Avaí 0x0 Vitória | Excelente resultado devido as circunstâncias!

“Demorô, mas abalô” Com um pouco de atraso eis aqui a análise do pós-jogo da estreia do Vitória na Série A 2017. Percebi nos grupos de zap, face e o escambau de Fazenda Coutos muita gente criticando, malhando e colocando o empate em 0x0 do Vitória contra o Avaí como um resultado catastrófico. Alto lá, cumpádis! Vamos ser realistas e voltar a 24h/48h antes da partida?

O RUBRO-NEGRO teve a galhofa da anunciação do gerente de futebol como treinador na última quinta-feira, quando toda a torcida cogitava nomes sonantes como Eduardo Baptista, Levir Culpi e Marcelo Oliveira, além disso o Vitória foi para Florianópolis (a terra das mulheres mais lindas do Brasil, junto ao RS) com vários desfalques, entre eles os dois principais centroavantes, o melhor volante da base, os zagueiros Kanu e Fred e quase perdemos David nos vestiários. Então foram 5 desfalques que quase foi a seis.

Outra coisa, o Avaí por mais que limitado que seja o seu elenco, sempre foi chato em seus domínios e em uma de suas últimas aparições na Série A voltando da segunda divisão, eles pararam na Libertadores do ano seguinte, após um excelente trabalho do treinador Silas, que não difere muito do currículo do atual técnico Claudinei Oliveira. Eu mesmo esperava uma derrota, não vou mentir! Pelo fato de nosso time titular sem desfalque ser super-limitado…com 5 ausências então…seria mais frágil, óbvio.  E ainda tinha a força do Avaí dentro de casa e empolgado pelo retorno à elite do futebol nacional. Então, para mim, o empate em 0x0 e onde colocamos duas bolas na trave é sim um excelente resultado. Principalmente se compararmos com a nossa estreia de 2016, quando tomamos 4×1 do Santa Cruz numa atuação deprimente.

Em relação ao péssimo legado deixado por Argel, notamos desde a sua saída e já com a intervenção de Wesley Carvalho que o rubro-negro evita dar chutões de sua defesa, e que até Chutão Miguel vem diminuindo esta ridícula mania de pegar a bola e chutar pra frente como se fosse uma máquina programada para tal. Houve maior tentativa de sair com os zagueiros e laterais e uma nítida maior arrumação do time em campo. Petkovic, coitado, não entrou em nada aí. Ontem foi trabalho de Wesley. O sérvio só foi figura decorativa ontem e pode ter sua cota de contribuição com suas palavras de motivação e pela força de sua história como ex-jogador que ganha respeito e admiração, sobretudo aos jogadores mais jovens e que vivenciaram o auge de Pet dentro das 4 linhas.

Já o Avaí mostrou que é um time que, a princípio, lutará contra a despromoção. Não teve grande capacidade ofensiva e seus melhores lances foram criados pelo lateral Capa, mas que não teve uma tarde muito inspirada de seus atacantes Denílson e Júnior Dutra, além da atuação apagada do meia Marquinhos, que em outras épocas doutrinava na armação do time avaiano. Mas não se surpreendam se daqui pra frente o time de floripa começar a rondar o G10-G8, os times catarinenses têm esta tradição de começar mal e crescer na competição aos poucos, principalmente se os clubes maiores tropeçarem por pura subestimação, preconceito e empáfia.

QUASE SAÍMOS HERÓIS No primeiro tempo, Willian Farias deu uma paulada de canhota aos 34 minutos que acertou a trave esquerda de Maurício Kozlinski, além de uma boa bola levantada na área em que Rafaelson, de cabeça, quase abriu o placar. Já no segundo tempo, nossa melhor jogada foi num cruzamento em que Paulinho emendou de primeira e atingiu a trave contrária de Kozlinski e na sobra, Geferson mostrou toda a sua ruindade como atleta profissional e furou, mesmo com a bola caindo linda, leve e solta, na sua perna tida como boa! Sim, quase saímos heróis em vencer na abertura da competição, fora de casa, contra um time que costuma ser chato em seu mando de campo. Não sou torcedor-modelo, mas tampouco sou daqueles extremos pessimistas, que acha tudo errado e que torcem para o VITÓRIA com a mesma mentalidade de torcedor de Barcelona, Real Madrid, Juventus, Manchester United, etc. Menos galera!

Dejan Petkovic terá uma semana para começar a impor sua ideia de jogo aos jogadores na preparação para a partida contra o Corinthians, próximo domingo, na Arena Lava-Jato. Há uma hipótese de chegarem novos reforços a partir desta semana.

OREMOS!

Vitória Sempre!

BRASILEIRÃO-17 | Avaí x Vitória

Vai começar a competição que você respeita!  Série A vem aí!

Enfim chega o momento mais esperado do ano. A principal competição do ano começa e já esperamos fortes emoções assim como em 2016. Com um início de ano abaixo da expectativa da torcida Rubro Negra, o Vitória vem de duas eliminações precoces na Copa do Brasil e na Copa do Nordeste, um título no campeonato baiano, além de chegar no início do Brasileiro sem os esperados reforços, sem as dispensas necessárias em nosso elenco e com o anúncio de Petkovic como Manager do clube, acumulando função de gestor e técnico do time.

A primeira impressão que fica é que estamos literalmente no caminho errado, e é isso mesmo que está acontecendo. Com o departamento médico do clube lotado, vamos torcer e sofrer muito no nosso primeiro embate em Floripa contra o modesto e concorrente direto Avaí na Ressacada. O Vitória não contará com Kieza, André Lima, Gabriel Xavier, José Wellison e Kanu para esta estreia. A esperança é que com um pouco mais de tempo para treinar o time, Wesley Carvalho, o ex interino e agora novamente auxiliar, tenha conseguido implementar um estilo e uma tática de jogo melhor do que os 5 primeiros meses em que o bombeiro Argel não conseguiu. O provável time para domingo será: Fernando Miguel, Patric, Renê Santos, Alan Costa, Geferson, Farias, Correia, Cleiton Xavier, David, Paulinho e Rafaelson.

O Avaí retornou a série A este ano. Começou o ano mal no campeonato Catarinense, mas conseguiu se ajustar com a chegada do técnico Claudinei Oliveira. Depois de uma campanha inicial bem irregular o Avaí chegou na final da competição perdendo o título para a Chapecoense. O time catarinense foi reformulado e as peças mais conhecidas são Marquinhos, Betão e Junior Dutra. Sem problemas de ordem físicas o Avaí tem todo o elenco a sua disposição e sem fazer mistérios o técnico já escalou e definiu o time para sua estreia. O Leão Catarinense vai a campo com Kozlinski, Leandro Silva, Alemão, Betão, Capa, Luan, Judson, Marquinhos, Rômulo, Denilson e Junior Dutra.

Independente do amadorismo e da falta de critérios e atitude demonstradas pela direção do Vitória nos últimos dias, nosso foco total e nossa torcida é exclusivamente para obtermos um bom resultado dentro de campo neste domingo. Estrear bem na série A irá trazer um pouco de paz e tranquilidade para o nosso conturbado ambiente. Todas as orações e vibrações serão bem vindas e que voltemos de Floripa com 3 pontos preciosos na bagagem.

SRN e bom jogo a todos!

Relacionados:                 

Goleiros: Fernando Miguel e Caíque

Laterais: Euller,  Geferson, Leandro Salino e Patric

Zagueiros: Renê Santos, Bruno, Vinícius e Alan Costa

Volantes: Willian Farias, Uillian Correia e Flávio

Meias:  Cleiton Xavier, Pisculichi e Jhemerson

Atacantes: Pineda, Paulinho, Rafaelson e David

OBS: Hoje é uma data muito especial, o EC Vitória completa 118 anos neste 13 de maio de 2017. Dia de nós vestirmos vermelho-e-preto e reforçar o orgulho e a paixão pelo Leão da Barra.

*NBB: O Universo Vitória perdeu ontem para o Paulistano por 82×72 e precisa vencer amanhã para forçar a quarta partida em Salvador, no Ginásio de Cajazeiras.

Universo Vitória faz segunda partida do playoff do NBB hoje à noite

O Universo Vitória faz hoje à noite a segunda partida do playoff, fase semifinal do NBB. O duelo será contra o Paulistano, às19h30, no Ginásio Antônio Prado Jr, em São Paulo e terá a transmissão ao vivo do canal SporTV. Em sua segunda temporada como participante do Novo Basquete Brasil (NBB), o Universo Vitória mostra que tem tudo para se tornar uma das grandes forças do basquete brasileiro. Na temporada de estreia a parceria da Universidade Universo com o ECV chegou até a primeira eliminatória do playoff, sendo a primeira equipe do Nordeste com tal feito. E neste ano de 2017 já superou todas as expectativas e está na Semifinal, causando choque à imprensa especializada do Basquete Nacional.

Para quem não acompanha ou não entende direito o basquete, eu digo que esta fase de playoff é uma eliminatória no estilo “melhor de 5”, ou seja, pode ter 5 partidas, onde quem vencer mais avança de fase. O Universo Vitória perdeu o Jogo 1, no Ginásio de Cajazeiras, por 93×84, na última terça-feira (09/05). Foi minha primeira partida in loco do NBB. Gostei demais da interação entre locutor do clube e a torcida, que por sinal esteve na ordem de 2 mil pessoas presentes. O primeiro duelo foi um jogão, muito emocionante e que demos mole no último quarto da partida, além de sermos prejudicados pela arbitragem, completamente tendenciosa (até no basquete tem proteção aos times do eixo, impressionante).

Kenny Dawkins é a válvula de escape do Universo Vitória nesta NBB.

Com a derrota no jogo 1, o Universo Vitória precisa vencer, obrigatoriamente, uma das duas partidas sucessivas em solo paulista (hoje e domingo), para ter direito a buscar a virada nos jogos em Salvador. Se o Paulistano abrir 3×0 na série, estaremos eliminados. Os destaques do nosso time são os alas Keyron (norte-americano), Arthur e André e o  armador norte-americano Kenny Dawnkins. Já o Paulistano tem como principal arma os atletas Guilherme, camiseta 77, que mostrou muita competência nos arremessos de três pontos no primeiro jogo em Cajazeiras; além de Arthur Pecos, Eddy e Hure.

#NBB

#VitóriaMitandoNoBasquete

#OrgulhoDoNordeste

O AMADORISMO IMPERA NO “CIRCO” VITÓRIA

É com muita tristeza, decepção, frustração e todo sentimento negativo que faço este texto. Apoiei esta diretoria, pedi votos para a chapa, estou fazendo parte do Conselho Deliberativo (CD) por ser um dos primeiros a aderir à VdT na campanha, mas uma das bandeiras prometidas pela chapa não está sendo cumprida (Profissionalismo no Futebol), pelo contrário está sendo rasgada, esquecida e desprezada pela Diretoria de Futebol, na figura de Sinval Vieira, que colocou seu amiguinho da Sudesb, Gerson Boka, e seu outro “cumpádi” Jorge Sampaio, como “assessores” dele no departamento de futebol.

Esta foi a primeira “quebra de confiança” da chapa com a maioria do novo conselho deliberativo, formado em 91% de torcedores de arquibancada, como eu e demais amigos de Barradão e de movimentos políticos de oposição à Aléxi Portela, Carlos Falcão e Raimundo Viana, como o MSMV, Vitória Século XXI e Por um Vitória Melhor. Não achem que o atual conselho concordou com estes dois chegados de Sinval, não!

Foi nos dito que seria algo temporário e que chegariam executivos gabaritados e experientes. Anunciaram Petkovic logo após a eliminação do Nordestão e a saída de Argel do comando técnico. Entretanto, o grande ídolo do Leão da década de 90 foi apresentado como Gerente de Futebol e a aceitação, no CD, foi grande, haja visto que Pet é um cara que se atualizou, tomou cursos na CBF, Fifa e na Espanha sobre Gestão no Futebol, curso de treinador, transita bem pelo mercado brasileiro pela forte carreira que construiu no país, pois é conhecido por todo o território nacional.

Além disso, Petkovic falou algo que a torcida e o novo conselho já pedia há muito tempo, uma avaliação total do Vitória, estudos minuciosos e elaboração de um Plano de Ação que englobaria usar as mesmas formações táticas do time profissional nas categorias de base; implantação de uma filosofia de jogo para servir de padrão ao Vitória, que fatalmente seria de montar times ofensivos, com força e velocidade nos contra ataques; revitalização das divisões de base e uma completa modernização da maneira como prospectar jogadores tanto para as categorias de base, como na principal, através de análises de olheiros e softwares de prospecção. Até aí tudo bem, estava chegando uma luz de profissionalismo a ser implantada.

Só que após Petkovic começar a buscar o treinador para o resto da temporada, visitando alguns deles no RJ, SP e outros estados. A diretoria chamou uma coletiva hoje, ao final da tarde, para passar um verdadeiro certificado de Pós Doutorado em Amadorismo C/ ênfase em Incompetência, ao anunciar que aquele que tinha vindo como Gerente de Futebol seria o treinador, e o pior, acumulando as duas funções. Coisa que só é visto no FOOTBALL MANAGER – um game viciante de futebol, onde o player é ao mesmo tempo “presidente” e treinador da equipe.

Esta notícia de Petkovic virar treinador é a prova cabal de que a diretoria de futebol não teve capacidade de trazer um treinador para um clube recém campeão estadual invicto e membro da Série A do Campeonato Brasileiro. Isso nem Raimundo Viana foi capaz. Em 2015, vindo de uma renúncia de presidente e de eliminações do Baiano para o Colo-Colo de Ilhéus e do Nordestão, com um cenário de rebaixável à Série C, pois em 15 estávamos na Série B, o novo presidente Raimundo Viana, 74 anos à época, trouxe Vágner Mancini depois de 4 rodadas iniciais da segundona com Wesley Carvalho e querendo ou não, Mancini tem um certo renome nacional. A coletiva de hoje à tarde expôs que a atual Diretoria de Futebol não tem criatividade, capacidade e poder de persuasão para trazer um treinador minimamente conhecido para disputar a Primeira Divisão!

Na minha visão a crítica não é nem sobre Pet ser o técnico, com pouca rodagem nesta função e sim o circo que foi formado para uma patacoada destas. Apostar por apostar, antes Wesley Carvalho que vem há 16 anos servindo as divisões de base. Fora que Pet como gerente seria excelente, até pela bandeira que ele pregou em sua apresentação semana passada. Agora fazendo estas duas funções fica no mínimo estranho e abre a brecha para ser considerado como funções que entram em rota de colisão, pois ele estará “contratando” e “escalando”. Desde a saída de Argel já se passaram 10 dias e neste período o clube não fechou com ninguém e por comodismo, amadorismo e preguiça anuncia o gringo como treinador. Estou muito entristecido com os rumos do carro-chefe do Leão, que é o Futebol. Se avançamos na Democracia com o novo estatuto, melhoria do site oficial e redes sociais e outros setores periféricos, o amadorismo segue reinando no Departamento de Futebol Profissional.

Vale ressaltar, que em 5 meses de gestão, esta é a segunda Coletiva Pastelão da Diretoria de Futebol. A primeira foi com Marinho pedindo para sair do clube, num relato que ficou evidente que os dirigentes não perguntaram ao jogador, o conteúdo que ele falaria na coletiva pedida por ele, o que colocou o clube numa situação vexatória, quando o próprio atleta, funcionário do clube, pedir pra sair do time ao vivo para imprensa e grande público, já que estava passando na TV e redes sociais do clube.

VAMOS FALAR DE CARTOLA FC?

Gente, desde o ano da graça de 2014 tenho uma liga do blog no Cartola FC. Vamos participar acessando o link https://cartolafc.globo.com/#/liga/liga-blog-casa-rubro-negra e pedindo a sua inscrição. Para não ficar com pontuação distorcida, irei aceitar os times com pedido de inscrição até às 14h deste sábado (13/05), depois disso deixarei a liga fechada, quem entrou, entrou, quem não entrou fica para a próxima.

 

Agora vem o Brasileirão

Depois de conquistar o Campeonato Baiano pela 29ª vez no último domingo, chegou a hora do Vitória “trocar a chave” e pensar no jogo deste domingo, que já é pelo Campeonato Brasileiro. Nossa diretoria precisa adiantar o lado e anunciar ótimas contratações, tanto para o elenco como definir o treinador certo e torço muito para que seja Eduardo Baptista, Levir Culpi, Marcelo Oliveira ou o próprio Nelsinho, pai de Eduardo Baptista. Por mais que eu reconheça o currículo de Ricardo Gomes e sua passagem na temporada 1999 onde fez a dobradinha sendo campeão estadual e regional, não consigo enxergar Gomes como a “solução” para o material humano que nós temos.

Dizem as “más línguas” que depois do AVC, Ricardo ficou com uma leve sequela na dicção e na velocidade do pensamento e que isso foi preponderante para ele ter ficado tão pouco tempo no São Paulo Futebol Clube. Boatos e preconceitos à parte, RG nunca foi um treinador vibrante, de botar o time pra cima. Ele é da linha mais cautelosa, sem ser excessivamente defensivo.

Nosso elenco precisa ser fortalecido ou vamos repetir a pífia campanha do ano passado e com o agravante de não ter um “doido endiabrado” como Marinho, que nos livrou do rebaixamento, na melhor temporada de sua carreira, já com 26 anos de idade e 7 de carreira profissional. Considero que precisamos dar a titularidade a Caíque ou partir para trazer um goleiro mais rodado e experiente na Série A, pois Fernando Miguel é muito inconstante e sentiu demais sua primeira participação na 1ª Divisão. Além disso, é necessário que a diretoria prospecte e busque, com carinho, um lateral esquerdo de verdade, dois zagueiros, um meia avançado central, que tenha mais vigor e habilidade que Cleiton Xavier, dois pontas com maior leitura de jogo (não basta só saber correr) e um centroavante mais eficaz e vívido que Kieza e André Lima. Ou seja, só aí eu listei 7 reforços.

Não há como negar, que só estamos na Série A neste ano por conta da excelente fase vivida por Marinho no Brasileirão passado.

Não acredito que Thallyson que está para ser anunciado hoje é este lateral esquerdo, conheço ele das passagens no Ceará e Flamengo e ele é do estilo Euller, isto é, razoavelmente bom no apoio, mas fraquíssimo na recomposição defensiva. Acho interessante a aposta em Todinho, que pode ser uma surpresa boa como foi Neto Berola entre 2009 e 2010, mas precisamos de dois extremos que já tenha disputado a Série A como titular e com relativo sucesso. Série A não é campeonato baiano. Enfrentar os 12 maiores clubes do eixo RJ-SP-PR-MG-RS é bem diferente de jogar contra as babas do boi cansado de nosso futebol, além de que vamos jogar 19 jogos fora de casa, e encarar estádios e torcidas grandes como Flamengo, Palmeiras, Corinthians, Grêmio, Atlético-MG, Cruzeiro, etc.

Infelizmente, este elenco montado às pressas até devido pelo processo eleitoral ter sido na 1ª quinzena de dezembro, parecia ser um time muito bom, com várias opções interessantes para o treinador. Só que não deu liga, fora que os meias mais famosos tiveram sucessivas lesões  jogaram menos de 5 partidas pelo rubro-negro, como Pisculichi e Dátolo, além do fato de Cleiton Xavier estar muito modesto do que já foi num passado recente, como no começo dos anos 2000, até boa parte de 2010. A intenção do Departamento de Futebol foi montar um elenco com duas ou três opções para cada setor, mas quem está conseguindo manter regularidade são os remanescentes de 2016 e a boa fase de David, que lembra um pouco a evolução de Elkeson durante a temporada 2010 e início de 2011.

Como não gosto de pintar o pavão, creio que com este grupo de jogadores que temos à disposição só posso dizer que brigaremos contra o rebaixamento. Este elenco precisa melhorar muito na atuação e consistência da mesma, para mudar minha opinião. Só com reforços pontuais e certeiros, além de um técnico verdadeiramente competente vejo uma saída para o Leão buscar a parte superior da tabela, ou seja, 10ª a 6ª posição.

Vitória Sempre!

Vitória é Bicampeão Baiano!

Resumo O jogo não foi dos melhores. Não fizemos uma partida brilhante, perdemos muitos gols, principalmente com David. Já o rival deu alguns sustos na primeira etapa e foi um mero espectador no segundo tempo. O placar poderia ser 3×2 para gente, mas a falta de pontaria de ambas equipes não permitiu ninguém tirar o grito de gol da garganta, e como o empate nos favorecia, o Vitória se tornou Bi-Campeão Baiano na tarde deste domingo (07/05), sendo que o título deste ano teve o sabor especial da invencibilidade. Campeão Invicto na temporada 2017, a última vez foi em 2005 sob o comando de Renê Simões!

Primeiro Tempo Diferentemente dos dois últimos clássicos, em que o Bahia teve um domínio absoluto e vimos a nossa zaga batendo cabeça, proporcionando cenas lamentáveis e aterrorizantes como num ótimo filme de terror japonês, o rubro-negro jogava um pouco mais organizado, com as linhas buscando ficar mais próximas e evitando os chutões. Entretanto, até metade da etapa inicial, pecávamos na morosidade na criação e definição de jogadas. Só depois que tomamos sustos com Edigar Júnior e numa outra jogada tricolor concluída por Armero, e da simulação de pênalti por Zé Rafael, é que o Vitória passou a atacar com mais frequência. No lance tão falado pelos chorões tricolores, Zé Rafaé viu que ia perder a bola para KANU e quando sentiu o contato físico com nosso zagueiro, já foi se esparramando no chão parecendo aquela musiquinha infantil da batatinha.

Aos 22 minutos o Leão iniciou uma “trilogia” de chances criadas, mas desperdiçadas. Primeiro foi num chute forte e de longa distância por Paulinho, que obrigou Jean espalmar para escanteio. Na cobrança Cleiton Xavier mais uma vez tentou o gol olímpico, evitado novamente pelo goleirinho das sardinhas e no rebote, Bruno Ramires mostrou que não é muito inferior na arte da finalização de seu xará mais famoso (o Ramires do Cruzeiro e Chelsea), pois jogou lá no ato de chapa, quando o certo seria bater no chamado “peito do pé”. Complementando a blitzrieg rubro-negra, Patric fez uma grande jogada aos 29min e lançou David na ponta esquerda, o camisa 27 que lançou seu cabelo no estilo “Foguinho”, se afobou com a falha do zagueiro do jahia e perdeu um gol incrível num chute torto.

Outra coisa boa ontem foi, enfim, a primeira partida mais consciente de Paulinho, que tava mais arisco e aceso. Foi da canhota dele o lance que chegou mais perto do gol no primeiro tempo, quando em novo passe de Patric, ele dominou, fintou Lucas Fonseca na grande área e bateu forte na trave esquerda de Jean. A última grande chance desperdiçada pelo rubro-negro nos primeiros 45 minutos foi novamente com David,q ue recebeu mais uma vez livre pelo flanco esquerdo e ao invés de passar rápido para André Lima, ele preferiu a individualidade, irritando a torcida mais uma vez!

Segundo Tempo Guto Ferreira corrigiu os problemas na defesa do Bahia, que tomou um baile nos 25 minutos finais da etapa inicial e com isso foi gostando da partida, passou a atacar mais, até porque precisava vencer para ficar com o título. Entretanto, a melhora do Bahia não oferecia grandes riscos ao Vitória, exceto na cobrança de falta de Juninho aos 3min e no chute violento de Zé Rafael, aos 7, que resvalou em Kanu e passou muito perto do gol, com Fernando Miguel já batido no lance.

André Lima dividiu a artilharia com Marclei, do Bahia de Feira, com 7 gols, cada.

Arbitragem querendo aparecer – Tirando o Milagre do juiz da partida, Marielson, não ter marcado como penalidade máxima a simulação de Zé Rafael no primeiro tempo, o segundo tempo todo foi marcado pela tendenciosa arbitragem dele, que faz parte da FBF. Todo contato físico de nossos jogadores com os do Bahia a falta era marcada, já o contrário ele “não via” e mandava seguir. Várias inversões de faltas, a aplicação de cartão amarelo só existia para o lado rubro-negro, muitas outras “infrações” foram marcadas no grito pelos jogadores do rival. Tava uma coisa absurda. Ainda sobre a choradeira que está reinando nas redes sociais tricolores, amigos incolores e uma minúscula parte da imprensa, eu cravo que faltou coragem de Marielson em “comer” aquele agá de Zé Rafael, pois se fosse Jailson ou Arílson a gente estaria lenhado. Não tenham dúvidas disso. E agradeço aos céus por estes dois, contumazes “cirurgiões” de partida pró-rival, não terem caído neste “”sorteio”” (com 4 aspas mesmos, editor!).

Somente a partir dos 29 minutos o Vitória voltou a dar sustos reais no rival. E novamente David foi o protagonista de uma jogada que poderia nos dar o triunfo e alegria completa aos torcedores. Novamente pegou livre pela esquerda, catou dois, entrou na área e quando poderia, de fato, finalizar, preferiu dar o passe, mas fraco e de forma displicente. Ah, David, ah David. Tá se mostrando arregão em jogos grandes, né? Os 10 minutos finais foram de um jogo extremamente aberto, onde as duas equipes passaram a jogar na base do chutão e num abafa descoordenado e onde os planejamentos táticos foram rasgados por ambas equipes. Mas como disse, no parágrafo inicial, não foi o dia de soltar o grito de gols. As duas equipes erraram demais nas conclusões e o placar acabou como começou, 0x0 e festa para a massa rubro-negra.

Vitória Sempre!

#29Estaduais

#bicampeãobaiano

#CampeãoInvictoÉluxo