei esta diretoria, pedi votos para a chapa, estou fazendo parte do Conselho Deliberativo (CD) por ser um dos primeiros a aderir à VdT na campanha, mas uma das bandeiras prometidas pela chapa não está sendo cumprida (Profissionalismo no Futebol), pelo contrário está sendo rasgada, esquecida e desprezada pela Diretoria de Futebol, na figura de Sinval Vieira, que colocou seu amiguinho da Sudesb, Gerson Boka, e seu outro “cumpádi” Jorge Sampaio, como “assessores” dele no departamento de futebol.

Esta foi a primeira “quebra de confiança” da chapa com a maioria do novo conselho deliberativo, formado em 91% de torcedores de arquibancada, como eu e demais amigos de Barradão e de movimentos políticos de oposição à Aléxi Portela, Carlos Falcão e Raimundo Viana, como o MSMV, Vitória Século XXI e Por um Vitória Melhor. Não achem que o atual conselho concordou com estes dois chegados de Sinval, não!

Foi nos dito que seria algo temporário e que chegariam executivos gabaritados e experientes. Anunciaram Petkovic logo após a eliminação do Nordestão e a saída de Argel do comando técnico. Entretanto, o grande ídolo do Leão da década de 90 foi apresentado como Gerente de Futebol e a aceitação, no CD, foi grande, haja visto que Pet é um cara que se atualizou, tomou cursos na CBF, Fifa e na Espanha sobre Gestão no Futebol, curso de treinador, transita bem pelo mercado brasileiro pela forte carreira que construiu no país, pois é conhecido por todo o território nacional.

Além disso, Petkovic falou algo que a torcida e o novo conselho já pedia há muito tempo, uma avaliação total do Vitória, estudos minuciosos e elaboração de um Plano de Ação que englobaria usar as mesmas formações táticas do time profissional nas categorias de base; implantação de uma filosofia de jogo para servir de padrão ao Vitória, que fatalmente seria de montar times ofensivos, com força e velocidade nos contra ataques; revitalização das divisões de base e uma completa modernização da maneira como prospectar jogadores tanto para as categorias de base, como na principal, através de análises de olheiros e softwares de prospecção. Até aí tudo bem, estava chegando uma luz de profissionalismo a ser implantada.

Só que após Petkovic começar a buscar o treinador para o resto da temporada, visitando alguns deles no RJ, SP e outros estados. A diretoria chamou uma coletiva hoje, ao final da tarde, para passar um verdadeiro certificado de Pós Doutorado em Amadorismo C/ ênfase em Incompetência, ao anunciar que aquele que tinha vindo como Gerente de Futebol seria o treinador, e o pior, acumulando as duas funções. Coisa que só é visto no FOOTBALL MANAGER – um game viciante de futebol, onde o player é ao mesmo tempo “presidente” e treinador da equipe.

Esta notícia de Petkovic virar treinador é a prova cabal de que a diretoria de futebol não teve capacidade de trazer um treinador para um clube recém campeão estadual invicto e membro da Série A do Campeonato Brasileiro. Isso nem Raimundo Viana foi capaz. Em 2015, vindo de uma renúncia de presidente e de eliminações do Baiano para o Colo-Colo de Ilhéus e do Nordestão, com um cenário de rebaixável à Série C, pois em 15 estávamos na Série B, o novo presidente Raimundo Viana, 74 anos à época, trouxe Vágner Mancini depois de 4 rodadas iniciais da segundona com Wesley Carvalho e querendo ou não, Mancini tem um certo renome nacional. A coletiva de hoje à tarde expôs que a atual Diretoria de Futebol não tem criatividade, capacidade e poder de persuasão para trazer um treinador minimamente conhecido para disputar a Primeira Divisão!

Na minha visão a crítica não é nem sobre Pet ser o técnico, com pouca rodagem nesta função e sim o circo que foi formado para uma patacoada destas. Apostar por apostar, antes Wesley Carvalho que vem há 16 anos servindo as divisões de base. Fora que Pet como gerente seria excelente, até pela bandeira que ele pregou em sua apresentação semana passada. Agora fazendo estas duas funções fica no mínimo estranho e abre a brecha para ser considerado como funções que entram em rota de colisão, pois ele estará “contratando” e “escalando”. Desde a saída de Argel já se passaram 10 dias e neste período o clube não fechou com ninguém e por comodismo, amadorismo e preguiça anuncia o gringo como treinador. Estou muito entristecido com os rumos do carro-chefe do Leão, que é o Futebol. Se avançamos na Democracia com o novo estatuto, melhoria do site oficial e redes sociais e outros setores periféricos, o amadorismo segue reinando no Departamento de Futebol Profissional.

Vale ressaltar, que em 5 meses de gestão, esta é a segunda Coletiva Pastelão da Diretoria de Futebol. A primeira foi com Marinho pedindo para sair do clube, num relato que ficou evidente que os dirigentes não perguntaram ao jogador, o conteúdo que ele falaria na coletiva pedida por ele, o que colocou o clube numa situação vexatória, quando o próprio atleta, funcionário do clube, pedir pra sair do time ao vivo para imprensa e grande público, já que estava passando na TV e redes sociais do clube.

Agora vem o Brasileirão

Depois de conquistar o Campeonato Baiano pela 29ª vez no último domingo, chegou a hora do Vitória “trocar a chave” e pensar no jogo deste domingo, que já é pelo Campeonato Brasileiro. Nossa diretoria precisa adiantar o lado e anunciar ótimas contratações, tanto para o elenco como definir o treinador certo e torço muito para que seja Eduardo Baptista, Levir Culpi, Marcelo Oliveira ou o próprio Nelsinho, pai de Eduardo Baptista. Por mais que eu reconheça o currículo de Ricardo Gomes e sua passagem na temporada 1999 onde fez a dobradinha sendo campeão estadual e regional, não consigo enxergar Gomes como a “solução” para o material humano que nós temos.

Dizem as “más línguas” que depois do AVC, Ricardo ficou com uma leve sequela na dicção e na velocidade do pensamento e que isso foi preponderante para ele ter ficado tão pouco tempo no São Paulo Futebol Clube. Boatos e preconceitos à parte, RG nunca foi um treinador vibrante, de botar o time pra cima. Ele é da linha mais cautelosa, sem ser excessivamente defensivo.

Nosso elenco precisa ser fortalecido ou vamos repetir a pífia campanha do ano passado e com o agravante de não ter um “doido endiabrado” como Marinho, que nos livrou do rebaixamento, na melhor temporada de sua carreira, já com 26 anos de idade e 7 de carreira profissional. Considero que precisamos dar a titularidade a Caíque ou partir para trazer um goleiro mais rodado e experiente na Série A, pois Fernando Miguel é muito inconstante e sentiu demais sua primeira participação na 1ª Divisão. Além disso, é necessário que a diretoria prospecte e busque, com carinho, um lateral esquerdo de verdade, dois zagueiros, um meia avançado central, que tenha mais vigor e habilidade que Cleiton Xavier, dois pontas com maior leitura de jogo (não basta só saber correr) e um centroavante mais eficaz e vívido que Kieza e André Lima. Ou seja, só aí eu listei 7 reforços.

Não há como negar, que só estamos na Série A neste ano por conta da excelente fase vivida por Marinho no Brasileirão passado.

Não acredito que Thallyson que está para ser anunciado hoje é este lateral esquerdo, conheço ele das passagens no Ceará e Flamengo e ele é do estilo Euller, isto é, razoavelmente bom no apoio, mas fraquíssimo na recomposição defensiva. Acho interessante a aposta em Todinho, que pode ser uma surpresa boa como foi Neto Berola entre 2009 e 2010, mas precisamos de dois extremos que já tenha disputado a Série A como titular e com relativo sucesso. Série A não é campeonato baiano. Enfrentar os 12 maiores clubes do eixo RJ-SP-PR-MG-RS é bem diferente de jogar contra as babas do boi cansado de nosso futebol, além de que vamos jogar 19 jogos fora de casa, e encarar estádios e torcidas grandes como Flamengo, Palmeiras, Corinthians, Grêmio, Atlético-MG, Cruzeiro, etc.

Infelizmente, este elenco montado às pressas até devido pelo processo eleitoral ter sido na 1ª quinzena de dezembro, parecia ser um time muito bom, com várias opções interessantes para o treinador. Só que não deu liga, fora que os meias mais famosos tiveram sucessivas lesões  jogaram menos de 5 partidas pelo rubro-negro, como Pisculichi e Dátolo, além do fato de Cleiton Xavier estar muito modesto do que já foi num passado recente, como no começo dos anos 2000, até boa parte de 2010. A intenção do Departamento de Futebol foi montar um elenco com duas ou três opções para cada setor, mas quem está conseguindo manter regularidade são os remanescentes de 2016 e a boa fase de David, que lembra um pouco a evolução de Elkeson durante a temporada 2010 e início de 2011.

Como não gosto de pintar o pavão, creio que com este grupo de jogadores que temos à disposição só posso dizer que brigaremos contra o rebaixamento. Este elenco precisa melhorar muito na atuação e consistência da mesma, para mudar minha opinião. Só com reforços pontuais e certeiros, além de um técnico verdadeiramente competente vejo uma saída para o Leão buscar a parte superior da tabela, ou seja, 10ª a 6ª posição.

Vitória Sempre!

A CANETADA DA PREGUIÇA E DA INVERSÃO DE VALORES

Acabo de saber que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), que deveria apoiar os clubes e valorizar o convívio pacífico de duas torcidas para qualquer jogo deste esporte, resolveu IMPOR, na tora, numa canetada, que os próximos 4 clássicos entre Bahia e Vitória serão com Torcida Única. Isso é um golpe ao direito de cada torcida acompanhar seu time em campo, ainda que seja como visitante. Ora bolas, o Estatuto do Torcedor já não limita a 10% para a torcida visitante e com medidas de segurança em sair do estádio após 30 minutos do término da partida, no mínimo? Não tem como engolir esta medida.

Conforme disse 48h depois do primeiro clássico de 2017: “para mim, as autoridades têm preguiça e má vontade em resolver de uma vez por todas a questão de brigas entre torcidas organizadas, este lobby para a inócua “Torcida única” não resolve patavinas, pois dentro dos estádios não houve confusão alguma nos últimos anos”. Isso para mim é a canetada da preguiça, pois é muito fácil para o MP e forças policiais não terem o trabalho de pesquisa, prisão temporária e medidas educativas para os brigões, que muitas vezes já são conhecidos pelas autoridades, por ter mais de uma passagem pela repetição dos delitos.

A Polícia Militar já sabe quem são os líderes de torcidas, várias reuniões já foram feitas nos últimos anos com os principais membros de cada T.O. das equipes, muitos dos associados à TUI e à Bamor já possuem fichas por envolvimentos em outras confusões. Portanto, a medida lógica aponta que a PM, sabendo-se de quem são os presidentes e vice-presidentes das duas torcidas, bem como dos associados que já foram detidos em situações anteriores, poderia muito bem fazer intimação aos “bad boys” para se apresentarem em determinada delegacia ou local indicado pela PM, duas horas antes dos clássicos, sendo libertados 1h após da partida. Na minha cabeça isso é tão simples. Falta vontade e iniciativa, ao meu ver, por parte das autoridades.

Outra medida racional e funcional é exigir que as diretorias de TUI e Bamor deixassem com a PM a lista atual de seus associados, com nome, sobrenome e endereço completo. Só assim para acabar com esta repetição de cenas lamentáveis. A PM é autoridade e sabe muito mais do que eu, o que poderia colocar como punição a quem discordasse de ceder as listas dos associados e daqueles que não se apresentarem às delegacias na situação citada (2h antes do clássico). Mas de antemão, sou contra esta babaquice inócua de torcida única. Não se pode punir quem sabe curtir o futebol por causa de “meia dúzia” de trogloditas. Torcida Única não evita, de maneira alguma, encontros marcados pela internet, e covardias em bairros próximos aos estádios.

Esta “canetada” da CBF, que obriga a dupla BaVi em seguir a simples recomendação do Ministério Público da Bahia ratifica a inversão de valores, pois os milhares de torcedores ordeiros “pagarão o pato” por causa de dezenas de otários que usam o “amor a time” para agir como gangues e brigarem com a “facção rival”. Quem se lembra aí qual foi a última briga ou confusão de torcedores baianos dentro de nossos estádios (Pituaçu, Fonte Nova e Barradão)? Vale ressaltar que há 20 dias as duas agremiações se reuniram e decidiram pela volta da torcida mista na Arena Fonte Nova, onde não foi computado nenhum registro de violência. Mais uma prova de quão é infeliz esta determinação do MP.

#TorcidaÚnicaNãoSolucionaProblemasDeOrdemPública

#AutoridadesPreguiçosas

#QueremAcabarComAmagiaDoBaVi

#BaViTorcidaUnicaNÃO

É vencer, ir à final e recuperar a moral

O Vitória encara logo mais o ECPP de Vitória da Conquista sabendo que não pode vacilar. Sabe-se que o empate garante o rubro-negro em mais uma decisão do Campeonato Baiano, mas ninguém quer chegar à Final com este tipo de resultado. Depois de ser eliminado na Copa do Brasil pelo modesto Paraná (que deverá tomar dois ferros seguros do Galo, nesta nova etapa da competição), uma parte pequena da torcida, porém barulhenta, já começou a pregar o caos e acreditem, até a TUI que se calou após várias decepções do time em campo, como eliminações terríveis de estadual e nordestão, incluindo até goleadas para o Ceará, passando por um rebaixamento anunciado desde o término do primeiro turno (temporada 2014), por um “quase rebaixamento” em 2016, além de pífias campanhas na Copa do Brasil de 2011 a 2015 (saindo quase sempre na primeira e segunda fase), a autointitulada maior T.O. do Estado, quer protestar hoje, dia de decisão, poucos momentos antes da partida! Durma com um barulho desses! Com certeza este ato é meramente político, já que a nova gestão parece não atender, nem facilitar as mordomias que a TO tinha até o ano passado junto aos dirigentes.

Ainda sobre o Paraná Clube – Não gostamos nem um pouco de sermos eliminados para este modesto clube de Curitiba, que há 10 anos está na Série B. Mas este ano foi a melhor campanha do Vitória na Copa do Brasil desde 2010, quando fomos finalistas. Chegamos a quarta fase. O fim da Era AP, incluindo CF e RV, a gente se comportava como times nanicos do Acre, Sergipe, Mato Grosso, Amazonas e afins, isto é, a gente durava, no máximo, até a segunda fase da competição. E agora que chegamos à 4ª fase depois de 6 anos, a TUI quer protestar e “causar” nos arredores do Barradão em pleno dia de decisão que vale a vaga para a Final, onde iremos brigar pelo bicampeonato. Sinceramente…Quando a TUI passou a ter membros no conselho deliberativo e gerenciar algumas lojas licenciadas do clube em shoppings centers da cidade, entre 2008 e 2016, o time poderia ir para a Série D e tomar 7×0 da Jacuipense, que não tinha um ato sequer, por parte da TUI, contra a gestão do clube e do time em campo. Mas agora uma eliminação para o Paraná virou “tragédia nuclear”, “vergonha nacional”.

Falando do jogo – Argel gostou mesmo do rendimento da equipe titular na partida da quarta-feira e vai repetir para o duelo de logo mais. Eu concordo em partes. Realmente jogamos relativamente bem contra o Paraná, mas faltou fazer os gols e nem mesmo as melhores chances foram aproveitadas, como as que Pineda teve. Portanto, novamente veremos Euller em uma de suas posições originárias, no meio de campo, todavia, como extremo esquerdo, o equivalente ao MAE (do Football Manager). A única mudança será apenas a entrada de Uillian Correia no lugar de Willian Farias, que saiu com dores musculares da última partida e, por isso, será poupado.

Já o Primeiro Passo tentará aprontar mais uma das suas em cima da gente. Incrível como este time de lá de Vitória da Conquista costuma nos dar trabalho, seja com o elenco que for, mas para o rival, eles abaixam as calças como uma rapariga em início de jornada laboral. Incrível. O ECPP (Vitória na Bahia só tem o de Salvador!) precisa vencer para chegar a decisão, onde, se por ventura (bate na madeira) vier a acontecer, sabemos que facilitarão para o rival. É de praxe. Desde 2008 (não engulo aqueles 5×0 estranho na ultima rodada e sei dos bastidores de 2015 quando levaram 6 na Fonte, mesmo tendo dado 3×0 no primeiro jogo).

Enfim, é jogo para o Vitória entrar ligado. Apesar de ter feito a pior campanha dentre os 4 semifinalistas, tendo, inclusive, a metade de pontos conquistadas pelo RUBRO-NEGRO, o Primeiro Passo tem mais garra e fibra que o Fluminense de Feira, que não deu um melo ao rival, mesmo tendo a segunda melhor campanha no certame. Temos totais condições de chegar a Final do Estadual e ganhar o bicampeonato em cima de nosso vice-predileto. Uma derrota hoje é início de crise no ECV, sem dúvidas. O que hoje está limitado a integrantes da TUI e um punhadinho de corneteiro, perdedores da última eleição no clube e pessimistas de plantão, ganharão a adesão da maior parte da torcida. E a imprensa não hesitará de propagar, aumentar e vilipendiar a atual gestão e o clube, em si.

Por isso mesmo, o VITÓRIA tem que fazer bonito hoje. Ganhe o diacho do jogo, mesmo que seja de 1×0 ou 2×1. O empate dará a classificação, mas só aumentará a sensação de instabilidade.

Vitória Sempre!

XÔ, ABUTRES | Vitória: Ame ou Deixe-o

Minha paciência com os pseudos torcedores do Vitória acabou, assim como acabou, também, a tentativa de entender porque alguns “torcedores” somem nas vitórias do time na tag de comentários do blog, mas, quando perde de forma decepcionante ou é eliminado de alguma competição, os “entendidos” do pessimismo se multiplicam como coelhos no cio e lotam os comentários depreciando o clube (que é diferente do time), destilam frustrações e baixa autoestima para o clube que se diz torcedor, influencia outros torcedores e ainda se ofendem com quem bate de frente com eles. CHEGA!

Xô abutres! Vitória: Ame ou Deixe-o.

Depois da eliminação perante ao Paraná Clube cerca de 6 torcedores que não aparecem aqui para comentar e comemorar os triunfos resolveram dar o ar da graça. Para variar, esculhambando o clube da forma mais tricolor possível, inclusive com expressões típicas das sardinhas para falar de “peso de camisa”, “camisa lisa” e outros que mentem ao dizer que passaram 5 décadas e o clube não mudou nada, só para ter o prazer de avacalhar. Mea Culpa – Bem, reconheço que lá atrás e em alguns momentos mais tensos e críticos, eu também publiquei coisas que depreciavam a marca do clube. MAS EU MUDEI. EVOLUÍ. Vi que estava sendo injusto, super emocional e, pior, estava replicando em mim todo o discurso de recalque da massa tricolor. E desde 2015 eu tenho me empenhado constantemente para quando fizer uma crítica mais pesada, sempre separar o amor ao clube das pessoas que quero atingir (seja jogador, treinador ou diretoria). Acho que o modelo a ser seguido é este.

Estou fazendo este texto porque eu não sou o único a ficar incomodado com o chamado “fogo-amigo”. Cerca de 6 pessoas nos últimos dias estão pautando os comentários do blog, justamente por propagarem expressões depreciativas ao ECV, além da tentativa de eternizar teses típicas de perdedores. Nem precisei responder aos pessimistas, pois os outros participantes foram na frente. Vale ressaltar que antes de mais nada, este blog tem algumas regras de convívio e para conhecê-las basta clicar aqui.

Estamos todos chateados pela eliminação diante ao Paraná Clube, que há dez anos está na Série B. Saímos sem fazer um mísero gol em mais de 180 minutos (contando os acréscimos das duas partidas), mas isso não justifica a gente descontar toda frustração e desamor ao clube com tanta ventilação de merda digitada, que visa tão somente DEPRECIAR o nome ESPORTE CLUBE VITÓRIA e sua linda história. Se somos carentes de títulos nacionais, temos outras coisas para nos orgulhar, como várias conquistas estaduais e regionais à base de muita luta, raça, o nosso Barradão, nossos ídolos do passado e alguns recentes, a quantidade de jogador que saiu daqui e ganhou o mundo como Bebeto, Dida, Junior Nagata e David Luiz.

Para encerrar, vai uma reflexão: Os torcedores do Santa Cruz, Náutico, Fortaleza e Ceará, por exemplo, não viram seu time do coração levantar título nacional e nem por isso vocês encontram eles depreciando seus times, seja nas redes sociais, grupos de torcidas de facebook (antigamente no orkut) e quando são entrevistados. Por que nossa torcida tem sempre esta atitude escrota com o próprio clube? Por que, qualquer derrota ou eliminação nós mesmos ressuscitamos os “mitos” de “time pequeno”, “camisa sem peso”, “amarelão”, entre outras mumunhas que as sardinhas adoram usar contra nós?

A partir de hoje, todo torcedor que violar a regra 3.1 deste blog terá seu nome jogado na lista de moderação, ou seja, para ser visto por todos, primeiro eu terei que ler e aprovar o conteúdo. É uma medida dura, mas tem que ser feita. Uma coisa é se revoltar com os resultados negativos, jogadores, treinador ou diretoria. Outra é esculhambar e depreciar o clube ECV com o pretexto de raivinha pelas derrotas que fazem parte do jogo.

VITÓRIA SEMPRE!