AMIGOS DA “IDEIA DO JOGO”…

Amigos da Casa Rubro-Negra, hoje vou parodiar um capítulo triste de nossa história recente, quando o atual presidente do clube usava das redes sociais (Whatsapp e YouTube) para destilar ódio e combates não tão republicanos com os antigos gestores do clube. Bastava o Vitória perder um jogo que o A IDEIA DO JOGO era atualizado de forma rápida, com um discurso forte e agressivo para com os presidentes Ivã de Almeida e Ricardo David. E longe aqui de defender ambos, a minha crítica a este estilo do agora Presidente Paulo Carneiro, é pela forma oportunista que ele fazia isso. 90% de seus áudios tinham até embasamento, mas discordo da retórica utilizada, quase sempre atacando a honra das pessoas e fazendo ilações em que colocava a honestidade delas em xeque, além de que nas vitórias o programa não era atualizado. Era só quando o time perdia em campo! Como já falei muito disso há um tempo atrás (confira aqui), não vou me aprofundar muito.

O fato é que, se no texto em que eu questionava sobre ter valido ou não a pena ter tido eleições antecipadas que facilitou a volta de PC, eu já apontava para o “não ter valido a pena” como a melhor resposta, agora eu cristalizo mais ainda este entendimento. O atual presidente, em campanha, falava que era o mais preparado, que tinha expertise e que solucionaria rapidamente o problema do Esporte Clube Vitória e sua turma comprou a ideia de antecipar eleições e de mobilizar a massa de sócio-torcedores. Inclusive, esse discurso contaminou boa parte do Conselho Deliberativo que eu fazia parte e aceitou essa proposta, que foi apresentada como uma chantagem velada de Ricardo David, para sair mais cedo do clube.

Acontece que CINCO MESES já se passaram da eleição de PC, e ele está se mostrando uma continuação de quem ele tanto vociferava contra. Os dois treinadores que ele contratou foram duas bolas foras: Loss e Amadeu. Além de ter apostado em treinadores sem história e vivência na Série B num momento complicadíssimo do clube na temporada, o Sr Expertise contratou vários jogadores ruins que até agora nem estrearam a exemplo do zagueiro Dedé e do volante Romisson.

Amadeu mostrou que não evoluiu 1cm em sua carreira, pois continua sendo um professor pardal, preso a um estilo de jogo e a leituras de jogo completamente equivocadas.

Bastou sentar na cadeira de presidente do clube pra ele voltar a tratar os torcedores com aquela arrogância e empáfia peculiar. Inclusive, com os membros da VG, que compuseram a chapa de apoio dele. Ninguém pode contestar o “mito”, que a patada é certa. Mesmo que você procure as melhores palavras, sem usar de agressão ou ataque. Basta contestar o cidadão, que o chepo e a brabeza vêm na velocidade de um áudio de Whatsapp. Recentemente, um torcedor reclamou sobre ele estar citando o Bahia a todo momento e o presidente respondeu com aquela “sutileza” de sempre, de que o que ele estava fazendo era Benchmarking. Ou seja, a velha história de usar termos gringos como recurso retórico de possuir maior intelectualidade em relação ao seu contestador.

Agora, se ele quer mesmo fazer Benchmarking com o Bahia, na figura de Guilherme Bellintani, ele deveria começar pelo relacionamento do presidente tricolor com sua torcida, nas redes sociais (sobretudo nas oficiais do clube) e quando é questionado pela imprensa. Bellintani não ofende seus torcedores, principalmente seus sócios. Não dá block aleatório por qualquer reclamação de torcedor. Além disso, outro ponto que o Vitória deveria fazer benchmarking é com ações sociais apoiando as minorias, sejam elas pessoas negras, do mundo LGBT, deficientes físicos e etc, como o tricolor está fazendo. Mas esperar isso de quem idolatra Bolsonaro e toma ações sociais como caridade inútil – e pior – pauta das esquerdas e, que por isso deve ser abolido, é melhor eu esperar nevar em Salvador em fevereiro. Muito mais fácil disso acontecer, do que a atual diretoria fazer ações valorizando àqueles que são descartados pela maioria da sociedade capitalista e de mercado. É só lembrar o que o presidente fez com o Futebol Feminino, logo em sua chegada.

As vindas de Osmar Loss e Carlos Amadeu catapultaram o segundo rebaixamento do Vitória para a Série C. Dificilmente esse elenco podre, sem graça e sem brio reverterá tal situação. Um time que não ganha dos piores times da competição, mesmo jogando em seu mando de campo e que fora de casa é uma presa fácil, não tem como ser otimista não. Infelizmente, o caminho da Série C 2020 está mais claro que o sol de meio-dia de Juazeiro em pleno verão! E mais uma vez será com PC de presidente. O destino prega peças incríveis! Sinais, fortes sinais!

VITÓRIA vs GUARANI | “Nova Casa” pra escrever uma nova história

O Vitória volta a campo hoje depois de 10 dias de folga e retorna em mando de campo diferente. A partir das 16h30 deste sábado, o rubro-negro fará da Fonte Nova sua nova morada pelos próximos três anos, num forte e acirrado trabalho do presidente Paulo Carneiro, que teve de falar grosso e expor a falta de isonomia do Consórcio para o rubro-negro, além de uma incrível omissão da parte pública da PPP, ou seja o Governo do Estado, que pareciam estar disposto a ceder o estádio, de graça, para as sardinhas. Precisou PC e Fábio Motta esbravejarem na mídia essa jogada obscura para enfim, o contrato de Vitória e Arena sair da impressora. Ponto para o presidente, ponto para a diretoria. A Arena Fonte Nova não é do Esporte Clube Bahia e mesmo com a concessão em PPP por 25 anos, o equipamento continua sendo público e tem que estar disponível para toda e qualquer agremiação esportiva baiana, registre-se!

Com a mudança para a Arena, os planos do SMV tiveram várias e significativas mudanças, principalmente no valor, o que encareceu bastante e esta é a parte negativa do fato. O presidente do clube acha que ser popular é antiquado, ao passo que parece idealizar o Vitória como em seus primórdios, em que a maioria de sua torcida e, principalmente, os dirigentes viviam encastelados na Barra, Graça e Corredor da Vitória. Com os valores que estão aí eu não tenho mais condição de ser sócio-torcedor e quando analiso o que o clube dá em troca ao seu torcedor, com o que cobra financeiramente do associado, eu vejo um grande hiato e que não vale a pena se associar.

Não esqueçam de montar seu time no cartola nesta rodada. O mercado fecha às 15h. Eu sigo na liderança da nossa liga!

E se eles exigem visão de empresa na relação com o torcedor, o torcedor também pode fazer o mesmo e, como cliente, analisar o custo/benefício de se associar e decidir se vale ou não a pena, se está no patamar ideal ou aceitável. Afinal, torcida e clube (cliente x produto) tem que ser uma estrada de mão dupla. Já foi o tempo de se exigir associação apenas por amor! O torcedor quer ver títulos, quer ver um time forte em campo, que jogue bola, que dê entusiasmo, que o time lhe devolva alegria, êxtase e momentos de prazer. E isso o torcedor rubro-negro não vê desde o final da temporada de 2013, quando o clube terminou a Série A em 5º lugar. Abre um parênteses para a temporada 2015, quando o clube fez uma bela Série B, subindo em terceiro lugar.

Enfim, o Leão encara hoje o lanterna Guarani na Arena Fonte Nova, que pelo burburinho deve pegar uns 20 mil de público nesta tarde e tem tudo para somar mais três pontos. Ao passo que o Vitória está invicto há sete jogos e em flagrante ascensão na competição, o Guarani está em último lugar e vem à Salvador com três desfalques (Bady, Bruno Lima e o atacante Marquinhos, ex-Vitória). O técnico Carlos Amadeu tem tudo pra confirmar que mudou o astral do Leão, se não inventar na escalação e nas alterações ao decorrer da partida. Os jogadores não podem achar que apenas por misticismo da Arena (ao lembrar da campanha de 2015) já entrará em campo vitorioso. Tem que jogar com seriedade, foco e disciplina. O Guarani está mal na temporada, mas não vai querer perder todas as partidas e muito menos deseja retornar pra Série C. Que neste retorno à Arena, o Vitória faça da nova casa uma forma de escrever uma nova história, não só nesta Série B como retomando a hegemonia estadual e regional dos anos 90/2000.

VITÓRIA SEMPRE!

#vamovirarojogo

VITÓRIA vs OPERÁRIO | Se o técnico não inventar, o Vitória poderá ganhar!

Bem amigos, bastou eu elogiar Carlos Amadeu no pré-jogo do América-MG para o mesmo me dar aquele bilhete de “não se empolgue, cara”, “não confie em mim”! Realmente eu queria entender o professor (pardal) mudar escalação e até esquema tático num intervalo curto de tempo entre a partida do CRB e a partida contra o Coelho. Não houve lesão de Caicedo, não houve tempo para treinamentos para testar a mudança tática e muito menos Ruy tem melhor condição física nem técnica para barrar o Lukaku dos Pobres.

Para completar a pardalice, ele colocou o cabaço Thiaguinho como titular, mantendo Caicedo no banco. Ô seu louco, se era pra inventar, seja com cautela, por que Thiaguinho (que só se conhece bola na base) em detrimento de um atacante que vem bem na temporada 2019, desde o seu país de origem? Tais patacoadas não iriam passar em branco e vimos o Vitória fazer um jogo insosso, sem graça e que encerrou as vitórias consecutivas! Isso que dá quando treinador quer aparecer mais que os jogadores!

Espero que a partida xexelenta da última quarta-feira tenha feito Carlos Amadeu parar de querer ser a estrelinha da companhia e volte a escalar o Leão Fuderosão com coerência e seriedade. O que ele fez quarta se equiparou a maluquice de Osmar Loss (#xôsatanás) quando inventou colocar dois laterais esquerdos se alternando entre a lateral e a ponta contra o Brasil de Pelotas e contra o Figueirense, onde o Leão perdeu uma enorme e real chance de somar 6 pontos e não apenas 1 como ocorrido. Por isso que o treinador brasileiro não tem mais chance alguma de treinar grandes equipes do futebol europeu. Mal começam a carreira e querem inventar, querem aparecer mais que os atletas em campo. Vejam se Felipão fica inventando na escalação do Palmeiras. Lá, no “verdão”, lateral é lateral, zagueiro é zagueiro, centroavante é centroavante, etc e Felipão só muda peças ou esquema táticos quando o time começa a perder rendimento.

E ao contrário do Coelho, o time do Operário está relativamente bem na Série B, ocupando a 10ª colocação com 24 pontos e não venderá barato a derrota. Não esperem que o Vitória chegará hoje e vai se criar fácil como se o Operário fosse um dos lixosos times do Campeonato Baiano. Os caras podem não ter grife e expressão no cenário, mas são guerreiros em campo e fazem da força do conjunto o diferencial pra amenizar a limitação técnica. Portanto, o Rubro-Negro precisa entrar em campo ligado nos 220V, sem subestimar o adversário. Aliás, nem moral temos pra fazer isso, somos a pior defesa da competição e lutamos embaixo da tabela desde o começo da Série B. Então não é um leve crescimento de pontuação que deve fazer nossos jogadores já se acharem os fodões da Série B ou o Liverpool dos Trópicos. Bem menos! Humildade sempre e foco total, porquê ainda não estamos honrando as tradições e a grandeza do Vitória numa modesta e modorrenta segunda divisão de Campeonato Brasileiro.

TODOS OS CAMINHOS LEVAM AO BARRADÃO!

Carlos Amadeu, se quer inventar, que faça isso em sua casa, tipo bote óleo diesel em sua comida como se fosse molho shoyu! Isso você não faz né? Então pare de inventar moda no VITÓRIA, que ainda está devendo e muito nesta Série B, seu paspalhão!

Vitória vs América-MG | Leão busca a quarta vitória consecutiva no Barradão em jogo de “seis pontos”

O Vitória volta a campo hoje à noite para encarar o América-MG, que está na 17ª posição e com a mesma pontuação do rubro-negro. A diferença é que o Leão Fuderosão tem uma vitória a mais que o Coelho. Portanto, trata-se do famoso “jogo de seis pontos”, em que o adversário que vence soma três pontos e impede, automaticamente, o adversário de somar três. E o rubro-negro baiano vem embalado com duas vitórias seguidas na competição, sendo vencedor nas últimas três partidas no Barraquistão. Ou seja, vencer hoje à noite o América-MG quebrará dois tabus de uma só vez: vencer três jogos consecutivos e reafirmar a volta da magia do Barradão com a confirmação da quarta vitória nos últimos quatro jogos disputados no Santuário!

Para o duelo desta noite, o técnico Carlos Amadeu terá o desfalque certo de Wesley, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, além do retorno do lateral direito Matheus Rocha, que deve assumir a posição no lugar de Van. Para o lugar de Wesley, o menino da base Thiaguinho deve ser o escolhido para ocupar o flanco esquerdo de ataque. Outras opções são a entrada de Ruy ou o reforço na meiuca com a escalação do volante Lucas Cândido. Acredito, porém, que Amadeu vá de Thiaguinho, já que dizem por aí que o menino vem se destacando nos treinamentos.

Já o América-MG deve vir com o desfalque do atacante Felipe Azevedo, que segue como dúvida após queixar-se de incômodo na coxa esquerda. O conhecido Neto Berola deve herdar a vaga de Felipe, o que representa um cuidado melhor pela famosa e conhecida “lei do ex” e pelo fato de Berola ter seus altos e baixos, e quando ele está no dia bom costuma dar trabalho. Outros jogadores do elenco do Coelho que chamam a atenção são: o meia habilidoso Matheusinho; o oportunista centroavante Junior Viçosa e o zagueiro-artilheiro Paulão, que também é conhecido pelas suas enormes vaciladas defensivas, além de seu notório perfil sarrafeiro, isto é, aquele zagueiro à moda antiga, que “bate”, que desce o sarrafo, estilo Marcelo Heleno, Junior Tuchê e Junior Baiano.

A partida desta noite no Barradão tem tudo para confirmar o viés de evolução do Vitória na competição, pois o histórico do América-MG em confrontos com o Leão no Barradão é altamente favorável ao rubro-negro, além do adversário ter um elenco bem modesto e que briga, naturalmente, na parte de baixo da tabela. Outro fator que aumenta a chance do Vitória em vencer é que o time começa a pegar entrosamento e não terá mudanças significativas em relação ao duelo passado contra o CRB, em Maceió.

O time rubro-negro precisa (e deve) entrar ligado na partida, com muita seriedade, vontade e disposição. Isso com certeza será meia vitória para nós. Nada de entrar com “salto alto”, achando que já está tudo certo ou que já começa o jogo com 1×0 a frente. O América-MG tem jogadores perigosos e necessita bastante de vencer, afinal ninguém disputa uma competição pra ser rebaixado, sobretudo uma equipe do porte do América-MG, tida como terceira força do futebol de Minas Gerais e com certa tradição no cenário nacional!

VITÓRIA SEMPRE!

CRB 0x1 VITÓRIA | Sofrido, mas valeu a pena!

O Vitória voltou a vencer fora de casa depois de 200 dias hoje à tarde em Maceió. O placar de 1×0 foi construído aos 43 minutos do primeiro tempo, quando Jordy Caicedo foi lançado na área e derrubado pelo goleiro Vinícius. Felipe Gedoz cobrou bem, deslocando o arqueiro, para alegria da nação rubro-negra presente no Rei Pelé. Entretanto, vale ressaltar que o Vitória não repetiu a mesma qualidade de atuação do jogo com o Paraná. Desta vez, o Leão jogou muito errado, de forma truncada e torta, com os laterais Van e Capa sendo avenidas para as infiltrações de Álisson Farias e do lateral direito Daniel Borges.

Antes de abrir o placar, o Vitória vinha sendo bombardeado pelo time alagoano, que necessitava da vitória para chegar no G4. Entretanto, eles esbarravam nos seus limites técnicos e nas boas intervenções de Ramon, Everton Sena, Gedoz (que ajudou bastante fazendo a cobertura de Capa). O rubro-negro pouco criava e assustou algumas vezes, quando Caicedo era lançado pelos flancos, onde o camisa 19 mostrou muita velocidade e força física. Já no segundo tempo foi um verdadeiro Deus nos Acuda, com o CRB dominando de cabo a rabo as ações do jogo, a ponto de ter 72% de posse de bola, à medida que o Vitória não conseguia encaixar um contra-ataque e nem evitar os rebotes da entrada da área para os jogadores do CRB. Somente nos 10 minutos finais do jogo é que o Leão teve 3 chances de matar o jogo, uma com Wesley, outra com Caicedo e a última com Capa que chutou da entrada da grande área exigindo uma bela defesa de mão trocada, do goleiro Vinícius.

Não gostei da atuação do Vitória, Carlos Amadeu foi muito retranqueiro e conservador na partida de hoje. Mudou errado e orientou um recuo excessivo por parte dos jogadores, que ficaram a maior parte do tempo atrás do meio de campo. Entretanto, a manutenção do placar em 1×0 é sim muito importante para a tentativa do rubro-negro virar a chave na competição e passar a pensar no pelotão de cima e não na fuga do rebaixamento à terceirona! Agora o Vitória fará dois jogos em sequência no Barradão e somar seis pontos é imperial, contra América-MG e Operário-PR!

CRB vs VITÓRIA | Chegou a hora de vencer fora de casa!

O Vitória encara o CRB hoje às 16h, no Estádio Rei Pelé, em Maceió-AL, com a obrigação de vencer fora de casa para sair do Z4 e a partir daí galgar coisas mais relevantes nesta Série B. Se por um lado a volta das vitórias (triunfo é o caralho!) nos jogos do Barradão já é uma certeza, falta melhorar o handicap fora de casa e nada melhor do que encarar o Galo da Pajuçara, que apesar de estar relativamente bem no campeonato, vem para o jogo deste domingo com muitos desfalques, além de não ser um grande clube nem mesmo dentro de uma segunda divisão! Para ter uma noção, eles irão ao jogo com o terceiro goleiro e não vão poder contar com Léo Ceará, emprestado pelo Leão, e recorrerão ao pequenino e limitado Willie como falso 9, já que não possui outro centroavante minimamente confiável pra substituir o também limitado Léo Ceará!

Depois de uma atuação sólida contra o Paraná na rodada passada, é hora do Vitória começar a confirmar este viés de melhora no campeonato, realizando uma sequência de jogos naquele nível, e claro, trazendo os resultados positivos. O meu desejo em particular é do Vitória vencer os 4 jogos que faltam pra terminar o “1º turno” da Série B, o que significa somar 26 pontos ao final de 19 jogos, pontuação que geralmente os times que brigam pelo acesso fazem na metade da competição. Se analisarmos as últimas edições da Série B, os que rondaram o G4 somaram de 25 a 34 pontos nos 19 jogos iniciais. O Leão tem 14pts e 12 pontos a disputar no turno. Dentre os 4 jogos derradeiros do primeiro turno, acredito que o mais difícil pro Leão vencer será contra o Coritiba, no Couto Pereira, já que o Coxa vem jogando muito bem, e junto ao Bragantino, é a equipe que tem o futebol mais bem jogado na atual edição da Série B.

Para o jogo de logo mais na bela capital alagoana, o técnico Carlos Amadeu não contará com os laterais Matheus Rocha e Chiquinho. Em seus devidos lugares entrarão Edvan e Capa. Além disso, o volante Léo Gomes volta de suspensão e pode formar uma trinca de volantes com Baraka e Lucas Cândido, ou ficar no banco de reservas (o que seria o mais acertado, em minha opinião). Com os problemas do time alagoano, eu não iria com três volantes (até porque eles devem vir também com 3 volantes), eu manteria o mesmo time que venceu o Paraná, em que a dupla de volantes Baraka e Lucas Cândido “morderam” bastante, fazendo um belo serviço na meiuca defensiva do rubro-negro, ao contrário do moroso do Léo Gomes, que parece já estar se imaginando jogar no lindo estádio do Athletico Paranaense, seu clube a partir de janeiro de 2020.

Este é guerreiro, este é Leão!

Enfim, apesar de ter conhecimento dos problemas de escalação por parte do treinador Marcelo Chamusca, do CRB, para o jogo desta tarde, o Galo da Pajuçara não pode ser subestimado, pois compensam a falta de grandes jogadores com aplicação tática e força física. Além do que eles contam com Victor Ramos, que é um perigo nas bolas alçadas na área, que é um problema de longa data do Leão Fuderosão e que se soma com a chamada “Lei do Ex”, já que VR3 foi revelado e coleciona passagens pelo ECV ao longo de sua carreira! O Vitória tem que ir pra esse jogo com o mesmo ímpeto, garra e motivação da partida contra o Paraná, buscar a vitória do começo ao fim, para daí passar a mudar a chave dentro da competição, porque não está nada bonito uma equipe do porte do Vitória disputar zona de rebaixamento de uma segunda divisão!

VITÓRIA SEMPRE!

VITÓRIA 2X0 PARANÁ | O Barradão é mágico!

A magia do Barradão voltou. Depois da derrota para o Cuiabá, o Vitória vem colecionando vitórias no Barraquistão. Se não estou enganado, os últimos três jogos no Santuário, o Leão da Barra garantiu os três pontos e ontem conseguiu o feito nos 45 minutos iniciais e dominou a partida na maior parte do tempo. Com o resultado positivo, o rubro-negro saiu da Zona de Rebaixamento e está à três vitórias do G4, pois quem está lá atualmente tem 7 vitórias e o Leão tem 4. Vale ressaltar que dos três próximos jogos, dois serão no Barradão e poderemos sim abocanhar esses seis pontos contra o América-MG e Operário-PR, além de buscar os três pontos diante do CRB, no Estádio Rei Pelé, em Maceió-AL.

Já mostrando uma nova sorte, o novo técnico do Vitória, Carlos Amadeus, venceu seu primeiro jogo sem grandes sustos, apesar do goleiro Martín Rodriguez ter feito algumas intervenções importantes. Bem diferente de Osmar Loss (que Deus o tenha hehehe) que só veio vencer seu primeiro jogo com o Vitória lá por volta do quinto ou sexto jogo. A verdade é que mesmo com o zero à esquerda do Loss no comando, o elenco rubro-negro começava a dar sinais de pegar conjunto, entretanto a limitação técnica de Loss prejudicou o time em vários momentos, como a pardalice da escalação do time titular contra o Figueirense e de suas horrorosas alterações. 

A Série B de 2019 está mostrando que não é preciso ter 11 estrelas do futebol mundial ou nacional para se dar bem nela. Basta ter um conjunto minimamente organizado em campo, com jogadores aguerridos e um esquema tático ajustado com as peças do plantel. Além disso, o próprio tempo e repetição de uma espinha dorsal colaboram para o entrosamento. Mas Loss teimava em fazer alterações de um jogo para outro. Provavelmente se ele não fizesse isso com certa frequência teríamos uns 6 pontos a mais, por baixo. Bote fé! Agora é claro que o Vitória precisa urgentemente mudar o seu handicap fora de casa! Ainda não vencemos nenhuma, temos um percentual vergonhoso para um clube da estrutura do Vitória e que está numa Série B super limitada por baixo, a ponto de CRB, Cuiabá e outros menos votados estarem brigando entre os 8 primeiros e com cerca de 10 pontos em nossa frente!

No jogo de ontem, o Vitória mostrou maior disposição de seus atletas em campo, com maior luta pela posse de bola e isso ficou claro com Baraka e Lucas Cândido. Este último, por sinal, não pode mais ver Léo Gomes jogar. Cândido deu vários botes, fez desarmes, roubou bolas e deu passes curtos e rápidos, já que ele não tem tanto traquejo com a pelota no pé. A perda de Chiquinho com menos de 10 min de jogo foi um baque, mas Capa não fez tão feio assim, apesar de perder uma grande chance de matar o jogo com o terceiro gol, na metade do segundo tempo! O primeiro gol rubro-negro saiu aos 25 minutos quando Capa levantou na área para Jordy Caicedo, dominar e fuzilar no canto contrário do goleiro Thiago Rodrigues, fazendo assim, o seu primeiro gol com o manto rubro-negro. Belo cartão de visitas do equatoriano! Aos 39 minutos veio o segundo gol após Anselmo Ramon roubar a bola do zagueiro paranista (igual como ele fez contra o Criciúma), e na sequência levantar na área para o menino Wesley, que mostrou muita categoria para cabecear e aproveitar o rebote!

Já no segundo tempo, o Vitória puxou o freio de mão e controlou o jogo, enquanto o Paraná voltou pior, sem grandes ameaças. Do meio pro final da partida, o Leão teve a chance de ampliar o placar nos contra-ataques, mas Capa e Anselmo Ramon desperdiçaram as oportunidades! Aconteceram outras chances do terceiro gol, como numa cobrança de falta perigosa batida por Felipe Gedoz e a linda bola chutada por Eron que acertou a trave esquerda de Thiago Rodrigues, depois de fazer o arco. O lance lembrou e muito aqueles golaços que Allan Delon fez na Copa João Havelange de 2000, quando o camisa 28 estava inspiradíssimo e no auge de seus 20 e poucos anos!

O próximo compromisso do Vitória na Série B será no próximo domingo, 16h, quando vai à Maceió enfrentar o surpreendente CRB no Estádio Rei Pelé. Promessa de jogo duro e um grande desafio para o elenco rubro-negro em vencer a primeira fora de casa diante de um adversário que está se aprumando na parte de cima da tabela. Na sequência o Vitória fará duas partidas no Barradão, contra o América-MG numa quarta-feira e o Operário-PR, no final de semana!