Conselho Deliberativo marca AGE para Dezembro

Na Reunião Extraordinária do Conselho Deliberativo realizada ontem (24), ficou decidido, por unanimidade, que no próximo dia 4 de dezembro será realizada uma Assembleia Geral Extraordinária para instauração do procedimento de avaliação de gestão temerária do presidente licenciado Ivã de Almeida, quando também se indicará a data da segunda AGE, que definirá ou não por sua destituição do cargo.

Apesar do parecer dado pela Comissão Processante afirmando que não havia indícios da prática de ato de gestão irregular ou temerária na análise das alegações dos conselheiros requerentes e das comprovações do Conselho Diretor, o presidente do Conselho Deliberativo, Paulo Catharino Gordilho Filho, decidiu pela instauração, em dezembro, da AGE que se refere ao artigo 25, inciso 4º do Estatuto Social, por suspeitar que o presidente licenciado desrespeitara o estatuto, assim como as orientações do Conselho Fiscal, no que se refere a questões orçamentárias.

“O Vitória, hoje, vive um momento de transição com a chegada de um novo Conselho [Diretor], que está tentando resguardar e blindar o futebol com o resultado já dentro de campo, na tentativa de a gente conseguir uma Sulamericana, de a gente conseguir galgar melhores posições. Acho que estas questões orçamentárias estarão mais consignadas no final do exercício, este “descompasso” vai ficar latente ou não lá no final do ano”, disse o presidente ao justificar a data para após o término do Campeonato Brasileiro.

Com a decisão colocada em votação, os conselheiros concordaram e optaram pelo dia 4 de dezembro, um dia após a última partida do Vitória no Brasileiro, para a AGE de instauração do procedimento.

Durante a reunião, o ex-presidente Raimundo Viana falou com propriedade a respeito de crise política. “Se nós estamos lutando para reverter uma situação dramática na competição, qualquer movimento de natureza política vai nos levar, inexoravelmente, para a segunda divisão. E quem está dizendo isso não foi quem ouviu dizer, foi quem viveu, foi quem vivenciou”, declarou. “O Agenor está aí, o clube tem direção. O clube tem condução. E Agenor, se você não tem competência, e eu acho que tem, você é um pé quente espetacular”, disse Viana descontraindo o clima.

O QUE OCORRER

Os conselheiros solicitaram que, na próxima reunião, o novo Executivo Geral, Marcos Chiarastelli, esteja presente para apresentar o novo corpo diretor e um relatório do trabalho que vem sendo executado por ele para requalificação da administração financeira do Esporte Clube Vitória.

Os conselheiros também sabatinaram o presidente em exercício Agenor Gordilho, que respondeu perguntas sobre as contratações de novos profissionais para o clube, a exemplo de Carlos Anunciação, o Carlão, para as divisões de base, além de outras questões relativas à administração do Vitória. Membro do Conselho Fiscal, Cláudio Lessa valorizou o trabalho efetivo das Comissões Participativas.

“Vamos enxergando as falhas do estatuto, que ele seja mais esclarecido. Precisamos amadurecer este novo Estatuto. Se tem uma coisa que esse Conselho Deliberativo não é, é omisso. Nós trabalhamos. Tenho orgulho disso e dos nossos conselheiros”, finalizou o presidente do Conselho Deliberativo.

Fonte: Site Oficial do Esporte Clube Vitória

*******************

Grifos meus: Votei e endossei a sugestão do Presidente do Conselho Deliberativo, Paulo Catharino, ontem à noite na reunião. Fazer uma AGE agora, no meio da temporada, onde o Vitória ainda está numa situação periclitante, necessitando de pelo menos 8 triunfos em 17 jogos para evitar o rebaixamento seria um caos em potencial, pois, infelizmente, toda esta situação política respinga no foco dos jogadores. Até pouco tempo atrás eu achava que isso era lenda, mas não é. Bastou Ivã se licenciar e a vinda de Mancini e outros diretores de fora, para o clube se aprumar e o resultado estamos vendo aí: dos últimos 15 pontos, o Vitória fez 10, sendo duas vitórias e um empate fora de casa sem tomar gols e contra adversários “osso duro de roer” como Cruzeiro, Flamengo e Corinthians. Quem esteve ávido para colocar a AGE agora, e que pode sim, destituir Ivã, faz parte de um grupelho de ex-dirigentes que já tiveram seu tempo e não deram nada de extraordinário ao clube e o pior: ainda não aceitaram a derrota nas eleições de dezembro do ano passado.

*******************

Ao final da Reunião do Conselho fiquei abismado ao receber prints da “Liga dos Bens” onde dois ex-presidentes do clube – Adhemar Lemos e Jorge Sampaio – conversam em tom de incômodo pela melhora do time no brasileirão. Na conversa eles sentenciam, praticamente, que uma evolução do ECV na Série A prejudicam seus intentos em voltar ao clube através da exploração máxima e danosa de uma suposta Gestão Temerária da atual administração. Na visão deles, o Vitória tem que voltar a ficar perdendo sucessivamente para aproveitar o péssimo momento no campo para endossar o recorrente pedido de AGE para destituir a diretoria eleita legitimamente, colocar uma nova eleição e eles terem mais uma chance de retomar o Poder no Clube. Lamentável. Ficou claro nestes prints, que eles não querem o bem do Vitória e sim o Vitória para se dar de bem! Quem ama o Vitória deseja que o clube permaneça na Série A e faça ótimas participações nas competições, independente de quem esteja na diretoria. Ser oposição não significa “torcer contra!”. Só acho!

Anúncios

Vitória surpreende e bate o Corinthians no Itaquerão

O Vitória aprontou das suas novamente. Pela primeira vez na história, o rubro-negro baiano venceu um grande paulista jogando em São Paulo e foi logo em cima do “mítico” Corinthians de 2017 que vinha de 34 jogos invictos (5 meses) e com a melhor campanha da Série A por pontos corridos com 47pts em 19 jogos. Tudo estava à favor do time corintiano, os números do atual campeonato, o momento das duas equipes e a enorme torcida que mais uma vez lotou o Itaquerão.

O Leão não levou isso em consideração e fez 1×0 logo aos 11 minutos, após a recuperação de bola de David na defesa, o camisa 27 fez sua jogada de arrancada característica puxando o contra ataque, serviu a Neílton, que dominou e inteligentemente, deu aquele passe “rasga defesa” deixando Santiago Tréllez de cara e o colombiano encheu o pé direito, sem chance para Cássio. Vitória 1×0.

A partir daí, o Vitória mostrou muita personalidade e consistência tática, fruto do bom trabalho de Vágner Mancini (que parece ter voltado bastante evoluído após sua passagem na Chapecoense). O Corinthians não assustava tanto, também por força do bom posicionamento dos jogadores do Leão, que encurtava os espaços e transpirava suor e dedicação. Quando conseguia finalizar, Fernando Miguel estava lá para encaixar a gorduchinha.

Na semana do Soldado, Jô bate continência para o gol do guerreiro colombiano Trellez.

No segundo tempo o ritmo foi o mesmo; Corinthians tentando voltar pro jogo e o Vitória neutralizando muito bem, com uma defesa bem postada e com um espírito de coletividade incrível, com cada um dando de si para recompor e retomar a posse de bola. Além disso, por volta dos 5 minutos, ainda tivemos um gol anulado de Kanu. Gol muito mal anulado por sinal. Pouco depois, aos 25min, Caíque Sá, Trellez e Patric fizeram uma triangulação ofensiva e a bola sobrou para Neílton, que bateu fraquinho. Poderia ser o gol derradeiro naquele momento. A má pontaria de Neílton segue! Outra grande chance foi no finalzinho quando Carlos Eduardo foi lançado na direita, e por ser canhoto, não soube finalizar.

Assim como no jogo do Flamengo, o Vitória foi cirúrgico e jogou com uma inteligência e consistência tática que dificilmente vemos aqui no futebol baiano. Mancini conseguiu implantar um pouco da cultura do futebol pragmático e chato da Chape aqui no Leão e isso é muito bom! Nem sempre, para vencer, é necessário uma ultra-ofensividade. Depois de decepcionar a torcida semana passada contra o Avaí, o torcedor leonino está contente por hoje, pois ninguém dava este jogo como possível triunfo para nós, até eu achava que seria impossível repetir o feito do Flamengo e vi que estive muito equivocado! Faz parte! O importante é que o Leão brocou e agora a imprensa sudestina que procure 1001 teorias e desculpas para justificar a derrota do “Timão”.

VITÓRIA SEMPRE!

Depois da Grande Decepção, outra Parada Indigesta

Não fiz o pós-jogo sobre o Avaí porquê eu sou ser humano, torcedor passional e fiquei muito pilhado com o que o clube protagonizou no sábado passado. Para evitar quebrar a própria regra que coloquei neste blog de “apequenar ou usar de termos que apequenam o clube”, além de passar do ponto nas críticas, eu preferi fingir que não aconteceu a partida da rodada passada, tamanha a descaração dos jogadores do Vitória, aliás, do clube. Essas típicas “gofadas” fazem parte da vida do clube, independentemente de quem seja a diretoria, elenco ou treinador. Desde que me conheço, o Vitória apronta dessas com sua torcida: Vencer quando 90% da torcida está desconfiada e perder quando 90% dela está animada ou com boas perspectivas de ver o time vencer, e bem.

A partida da semana passada foi muito cruel com a torcida rubro-negra, o Leão foi melhor boa parte do jogo, sobretudo no primeiro tempo, mas Neílton botou tanta pose e máscara naquela penalidade, que acabou perdendo. Além disso, o camisa 10 mostrou que não tem equilíbrio emocional nem poder de superação, pois teve três grandes chances para compensar a perda do pênalti e desperdiçou chances claríssimas de gols. Na única vez que o Avaí encaixou um contra-ataque fez seu gol através de Júnior Dutra. Castigo e muita raiva nas arquibancadas, sai do estádio completamente cansado desta eterna mesmice do Vitória em se repetir neste Loop Infinito. Parece que o clube tem mesmo um Espírito Seboso, que trava a instituição na mediocridade suprema.

Enfim, agora iremos enfrentar realmente o “Todo-Poderoso Timão”, na Arena Itaquera, com 40 mil pessoas já garantidas. O Corinthians quebrou todos os recordes neste BR, pois fez 47 pontos em 19 jogos (maior pontuação em um turno de Brasileirão) e dos 10 jogos que fez em casa venceu 7 e empatou 3, além de estar invicto há 34 jogos. Portanto, o favoritaço deste final de semana é o Corinthians. Fora que tem outro scout que nos faz sentir pequeno mesmo – Desde a nossa primeira participação em Brasileirão, 1972, e cerca de 80 jogos disputados, o Vitória nunca conseguiu vencer um dos 4 grandes paulistas atuando como visitante. Este é um “tabu” que incomoda demais, até pela quantidade de vezes que jogamos a Série A e de 8 dezenas de partidas contra os 4 clubes em SP. Clubes menores e nanométricos já aprontaram em cima de algum paulista em SP e a gente, com muito mais história, sempre servindo de bonus stage.

Diferentemente do jogo do Flamengo, o Vitória terá muito mais dificuldades, pois o Corinthians está jogando como uma orquestra de música clássica super entrosada e afinada. Mesmo sem ter jogadores famosos e talentosos como o Flamengo, o time paulista tem uma consistência tática e um espírito de coletividade que merece admiração mesmo. Vários atletas do atual elenco corintiano são bastantes comuns e que já foram reservas no Bahia como Marquinhos Gabriel e Paulo Roberto (que é reserva agora também). Mesmo estando em sua melhor fase da carreira, o futebol de Rodriguinho é muito inferior ao de Diego, do Flamengo, por exemplo. Jô e Romero não são sumidades, mas vem com uma eficiência absurda nas finalizações, fora a parte tática. O Vitória precisa fazer uma partida muito acima da média e o adversário ter um dia bem atípico, negativamente, para fazer uma gracinha. Só nos resta torcer para o improvável!

Vitória Sempre!

VITÓRIA X AVAÍ | É vencer para surfar nas ondas da recuperação

Depois de um primeiro turno deprimente e que já entrou negativamente na história do Clube, o Vitória terá a chance de reescrever a sua trajetória no Brasileirão 2017 a partir deste sábado, quando começa o “returno” da Série A com os derradeiros 19 duelos até o início de dezembro. Nos primeiros 19 jogos, o rubro-negro venceu apenas 5 partidas, sendo duas em casa e três fora, revelando um alarmante desempenho abaixo dos 40% de rendimento como mandante, ou seja, de 10 jogos realizados em Salvador, o Leão perdeu 6 e empatou em duas oportunidades.

Com o propósito de apagar a má impressão deixada na primeira metade do campeonato, a diretoria vem tomando várias medidas, como reformulação do departamento de futebol e de demais setores administrativos da equipe. Além disso, o treinador Vágner Mancini parece ter recuperado a moral do elenco e nos três jogos sob o seu comando foram 2 vitórias e um empate. E nada melhor do que enfrentar o Avaí, neste sábado, no Barradão para confirmar a mudança de ares no rubro-negro. Dono de uma das piores campanhas do Brasileirão, a equipe catarinense não tem muitos recursos técnicos em seu plantel e ostenta também uma das piores estatísticas em termos de gols tomados e gols feitos. Entretanto, nada de achar que é uma barbada, pois as duas vitórias como visitante deles foram em cima de Botafogo e Grêmio, que estão muito bem nesta temporada.

Vale lembrar que o goleiro avaiano está numa fase espetacular e “mitou” no cartola em várias rodadas, sobretudo nas únicas vitórias do Avaí fora de Santa Catarina. Portanto, o rubro-negro precisa jogar com muita dedicação, sem essa de achar que pode fazer o gol na hora que bem entender. Além disso, o Avaí não jogará aberto e querendo impor ritmo de jogo como foi o Flamengo na semana passada. Eles virão fechadinhos, na tática de contra ataques, defender e atacar em bloco. Por isso, toda a seriedade é necessária por parte dos jogadores do Leão da Barra.

Mancini aponta o caminho do triunfo

Sem poder contar com Wallace e Yago suspensos, o técnico Vágner Mancini deve colocar Bruno Bispo e Patric em seus respectivos lugares. O primeiro é um zagueiro da base que terá a sua primeira partida entre os profissionais, apesar de já ter 21 anos de idade. O segundo, Patric, jogará novamente como meia, posição que já desempenhou relativamente bem no Atlético-MG entre 2015 e 2016. Até porque, com as boas partidas em sequência de Caíque Sá, já ficou decidido que Patric dificilmente voltará a ocupar aquele posto. Demoraram de lançar o menino no time titular, mas desde que assumiu não decepcionou. Por sinal, com sua técnica de drible, velocidade e bom poder nos desarmes, o lateral já começou a ser observado por clubes do sul e sudeste. Mas o Vitória tem preferência na compra em definitivo do atleta e em breve poderemos ter uma boa notícia em relação a continuidade de Caíque Sá na Toca do Leão.

Já o Avaí, do treinador Claudinei Oliveira, vem para este jogo com três desfalques: Judson, Juan e Joel. No lugar do atacante camaronês um velho conhecido estará presente na partida: Willians Santana, que teve uma boa temporada aqui em 2008 ao lado de Marquinhos e Dinei. No mais, a equipe catarinense promete muita luta, raça e consistência tática para sair com um empate pelo menos. Para o Vitória, será necessário a mesma pegada dos últimos 3 jogos e com os atacantes sendo eficazes ao máximo nas finalizações, como contra o Flamengo, que mesmo sem atacar com constância fomos 3 vezes ao ataque de forma mais contundente e marcamos 2 gols, além de uma bola na trave por Santiago Tréllez.

VITÓRIA SEMPRE!

Flamengo 0x2 VITÓRIA | Leão detona Fla em atuação brilhante

Tudo jogava contra o Vitória até o pontapé inicial da partida de ontem: Adversário com elenco milionário e que vinha jogando bem, apesar da sua torcida contestar e protestar por resultados ruins contra o Santos; jogo na Ilha do Urubu onde o Flamengo só tinha perdido apenas uma partida neste novo alçapão rubro-negro carioca e nosso retrospecto nada agradável em duelos contra o Fla no estado do RJ. Entretanto, quebrando meio mundo de cartoleiros e comentaristas esportivos de todo o Brasil, o Vitória foi valente, teve uma atuação segura e foi cirúrgico ao fazer 2×0 nos momentos mais cruciais de cada tempo da partida! Vitória maiúscula, que nos orgulha, memorável e que mesmo valendo apenas míseros três pontos, já entrou para história, para mim pelo menos!

PRIMEIRO TEMPO Atendendo a pedidos da super exigente torcida flamenguista, o técnico Zé Ricardo mudou o esquema do Fla de 4231 para 4132 montou o meio de campo apenas com Willian Arão de volante e 3 meias super ofensivos com Diego centralizado, Everton Ribeiro na ponta direita e Éverton na outra extremidade, com Geuvânio e Felipe Vizeu no ataque (Guerrero estava suspenso). Com esta formação era óbvio que o time carioca iria sufocar o Vitória nos minutos iniciais. Não deu outra! Que pressão!

Até os 25 minutos só dava Flamengo no jogo, que por pouco não saiu na frente em cobrança de falta de Diego e numa jogada de linha de fundo, onde Everton cruzou para Felipe Vizeu, que não chegou a tempo para completar pro gol. Apenas após a parada para hidratação que o LEÃO mostrou suas garras. Impressionante como o jogo virou depois da paralisação. O Vitória passou a gostar da partida e a chegar com mais frequência no campo de defesa flamenguista e foi recompensado aos 40min, quando numa bola mal rebatida por Arão, o meia Yago pegou a sobra e soltou um rojão cruzado no ângulo de Diego Alves. LEÃO 1×0! A torcida flamenguista e os caras da SporTV ficaram embasbacados com este “ponto fora da curva”, pois para eles seria barbada para o Flamengo e nunca imaginariam que depois de um começo avassalador, o Fla iria para o intervalo atrás do marcador. Azar deles, a bola pune! A soberba sempre perde, cedo ou tarde!

SEGUNDO TEMPO Com o sol mais forte era natural que o jogo caísse de produção. Este negócio de jogo às 11h só funciona na Europa, continente frio, que tem INVERNO de verdade, bem diferente do Brasil (exceto algumas regiões mais extremas do PR, SC e RS). Com as duas equipes sentindo o forte calor daquela manhã/tarde carioca, o jogo ficou chato, com o Flamengo sendo mais ofensivo, obviamente. O atacante colombiano Berrío entrou no jogo botando fumaça, mas cometendo várias faltas de ataque e quando o FLA conseguia finalizar parava nas mãos seguras de Fernando Miguel, que fazia mais uma grande partida. E novamente quando parecia que o gol do empate do Flamengo era questão de tempo, o Vitória aprontou mais uma.

Aos 20 minutos em um contra-ataque pela ponta direita, o nosso colombiano Santiago Tréllez ganhou na corrida de Réver e quando armava a finalização foi derrubado na área. PÊNALTI. Momento Raro pra se guardar na história, um juiz teve a coragem de marcar pênalti para um time nordestino contra um Flamengo que estava perdendo em casa! Antes da cobrança, o narrador e o comentarista do PFC/SporTV falaram mais da “fama” de pegador de pegador de pênaltis do goleiro do que a grande possibilidade do Vitória matar o jogo ali, com o gol. Os anos passam, mas os profissionais ainda acham que narram e comentam jogos apenas para um dos times. Na cobrança, Neílton não se intimidou da “fama” de Diego Alves e bateu com categoria no canto direito, enquanto o goleiro pulou pro lado esquerdo! E Tite, que estava no estádio para ver os flamenguistas, deve ter percebido que na falta de Neymar, o Neílton pode ser uma boa opção, tamanha a boa partida feita pelo nosso camisa 10.

A partir do segundo tempo gol, toda a equipe da SporTV/PFC tiveram que engolir a seco o triunfo do rubro-negro baiano e a péssima partida que o Flamengo fazia. O time carioca se desestruturou de vez após o segundo gol tomado e a sua torcida que antes tava fazendo seu papel de incentivar mudou de postura, gritando olé para o LEÃO e vaiando até o ídolo Diego! E ainda tem gente que quer taxar a nossa torcida como a “pior” do Brasil.

Enfim, que triunfo gigante, que nos enche de orgulho e que pode fazer a gente refletir sobre não cravar mais que tal jogo a gente já deve contar como derrota certa. Não só por nós, torcedores do Vitória, mas estamos vendo aí nas últimas rodadas muitos visitantes taxados pelos “especialistas da imprensa esportiva” de derrotados antes mesmo da bola rolar, vencerem seus jogos. Não faz muito tempo que vimos Avaí ganhar do Botafogo e Grêmio em seus devidos mandos de campo, bem como nosso rival que deu uma porrada segura no Atlético Mineiro no Independência! O futebol brasileiro está muito nivelado por baixo e vence aquele que jogar com mais garra e estiver um pouco mais inspirado que o oponente.

VITÓRIA SEMPRE!

#nãocairemos!

FLA x VITÓRIA | Parada duríssima!

Que parada duríssima, meus irmãos! Encarar este grande time do Flamengo na hostil Ilha do Urubu com eles pressionados pela torcida é praticamente uma missão de difícil execução, ainda pelo nosso momento de instabilidade no campeonato e nossas próprias limitações. Mas estas mesmas limitações não impedem da gente pregar uma peça neles, como fizemos em 1993 ou em 2008, com gol de cabeça de Dinei que garantiu aquele 1×0 em pleno Maracanã lotado, quando eles tinham Diego Tardelli, Obina e Ibson como grandes destaques!

O Vitória terá a partida mais difícil fora de casa até este momento do Brasileirão. Mesmo questionado pela torcida flamenguista por conta das duas derrotas para o Santos recentes, o Flamengo joga bem, está muito bem treinado por Zé Ricardo e possuem grandes talentos desde o gol ao centroavante (queria muito estar na atual condição flamenguista). Acho bastante curioso este “descontentamento” da torcida flamenguista, nos últimos 15 anos, o time disputava mais para evitar ser rebaixado do que outra coisa, o ponto fora da curva foi 2009 quando foi campeão, o time está no G5, passou para a próxima fase da Copa do Brasil e tem todo o potencial de subir na tabela, mas a torcida deles tá fazendo zuada. Imagine se estivessem perto do Z4?

Dinei também detonou o Fla em 2013 quando demos 4×2 no Barradão.

O CRF terá o desfalque importante de Paolo Guerrero, mas a cria da base, Felipe Vizeu, também tem suas qualidades. O meio de campo com Diego, Arão e Everton Ribeiro cria muitas chances de gol para Everton e o centroavante. Portanto, o Leão precisa se superar e anular os criativos meias do CRF. Outra coisa, se o ECV entrar em campo só para se defender assinará o documento da derrota. Precisamos atacar também e não vacilar nas chances que surgirem ao nosso favor.

Desfalcado de Uillian Correia, Vágner Mancini deve escalar Renê Santos ou Fillipe Soutto em seu lugar. O resto da equipe será idêntico aos dos dois últimos jogos. Desde que voltou ao clube pela 4ª vez, Mancini conquistou 4 dos 6 pontos disputados. O empate em 0x0 com o Cruzeiro, no Mineirão, onde o Leão fez uma boa partida e caso tivesse melhor capricho na finalização poderia ter saído vencedor é um alento para se pensar numa quebra total da imprensa nacional. Mesmo com um time bem arrumado, coeso e forte, o Flamengo tem seus pontos fracos e que o nosso treinador e jogadores saibam explorar.

O rubro-negro carioca entra como favorito neste jogo, mas o jogo é 11 contra 11 e muitas das vezes, aquele time mais limitado sai vencedor, desde que tenha uma força de vontade nas divididas e controle emocional. Vencer o Flamengo no RJ não é fato inédito para nós, entretanto nos pede uma maior dedicação na partida! Que o Vitória volte a aprontar das suas logo mais, para termos um almoço feliz neste domingão!

VITÓRIA SEMPRE!

 

Com outra alma, Vitória detona a Ponte Preta no Barradão!

Finalmente o Vitória deu um ar de sua graça e relembrou sua característica tradicional de jogo: velocidade, técnica e letalidade dentro do Barradão. Com outra alma, esta com senso de luta, doação e raça, o rubro-negro envolveu a Ponte Preta desde o primeiro minuto, fulminando o adversário ainda no primeiro tempo quando abriu 3×0, com dois gols do centroavante colombiano Santiago Tréllez e um do menino Neílton, tão sacaneado por Alexandre Gallo. O time voltou mais relaxado para a etapa final, o que permitiu uma leve reação pontepretana, mas o resultado final garantiu o segundo triunfo do Leão como mandante e o 4º ponto dos últimos seis pontos disputados, coincidindo com a volta de Vágner Mancini ao comando técnico da equipe!

Primeiro Tempo Arrasador – Diferente das últimas apresentações, quando o adversário sempre abria o placar, logo aos 2 minutos da partida o Vitória teve uma falta próximo a linha de escanteio. Na cobrança Neílton achou Santiago Tréllez, que com uma forte cabeçada, fez seu primeiro gol com a camisa do Vitória. Vitória 1×0. Jogando pra cima e pelos flancos, lembrando aquele time de 2008 com Marquinhos e Willians Santana, o rubro-negro envolveu a Ponte Preta e aos 12 minutos, o lateral esquerdo Juninho cruzou para a área, o veterano Rodrigo como uma batatinha esparramou-se pelo chão e Neílton, com categoria, dominou e bateu no canto esquerdo. Vitória 2×0! A Ponte estava perdida em campo e só chegava na base de bolas paradas! O castigo veio aos 35min quando David, que fazia uma boa partida, roubou a bola pelo lado esquerdo partiu pra cima e deu um passe açucarado para Santiago Tréllez soltar o rojão. Vitória 3×0!

Depois de partidas apagadas, enfim, Tréllez se destaca e faz 2 gols contra a Ponte.

Segundo Tempo Morno – Com o placar elástico e com o triunfo praticamente assegurado, o Vitória voltou disperso para a etapa final e pagou caro por isso. Por volta dos 3 minutos, Caíque Sá brincou na saída de bola, perdeu o domínio da pelota para Élton que soltou uma pedrada ao perceber a distração de outro Caíque, o goleiro. Por mais que o erro tenha surgido perto da região do meio de campo, pelo lateral direito, o goleiro tem que estar atento em 100% da partida e nisso o nosso goleiro comeu mosca, mas nada para jogar às traças. Fernando Miguel falha bisonhamente desde o ano passado e não vejo membros da imprensa ou da torcida atochar no gaúcho, mas o menino da base, 20 anos de idade, e que pode render milhões de reais para o Clube num futuro próximo, usam todo o ódio possível. Não entendo!

A torcida do ECV precisa parar com esta infeliz cultura de demonização precoce da base e paciência de monge tibetano a quem é de fora. O mesmo falo de David, que mesmo com deficiências gritantes na finalização e por ainda não ter uma regularidade confiável, é o cara de nosso meio e ataque mais incisivo, que parte pra cima, que se doa em campo e que está sempre contribuindo. Mas é alvo direto da cornetagem, seja aqui, no estádio ou nas redes sociais. Agora, por exemplo, quando Escudero tinha aqueles apagões e se escondia na ponta esquerda ninguém falava nada, pelo contrário, quando eu criticava aqui, eu era chamado de corneteiro e ainda criaram a figura do “jogador tático” para justificar a morosidade do ex camisa 11. É aquele negócio, o cara fala espanhol, tem cara de hipster gente boa, argentino, então vamos endeusar e nunca criticar. Mas se for da base tem que jogar como Pelé, Messi e CR7 todo jogo, sem direito a um jogo sequer de oscilação! O engraçado que o argumento “bufa” de “jogador-tático” nunca é utilizado para os meninos da base. #PARAREFLETIR!

Enfim, voltando ao jogo –  Depois de diminuir o placar, a Ponte Preta se assanhou em campo e passou a gostar do jogo. Aproveitando-se do desleixo do rubro-negro, a Macaca tentou explorar os francos através de Emerson Sheik e Lucca, além de esperar algum lampejo de Renato Cajá, que está se “aposentando” com 33 anos, tamanha a descendência deste jogador nos últimos 4 anos. O Vitória só voltou a ameaçar a Ponte aos 32 minutos, quando um cruzamento vindo da esquerda por parte de David, Trellez desviou de cabeça para André Lima, que exigiu elasticidade e reflexo do goleiro Aranha.

Com o triunfo, o Vitória foi a 16 pontos e se prepara para a difícil missão de encarar o milionário elenco do Flamengo, próximo domingo, às 11h, no Ninho do Urubu. Essa será, talvez, a partida mais difícil para o Leão pontuar, pois o Flamengo está jogando um futebol redondo e conta com vários jogadores interessantes, que estão numa fase espetacular. Um empate será bem vindo e um triunfo seria mais que mítico! Mas vamos lá!

Força, Fé e Foco!