#BAVI489 | Chilique e intimidação não ganham jogo!

É hoje meus amigos, o Vitória encara a sardinha chiliquenta e metida a coitadinha pela segunda e decisiva partida da semifinal do Nordestão. Depois de perder o segundo clássico seguido, elementos da diretoria do rival fizeram mais um chilique que tá virando modinha pelos lados de lá após tomar cacete nosso. O inexpressivo vice-presidente da sardinha usou dos microfones até para perguntar ao EI, FBF e até CBF para não ser “mais prejudicado” pelas arbitragens nos clássicos, num momento em que o país está sendo varrido pela Operação Lava-Jato no combate a corrupção.

Obviamente, o dirigente tricochorão não falou que Edson e Hernane deveriam ser expulsos também pelas entradas criminosas em Willian Farias e David, respectivamente e que nenhum de nossos dois gols foram decorridos de lances irregulares. Para os reis do chilique e intimidação vazia, vale apenas jogar falácias emocionais na imprensa para ludibriar a torcida irracional e dar combustível para nossa mídia concluir o desserviço da desinformação, para enaltecer e motivar a sardinhada fusquenta.

Ao contrário da postura adotada por Ivã de Almeida, que se aproximou do presidente dos peixes pequenos para promover a paz, o VP das sardinhas fala em clima de guerra, por sinal ele vem incentivando este clima pesado, de belicismo, indo de encontro ao pregado “bavi da paz”. Mas não adianta dar chilique, rodar a baiana e gargantear. Continue com o seu pleno direito do Jus Esperniandi, Pedro Henriques. Chilique, intimidação e discursos inflamados não fazem gols e nem evitam os nossos!

Falando de futebol – O Vitória sabe que precisa de um simples empate para chegar a mais uma decisão do Nordestão. O jogo de hoje é do jeito que Argel gosta, de jogar no erro do adversário, aproveitar os contra-ataques, o chamado jogo reativo. Sem poder contar com Brochador e NonGustadeGol, o técnico do rival, Inhonho Ferreira vai promover Edigar Júnio como falso nove, com Zé Rafaé e Allione fazendo as extremas do campo. O único erro que o rubro-negro não pode cometer é esperar demais o Jahia. Não podemos fazer a estratégia do PSG frente ao Barça ou do expediente de Ricardo Silva contra o Santos na primeira final da Copa do Brasil em 2010.

Claro que o rival vai partir pra cima, estão mordidos, fracos no emocional e precisam fazer gol em cima da gente, mas isso não significa que nosso time abdique completamente de atacar. Pelo contrário, acho que neste momento Argel precisa ser diferente de tudo que tem sido até aqui. O antídoto deve ser partir para um abafa nos 15 minutos iniciais em busca do primeiro gol. Tenho certeza que se a gente fizer 1×0 eles desabarão na parte emocional e partirão para catimbas, agressões e perderão todo o bom trabalho tático desenvolvido por Guto Ferreira.

Apesar de Guto Ferreira ser mais técnico que Argel, nosso time é melhor e nosso emocional está, aparentemente mais sólido que o deles. Não podemos cair no joguinho de provocações e catimba deles. Precisamos mais do que nunca daquela frieza dos carrascos da Idade Média que degolavam e enforcavam condenados como se fossem galinhas ou gado de abate. O Vitória tem tudo para vencer e bem logo mais às 16h, basta ter esta postura firme na parte tática e emocional, saber controlar o jogo e atacar na hora certa e principalmente fazer o gol primeiro que eles. Caso a gente saia atrás do placar, que a gente não perca o foco e se recupere na bola como fizemos na última quinta-feira.

Não é loucura minha pensar numa goleada nossa, caso o Vitória faça tudo direitinho, saia na frente e passe a explorar, de forma agressiva e objetiva, os espaços que eles deixarão. O mantra de hoje deve ser isso: fazer o gol logo, destruir o plano deles rapidamente, ter frieza na saída da defesa para o ataque. Este time do Bahia tem uma relativa defesa bem postada, mas quando acuados de forma coordenada peidam na farofa e não possuem um sistema ofensivo de boa qualidade. O forte deles é cobrança de faltas e bolas alçadas na área.

Vai pra cima deles, Leão!

#CopadoNordeste2017

#RumoAoHexa

 

Anúncios

#BAVI488 | Em jogo, a luta pela vaga à decisão do Nordestão

Cada vez mais, o maior clássico da região Norte/Nordeste se aproxima do número 500. A noite desta quinta-feira será, de acordo com um jornal de grande circulação do Estado, o 488º encontro destas duas grandes forças do futebol nordestino. Em se tratando de Copa do Nordeste, os números caem bruscamente para 11 duelos, pois a competição é relativamente jovem e ficou de fora do calendário em alguns anos. A nível geral, a vantagem é tricolor com 189 triunfos contra 157 vitórias rubro-negras. Já pelo Nordestão, dos 11 jogos vencemos 5 e empatamos 2, fora que já conquistamos o título em cima deles em 1997 e 1999.

Relembrando os clássicos dos anos 90 – Em 1997, o Vitória montou o seu melhor elenco de futebol profissional em sua história para muita gente, pois outra grande parte acha o de 2004 melhor. O fato é que em 1997, com a chegada do Banco Excel Econômico como patrocinador master do Leão – Creio que foi o primeiro grande patrocinador em termos de investimento no Vitória – o presidente do clube à época, Paulo Carneiro, montou um dream team com direito a vinda do craque Bebeto. O time do 1º semestre de 1997 foi tricampeão baiano (pela 1ª vez na história) e campeão do Nordeste, ambos em cima do Bahia. Pelo Nordestão fizemos 3×0 no jogo 01 e perdemos o decisivo por 2×1, mas o título foi nosso. Naquele ano, o Excel investiu quase R$ 10 milhões no clube, sendo R$ 8,5 mi logo de cara.

http://g1.globo.com/bahia/videos/t/jornal-da-manha/v/ba-vi-veja-a-historia-do-classico-que-acontece-ha-20-anos/5827167/

Já em 1999, sob a batuta do treinador Ricardo Gomes (que também era treinador “novo” como Arturzinho em 97), o Leão repetiu a dobradinha Estadual-Regional, apesar da balbúrdia lamentável promovida pelo Bahia e Clube Itapagipe que melaram a final do estadual e o atual presidente da FBF, como um covarde, decidiu “dividir” o título entre Bahia e Vitória, quando nós tínhamos o regulamento ao nosso favor de decidir o jogo no Barradão, na partida 02. No Regional vencemos a partida de ida por 2×0, no Barradão, com dois gols do centroavante uruguaio Hernández e na volta perdemos por 1×0, gol de Uéslei.

ARGEL FUCKS

Mas para o duelo de logo mais, às 20h30, o Vitória de Argel Fucks sabe que precisa se inspirar um pouco nestes belos elencos de 1997 e 1999 e construir um placar favorável hoje, para facilitar as coisas. Com a vantagem de fazer o segundo jogo na Arena Fonte Nova, o Bahia deve vir fechadinho hoje, além de buscar um golzinho no Barradão, pois o critério de gol fora de casa vale pelo Nordestão. Vencer hoje é imperioso até para baixar mais ainda a moral do lado de lá, já que perderam o primeiro clássico do ano. Entretanto, os nossos jogadores precisam se esforçar ao máximo para vencer com dois gols de vantagem, no mínimo, o que deixaria toda a pressão para os tricolores no domingo.

Guto Ferreira como Inhonho, em Chaves.

O rival sabe que precisa dar uma resposta à sua torcida e como Inhonho Ferreira costuma montar defesas sólidas por onde passa, será natural que as sardinhas joguem hoje na base dos contra-ataques, cruzamentos na área e bolas paradas, principalmente se Juninho começar entre os titulares. O tricolor não tem muito repertório em seu setor ofensivo, o ponto forte deles é uma defesa mais coesa, mas nada de dar espaços a Allione e Régis, que numa fração de segundo pode dar aquele passe “rasga-defesa” deixando o Brochador em boas condições de finalização. Precisamos anular os dois meias do Bahia, vigiar Edigar Júnior, pois Hernane a própria natureza marca. Além, claro, de evitar fazer faltinhas da entrada da grande área, pois eles possuem um especialista neste fundamento. De mais, acredito no VITÓRIA e num triunfo seguro hoje à noite.

Que assim seja!

Vitória Sempre!

#CopaDoNordeste2017

#RumoAoHexa

EM BUSCA DA CLASSIFICAÇÃO MILAGROSA

O Vitória pecou no jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil, na semana passada, e agora precisa correr atrás do prejuízo. Com 2×0 favorável, o Paraná deve jogar bem fechadinho esta noite e aproveitar de contra ataques nas costas de nossa defesa. Já o rubro-negro tem que fazer algo que ainda não fez no ano, propor o jogo desde o início, ter um enorme controle emocional e ao mesmo tempo sem desguarnecer o sistema defensivo. Marcado por ser um treinador adepto do futebol compacto, reativo e de contra-ataque, Argel terá o seu grande desafio no Vitória desde que assumiu.

Por conta do grande desafio pela frente, o treinador leonino, que costuma divulgar com antecedência a escalação do time, vai fazer diferente desta vez. Ninguém sabe qual vai ser a novidade, mas parece que ele está indeciso de ir no 442 ou no 433, além de usar Euller como ponta esquerda neste esquema e do reaproveitamento de Fred na zaga, para ganhar a arma da bola parada. O Vitória deve formar com: Fernando Miguel, Patric, Kanu, Alan Costa (Fred) e Geferson, Willian Farias, Uillian Correia (B. Ramires) e Cleiton Xavier,  Euller (Cárdenas), David e André Lima.

Já o Paraná Clube, do treinador Wagner Lopes, ainda tem dúvidas na escalação, sobretudo no meio-campo, pois o volante Leandro Vilela saiu machucado na última partida e Gabriel Dias estava com um hematoma. O provável time paranista será formado por Léo; Júnior, Eduardo Brock, Airton e Rayan; Gabriel Dias (Jhony, Leandro Vilela), Alex Santana e Renatinho; Robson, Nathan e Pedro Bortoluzo. 

Em 2012, Neto Baiano fez 3 gols em 15 minutos e Vitória eliminou o ABC, no Barradão.

Enfim, é uma missão muito difícil para o Leão da Barra, mas nada está perdido. Da mesma forma que o Paraná fez 2×0 aqui em 90 minutos, o Vitória tem o mesmo potencial de fazer este placar neste jogo decisivo. Além de que vitórias por 3×1, 4×2, 5×3 em diante nos classifica. Para a missão se tornar menos espinhosa é imperioso que o Vitória faça o primeiro gol logo nos 15 minutos iniciais e consiga terminar o primeiro tempo triunfando. Fazer dois a zero no primeiro tempo será perfeito e Argel deve enfatizar isso aos nossos jogadores.

O fato é que hoje tem que ser diferente de tudo que o time vem fazendo este ano, tem que partir para o abafa. Espero que o Vitória consiga ter este tipo de postura e consiga esta épica classificação, que nos remeterá àquela remontada contra o ABC, no Barradão, quando estávamos tomando 2×0 e nos últimos 15 minutos da partida, Neto Baiano mitou fazendo três gols e classificando o Leão!

Vitória Sempre!

#CopadoBrasil2017

#VamosClassificar

#BoteFé

FICHA TÉCNICA

Paraná x Vitória (Copa do Brasil)
Local: Durival Britto, em Curitiba (PR)
Data: 19/04/2017, às 19h30
Arbitragem: Ricardo Marques Ribeiro, auxiliado por Guilherme Dias Camilo e Pablo Almeida da Costa (trio mineiro)
Desfalques: Zé Welison, Kieza e Gabriel Xavier, todos machucados; Paulinho, suspenso. (Dátolo e Pisculichi estão em fase de transição no departamento físico)

Vitória faz o dever de casa e passa às semifinais do Nordestão

O Vitória fez o seu dever de casa, bateu o River-PI pelo placar mínimo de 1×0 e avançou para as semifinais do Nordestão. Vale ressaltar, que desde o retorno do Nordestão, em 2013, esta é a primeira vez que o Vitória chega tão longe na competição. Nas edições anteriores (13, 14 e 15) sempre parávamos nas quartas de finais, curiosamente, para o Ceará nas três oportunidades.

O rubro-negro não fez uma boa partida. Talvez pela vantagem obtida em Teresina, os jogadores do Leão mostraram-se desleixados e faziam o trivial dentro de campo, além de abusar dos chutões. Não houve aquele ímpeto ofensivo e troca de passes como nos jogos contra o Vasco e no jogo anterior contra este mesmo River, na quarta-feira. Agora, mesmo sem estar jogando com aquela “vontade” toda, tivemos dois grandes lances que foram desperdiçados por Kieza. No primeiro lance, Cleiton Xavier cruzou rasteiro na área e K9 “isolou”. Na outra, David fez uma jogada no estilo Marinho na ponta esquerda, levantou a cabeça e cruzou rasteiro para Kieza, que perdeu o time da bola.

Outro fator para o time ter jogado mal, além da morosidade coletiva, foram as péssimas atuações de Cleiton e Gabriel Xavier. O primeiro já vem mal há uns 5 jogos, errando bolas fáceis, não criando jogadas verticais e se mostrando muito lento tanto para acompanhar as jogadas, como para definir para quem tocar e como tocar, o que está gerando a perda de bola para o adversário. Já Gabriel Xavier está ficando cada vez mais parecido com Tiago Real e Pedro Ken, ou seja, começam bem nos clubes que são contratados, joga uns três joguinhos para animar a torcida e depois somem nas demais partidas, e ficam correndo de um lado e de outro para fingirem que são jogadores dedicados e de versatilidade, mas que quando pegam na bola pouco produzem.

Segundo Tempo O panorama continuou o mesmo, até as entradas de Paulinho e Jhemerson, que deram uma oxigenada no meio e ataque do Leão. Por sinal, Paulinho quase fez um golaço da entrada da grande área, mas o goleiro do River mandou para escanteio. Aos 26 minutos, os refletores se apagaram, o juiz parou a partida, que só retornou 55min depois. Com três minutos de jogo recomeçado, o Vitória chegou ao gol, numa sobra de bola que Zé Welison bateu de primeira da entrada da área, a bola ainda desviou na zaga piauiense antes de balançar as redes. Vitória 1×0.

E seguimos vencendo, mesmo quando a atuação não empolga. Mas ao contrário de outras épocas, não vou ficar batendo na mesma tecla. Sei que é muito bom vencer convencendo e jogando um bolão sempre. O Vitória deste ano tem condições de jogar mais do que vem jogando, mas uma coisa é inegável. A bola está entrando e o time é competitivo.Temos que reconhecer isso e valorizar mais nosso treinador. No final das contas, o que vale mesmo para a posteridade é o resultado final. Estou na fase de preferir as Seleções Brasileiras pragmáticas e campeãs das Copas de 1994 e 2002 do que a mítica de 82, mas que sucumbiu para a Itália, de Paolo Rossi.

O fato é que, mesmo quando não estão inspirados, o time luta pela posse de bola e sempre busca o resultado, mesmo que não esteja agradando o torcedor. E vou valorizar isso. São 20 jogos no ano e apenas uma derrota e 2 ou 3 empates. Vários treinadores de “nome” que passaram por aqui não conseguiram estes números. Então, vou ter que apoiar Argel. Vou deixar para os corneteiros de plantão, que vivem assistindo futebol europeu e jogando PES ou FIFA, no XBOX ou Playstation, com Barcelona e Real Madrid, continuarem achando que o Vitória pode fazer o mesmo regularmente.

Vitória Sempre!

RUMO ÀS SEMIFINAIS

O Vitória volta a campo na tarde deste sábado para carimbar seu passaporte às semifinais do Nordestão 2017, competição esta que o rubro-negro pretende garantir o hexacampeonato e levantar pela primeira vez a bela taça apelidada de “orelhuda”. Após fazer 3×2 no River em Teresina, o Leão pode se classificar mesmo perdendo de 1×0 ou 2×1, pelo número de gols feitos na capital do Piauí, o que nos deu esta boa margem de vantagem.

Argel Fucks vai manter o time principal, afinal não teria sentido poupar os caras numa decisão de mata-mata, a não ser se déssemos uma sonora goleada no primeiro jogo, o que nos traria muito mais acomodação e tranquilidade. O placar de 3×2 lá foi excelente, mas futebol é traiçoeiro e precisamos manter a mesma pegada da seriedade, respeito ao adversário e foco no duelo. A eliminação do PSG, de forma humilhante, para o Barcelona é lição recente de que não se pode relaxar. Nesta citada situação, o time francês fez 4×0 no primeiro jogo e adotou uma postura ultra defensiva e desleixada, o Barça foi pra cima e fez 6×1, sendo que o PSG só “acordou” quando já estava tomando 3×0 com 65min de partida, voltando a relaxar quando diminuiu o placar, pois sabia que o Barcelona precisaria fazer mais três gols com 25 minutos + acréscimos para o encerramento da peleja.

Já o time do River, que fez uma partida abaixo da crítica na quarta-feira, pretende dar a volta por cima no Barradão, com um jogo mais ofensivo (é obrigado a ser assim, pois só se classifica por triunfo de 2 gols de diferença ou por um inimaginável 4×3). O Galo Carijó fez uma excelente pontuação na 1ª fase, empatando em pontos com o líder Sport Recife, 13 pontos. Entretanto, mostrou-se uma equipe muito desarrumada no setor defensivo e se o Vitória fosse mais certeiro nas finalizações, o confronto já poderia estar “resolvido”, com um placar de 6×2, o que obrigaria o River nos golear por 5×0 para passar de fase. O técnico Eduardo Húngaro deve promover a mesma equipe titular da quarta-feira, com uma possibilidade de voltar com o volante Amorim, suspenso na partida de ida, no lugar de André Luiz.

Enfim, acredito que o VITÓRIA deva passar fácil hoje pela equipe piauiense, pois ela necessitará jogar de forma ofensiva e Argel preparou o LEÃO para ser mortal nos contra-ataques, além do fato do sistema defensivo do River ter deixado uma péssima impressão no jogo de Teresina. Nossa torcida deve ir em peso ao Barradão que é outro ponto favorável a nós, pois os caras se motivam mais, é só lembrar da vibe do jogo contra o Vasco e também pela boa fase de David e Kieza, cada vez mais entrosados, lembrando um pouco a dupla lendária da Seleção Tetra Campeã de 94, Bebeto e Romário, tamanha a sintonia entre gols e assistências entre os dois.

Lista dos Relacionados:
Goleiros: Caíque e Fernando Miguel;
Laterais: Euller, Geferson e Patric;
Zagueiros: Alan Costa, Fred e Kanu;
Volantes: Bruno Ramires, Uillian Correia, Willian Farias e José Welison;
Meias: Cárdenas, Cleiton Xavier, Gabriel Xavier e Jhemerson;
Atacantes: André Lima, David, Kieza, Pineda e Paulinho.

OBS-1: Amanhã, dia 02 de Abril, acontecerá no Estacionamento Premium do Barradão (antigo estacionamento dos conselheiros) a Assembleia Geral Extraordinária para debater, aprovar ou reprovar o Novo Estatuto do Clube, que prega eleições diretas, com eleições em setembro, presidente assumindo em dezembro, conselho deliberativo proporcional e redução de 270 para 150 conselheiros eleitos. A AGE começará às 09h e não tem hora para acabar, devido a sua relevância história e importância para os próximos anos do clube. TODO SÓCIO-TORCEDOR com 18 meses ou mais de associação estão “intimados” a comparecer.

OBS-2: O Vitória oficializou o retorno da Topper como material esportivo. A Topper ficou no Leão de 1997 a 2004, anos que marcaram a galera rubro-negra com as vindas de craques como Bebeto, Túlio, Petkovic, Aristizábal, Edílson Capetinha e Vampeta, e com os títulos do baianões de 97, 99, 2000, 2002, 2003 e 2004 e dos Nordestões de 1997, 99 e 2003, além da mítica campanha do Brasileirão de 1999. Para os supersticiosos de plantão, a Topper é muito mais que bem vinda. E que nos traga a sorte já narrada e participe do nosso primeiro título nacional, a começar pela Copa do Brasil desta temporada.

River 2×3 VITÓRIA | Era para ter matado o confronto!

O Vitória teve mais uma boa atuação na noite desta quarta-feira e venceu o River por 3×2 pela primeira partida das quartas de finais do Nordestão. Mas, a sensação que ficou é que o rubro-negro perdeu a grande chance de matar o confronto, o que daria a possibilidade de fazer, do jogo de sábado, um repouso para os titulares e dar mais ritmo aos reservas. O River Piauiense fez uma partida abaixo do esperado de quem brigou ponto a ponto com o Sport na primeira fase e que ficou em segundo por critérios de desempate, já que terminou com 13 pontos igual a equipe pernambucana.

Kieza marcou um golaço com 2 min de jogo, depois de costurar a dupla de zaga pela esquerda e fuzilar a meta do goleiro Leandro. Vitória 1×0. Não demorou muito, o sistema defensivo do Vitória vacilou em lance cruzado na área, Geferson cabeceou pra frente, quando poderia recuar para escanteio, o volante Osmar cruzou na área novamente e o beque argentino Brizuela empatou de cabeça.

O jogo deu uma acalmada depois deste começo eletrizante e só voltou a pegar fogo por volta dos 25 minutos, quando o River teve algumas chances de bolas paradas e lançamentos na área e a gente desperdiçou boas condições com Kieza, que exigiu boas defesas do goleiro do River, por Cleiton Xavier que quase marcou, de cabeça, tirando tinta da trave e por Deivid que num chute rasteiro de canhota fez o goleiro Leandro mostrar toda a sua elasticidade e reflexo.

Já no Segundo Tempo, o Vitória voltou com ímpeto renovado e não tardou para botar vantagem no placar. Aos 10 minutos, o menino David fez uma jogadaça pela ponta direita e cruzou na medida para Alan Costa, como uma sardinha (peixinho), fazer de cabeça o 2×1 para o Leão da Barra. O beque vindo do Inter tomou gosto em fazer gols e parece que chegou ao seu quarto gol com a camisa do Vitória.

Antes de marcar o terceiro gol, o Vitória perdeu chances claríssimas e que já irritava quem estava em casa. Diferente do esperado, de ver um River marcando bem, sem dar espaços e partindo no contra-ataque, vimos um adversário cometendo erros terríveis na defesa, saída de bola e armação de jogadas. Era para nosso time “se fazer” nesta partida, diacho!

O terceiro gol só saiu aos 35min, quando em nova bela jogada de Kieza pelo flanco esquerdo, o K9 deu outro drible no zagueiro piauiense, deixou na saudade, partiu para a direção do gol e teve a categoria de dar o passe açucarado para David estufar. Vitória 3×1. Novamente, em novo cochilo da zaga, talvez por achar que 3×1 já estava sacramentado, o River chegou ao segundo gol minutos depois através de Negueba, que desviou em Patric, “matando” o goleiro Fernando Miguel. Para irritar mais a torcida, no finalzinho do jogo, Paulinho foi lançado em profundidade e completamente sozinho com o goleiro Leandro, ele quis enfeitar e imitar Neymar e Messi, mas a finalização foi no nível Pantico-Harley-Moré…tsc tsc…

Não deixa de ser uma grande vantagem o triunfo por 3×2, pois fizemos 3 gols na casa do adversário e pelo que me consta esta fase tem a mesma regra do gol qualificado aos times visitantes e poderemos perder até por 1×0. Entretanto, como já falei no título e decorrer deste texto, a sensação que fica é de certa frustração, pois poderíamos ter feito fácil uns 5×2 ou 6×2 e poderíamos usar a partida de volta para dar mais tempo de jogo aos jogadores considerados reservas. Por outro lado, esta vantagem “menor” deve fazer com que o Vitória entre ligado no sábado e se jogarmos com mais seriedade, a tendência é golear no Barradão na véspera da AGE Histórica do domingo, dia 02 de abril.

Vitória Sempre!

#Nordestão2017

#RumoAoHexa

Foto: Jota Freitas

PARABÉNS SALVADOR PELOS 468 ANOS!

NOSSA CIDADE É LINDA, HISTÓRICA E INVEJADA, MESMO COM TANTOS PROBLEMAS!

 

PRIMEIRA DECISÃO DO NORDESTÃO!

O Vitória encara hoje à noite a sua primeira decisão pelo Nordestão. Depois de se garantir como primeiro do Grupo E com 13 pontos, sendo jus às CNTP do Futebol Nordestino, pois num grupo que tinha como rivais Sergipe, América-RN e Botafogo-PB era obrigação do VITÓRIA terminar como líder. Agora chegou a vez da fase mata-mata que prosseguirá até a Finalíssima. O sorteio realizado na última sexta-feira colocou o River-PI em nosso caminho, time que fez uma boa fase de grupos, onde terminou com 13 pontos também e só não foi líder por perder em outros critérios para o Sport Recife.

Diante da alta pontuação do adversário, que se mostrou muito organizado taticamente e com boa performance na primeira fase, a torcida do Vitória não pode se deixar levar pela falta de tradição e “história” do River e considerar este jogo como barbada. Vai ser muito duro o confronto de logo mais. O Vitória, mais do que nunca, precisa jogar com inteligência, seriedade e muita luta em campo, pois não encontraremos uma “baba do boi cansado”.

ARGEL FUCKS

Sabendo-se disso, o técnico rubro-negro, Argel Fucks, deve ter enfatizado isso bastante nos preparativos da partida desta noite e vai com sua força máxima, exceto por Kanu, que por suspensão, será substituído pelo antigo titular Fred. Se perdemos com a boa fase do camisa 25, de sua velocidade, poder de impulsão e raça, por outro ganhamos uma excelente arma da bola parada de Fred, que já marcou 2 golaços desta maneira com o manto leonino. Outro fato motivador para o zagueiro vindo do Grêmio é ele querer recuperar a posição depois de ver Kanu e Alan Costa se entrosarem rapidamente.

Se na Copa do Nordeste o River vem se destacando, o mesmo não se aplica em seu estadual. Por lá, eles nem chegaram a decidir a Taça Estado do Piauí (1º turno). O campeão do primeiro turno foi o Parnahyba que venceu o Altos por 2×1, no domingo passado. A Taça Cidade de Teresina (2º turno) só começa na próxima semana, e o River fará sua estreia contra o Picos, no dia 05 de abril. Para o duelo decisivo desta quarta-feira, o treinador Eduardo Húngaro terá os desfalques, por suspensão automática, do zagueiro Caíque e do volante Amorim, além de Amarildo (volante que já atuou no Nordestão pelo Botafogo-PB). Os destaques da equipe são Rodrigo Tiuí (ex Fluminense, Santos e Atlético-PR) e do atacante Viola, um dos artilheiros do Nordestão e do Campeonato Piauiense.

Acredito, que se o Vitória jogar o seu futebol de forma natural, objetiva e com seriedade poderá sair de Teresina com um bom resultado. Um empate com gols será visto com bons olhos, mas temos totais condições de fazer um triunfo com até dois gols de margem, se soubermos neutralizar os pontos fortes do adversário, igualarmos na raça e disposição e, acima de tudo, não desperdiçarmos chances claras de gol.

RELACIONADOS

Goleiros: Caíque e Fernando;
Laterais: Euller, Geferson e Patric;
Zagueiros: Alan Costa, Fred e Vinicius;
Volantes: Bruno Ramires, José Welison, Uillian Correia e Willian Farias
Meias: Cleiton Xavier, Gabriel Xavier e Jhemerson;
Atacantes: André Lima, David, Kieza, Paulinho e Pineda.

Vitória Sempre!

#LampionsLeague2017

#RumoAoHexa

PS: Ontem foi realizado mais uma Reunião do Conselho Deliberativo do ECV e que contou com cerca de 200 conselheiros e ex-presidentes do clube como Paulo Carneiro e Raimundo Viana, além de ex-dirigentes como Cristóvão Rios, Manoel Matos e Silvoney Salles. O tema do encontro foi a reforma do Novo Estatuto, onde os conselheiros da atual gestão, sócios torcedores com mais de 18 meses de associação e conselheiros vitalícios e natos fizeram propostas de emendas e discutiu pontos polêmicos deste novo estatuto que será aprovado ou não pela AGE que acontecerá no próximo domingo, a partir das 09h, no Complexo Barradão.

Dentre as emendas aprovadas, o destaque foi para a antecipação das eleições de dezembro para setembro (emenda proposta por mim), redução do número de conselheiros por chapa de 270 para 150, obrigatoriedade para Conselheiros Vitalícios e Natos de serem o plano de sócio-torcedor, com o prazo mínimo de 18 meses de filiação, para deliberar nas reuniões do Conselho Deliberativo (caso contrário participarão dos encontros, mas sem direito a opinar e a votar nas deliberações). Vários artigos foram retirados por votação dos presentes e o texto final irá ser julgado pela Assembleia Geral Extraordinária, que é soberana, o que pode ratificar ou não o texto final. Cabendo-lhe ainda à AGE retomar os artigos que foram rejeitados ou voltar ao texto original, das propostas que sofreram emendas pelos conselheiros na noite de ontem.