Mudam-se os caranguejos, mas o mangue é o mesmo!

Parece que estamos sob mais um Estelionato Eleitoral no ECV. De 2016 pra cá, os candidatos se apresentam com projetos bonitos, papo agradável e convincente, mexem com o brio da torcida, elevando autoestima, mas quando assumem começam a fazer uma sucessão de merdas e, por isso mesmo, os últimos presidentes não conseguiram terminar mandato. Carlos Falcão não resistiu após 15 meses de mandato, Ivã se afastou com cerca de 4 meses e em 7 já tinha pedido renúncia para fugir de um processo por gestão temerária. O seu sucessor-tampão, Ricardo David, também não aguentou 15 meses no cargo e agora com PC, tudo caminha para o mesmo destino. Se bem que eu acho que vai ser muito difícil ele renunciar ou ser forçado a sair, mas a torcida e parte da imprensa não vão aceitar um novo rebaixamento à Série C (que está desenhada) e piorará mais ainda se perder o campeonato baiano de 2020 tal qual foi o de 2019, na primeira fase. Aí meus amigos, não vai ter clima nenhum e PC pode sucumbir, até com ações dos cardeais que o apoiaram nas últimas duas eleições.

Paulo Carneiro não teve arma apontada em sua cabeça, nem foi algemado e torturado para aceitar voltar ao clube. Ele procurou isso, ele se pôs como candidato lá mesmo no final do ano de 2016, tentou mais uma vez ao final de 2017 quando Ivã renunciou e agora no meio de ano, depois que todos os conselhos e sócio-torcedores decidiram pela antecipação das eleições deste ano, que seriam em setembro. Portanto, por mais que Carlos Falcão, Raimundo Viana, Ivã de Almeida e Ricardo David tenham deixado dívidas a pagar, elencos fracos e cofres combalidos, quem se autoconclamou “mito” e com “expertise” para solucionar os problemas têm que apresentar resultados e ser cobrado por não estar conseguindo. E ele estava ciente dos problemas do ECV, vivia dizendo isso no A Ideia do Jogo, que tinha informante lá dentro, tanto é que várias coisas que chegaram a público foram através dos áudios dele do canal do YouTube e de sua Linha de Transmissão do WhatsApp.

Não sou louco nem mau caráter de dizer que a culpa maior é dele. Longe disso. Ele pegou um cenário devastador, um elenco mocorongo, cheio de jogadores podres, sem fibra, sem garra, sem moral e sem competência nem pra ser ídolo dos menores times dos menores centros de futebol do país. Mas ele também contratou jogadores com o mesmo DNA, vide Dedé (que ainda não jogou porque não agradou nem Tencati nem Loss), Van e Gabriel Bispo (que só conhecem o futebol baiano), Romisson, Matheus Manga, Anselmo Ramon, Ítalo (chutado como ruim pelo rival) e renovou com Neto Baiano com uma barriga que parece a curvatura de um berimbau ou de uma cadela prenha. O nível de contratações segue o mesmo padrão de [falta de] qualidade do seu antecessor, RD, tão criticado por ele em seus áudios diários de combate a quem quiser que fosse o presidente. Bastava não pertencer ao grupo dele, que ele fazia inferno, potencializando crises e se fortalecendo delas, inclusive! O time não podia empatar ou perder um jogo sequer que tinha áudio tocando o terror.

Além de contratar um bonde, afastou jogadores sem ter condições financeiras de rescindir os contratos, o que potencializa a insatisfação e a fofocaria dentro do grupo, que desmotiva os outros atletas. Edcarlos não é um primor de zagueiro e vinha falhando em alguns jogos, mas era o titular absoluto da zaga e fazia seus golzinhos de vez em quando e foi retirado abruptamente do grupo, depois tiveram os casos de jogadores que pediram pra sair do clube, o que demonstra que o ambiente dentro do clube é o pior possível. Victor Ramos e Léo Ceará já são titulares do CRB e já fizeram gols por lá, o centroavante já fez 3 gols em 4 partidas, enquanto no Vitória ele tinha feito 3 gols em 18 jogos. Sintomático!

Para encurtar a conversa, o time tinha jogado razoavelmente bem contra o Sport no sábado passado. Teve um momento da partida que o Vitória teve 70% de posse de bola e criado várias chances de gols, inclusive pela boa estreia de Wesley (talvez a melhor contratação de PC até aqui), e pouco antes da partida, PC tinha soltado um áudio enaltecendo a evolução física dos jogadores, comparando até ao padrão europeu, aí depois do placar em 3×1 pro time pernambucano, solta outro áudio, desta vez para os jogadores, em um grupo restrito a atletas e Comissão Técnica, dizendo em bom português que todos estavam gordos, fora de forma, de um modo que até pode caracterizar como Assédio Moral, pois constrange atletas, como foi quando ele citou Neto Baiano “que deveria treinar mais e comer menos, pela idade dele” e de um reforço com viés pejorativo acerca do peso de Nickson. E é claro que isso se refletiu em campo ontem. Com 2 minutos de jogo o placar já apontava 1×0 com gol contra e uma defesa milagrosa de Ronaldo à queima roupa! Não vimos o ímpeto do jogo anterior contra o Sport, vimos um time burocrático que parecia jogar apenas por “obrigação protocolar”. E o placar de 3×0 para o modesto time do Oeste, que não vencia há 5 jogos e que tem como dupla de zaga Kanu e Maracás só reforça a minha tese: PC perdeu o grupo e vai ser sabotado daqui pra frente.

Mudam-se os caranguejos (presidentes/diretorias) mas o mangue continua o mesmo! Não consigo vislumbrar um futuro positivo ao Vitória. Talvez só com uma intervenção ou algum grupo estrangeiro ou nacional resolver “comprar” o clube e tratá-lo como uma empresa que queira crescer e se destacar no mercado, como o Red Bull faz pelo mundo afora ou com um magnata que queira se estabelecer e ter prestígio no futebol como alguns que conhecemos do futebol europeu, a exemplo do dono do Chelsea, Roman Abramovich.

A verdade, é que lamentavelmente, Paulo Carneiro perdeu a mão e sua credibilidade com boa parte de seus eleitores começa a cair assustadoramente e ele vem se mostrando ser uma continuidade de Carlos Falcão, Ivã e Ricardo David. Não sou muito afeito a ele como pessoa, nem com a ideologia política que ele defende, mas acima de tudo EU SOU VITÓRIA e esperava que os militantes dele estivessem com a razão, eu errado e que ele, realmente, pudesse dar uma resposta rápida e tirar o Vitória do buraco que os antecessores o jogaram. Mas estamos vendo a continuidade do apequenamento e possível fim do Esporte Clube Vitória.

Estou triste, sem chão e altamente desolado.

Chega do 4-3-3 no Vitória! É hora de se reinventar e sair da mesmice!

O uso indiscriminado da formação 4-3-3 é um problema de todo o futebol brasileiro e não apenas do Esporte Clube Vitória. Desde o estouro desta ideia de jogo com o Barcelona de Guardiola no período 2006-2010, os clubes pelo mundo a fora – e principalmente os brasileiros – resolveram extinguir o 442 e demais esquemas para só jogar no 433 tentando imitar ao máximo a postura do Barcelona. Já são quase 10 anos em que todos os principais clubes brasileiros atuam nessa formação e são poucos os que se estabelecem, e dentre os que se estabelecem com essa formação, estão os clubes mais endinheirados e que podem contratar melhores jogadores, além de toda infraestrutura do clube, que por consequência, fortalece esse esquema de jogo na formação, isto é, nas divisões de base.

Tudo que começa tem o seu fim Acredito que estamos no limite do uso desta tática e isso reflete bastante a diminuição de times brasileiros vencedores de Libertadores e Mundial de Clube e da própria Seleção não ganhar uma Copa há 17 anos! E esse desgaste chegou com muito mais força no EC Vitória. Já são 6 anos atuando nesse esquema de jogo, independente do treinador que chegue. Aliás, é outro sintoma da doença que assola o futebol nacional. Nossos treinadores enraizaram esse esquema de jogo e parecem não ter mais força para sair desse vício. 

O Vitória não tem o mesmo poderio financeiro das equipes do eixo para contratar os jogadores mais adaptados e talhados para o 433, fora que os jogadores que atuam no país são arredios a treinamentos mais longos na questão tática e de fundamentos, ao contrário dos que atuam na Europa, pois ou eles aceitam isso ou perdem espaços pelo Velho Mundo e regressam ao Brasil. Os times nacionais mais acostumados com o 433 e mais endinheirados investem em jogadores que já enraizaram o esquema e a parte tática atuando pelos clubes europeus. Lá, na Europa, os jogadores são obrigados a serem profissionais. Aqui há boleiros e tem uma diferença enorme entre ser boleiro e ser jogador profissional, em sua essência.

A última temporada que o 433 se deu bem no Vitória foi em 2013, mas se não tínhamos jogadores com carreiras longas na Europa, em contrapartida tínhamos atletas de maior qualidade técnica e treinadores que conseguiram tirar o melhor da equipe naquela proposta de jogo (Caio Jr e Ney Franco). De 2016 pra cá, o Vitória tem formado times muito ruins e com jogadores, principalmente os extremos, muito fracos para o esquema. Nossos extremos não voltam para marcar e nossos volantes não cobrem as laterais, por isso é comum vermos o Vitória todo arreganhado quando os adversários retomam a bola. Os dois últimos gols do São Bento no sábado passado confirmam isso! 

O principal fator de nos últimos 3 anos o Vitória ser a pior defesa nos campeonatos nacionais não é culpa exclusiva da dupla de zaga, tudo começa com a marcação lá em cima, dos extremos e dos volantes. Não vemos isso no Leão da Barra. No nosso caso é bem pontual, como o Felipe Garcia que costuma marcar a saída de bola do adversário e com isso já conseguiu retomar a bola e criar dois gols. Isso deveria ser feito por mais jogadores e não por um e outro, esporadicamente. Sem a recomposição dos extremos como meias centrais para defender-se e sem os volantes reta-guardando as laterais, o rubro-negro vira presa fácil para os times minimamente organizados e treinados. E até os times ruins crescem por conta desse grande buraco defensivo que começa lá na frente com nossos jogadores ofensivos.

Tem tanto time aí com dupla de zaga pior, mas que não toma tantos gols, justamente por ter maior compactação e participação de jogadores de frente na recomposição defensiva. A dupla de zaga do Oeste-SP é Kanu e Maracás. Só tomaram dois gols nesses 4 primeiros jogos. Nós tomamos DEZ. Kanu e Maracás passam longe de ser zagueiros de topo, tipo Kanneman e Geromel, Victor Cuesta e Moledo, Rodrigo Caio e Léo Duarte.

OSMAR LOSS é o novo treinador do Vitória para a sequência da Série B

Acredito que o Vitória deva abolir, temporariamente, o esquema 433 e voltar a jogar no 352 ou no 361, ou seja, povoando mais o meio de campo, já que não temos pontas de extrema qualidade, velocidade, poder de finalização e muito menos de recomposição defensiva. Ou até mesmo reativar a tática que deu fama e títulos ao Futebol Brasileiro, o clássico 442, que parece ter virado crime hediondo nas mentes da imprensa e de treinadores brasileiros. Foi no 442 que a Seleção se tornou hegemônica e venerada nas copas, foi no 442 as melhores campanhas do Vitória no cenário nacional. A exceção foi a campanha de 1999 quando atuávamos no 433 com Artur, Tuta e Cláudio no ataque; Otacílio, Baiano e Fernando na meiúca.

Que o novo treinador, anunciado hoje, Osmar Loss, venha com isso em mente e varie a tática. Perceba que não temos jogadores capacitados para atuar no 433, pois eles não possuem características de marcação. Pelo fato de ter menos pessoas no meio de campo é obrigatório que os pontas voltem pra ajudar o setor, marcando pelo centro enquanto os volantes abrem para cobrir as laterais. Isso é óbvio. E o Vitória faz tudo ao contrário e digo sem medo de errar que somos o time que joga mais errado e mais feio dentre os 20 da Série A e os 20 da Série B.

Vitória Sempre!

Presidente apresenta mais 4 atletas e tem mais chegando

Foto: ASCOM/ECV

Ontem (06/05), o Presidente do Clube, Paulo Carneiro, apresentou mais quatro jogadores para o elenco principal do Leão da Barra: o lateral direito Van e o volante Gabriel Bispo, que vieram do Bahia de Feira, o volante Romisson (ex Guarani) e o atacante Ítalo (ex São Caetano). Essas novas contratações seguem o processo de reformulação do elenco para a disputa da Série B, em que o presidente foca o acesso à elite, como salva-guarda financeira do clube, como também pelo valor da autoestima da torcida. E apesar de não serem jogadores “tarimbados”, de “nome” e “prestígio”, são atletas que estão querendo crescer na carreira e isso muita das vezes é o que mais dá certo, já que eles encaram o clube como um fator preponderante para seu crescimento no cenário e não como retrocesso profissional, como costuma acontecer com medalhões balzaquianos. 

Além destes atletas apresentados nesta segunda-feira, o clube já está prestes a anunciar o também volante Marciel, do Corinthians, e do centroavante Marcelo, da base do Cruzeiro. Há também tratativas com o atacante Léo Passos, do sub23 do Palmeiras. Todos esses primeiros contratados da Nova Era PC são jogadores de 20 a 24 anos, mudando completamente o viés de Ricardo David, que entupiu o time de jogadores veteranos desde o ano passado com Arouca, Aderllan, Neto Baiano, Fabrício, Edcarlos, entre outros.

Se tá chegando gente, por outro lado tá saindo também. Nas últimas semanas já deixaram o clube vários jogadores como Edcarlos, Fabrício, Yago, Benitez, Arroyo, Jeferson, Cedric (vai ser emprestado ao Bahia de Feira) e Leandro Vilela. Ainda não tive a confirmação se Thales e Wesley Dias deixaram o clube, mas o sumiço deles na relação já indica muita isso. Outros que podem pegar a pista é o zagueiro Ramon e os centroavantes Léo Ceará e Neto Baiano (com contrato até o final deste mês). Portanto, está sendo feita uma grande e necessária reformulação do plantel e com razão, já que este grupo de jogadores não conseguiu render nada nas primeiras competições do ano e colecionou mais vexames que criança colecionando álbum de figurinhas de campeonato brasileiro!

CARTOLA FC

Vamos falar um pouco de nossa liga. Passadas 3 rodadas, meu time Kattaclysma está em 5º lugar e fez 55,73 pontos na #Rodada3. No geral já tenho 175,95 pontos acumulados. O G3 da liga está assim: Ferreiro FC, V-i-t-ó-r-i-a e FC Baiano. A partir desta rodada não tem mais as regras específicas e vale a “lei” de jogador negativado valorizar caso pontue bem e positivado desvalorizar caso tenha pontuação ruim. Não perca tempo, o mercado fecha no sábado às 14h, monte logo seu time clique aqui para fazer parte da liga do blog.

Vitória 2×1 Vila Nova | O jejum acabou!

Finalmente acabou a inhaca e o Vitória voltou a vencer depois de 3 meses e de virada, que dizem que é mais gostoso! O torcedor rubro-negro já estava tendo o amargo sabor de se sentir um torcedor do Íbis, tamanha a falta de vitórias leoninas nos últimos tempos. Nas últimas 60 pelejas oficiais, apenas 12 vitórias e 4 em mais de 20 apenas nesta temporada! Mas toda essa “ziquizira” foi embora ao apito final do árbitro, quando o placar marcava Vitória 2×1 Vila Nova/GO. Entretanto, não foi um jogo fácil e sequer o rubro-negro fez uma boa partida. Vamos ao relato da partida:

Primeiro Tempo Ainda sem a reformulação devida do elenco, até pelo pouco tempo que o novo presidente tem que assumiu, vimos ainda uma base gofada jogar, entretanto com muitas mudanças no line up com os dois extremos sendo com meninos da divisão de base: na esquerda Caíque Souza e na direita o lépido Ruan Potó, que se tornou o nome da partida. Por ainda estar com um time fraco tanto tecnicamente como mentalmente, o Vila Nova foi melhor em campo e teve mais chances de gol. Aos 15 min, Caíque teve que defender uma bomba de fora da área do meia Helder, do Vila. Seis minutos depois, Joseph lançou Jeferson e não é que o maldito, que não acertou nenhum cruzamento em quase 2 temporadas no Leão, na primeira que pegou livre, acertou? Cruzou na medida para Neto Moura abrir o placar e deixar a torcida do Vitória com aquela cara de que viria mais uma tragédia. Not Today – Quatro minutos depois, o preguiçoso Andrigo teve um lampejo e lançou para Ruan Potó, que balançou e deixou seu marcador no chão e chutou no canto, a bola desviou na zaga, matando o goleiro do Vila. Vitória 1×1. A virada quase veio ainda no primeiro tempo, quando Neto Baiano cabeceou forte para excelente defesa do goleiro Rafael Santos.

Segundo Tempo Levemente mais organizado em campo, o Vitória tentava virar o jogo, mas cometia muitos erros de passes. Já o Vila foi muito bem nos contra ataques e por incrível que pareça, foram eles que tiveram as melhores chances de gol. Uma delas logo no começo da etapa complementar numa cabeçada do atacante Bruno Mota, depois com Capixaba que chutou pra fora de frente com Caíque, outro chute que passou tirando tinta da trave de Patrick Willian, aos 25 min, e a mais perigosa de todas e que seria um castigo enorme para a torcida rubro-negra: a bola em que Jeferson foi lançado e encobriu Caíque…a bola passou bem perto do gol. Imagine, o cara que era um dos mais criticados do elenco, que não tem nem 15 dias que nos deixou, fazer um gol e uma assistência contra nós? Que susto! E como quem não faz, toma, o rubro-negro foi certeiro e ratificou mais uma vez este ditado futebolístico: Aos 44 minutos, numa saída de bola errada dos zagueiros do Vila, Felipe Garcia (que entrou no lugar de Caíque Souza, lesionado) tomou a bola e cruzou na área, para Ruan Potó bater de canhota, virar o jogo e sair pra galera! Vitória 2×1! Acabava assim o jejum do Leão!

Ruan Potó, 20 anos, se emociona com seus dois gols em seu primeiro jogo como profissional.  Foto: Correio24h

Enfim, voltamos a vencer, mas tá claro que com este elnco não dá. O presidente Paulo Carneiro e sua diretoria precisam vestir as fantasias de sapo e darem seus pulos para reforçar este plantel, que ainda tem muita gente pra cair fora! Não faltou vontade hoje, mas a qualidade técnica deste grupo de jogadores é muito limitada e não permite nada mais que lutar contra o rebaixamento à Série C. Time muito ruim e aquém da história do clube. Esta é a realidade! O próximo jogo do Leão será na próxima segunda-feira, 13/05, dia do aniversário do clube, quando enfrentará o Guarani, em Campinas.

PONTO POSITIVO Ao final da partida, o presidente Paulo Carneiro “quebrou o protocolo”, desceu no campo de jogo e mesmo com a chuva forte que estava rolando, foi lá para abraçar e cumprimentar os jogadores. Fato pequeno, mas que faz toda a diferença, já que tivemos muita omissão e distanciamento dos últimos dois presidentes para com os atletas.

PAULO CARNEIRO tem VITÓRIA GIGANTE e retorna à presidência do Leão

Depois de 14 anos, PC retorna à presidência do Leão, com vitória avassaladora no 1º turno!

Impulsionado pelos sucessivos presidentes estúpidos que assumiram e deixaram o clube antes de terminar os seus mandatos, o ex-presidente Paulo Carneiro atropelou nas eleições deste ano e com mais de 66% das intenções de votos, voltará a ser presidente do Leão depois de 14 anos. PC, como também é chamado, recebeu 1.474 votos, enquanto o segundo colocado, Raimundo Viana, teve apenas 685 votos.

Carneiro foi presidente do Vitória entre 1991 e 2000 e depois do Vitória S/A de 2001 a 2005, quando foi forçado a renunciar, após dois rebaixamentos seguidos (da Série A para a C em menos de 20 meses). Após deixar o clube, PC tentou primeiramente se firmar como empreendedor em diversas áreas e oportunidades. Sem sucesso, voltou ao futebol sendo consultor e diretor de futebol em clubes pequenos como Volta Redonda, Fluminense de Feira e Bahia, causando muita polêmica na rivalidade Ba-Vi. Foi demitido nove meses depois de assinar com a sardinha, daí PC sumiu por um tempo e retornou com relativo sucesso no Atlético PR, como Diretor de Futebol, ficando 1 ano e meio no rubro-negro paranaense.

Desde 2016, PC tenta retornar ao comando do clube, perdendo as eleições de 2016 e de 2017 para Ivã de Almeida e Ricardo David, respectivamente. Agora, sem precisar fazer muito esforço e contando com a torcida “pê” da vida com os dois últimos palermas que passaram na presidência do clube, PC venceu com uma vantagem avassaladora, além de eleger com maioria o Conselho Deliberativo e ter ficado com o Conselho Fiscal.

Só me resta parabenizar o vencedor, que ele consiga recuperar a sua boa imagem com a torcida, como tinha nos anos 90 e início dos anos 2000. Faça um bom trabalho, dê alegria a torcida (que tanto precisa!!!) e que os novos conselhos saibam separar apoio eleitoral de idolatria cega. A função do Conselheiro Deliberativo e do Conselheiro Fiscal é fiscalizar e controlar as ações do presidente, observar se estas estão de acordo com o Estatuto e com as boas práticas de governança, gestão e transparência e não de agir como fã-clube.

O novo presidente, que terá como vice, Luiz Henrique Pereira, já tomou posse e assume oficialmente o comando do Vitória nesta quinta-feira (25).

Foto: Vagner Souza (Portal Galáticos Online)

Prints de alguns artigos da minuta do novo estatuto

Segue aqui alguns dos artigos mais interessantes que pincei da nova minuta. Enquanto a minuta não estiver postada no site oficial eu não vou postar a íntegra aqui. Se sou contra vazamentos de documentos do clube, eu tenho que prezar pelos ritos. Se o documento total ainda não foi disponibilizado oficialmente, não será eu que vai vazá-lo. Entretanto, os trechos eu posso postar, até porque é de suma relevância para o conhecimento da torcida, até mesmo pra evitar que seja ludibriada por quem está louco pra retornar ao clube e tem enorme dificuldade de seguir os ritos estatutários, por estar acostumado a agir como proprietário do clube e que os demais órgãos são meras peças decorativas e que por isso não deve dar esclarecimentos, nem solicitar autorização para contrações de empréstimos e de desfazer de bens móveis e imóveis do clube.

 

Liga Cartola FC 2018 e Arena Fonte Nova

Olá galera, com quase três semanas de atraso vim aqui trazer como terminou a nossa liga do blog no Cartola FC neste ano de 2018. Bem, o grande campeão desta temporada foi o time “Danilo é Noob” do cartoleiro Deivid Ludovico, em segundo lugar ficou o meu time (Kattaclysma) e em terceiro lugar o Vitória Czar de Bruno Resende! Parabéns ao grande campeão e a turma que terminou entre os seis primeiros. Ano que vem tem mais e assim como evoluí de 2017 pra 18, eu pretendo novamente vir forte em 2019 no fantasy game do nosso amado Brasileirão! E quero muito o título inédito ficou razoavelmente perto este ano. A diferença do campeão para meu time ficou em 69.01 pontos!

Sobre o VITÓRIA – Ontem rolou mais uma reunião do Conselho Deliberativo e a pauta mais importante foi sobre a Arena Fonte Nova. Entretanto, para a decepção da maioria dos conselheiros, Ricardo David não apresentou nenhum dado ou proposta oficial que o Vitória teria recebido para jogar lá. A expectativa era de que RD iria chegar lá com a proposta do consórcio AFN e botaria em debate com posterior votação se o clube aceitaria ou não a proposta. Mas, segundo o presidente, ele e o vice-presidente Francisco Salles terão a primeira reunião referente ao tema hoje com os envolvidos da Arena Fonte Nova e que posteriormente a proposta será levada ao Conselho Deliberativo para devida apreciação e discussão acerca do assunto.

Minha opinião é de favorável jogar toda a Série B lá se a proposta financeira for muito boa para o EC Vitória (R$ 5 milhões ou mais para fazer os 19 jogos da Série B na Arena). Vale a pena lembrar que este ano de 2019 será muito atípico, com o Vitória descendo de 40 mi de cotas para R$ 9 milhões. Portanto, toda receita nova que venha melhorar os cofres do clube serão bem vindas. O próprio Ricardo falou ontem na reunião, que a ideia inicial é discutir uma possível parceria com a Arena apenas para a próxima temporada, pois ele não pensa em contrato longo que poderia impactar outras gestões a frente (em setembro de 2019 terá eleições gerais no clube novamente). Essa negociação tem que ser feita com muito cuidado e critério, buscando, no mínimo, a isonomia da AFN em relação ao tratamento dado ao rival, tanto em valores financeiros como na maldita customização.

Termino o texto lembrando que a decisão de jogar na Arena ou não será exclusiva do Conselho Diretor, que é composto por Ricardo David (presidente) e Francisco Salles (vice-presidente). Não é papel do Conselho Deliberativo decidir sobre mando de campo do clube. Entretanto, a diretoria executiva do clube quer ouvir os sócios e os conselheiros para tomar uma decisão não monocrática.