VITÓRIA X CORITIBA | É vencer ou vencer!

Neste sábado, às 21 horas, o Vitória terá mais um embate complicado nesta série A de 2017. O adversário é o perigoso Coritiba, que vem de duas boas partidas no campeonato e que só não aprontou contra o Santos, em plena Vila Belmiro, pela atuação magistral do goleiro Vanderlei. A partida será na Arena Fonte Nova, pois ainda continua a manutenção nas catracas no Barradão.

O técnico Petkovic conta com dois importantes retornos para esta partida. Kieza e Gabriel Xavier foram liberados pelo DM e reforçam nosso time nesta partida. Mesmo com a presença e regularização dos novos contratados, o time deve ser o mesmo que perdeu para o Corinthians no domingo passado, a única mudança será a saída de Rafaelson para a entrada de Kieza no comando do ataque Rubro Negro. O time para domingo será: Fernando Miguel, Salino, Alan Costa, Fred, Geferson, Farias, Uillian Correia, Cleiton Xavier, Paulinho, David e Kieza.

O técnico Pachequinho fará duas mudanças na equipe que atuou os dois primeiros jogos na série A. Wallison Maia está machucado e cede a vaga para o zagueiro Márcio, além de Jonas que sai do time titular para o retorno de Alan Santos, volante revelado nas divisões de base do Leão. O ponto forte do Coxa está no seu ataque com os velhos conhecidos Berola e Henrique Almeida, além do Gladiador que após rodar por grandes clubes voltou a boa fase na equipe paranaense. O Coritiba vai a campo com Wilson, Dodô, Márcio, Werley, William Matheus, Alan Santos, Matheus Galdezani ,Tomas Bastos, Berola, Henrique Almeida e Kleber.

O dia e o horário não são atrativos para um grande público, mas a Arena é central e com um acesso mais tranquilo que o do Barradão, mesmo assim a expectativa de público é menor do que os 16 mil presentes no jogo contra o Corinthians. Falando do nosso time, é preocupante a situação de jogadores recém contratados, que já treinam no clube há 15 dias, mas não conseguem a proeza de tomar a vaga de titular de Salino, Geferson, Paulinho e cia. Será que podem ser considerados reforços ou irão engordar o bolo de come e dorme no Vitória? Só o tempo nos trará respostas, por enquanto só resta torcer e apoiar o time em busca dos 3 pontos, que apesar de cedo já são de extrema importância para a nossa meta de permanência na elite do futebol brasileiro.

SRN e bom jogo a todos!

Vitória 0x1 Corinthians | A eficiência e a qualidade fazem toda a diferença!

Começo o pós-jogo de hoje com o seguinte axioma: Olha quanto tempo que o Vitória perdeu com Argel Fucks no comando técnico. A preguiça e a falta de capacidade em trazer um treinador mais gabaritado no começo do ano custou caro ao clube e a sua torcida, que continua sem ver futebol atrativo e eficiente do Leão desde a temporada 2013, ou seja, são QUATRO LONGOS ANOS em que a torcida do Vitória está sendo tolhida de ver seu time do coração jogar futebol.

Desde aquela campanha do 5º lugar da Série A, em que encantamos o Brasil com Maxi Biancucchi, Renato Cajá, Escudero, Marquinhos e Dinei, o rubro-negro vem praticando o bufo-bufo como sua marca de jogo e isso ficou bastante acentuado nesta passagem de Argel no ECV. Aquela história de time veloz, letal e insinuante do início das décadas de 90 e primeira metade dos anos 2000 virou mero lampejo nas temporadas pós-2013, o que atenua um pouco a culpa de Argel e potencializa as sucessivas diretorias de futebol do clube, desde então.

Em apenas duas rodadas e 1 semana de trabalho, o novato treinador Dejan Petkovic mostrou o quanto Argel foi prejudicial ao Clube. Com as mesmas peças do ex-treinador e com o agravante de 7 desfalques, o Vitória é outro time nas mãos do sérvio. Acabou-se o “chutão à esmo” que era carta-magna de Argel. Vimos contra Avaí e ontem, contra o Corinthians, o Leão tentar sair a partir de sua defesa, inclusive com Fernando Miguel jogando com passes curtos para zagueiros e laterais, coisa que não víamos poucos dias atrás. Era praticamente mecânico a seguinte situação: FM defende e devolve num chutão quase que instantaneamente, e na sequência, a posse de bola já está com o adversário, pois não temos mais o perito em casquinha, Dinei, nem meias e pontas habilidosos e entrosados com este lance como na temporada 2013.

Os primeiros 20min de jogo, ontem à tarde, confirmam o que citei no parágrafo anterior. O Vitória teve mais posse de bola, justamente, por evitar chutões, dominou o Corinthians e só não saiu na frente por limitação absurda dos homens de criação e finalização. É deprimente ver a falta de capacidade ofensiva de nossos extremos. Por mais que tenha melhorado, Paulinho continua sendo um engodo. Não tem aquela fibra goleadora e aqui não faz 1% do que fez no Flamengo, também na temporada 2013. David caiu vertiginosamente nos últimos 5 jogos, não sei se a ligeira boa fase lhe subiu à cabeça ou que realmente ele só consegue sobressair-se contra adversários fraquíssimos do nosso interior e das equipes menores do Nordestão. Nos jogos “mais pegados” ele sumiu, produtividade zero. Não dá para confiar a titularidade 100% dele numa Série A.

Já o Corinthians, inflamado mais pela Mídia Nacional e Local, não é lá estas coca-cola toda. Olho para a escalação deles e só destaco os dois laterais e o meia Jádson, o restante do time titular é bem meeiro, assim como a maioria de seus reservas. Jô e Romero têm mais “grife” que talento individual e o próprio goleiro Cássio fica num rodízio com Walter, alternando a titularidade. Eles faziam uma partida pífia, sem vibração, sem grandes atuações individuais e só venceram o jogo porque não aproveitamos as poucas oportunidades criadas, sobretudo àquela de Pisculichi que deixou Rafaelson de cara, mas nosso camisa 20, que está com um corpanzil de um zagueiro veterano ruim, mostrou toda a sua falta de intimidade com a bola. O troco veio – Bastou para o Corinthians a eficiência e qualidade de Marquinhos Gabriel, que achou Jô livre na área, que não desperdiçou. Corinthians 1×0. Lance muito parecido com o de Piscu e Rafaelson, mas convenhamos que Jô é mais experiente e de maior talento que nosso centroavante “da base”, apesar de não ser nenhum suprassumo do futebol brasileiro.

Enfim, se por um lado ficou evidenciado que UM TREINADOR COMPETENTE faz sim um time limitado ter uma postura e atuação mais convincente, por outro ficou ratificado que com este elenco que aí está, o VITÓRIA é forte candidato ao rebaixamento. Perdemos tempo demais com Argel, que sobreviveu a estatísticas fakes de um campeonato engasga-gato, que é o estadual, e que sofremos alguns perrengues na primeira fase do Nordestão, num grupo onde os adversários eram oriundos das Séries C e D. O discurso ultrapassado de Sinval Vieira de que “qualquer treinador faz um time bom jogar” caiu por terra mais uma vez. Além de não termos este time bom, muito pelo contrário, o novato da área em menos de 15 dias já deu outra feição à equipe, que aliás o próprio interino, Wesley Carvalho, já tinha conseguido em 48h, diga-se de passagem. Por sinal está rolando a informação de que Carvalho foi convidado a treinar o sub-20 do Palmeiras. Se for confirmada esta situação é mais um ótimo profissional de nosso staff que sai para o eixo sul/sudeste sem ter o devido reconhecimento dentro do Vitória.

#REFORÇOS

#OUCONTRATAOUVOLTAPRASEGUNDONA

#QUEREMOSFUTEBOLMAISATRATIVO

#CHEGADEBUFOBUFO

Vitória Sempre!

PRELEÇÃO | Vitória vs. Corinthians

E neste domingo às 16 horas iremos para o segundo duelo na nossa árdua caminhada nesta Série A de 2017. O adversário nesta rodada é muito mais qualificado que o modesto Avaí, cujo empate saiu de bom tamanho na estreia,  visto os desfalques que tivemos naquela jornada. Vitória e Corinthians vão jogar na Arena Fonte Nova, por conta da manutenção das catracas do Barradão que foram estrategicamente efetuadas para este momento. Estranho o Vitória jogar no estádio depois de tudo que aconteceu na semi final da Copa do Nordeste e final do baiano.

A situação de contundidos no Vitória continua preocupante, além dos frequentadores assíduos do nosso DM, perdemos também o lateral direito Patric com lesão de grau 1 na coxa e o nosso capitão e volante Farias com incomodo muscular. De notícia boa apenas o retorno de Fred e a regularização dos novos contratados pelo clube. Thallyson, Caíque Silva e Toddynho estão a disposição do nosso técnico e podem nos dar opções úteis para esta partida. O provável time para domingo será: Fernando Miguel, Caique, Alan Costa, Fred, Geferson (Thallyson), Renê Santos, Uillian Correia, Cleiton Xavier, Pisculichi, Paulinho (Todynho) e David

O técnico Carile do Corinthians  tem apenas um desfalque para esta partida. O zagueiro Pablo foi vetado por problemas musculares e será substituído por Pedro Henrique. O time deve ter a mesma base que tropeçou na primeira rodada em casa empatando com a Chape pelo placar de 1×1. Os destaques da equipe paulista são os meias Rodriguinho e Jadson, além do atacante Jô que passa por uma fase artilheira e é a esperança de gols da equipe nesta série A. O Corinthians vai a campo com Cassio, Fagner, Pedro Henrique, Balbuena e Arana; Gabriel, Maycon e Jadson; Rodriguinho, Romero e Jô.   

Difícil imaginar um cenário favorável para o nosso time nessas primeiras rodadas da série A. Nossa torcida já identificou os problemas na formação desse elenco, sabem as necessidades do nosso plantel, mas não percebemos nenhuma ação e esforço do clube para contratar reforços para sanar essas carências. Só resta torcer para que nosso time se supere e que o fator casa prevaleça nesta partida. Parece que a nossa trajetória nesta série A será mais sofrida do que imaginávamos. Oremos!

SRN e bom jogo a todos! 

Avaí 0x0 Vitória | Excelente resultado devido as circunstâncias!

“Demorô, mas abalô” Com um pouco de atraso eis aqui a análise do pós-jogo da estreia do Vitória na Série A 2017. Percebi nos grupos de zap, face e o escambau de Fazenda Coutos muita gente criticando, malhando e colocando o empate em 0x0 do Vitória contra o Avaí como um resultado catastrófico. Alto lá, cumpádis! Vamos ser realistas e voltar a 24h/48h antes da partida?

O RUBRO-NEGRO teve a galhofa da anunciação do gerente de futebol como treinador na última quinta-feira, quando toda a torcida cogitava nomes sonantes como Eduardo Baptista, Levir Culpi e Marcelo Oliveira, além disso o Vitória foi para Florianópolis (a terra das mulheres mais lindas do Brasil, junto ao RS) com vários desfalques, entre eles os dois principais centroavantes, o melhor volante da base, os zagueiros Kanu e Fred e quase perdemos David nos vestiários. Então foram 5 desfalques que quase foi a seis.

Outra coisa, o Avaí por mais que limitado que seja o seu elenco, sempre foi chato em seus domínios e em uma de suas últimas aparições na Série A voltando da segunda divisão, eles pararam na Libertadores do ano seguinte, após um excelente trabalho do treinador Silas, que não difere muito do currículo do atual técnico Claudinei Oliveira. Eu mesmo esperava uma derrota, não vou mentir! Pelo fato de nosso time titular sem desfalque ser super-limitado…com 5 ausências então…seria mais frágil, óbvio.  E ainda tinha a força do Avaí dentro de casa e empolgado pelo retorno à elite do futebol nacional. Então, para mim, o empate em 0x0 e onde colocamos duas bolas na trave é sim um excelente resultado. Principalmente se compararmos com a nossa estreia de 2016, quando tomamos 4×1 do Santa Cruz numa atuação deprimente.

Em relação ao péssimo legado deixado por Argel, notamos desde a sua saída e já com a intervenção de Wesley Carvalho que o rubro-negro evita dar chutões de sua defesa, e que até Chutão Miguel vem diminuindo esta ridícula mania de pegar a bola e chutar pra frente como se fosse uma máquina programada para tal. Houve maior tentativa de sair com os zagueiros e laterais e uma nítida maior arrumação do time em campo. Petkovic, coitado, não entrou em nada aí. Ontem foi trabalho de Wesley. O sérvio só foi figura decorativa ontem e pode ter sua cota de contribuição com suas palavras de motivação e pela força de sua história como ex-jogador que ganha respeito e admiração, sobretudo aos jogadores mais jovens e que vivenciaram o auge de Pet dentro das 4 linhas.

Já o Avaí mostrou que é um time que, a princípio, lutará contra a despromoção. Não teve grande capacidade ofensiva e seus melhores lances foram criados pelo lateral Capa, mas que não teve uma tarde muito inspirada de seus atacantes Denílson e Júnior Dutra, além da atuação apagada do meia Marquinhos, que em outras épocas doutrinava na armação do time avaiano. Mas não se surpreendam se daqui pra frente o time de floripa começar a rondar o G10-G8, os times catarinenses têm esta tradição de começar mal e crescer na competição aos poucos, principalmente se os clubes maiores tropeçarem por pura subestimação, preconceito e empáfia.

QUASE SAÍMOS HERÓIS No primeiro tempo, Willian Farias deu uma paulada de canhota aos 34 minutos que acertou a trave esquerda de Maurício Kozlinski, além de uma boa bola levantada na área em que Rafaelson, de cabeça, quase abriu o placar. Já no segundo tempo, nossa melhor jogada foi num cruzamento em que Paulinho emendou de primeira e atingiu a trave contrária de Kozlinski e na sobra, Geferson mostrou toda a sua ruindade como atleta profissional e furou, mesmo com a bola caindo linda, leve e solta, na sua perna tida como boa! Sim, quase saímos heróis em vencer na abertura da competição, fora de casa, contra um time que costuma ser chato em seu mando de campo. Não sou torcedor-modelo, mas tampouco sou daqueles extremos pessimistas, que acha tudo errado e que torcem para o VITÓRIA com a mesma mentalidade de torcedor de Barcelona, Real Madrid, Juventus, Manchester United, etc. Menos galera!

Dejan Petkovic terá uma semana para começar a impor sua ideia de jogo aos jogadores na preparação para a partida contra o Corinthians, próximo domingo, na Arena Lava-Jato. Há uma hipótese de chegarem novos reforços a partir desta semana.

OREMOS!

Vitória Sempre!

Triunfo à base do acaso (de novo)

vitoria_coritiba_luiz-tito-ae

O gol contra do zagueiro do Coritiba e um lance genial e isolado de Marinho evitaram uma tragédia hoje à noite em Feira de Santana, no estádio Joia da Princesa. O Vitória venceu de virada por 3×1, mas isso de maneira alguma apaga a fraca exibição da equipe e o péssimo trabalho desenvolvido por Vágner Mancini tanto na escalação como no uso do banco de reservas.

O Coritiba abusou de perder gols no primeiro tempo e nossa zaga continua se mostrando como a pior do Brasileirão com erros grotescos dos zagueiros e pela evidente falta de coesão entre os volantes e os zagueiros, fora que os volantes não fazem a cobertura dos laterais. Por sorte saímos do primeiro tempo em 0x0. Mas no segundo tempo não teve escapatória, novamente nossa zaga teve “pane aérea” e sofremos o gol de cabeça.

ec-vitoria-marinho-corinthians_1637728

Continuamos jogando uma bolinha feia da moléstia, sem assustar o goleiro Wilson. Nosso empate saiu numa diarreia em pleno circuito de carnaval. Num lance hiper fortuito, a bola foi lançada na direção de Kieza e o zagueirão paranaense fez uma pixotada daquelas…A fumacinha deste gol não tinha qualidade efetiva e somente perto dos 43 minutos, em um lance individual de Marinho fizemos o segundo gol, numa cacetada violenta no ângulo. Vencemos, mas não convencemos e isso não deve ser motivo para manter o péssimo dublê de treinador Vágner Mancini. Este gol desestabilizou o Coxa e num contra ataque bem articulado, Kieza encerrou o jejum e, enfim, balançou as redes. Vitória 3×1. Parece que com este resultado não encerraremos o turno na zona de rebaixamento mesmo que a gente perca para o Palmeiras no próximo domingo, na Alianz Arena.

Vitória x Santos | A obrigação é vencer e mudar o panorama atual

FT Vitória x Santos - 2016

Confesso que nunca tive tão pessimista com o primeiro turno do Vitória. Invariavelmente sempre começamos bem o campeonato brasileiro e caímos de produção na metade do returno, mas desta vez estamos patinando desde o início e até agora este time aí não empolga o torcedor leonino. Entretanto, há jogos com lampejos que podemos ser mais que um mero participante do Brasileirão, como os triunfos contra Corinthians, Grêmio, Internacional e o empate heróico contra o Cruzeiro com o Mineirão lotado. Temos mais uma chance de vencer um time renomado do sudeste e vislumbrar uma recuperação mais sólida no certame nacional. Vitória enfrentará o Santos às 18h30 deste domingo, no Barradão, e não há outro resultado admitido que não seja o nosso triunfo. Já vacilamos demais neste “primeiro turno”. Chegou a hora da mudança, da reabilitação mais consistente.

Para este duelo dominical, o treinador Vágner Mancini não contará com Marinho suspenso e poderá formar a equipe rubro-negra com Caíque, Diego Renan, Kanu, Victor Ramos e Euller; William Farias, Welison (Amaral ou Marcelo), Serginho e Cárdenas, Dagoberto e Kieza. Caso queira voltar ao 3-5-2 Mancini deve tirar um dos meias para a entrada do zagueiro Ramon. Como se pode ver, o meia colombiano Sherman Cárdenas já está regularizado e pode fazer sua estreia amanhã com a camisa 10 do Leão, camisa esta marcada por Bebeto, Ramon, Petkovic e Edílson.

Desfalcado de Zeca, Thiago Maia e Gabriel, o Santos FC que está no G4 com 26 pontos, vem à Salvador apostando na experiência do meia Renato (37 anos) e do centroavante Ricardo Oliveira (36) para surpreender o Leão da Barra. Sem o trio convocado para a Seleção Olímpica, o Peixe empatou em 0x0 com o Gama no meio de semana pela Copa do Brasil, o que demonstra que perde muita qualidade sem os “meninos da vila”. Mesmo assim, o time santista oferece perigos com o meia-atacante Copete, o próprio Ricardo Oliveira, os meias Vitor Bueno e Lucas Lima e pelo jogo insinuante do lateral direito Vítor Ferraz. Por isso todo cuidado é pouco e a Comissão Técnica e Atletas do Vitória não podem achar que vão enfrentar a “baba do boi cansado”.

O Santos deve formar o line-up com Vanderlei; Victor Ferraz, Luiz Felipe, Gustavo Henrique e Caju; Yuri, Renato, Lucas Lima e Vitor Bueno; Copete e Ricardo Oliveira.

Vitória encara o América-MG em busca de 1º triunfo como visitante

america.mineiro_vs_vitoria_2016

Depois de enfrentar duas equipes paulistas (Portuguesa, pela Copa do Brasil, e Corinthians pelo Brasileirão), o Leão da Barra terá pela frente dois adversários de Minas Gerais. O primeiro será o América na noite desta quarta-feira, tendo na sequência o Atlético-MG, na Arena Fonte Nova. Em sua primeira jornada como visitante o Vitória foi surrado pelo Santa Cruz, o que deu uma má impressão enorme pelo placar de 4×1 e a facilidade de como o time pernambucano fez os gols. Na semana seguinte à goleada, vencemos a Lusa por 3×1 e o Corinthians por 3×2, ambos de virada e este elemento pode sinalizar uma recuperação da autoconfiança dos nossos jogadores.

Vágner Mancini fará poucas mudanças em relação à escalação do jogo anterior, mas com o possível retorno de Willians Farias na meiuca, além de Alípio pintar na vaga de Vander (expulso contra o Corinthians). Sendo assim, o provável line-up rubro-negro será com Fernando Miguel, Norberto, Victor Ramos, Ramon e Diego Renan; Amaral, Marcelo (W. Farias), Leandro Domingues, Alípio (Tiago Real / Dagoberto), Marinho (David) e Kieza. Apesar da nossa boa recuperação e atuação no segundo tempo do Corinthians, enxergo que Mancini poderia ter sido mais ousado e até mexer um pouco com a zona de conforto de alguns jogadores, a exemplo de Ramon que vem jogando muito mal desde a finalíssima do Baiano. Daria vez a outro zagueiro, de preferência Kanu.

Já o América-MG não começou bem a Série B e perdeu as duas primeiras partidas, por isso, acredito que o Coelho irá pressionar bastante nossa defesa e buscar a todo custo o resultado positivo, pois as coisas estão ficando estreita por lá e Givanildo sabe que se a série de derrotas se alongar muito ele pode pegar o bilhete azul da demissão. Sabido e experiente, o técnico do Coelho irá orientar seus jogadores a forçarem as jogadas em nossos laterais, além de outros defeitos que ele possa ter detectado de nosso time. Portanto, espero que Mancini tenha um antídoto para o esquema de Givanildo e também saiba explorar os pontos fracos da equipe mineira. O provável time do América-MG será com: João Ricardo, Artur, Alison, Sueliton e Danilo Barcelos; Leandro Guerreiro, Claudinei (Alan Mineiro), Rafael Bastos e Helder (Eduardo), Tiago Luís e William Barbio (Victor Rangel).

O time mineiro é uma das mais limitadas tecnicamente da Série A, mas costuma vender caro a derrota em seu mando de campo. O Vitória precisa ficar atento em Rafael Bastos, que passou por aqui em 2009, Tiago Luís e pela velocidade de William Barbio. Estes três são as principais peças ofensivas do Coelho e que, achando marcação desatenta, podem fazer a diferença. Fora isso, dá para o Vitória fazer seu primeiro triunfo como visitante nesta Série A 2016, desde que jogue com inteligência, raça e determinação. Do lado de lá não tem nenhum supertime e aquele que impor melhor seu esquema de jogo terá a maior possibilidade de somar três pontos.

Victoria in Omnia Paratus!

RELACIONADOS PARA O JOGO

Goleiros: Fernando Miguel e Wallace
Zagueiros: Ramon, Kanu e Victor Ramos
Laterais: Diego Renan, Euller  e Norberto
Volantes: Willian Farias, José Welison, Amaral e Marcelo
Meias: Leandro Domingues, Flávio e Tiago Real
Atacantes:  Dagoberto, David, Marinho, Kieza e Alípio