Vitória se reapresenta hoje com muitos jogadores jovens e duas novas contratações

O Vitória inicia a pré-temporada do ano 2018 a partir das 15h de hoje quando se reapresenta no Barradão. Com várias saídas de atletas da última temporada, o elenco que se apresenta hoje no Centro Manoel Pontes Tanajura está repleto de meninos da base e de alguns remanescentes do último ano. Confiram abaixo quem estará hoje de volta ao batente:

Goleiros: Fernando Miguel, Caíque, Ronaldo e Wallace;
Laterais: Juninho, Alef e Lucas;
Zagueiros: Ramon, Wallace Reis, Bruno Bispo e Josué;
Volantes: Willian Farias, Uillian Correia, José Welison, Fillipe Soutto e Darlan;
Meias: Cleiton Xavier, Jhemerson, Todinho, Yago e Alex Galo;
Atacantes: Kieza, Tréllez, Rafaelson, Neílton, Gabriel Pereira e Denílson;

Esse Lucas é o que jogou 32 das 38 partidas do Fluminense na última Série A e que teve um começo avassalador no Coritiba e passagens medianas no Botafogo e Palmeiras. No Fluminense foi titular em quase todo o brasileirão e se não fez uma campanha espetacular, também não foi ridícula. Já o atacante Denílson é o que se destacou no primeiro semestre de 2017 com a camisa do Avaí, quando fez 12 gols em 21 jogos. Foi contratado pelo São Paulo para o Brasileiro e por lá não teve a mesma sequência de jogos, sendo reserva na maioria dos jogos. Trata-se de um atacante de velocidade, de beirada de campo e com bom poder de finalização.

Além destas duas novidades, o Vitória pode anunciar em breve a vinda de outro destaque do Avaí em 2017, o lateral esquerdo Capa, que fez um belo campeonato pelo time avaiano. Outra novidade e que já pode ser vista no BID publicado no site da CBF é o retorno de Nickson ao Leão, após uma temporada emprestada no Cruzeiro.

Anúncios

A BASE SALVA, A BASE É A SOLUÇÃO

Novamente chegamos a um final de temporada com alguém das divisões de base em alta no mercado. A joia desta vez é David, meia/atacante de 21 anos que teve em 2017 a sua primeira temporada como titular, de fato. Pois em 2015, seu primeiro ano entre os profissionais, ele foi mais reserva que titular, assim como em 2016. Vale ressaltar que o menino David sofreu na mãos da torcida rubro-negra neste período, e que continua tendo uma paciência de Jó com quem é estrangeiro ou vem do eixo sul-maravilha e cornetagem severa a quem vem das divisões de base, mesmo que o cara tenha 18-20 anos e tenha jogado (quantitativamente) menos que os considerados medalhões.

Realmente, David ainda não é um jogador completo, precisa evoluir bastante nas finalizações e melhorar sua regularidade nos jogos, mas o que ele vinha sofrendo era um exagero que me envergonha. Nossa torcida precisa urgente rever este tipo de comportamento, pois é a Base que salva financeiramente o clube. Estamos vendo vários clubes do eixo sul/sudeste querendo o cara, que para muitos de nós, não prestava! O Cruzeiro é a primeira equipe que chega com uma proposta oficial (de R$ 8 milhões), o resto é só sondagem. Eu não venderia por este valor. Pela sua idade e potencial, eu só me desfaria de David se for pelo dobro do valor posto pelo Cruzeiro, com o Vitória tendo 25% de uma próxima venda. Temos que parar de nos ver como o coitadinho neste tipo de transação. Vários clubes pelo mundo cresceram e mudaram seu status quo a partir do momento que pararam de ser “bondosos” com os clubes maiores em negociações de seus jogadores jovens e promissores, a exemplo do Atlético de Madrid, Sevilla e Borussia Dortmund.

Ainda bem que o novo presidente, Ricardo David, parece pensar do mesmo modo que eu e vai fazer de tudo para permanecer com o jogador ou vender a um preço mais elevado e com maior proteção ao clube numa suposta venda futura. Ao contrário de Sinval Vieira que deu Geovane ao São Paulo, Yan ao Palmeiras e Nickson ao Cruzeiro.

Outro jogador nosso está bem cotado no Mercado da Bola, que é o centroavante colombiano Santiago Tréllez, com contrato até dezembro de 2018. A nova diretoria executiva do Leão pretende ampliar o vínculo de Tréllez com o rubro-negro, e consequente aumento da multa rescisória. Ontem na apresentação do novo Diretor de Futebol do Leão, Erasmo Damiani, ficou claro que há pensamentos neste sentido. A única forma de diminuir a distância dos times do nordeste perante os do sul e sudeste é saber vender bem seus jogadores, além de prospectar mais e melhor em diversas regiões do país e no exterior, como frisou Ricardo David em sua campanha eleitoral.

Formação do Elenco – Diferente dos anos anteriores, o novo presidente já falou em bom português que não apresentará o famoso Pacotão de Natal para dar uma satisfação a torcida. Medida marcada na passagem de Jorginho Sampaio, Alexi Portela e Raimundo Viana na gestão do ECV, o novo presidente afirmou que “este tipo de atitude já mostrou que dá errado”. Até o momento os nomes buscados estão sob sigilo absoluto e a imprensa baiana deve estar pilhada com isso, pois não estão mais sendo vazados e eles têm que ficar especulando sem nenhuma base concreta. Espero de coração que assim que surgirem os primeiros reforços, sejam de jogadores com algum conhecimento nosso, ou se for desconhecido tipo Yago e Caíque Sá, venham a ter um desempenho igual ou superior. Outra coisa também foi que o Vitória já divulgou que Danilinho, Geferson, Alan Costa, Renê Santos e Fred não terão seus contratos renovados e outros que também não deram o resultado esperado poderão seguir o mesmo rumo.

Vitória Sempre!

Vitória terá desfalques importantes para o último duelo da temporada

Passada a euforia da reviravolta brilhante do jogo da Ponte Preta em Campinas, é hora de assentar a cabeça, ter serenidade e seguir em frente. Neste sentido, o rubro-negro já está ciente de que não poderá com 4 jogadores que foram titulares no último domingo: Wallace, Geferson, Tréllez e David. Os três primeiros por suspensão de cartão amarelo e o último é uma notícia muito ruim não só para a torcida, como para o futuro do jogador, que está, supostamente, negociado com o Palmeiras. A informação é de que David está com grau 3 em uma das coxas e está descartado para o duelo contra o Flamengo. Em sua primeira temporada como titular do clube, o jovem de 22 anos está chamando a atenção do eixo sul/sudeste, apesar da perseguição sinistra de parte da nossa torcida.

Mancini terá que mostrar que sabe se virar, além de ter sua leitura de jogo e coerência testada mais uma vez. Vale ressaltar que a torcida não atura mais o jogo improdutivo de Neílton e o desfalque de David não pode justificar a sua permanência na equipe. Mancini precisa colocar jogadores que estejam a fim de contribuir, de se doar em campo e de ser agudo no ataque. Neste sentido – e quem diria – o certo é escalar Danilinho no lugar de David, André Lima centralizado e Carlos Eduardo compondo o meio de campo.

Ficou nítido que estas duas mudanças feitas pelo treinador deram certo. Carlos Eduardo e Danilinho mostraram vontade, disposição e foram fundamentais para aquela virada que até hoje estamos extasiados. Não me venha com Kieza no time titular, pelo amor de Deus, Mancini! Além de estar sem ritmo de jogo, K9 realmente não se encaixou no Vitória. Muito disperso, pouco combativo, sem vibração e muito omisso. Por mais que seja até um bom finalizador, estas outras características devem ser levadas em consideração para não começar a partida como titular. Bote quem quer alguma coisa com a “hora do Brasil”, Mancini!!

Já no setor defensivo, Mancini tem a opção de colocar o promissor Bruno Bispo (que nas partidas que atuou não comprometeu) na zaga e permanecer com Ramon como volante, ou deixá-lo no banco para a entrada de José Wellison, que é da posição e tem melhor saída de bola que o camisa 40. Não fará sentido algum escalar Alan Costa ou Fred na zaga. Ou ele recua Ramon ou coloca Bruno Bispo. Já na lateral esquerda, nada de Thalysson, viu Mancini? Num jogo valendo a nossa “vida” para 2018 não podemos colocar um jogador que falhou grosseiramente em todos os jogos em que atuou. É bem melhor improvisar Patric na lateral esquerda e botar Caíque Sá na direita do que ressuscitar Thalysson.

NOVAS ELEIÇÕES PARA PRESIDENTE TEM DATA MARCADA

Estou que nem Argel nessa foto: Desolado, meio abatido e indeciso.

Saiu hoje no Jornal A Tarde o edital de convocação para a Assembleia Geral Extraordinária (AGE) que irá eleger o novo presidente do Clube após a renúncia de Ivã de Almeida, no último domingo. Será na quarta-feira do dia 13/12, a partir das 8h da manhã. Pelo que saiu no edital, o sócio-torcedor apto a votar (ter 18 ou mais meses de associação ininterrupta) só poderá votar para o cargo de presidente. Ou seja, Agenor Gordilho segue como vice-presidente do Conselho Diretor.

Os concorrentes derrotados em dezembro do ano passado já estão se articulando para esta nova empreitada. Ricardo David, da Chapa Vitória de Todos Nós, foi o primeiro a oficializar sua nova candidatura ao cargo. O ex vice-presidente do clube, na gestão RV, Manoel Matos formou um chapão envolvendo Paulo Carneiro, Adhemar Lemos, Jorginho Sampaio e Aléxi Portela. Nesta chapa Manoel Matos será o Presidente e Paulo Carneiro o Diretor de Futebol.

Último colocado nas eleições de 2016, Raimundo Viana ainda não oficializou se vai concorrer. Segundo o próprio ele está analisando com sua “base” a viabilidade ou não de sua candidatura, já que ele diz que não pretende concorrer por concorrer. Há o burburinho que nomes como Fábio Motta (secretário municipal de ACM Neto), Paulo Magalhães (vereador) e Silvoney Salles (ex vereador e médico do clube) lançarão suas respectivas candidaturas ao cargo.

Diferentemente de 2016, eu não irei fazer “campanha” para nenhum dos nomes que começam a ser ventilados para o cargo. Ainda não me decidi em que votarei e levarei esta dúvida comigo até o dia 13. Só antecipo que não votarei na chapa de Manoel Matos de maneira alguma. É 100% de rejeição por minha parte. Infelizmente, os demais nomes também não inspiram 100% de certeza de que vão levar o Vitória a um patamar de maior destaque estadual, regional e nacional. Votei na VdT ano passado mais pelos ideais da chapa do que pelo próprio Ivã de Almeida. Sabia que ele não seria o presidente dos sonhos, mas também não achava que seria tão ruim a ponto de ser comparado com Falcão. Mais do que nunca terei que pensar com muito cuidado para votar no “menos pior” diante as opções que estão surgindo. Estou indeciso entre dois nomes e cada hora eu mudo as porcentagens de inclinação de meu voto. Dilema difícil demais. Os dois que estou em dúvida tem suas virtudes e limitações.

Vitória Sempre!

#ficaleãonaprimeiradivisão

Conselho Deliberativo marca AGE para Dezembro

Na Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo realizada ontem (24), ficou decidido, por unanimidade, que no próximo dia 4 de dezembro será realizada uma Assembleia Geral Extraordinária para instauração do procedimento de avaliação de gestão temerária do presidente licenciado Ivã de Almeida, quando também se indicará a data da segunda AGE, que definirá ou não por sua destituição do cargo.

Apesar do parecer dado pela Comissão Processante afirmando que não havia indícios da prática de ato de gestão irregular ou temerária na análise das alegações dos conselheiros requerentes e das comprovações do Conselho Diretor, o presidente do Conselho Deliberativo, Paulo Catharino Gordilho Filho, decidiu pela instauração, em dezembro, da AGE que se refere ao artigo 25, inciso 4º do Estatuto Social, por suspeitar que o presidente licenciado desrespeitara o estatuto, assim como as orientações do Conselho Fiscal, no que se refere a questões orçamentárias.

“O Vitória, hoje, vive um momento de transição com a chegada de um novo Conselho [Diretor], que está tentando resguardar e blindar o futebol com o resultado já dentro de campo, na tentativa de a gente conseguir uma Sulamericana, de a gente conseguir galgar melhores posições. Acho que estas questões orçamentárias estarão mais consignadas no final do exercício, este “descompasso” vai ficar latente ou não lá no final do ano”, disse o presidente ao justificar a data para após o término do Campeonato Brasileiro.

Com a decisão colocada em votação, os conselheiros concordaram e optaram pelo dia 4 de dezembro, um dia após a última partida do Vitória no Brasileiro, para a AGE de instauração do procedimento.

Durante a reunião, o ex-presidente Raimundo Viana falou com propriedade a respeito de crise política. “Se nós estamos lutando para reverter uma situação dramática na competição, qualquer movimento de natureza política vai nos levar, inexoravelmente, para a segunda divisão. E quem está dizendo isso não foi quem ouviu dizer, foi quem viveu, foi quem vivenciou”, declarou. “O Agenor está aí, o clube tem direção. O clube tem condução. E Agenor, se você não tem competência, e eu acho que tem, você é um pé quente espetacular”, disse Viana descontraindo o clima.

O QUE OCORRER

Os conselheiros solicitaram que, na próxima reunião, o novo Executivo Geral, Marcos Chiarastelli, esteja presente para apresentar o novo corpo diretor e um relatório do trabalho que vem sendo executado por ele para requalificação da administração financeira do Esporte Clube Vitória.

Os conselheiros também sabatinaram o presidente em exercício Agenor Gordilho, que respondeu perguntas sobre as contratações de novos profissionais para o clube, a exemplo de Carlos Anunciação, o Carlão, para as divisões de base, além de outras questões relativas à administração do Vitória. Membro do Conselho Fiscal, Cláudio Lessa valorizou o trabalho efetivo das Comissões Participativas.

“Vamos enxergando as falhas do estatuto, que ele seja mais esclarecido. Precisamos amadurecer este novo Estatuto. Se tem uma coisa que esse Conselho Deliberativo não é, é omisso. Nós trabalhamos. Tenho orgulho disso e dos nossos conselheiros”, finalizou o presidente do Conselho Deliberativo.

Fonte: Site Oficial do Esporte Clube Vitória

*******************

Grifos meus: Votei e endossei a sugestão do Presidente do Conselho Deliberativo, Paulo Catharino, ontem à noite na reunião. Fazer uma AGE agora, no meio da temporada, onde o Vitória ainda está numa situação periclitante, necessitando de pelo menos 8 triunfos em 17 jogos para evitar o rebaixamento seria um caos em potencial, pois, infelizmente, toda esta situação política respinga no foco dos jogadores. Até pouco tempo atrás eu achava que isso era lenda, mas não é. Bastou Ivã se licenciar e a vinda de Mancini e outros diretores de fora, para o clube se aprumar e o resultado estamos vendo aí: dos últimos 15 pontos, o Vitória fez 10, sendo duas vitórias e um empate fora de casa sem tomar gols e contra adversários “osso duro de roer” como Cruzeiro, Flamengo e Corinthians. Quem esteve ávido para colocar a AGE agora, e que pode sim, destituir Ivã, faz parte de um grupelho de ex-dirigentes que já tiveram seu tempo e não deram nada de extraordinário ao clube e o pior: ainda não aceitaram a derrota nas eleições de dezembro do ano passado.

*******************

Ao final da Reunião do Conselho fiquei abismado ao receber prints da “Liga dos Bens” onde dois ex-presidentes do clube – Adhemar Lemos e Jorge Sampaio – conversam em tom de incômodo pela melhora do time no brasileirão. Na conversa eles sentenciam, praticamente, que uma evolução do ECV na Série A prejudicam seus intentos em voltar ao clube através da exploração máxima e danosa de uma suposta Gestão Temerária da atual administração. Na visão deles, o Vitória tem que voltar a ficar perdendo sucessivamente para aproveitar o péssimo momento no campo para endossar o recorrente pedido de AGE para destituir a diretoria eleita legitimamente, colocar uma nova eleição e eles terem mais uma chance de retomar o Poder no Clube. Lamentável. Ficou claro nestes prints, que eles não querem o bem do Vitória e sim o Vitória para se dar de bem! Quem ama o Vitória deseja que o clube permaneça na Série A e faça ótimas participações nas competições, independente de quem esteja na diretoria. Ser oposição não significa “torcer contra!”. Só acho!

E segue a falta de criatividade. A Série B é logo ali…

Cientistas já deram o veredicto: O uso descontrolado, prolongado e a todo custo de antibiótico faz a bactéria e outros agentes biológicos causadores de enfermidades a criarem resistência e se adaptarem aos remédios, ocasionando, portanto a falta de efeito. No futebol, Mancini está para o antibiótico como o Vitória está para àquele paciente que qualquer dorzinha de cabeça, início de gripe ou dor nas juntas mete antibiótico pra dentro. E com a quarta passagem em 10 anos, o antibiótico Mancini, ao meu ver, já perdeu o efeito para o EC Vitória.

Incrível, revoltante e raso como as sucessivas gestões do Rubro-Negro rodam nos mesmos nomes ad infinitum. Não se atentam que tudo tem o seu prazo de validade e Mancini é um dos treinadores que ratificam esta comparação. Ele sempre começa bem em todos os clubes que trabalha, mas já do meio pro fim da jornada misteriosamente ele perde os vestiários e o time entra em derrocada até ele ser demitido. Uma das causas deste efeito-borboleta de Mancini é que, infelizmente, ele só trabalha com o 4-3-3 travestido de 4-2-3-1 no “futibó muderno”. Quando o seu estilo de jogo e suas “surpresas” deixam de ser “surpresas” para os adversários, ele não consegue reinventar o estilo de jogo da equipe e pode ser do Palmeiras ao Náutico, ele sempre se atrapalha, perde sucessivos jogos e sai demitido. Loop Infinito.

Não traria jamais Mancini para este momento. Joguem no Google “Senhor Rebaixamento” e vejam as primeiras respostas dadas! Além dele não ter perfil de evitar rebaixamento, ele faz justamente o contrário, piora o que tá ruim e cai com o time! Sinceramente, estou resignado e já começo a acreditar que não temos mais solução! É daí pra baixo. Quero estar errado, mas remédio antigo usado direto perde efeito. Isso é científico. Só milagre.

Diretor de Futebol – Depois de demitir Petkovic para dar uma satisfação a parte da torcida engabelada pela mídia, o presidente em exercício do clube, Agenor Gordilho, anuncia a vinda de Cléber Giglio, cara que só tem experiência no modesto Figueirense, num período em que o Figueira não fez nada de extraordinário. Se ainda fosse aquele gestor que arrumou o time que foi finalista da Copa do Brasil contra o Fluminense em 2009, seria um pequeno alento, mas este Giglio não fez nada demais até agora e para piorar, foi Agente FIFA de jogador. [Pausa para respiração profunda e olhar moribundo!]

Quero muito que estes dois queimem a minha língua e façam o “impossível” de salvar este ano em que já estamos praticamente rebaixados, pois precisamos vencer 11 das próximas 22 partidas e o Vitória tem um histórico decepcionante quando está na ponta da faca, basta lembrar o que era preciso para evitar os rebaixamentos de 2004, 2005, 2010 e 2014. Compare com a atual situação e tente ser otimista! Eu prefiro acreditar que Nárnia, Hogwarts e a Terra-Média existem de verdade!

Gloria Quæ Sera TamenLeandro Salino, Paulinho, Alan Costa e Bruno Ramires não são mais jogadores do Vitória. Os dois primeiros vão para o futebol árabe, Alan Costa para o Goiás a pedido de Argel e Bruno Ramires para o Moreirense de Portugal. Quatro carniças a menos! Aleluia! Amém!

#Paz

DESABAFO SOBRE A VDT

Votei na Chapa Vitória do Torcedor na primeira eleição “bate-chapa” do ECV ocorrida em dezembro do ano passado. Diante as outras três concorrentes, eu apostei na única que acenava com o “novo”, a que não tinha nenhum ex-dirigente na liderança ou buscando voltar a algum cargo máximo. Além disso, a VdT prometia algo que as outras três chapas e seus líderes tiveram a chance de fazer e não fizeram quando administraram o Vitória: Abrir o clube ao sócio-torcedor, a partir de eleições diretas para o cargo de Presidente.

Entretanto, se por um lado a abertura do clube ao sócio-torcedor já é realidade, o mesmo não se pode dizer do Departamento de Futebol do clube. O Vitória vem errando muito desde janeiro. Montou um time que no papel parecia ser forte, mas dentro das quatro linhas se mostrou muito fraco e incapaz. Perdemos o maior título do semestre (o Nordestão, sendo eliminado na semifinal pelo rival) e ganhamos o estadual de forma invicta, mas Deus sabe como foi…várias partidas ruins, gols achados nos minutos finais. O time não passava confiança. Eliminação na Copa do Brasil para um pequeno Paraná e este início de Série A medonho, que envergonha e entristece muito.

Para piorar, nos últimos dias, o presidente do conselho deliberativo, acompanhado por outros conselheiros e até pelo vice-presidente do clube, Agenor Gordilho, tentaram de forma tranquila, sem briga e sem tensão, convencer Ivã de Almeida a renunciar à presidência do clube, para acalmar os ânimos e re-oxigenar o clube. O presidente rejeitou a proposta amigável de sua saída, além de ter feito algumas atitudes que irritaram mais ainda àqueles que tiveram a coragem e o altruísmo de pedir a sua renúncia do cargo. Não sou maluco para “vazar” quais foram estas atitudes, mas elas causaram desconforto em toda a diretoria e se estendeu a todo o Conselho Deliberativo, que agora e em massa, se declara oposição a Ivã de Almeida. No final da manhã foi noticiado que Agenor Gordilho deixou o cargo de Vice-Presidente do Conselho Diretor e outros diretores podem fazer o mesmo nos próximos dias ou horas.

Já no final da noite, após a derrota humilhante para o Grêmio por 3×1, o Presidente do Conselho Deliberativo, Paulo Catharino Filho, comunicou que Ivã de Almeida entregou uma carta pedindo licença de 90 dias. Em decorrência disso, o vice Agenor, que teria pedido renúncia pela manhã, assumirá o Clube durante este período. Considero esta medida super-paliativa e que tende a não ser a solução. Esta deveria ser pela renúncia do presidente e total reformulação da diretoria em todos os setores do clube.

Votei na VDT, não me arrependo e não tenho culpa nenhuma na fraca campanha do clube nesta Série A, afinal eu não contratei ou dispensei nenhum jogador nem treinador. Vamos recapitular o pleito 2016? Foram 4 chapas, sendo três concorrentes à VDT: Uma com Paulo Carneiro, que tentava voltar ao clube como Presidente, outra com Raimundo Viana (reeleição) e outra que foi dissidente do grupo de Raimundo Viana, bastante atrelada à administração Aléxi/Falcão (Vitória de Todos Nós, encabeçada por Ricardo Davi). Eu não queria estes caras e não queria ficar em cima do muro, logo me juntei à VdT.

Eu não deveria justificar nada disso acima, afinal o voto é para ser, em tese, secreto. Cada pessoa vota na chapa (grupo ou partido) que acredita ser o melhor para representar seus anseios. Cada pessoa tem sua visão de mundo e sua “tribo”. Mas aqui no Brasil, ultimamente, surgiu a ideia arrogante e presunçosa do “eleitor inteligente” aquele que acha que somente a sua visão é a correta e que quem pensa diferente é burro, alienado ou ingênuo. O ápice desta babaquice egocêntrica eleitoral se deu no ano de 2014, quando muitos dos eleitores de partido da Direita Brasileira e milhares de brasileiros que se deixaram manipular pelos meios de comunicação, sobretudo a Rede Globo, adotaram o lema “A culpa não é minha, eu votei em Aécio”, após a vitória da petista sobre o “super-herói” da vênus platinada, que deveria expurgar os “comunistas petistas” do Poder.

Não demorou muito e este lema do “a culpa não é minha, eu votei em Aécio” deu uma rasteira nestas pessoas, pois o mineirinho foi acusado, preso e teve seu mandato de senador suspenso neste ano de 2017 por envolvimentos em atos ilícitos envolvendo o pedido de propina de R$ 2 milhões a empresários ligados à JBS, fora outras acusações de participação de Aécio nos esquemas espúrios da Petrobras (Operação Lava-Jato) e em Furnas.

Enfim, esta história de culpar, ironizar e escarnecer eleitores que pensam diferente de você é algo antidemocrático, arrogante, presunçoso, contraproducente, oco e vazio. Pois, eleitores votam em algo por acreditar e, queira você ou não (desconheço seus interesses ou afinidades), democratização, profissionalização, por exemplo, são pleitos históricos comuns a maioria dos torcedores e contemplada durante a campanha na plataforma de governo vendida pela chapa Vitória do Torcedor. Eu faço questão de direcionar este texto para o torcedor Rodrigo Falcão (rmfalcao), que praticamente fica todo dia me atacando usando este tipo de comportamento.

Cara, eu votei de acordo com a minha coerência, visão de mundo e anseio esportivo. Não queria ninguém da outras chapas, todos os concorrentes tiveram a chance de abrir o clube e não fizeram, todos os concorrentes já fizeram várias merdas com o clube, gente que deixou o Clube humilhado na Série C, gente que participou diretamente da diretoria que perdeu 2 penta baianos para times do interior e que já fizeram campanhas vergonhosas na Série A. E se não fosse o ano iluminado de Marinho, o carismático Raimundo Viana teria rebaixado o clube também em 2016. Portanto, a cara do “novo”, e do “diferente” era a VdT.

Agora, se a “Vitória do Torcedor” descumpriu as promessas da profissionalização do departamento de futebol e de grandes conquistas esportivas, eles que respondam por isso, não os que votaram. Isso é mais do que lógico. A propósito, te devolvo a questão: você votou em quem? Para ter tanta firmeza em acusar e escarnecer quem teve opção diferente, deve dispor de segurança máxima na hipotética gestão do grupo que você apoiou, correto?

VITÓRIA SEMPRE!

#BAVI493 | Vitória dominou o rival, mas não balançou as redes

 

O Vitória teve ontem, seguramente, a melhor partida na Série A em termos de imposição de jogo. Se contra o Atlético-MG e Sport tivemos uma atuação destacada em apenas parte do duelo, o clássico de ontem não é papo de “torcedor-doente” afirmar que mandamos em 90% ou mais da partida. O Leão doutrinou as sardinhas do pontapé inicial ao último apito do árbitro Raphael Claus, mas esbarrou numa tarde inspiradíssima do goleiro Jean e na má pontaria de nossos atacantes, principalmente André Lima que perdeu duas chances incríveis no segundo tempo. Por conta disso, não deu para sair do 0x0.

Alexandre Gallo conseguiu surpreender novamente a torcida e imprensa escalando o time com Cleiton Xavier como segundo volante no lugar de Correia; com Yago e Carlos Eduardo como meias e dois centroavantes (Kieza e André Lima). Esta mudança quebrou os planos de Jorginho (transmitidos ao seu auxiliar Luiz Quintanilha). Cleiton Xavier fez um jogo bem regular numa posição que ele conhece muito, evidenciando que mais recuado ele “irrita e erra” menos. Tema da polêmica da semana, Carlos Eduardo calou os cornetas dos programas televisivos baianos como GE-Ba e Donos da Bola-BA. Com ótima movimentação, disposição e talento, o novo camisa 8 protagonizou na meiúca, com bons passes, visão de jogo e lançamentos. Um deles foi para Kieza que ficou de cara para Jean, mas K9 chutou em cima do goleirinho rival.

Por falar em Kieza Quando ele, finalmente, fazia uma partida boa contra o Bahia (alguns torcedores mais exigentes e místicos acreditam que K9 evita ser protagonista em Ba-Vi’s desde que saiu de lá para o Leão), ele sofreu uma entrada pesada do lateral Eduardo, em que o árbitro fez vista grossa. Na disputa de bola, K9 caiu com todo peso do corpo sobre o ombro direito. Com a possibilidade de sair da partida com menos de 20min, os “místicos” torcedores já começavam a falar que o cara estava de “migué” para não ter que fazer gols no rival e, num instante, eu cheguei a me contaminar com isso, até sair a notícia pelas ondas de rádios que o problema foi sério, tanto que até o sistema de som do Barradão pediu a presença de um médico especialista com urgência! E este triste episódio é pra alertar às pessoas para que pense e reflita antes de julgar os jogadores como “migueleiros”, pois eles podem sim se machucar de verdade, e que apesar de existir o famoso migué no futebol, isso não se aplica a 100% em todos os atletas.

 

Com a lesão de Kieza, que pode ficar de 3 a 4 meses fora, Gallo fez sua primeira cagada. Ao invés de colocar Neílton, a contratação mais “badalada” do clube nesta nova gestão, ele preferiu David, jogador de grande potencial, mas que vem num declínio gritante em suas exibições. Mesmo trocando a empolgação de K9 pelo “marasmo” de David, o Leão seguia doutrinando o rival em campo. Acredito que tivemos mais de 60% de posse de bola no primeiro tempo. Entretanto, nos lances mais agudos, Jean evitou os gols como nas cabeçadas de André Lima e Kanu e nos chutes tentados por David.

Já no segundo tempo, a tônica continuou a mesma do primeiro, mas com o rival um pouco mais precavido da blitze dos 45 minutos iniciais, à medida que nosso ímpeto ia diminuindo ao passar dos minutos, devido aos desgastes de nossos meias e atacantes, sobretudo de Carlos Eduardo, que foi substituído aos 12min, por Gabriel Xavier. E infelizmente, GX não repetiu as boas últimas atuações e nem deu a continuidade que o estreante do dia fazia.

O dia não era pra ter gol mesmo, pois André Lima teve duas chances claras e pelo menos numa delas, o fator “sorte” ajudou os tricolores. Na metade da etapa final, numa jogada insinuante e com Jean praticamente “morto”, a bola sobrou pro camisa 99 que chutou, forte e reto no canto, mas Tiago interveio e conseguiu mudar a trajetória da bola para escanteio. Já no final da partida faltou capricho e sangue frio à André Lima. Yago recuperou a bola, invadiu a área e serviu o camisa 99, que chutou fraco e rasteiro e a defesa novamente salvou, em cima da linha, praticamente. Enfim, se a escalação pegou a todos de surpresa e fez a gente ter todos os scouts ao nosso favor, pecamos na finalização e ajudamos Jean a ter a melhor pontuação desta rodada no Cartola FC. Faltou o principal: a bola na rede. Por isso, de alento fica a esperança do time voltar a vencer em breve se manter esta pegada, de se impor ao adversário e ter o controle do jogo.

Vitória Sempre!