Vitória 2×1 CRB | Leão vence e assume segunda posição no Grupo B do Nordestão

Em segunda partida atuando como Centroavante, Léo Ceará volta a marcar com a camisa do Leão. Foto: Portal Correio24h

O Vitória venceu a segunda partida oficial no ano com o time principal, por 2×1, com direito a Lei do Ex em dose dupla, aliás com a dupla de ataque que fez sucesso no CRB em 2019, quando Léo Ceará e Alisson Farias fizeram mais de 20 gols na temporada passada. Agora os dois estão do lado certo da força e garantiram mais uma vitória do rubro-negro, a primeira no Barradão com o time considerado “titular”, já que atua com o time sub23 no Campeonato Baiano, competição que inclusive o Vitória atuou mais. Xandão, em forte cobrança de falta, descontou para o time alagoano. Com a vitória, o Leão da Barra assume a segunda posição do Grupo B e encosta um pouco mais no líder Confiança, que tem 13 pontos, ou seja, quatro pontos a mais que o Vitória.

Primeiro Tempo Os 45 minutos iniciais foram muitos instáveis pelo lado rubro-negro. O CRB esteve melhor nos primeiros 20 minutos, tendo melhor troca de passes e organização em campo, enquanto o Vitória vivia apenas de cobranças de faltas de Carleto, que botaram o arqueiro Edson Mardden para trabalhar e fazer alguns “golpes de vista”. Já meio ressabiado pela atuação xoxa do Vitória contra o Freipaulistano-SE na rodada anterior, eu já estava preocupado com a bolinha que o Leão jogava, quando aos 26 minutos, Carleto lançou para Léo Ceará, que dominou a pelota, fez o giro e meteu um belo chute no canto do goleiro alagoano. Vitória 1×0. Depois do gol, o rubro-negro se desconcentrou e permitiu a rápida recuperação psicológica e técnica do CRB que passou a nos pressionar, com vários ataques em sequência, inclusive com uma bola lançada na área, finalizada em gol e que foi salva pelo lateral Jonathan Bocão, praticamente em cima da linha.

Segundo Tempo Com certeza o elenco rubro-negro tomou um belo esporro de Geninho nos vestiários. Afinal, o primeiro tempo foi muito ruim. O CRB foi melhor que nós, apesar da gente estar vencendo e o aperto final do time alagoano nos minutos finais da primeira etapa irritariam até quem estivesse meditando ouvindo flauta boliviana ou praticando o hare-krishna! Só sei que no segundo tempo, o time rubro-negro voltou com outra disposição e praticamente mandou em campo. Entretanto, tínhamos que tomar um susto logo de início, quando aos 3 minutos o zagueiro Xandão bateu uma falta e apesar de ter sido um petardo, achei que nosso goleiro vacilou. Ainda bem que o empate do CRB não durou muito tempo, pois 4 minutos depois Alisson Farias (que vinha sumido na partida) foi lançado na área e bateu forte no canto direito de Edson. Vitória 2×1.

Diferentemente da maresia pós-gol do primeiro tempo, o Rubro-Negro seguiu atacando o time alagoano e poderia ter goleado caso Gerson Magrão e Júnior Viçosa (que entrou no lugar de Léo Ceará) não tivessem desperdiçados umas três chances reais de gols. Magrão perdeu uma de cara com o goleiro, numa saída de bola errada do CRB, além de meter outra bola na trave, novamente de frente para o arqueiro Edson Mardden e Viçosa que recebeu um cruzamento “filé mignon” de Carleto e cabeceou por cima da meta alagoana. O CRB pouco assustou na segunda etapa e o 2×1 terminou ficando barato para eles. Agora o Leão encara o ABC-RN na próxima rodada do Nordestão, jogo este que será realizado no Frasqueirão na capital potiguar, Natal.

GENINHO ainda precisa ajustar a equipe, principalmente a coesão entre os setores.

Dando a Real Ótimo perceber o quão o VITÓRIA está bem melhor do arremedo de time que vimos entre 2018 e 2019, sobretudo o da última temporada. É notório que este time tem mais talento, mais vontade (apesar da crise financeira e atrasos salariais) e melhores resultados. Mas essa melhora em relação as duas últimas temporadas ainda é insuficiente para se pensar em ser protagonista e favorito na Série B que está por vir. Como frisei no começo do texto, hoje foi apenas a segunda vitória do clube com o time principal em 6 partidas. Temos muito mais empates e atuações que ainda continuam, no geral, aquém de nossas tradições e do que nos acostumamos a ver entre os anos 90 e primeira metade dos anos 2000, com o agravante de ser contra times fracos, exceto Sport, Sardinha e Fortaleza.

O empate no Barradão contra o Freipaulistano foi ridículo e me fez lembrar da lebara do time de 2019, sem contar que vencemos o clássico SarVI tomando uma pressão absurda da Sardinha no segundo tempo. Portanto, não temos que nos empolgar ainda não. O time precisa ter melhor organização em campo e ter menos oscilações nas partidas. Não será todo dia que enfrentaremos equipes limitadas como CRB e Freipaulistano e na Série B jogar mal assim como o primeiro tempo de hoje e o duelo contra o Freipaulistano, a gente pode ir pro intervalo tomando 2 ou 3 e sem ter nenhuma chance de reagir no segundo tempo. Fica a dica!!

VITÓRIA SEMPRE!

SARDINHAS 0X2 VITÓRIA | O papai voltou! CNTP restabelecida.

O Vitória venceu o clássico por 2×0 e calou 26 mil peixes pequenos no Aquário do Dique do Tororó! A imprensa esportiva do estado que até essa semana antes dos duelos das sardinhas com o River-PI e o Sar-Vi falava do rival como se eles fossem a versão latinoamericana do Barcelona agora começa dizer que o Bahia tem time limitado e que Roger Machado, entregador de coletes delas (sardinhas), tem que ser demitido…Agora que perderam dois jogos na semana, incluindo a eliminação da Copa do Brasil eles começam a enxergar defeitos no impecável tricolor gerido pelo moderníssimo Guilherme Bellintani.

Este sábado o Vitória interrompeu a série de 12 jogos sem ganhar do rival, mas tem cerca de 4 jogos e 19 meses sem perder pra eles,mas a imprensa daqui escondia esse fato. Só lembrava pela ótica pró-tricolor. Percebam como nossa mídia esportiva é parcial! Vamos falar do jogo agora – Acostumado a ver o Vitória com diretorias obtusas e times medíocres, a torcida da sardinha e a imprensa passou a usar da arrogância em toda cobertura do clássico, sempre colocando o rival como favorito e o rubro-negro como um azarão. Aliado a mania dos jogos da Arena Fonte Nova serem com torcida única desde que o rival passou a ganhar os jogos, eles esperavam ver o Bahia descontar as goleadas de 2013 e vem se frustrando desde o ano passado.

No jogo de hoje, o Vitória jogou de forma equilibrada, não dominou e não deixou o RIVAL se sobressair. Entretanto, por estar como visitante e sem torcida presente, foi o Bahia que tentava se atirar mais ao ataque e Ronaldo começou a se destacar. Mas aos 23 minutos foi Thiago Carleto, em fortíssima cobrança de falta, que abriu o placar. Vitória 1×0. Após fazer o gol, o Leão melhorou na partida e passou a ter mais chances de gols, enquanto o rival tentava se reerguer, só que aos 43 minutos veio o golpe de misericórdia rubro-negro. Carleto cobra escanteio e Vico, de cabeça, amplia o placar. Vitória 2×0!

Segundo Tempo  Com a vantagem de dois gols no placar, o Vitória voltou com outra estratégia de jogo. Era a vez de cadenciar a partida e fechar a casinha. Obviamente, o Bahia passou a ter mais a posse de bola e maior presença no setor ofensivo, mas o que os little fish não esperavam era que RONALDO estaria em mais um dia de grande inspiração. Não tem como falar deste jogo e da manutenção do placar à favor do Leão sem citar o goleiro rubro-negro! Ronaldo fez belíssimas defesas e se a partida de hoje valesse pelo Cartola FC ele faria 20 pontos, por baixo! Mesmo se retraindo bastante na etapa complementar a última oportunidade real de gol foi do Vitória, nos pés de Vico, que chutou muito fraco para defesa de Douglas e de outro chute em que o goleiro do Bahia deu rebote, mas ninguém pegou a sobra de bola! Agora o Vitória encara o Imperatriz na terça-feira pela Copa do Brasil.

A vitória da Base

Nickson foi cornetado pela torcida, mas foi o cara mais lúcido do setor ofensivo e decidiu o jogo para o Leão. FOTO: Correio24h

O Vitória confirmou meu prognóstico de pré-jogo e estreou no campeonato baiano somando 3 pontos ao vencer o Jacobina por 1×0, gol de Nickson aos 32 minutos da etapa final. Apesar de estar com uma equipe sub23, inclusive com um atleta de 17 anos (Figueiredo), o rubro-negro mostrou muita qualidade, sobretudo nos 20 minutos iniciais da partida com boas trocas de passes, marcação encaixada e muita disposição.

Primeiro Tempo Depois dos 20 minutos agradáveis aos olhos do torcedor, o rubro-negro diminuiu o ritmo, normal pra quem tá só começando a temporada, à medida que o Jacobina se estabilizou um pouco mais na partida, inclusive dando alguns sustos com o veterano João Neto, carrasco do Leão em temporadas passadas. Entretanto, a melhor chance de gol da etapa inicial foi criada por Nickson, que mostrou uma bela visão de jogo e qualidade no lançamento para Eron, que acertou a trave esquerda do arqueiro do Jacobina.

Segundo Tempo O Vitória voltou com o mesmo ímpeto dos minutos iniciais da partida para a etapa complementar e quase marcou o segundo gol também com Nickson, que bateu de primeira, pra fora, em bola cruzada por Caíque Souza. Figura nula no jogo, Eron não conseguia desenvolver nada lá na frente e nas poucas vezes que tocava na bola não surgia nada de útil. Os destaques ficaram por conta de Figueiredo, que mostrou muita personalidade com 17 anos, Caíque Souza e Gabriel Santiago, além de Nickson, que bisonhamente estava sendo avacalhado pela torcida! Ê torcida que não aprende e continua criando ranço infantil com quem é da base! E como bom “cala corneta”, aos 32 minutos o lateral esquerdo LÉO (o único kovic que eu respeito é aquele que tem o termo pet precedido) cruzou na medida para o filho de Jackson, meter de cuca legal para o fundo das redes. VITÓRIA 1×0. Depois do gol, a equipe rubro-negra cadenciou a partida até o seu término e encara o Fluminense de Feira, no domingo, no Joia da Princesa. Já o time principal faz a sua estreia no Nordestão, dia 25, contra o Fortaleza na capital cearense.

2020: O ANO DO VITÓRIA!

CRB 0x1 VITÓRIA | Sofrido, mas valeu a pena!

O Vitória voltou a vencer fora de casa depois de 200 dias hoje à tarde em Maceió. O placar de 1×0 foi construído aos 43 minutos do primeiro tempo, quando Jordy Caicedo foi lançado na área e derrubado pelo goleiro Vinícius. Felipe Gedoz cobrou bem, deslocando o arqueiro, para alegria da nação rubro-negra presente no Rei Pelé. Entretanto, vale ressaltar que o Vitória não repetiu a mesma qualidade de atuação do jogo com o Paraná. Desta vez, o Leão jogou muito errado, de forma truncada e torta, com os laterais Van e Capa sendo avenidas para as infiltrações de Álisson Farias e do lateral direito Daniel Borges.

Antes de abrir o placar, o Vitória vinha sendo bombardeado pelo time alagoano, que necessitava da vitória para chegar no G4. Entretanto, eles esbarravam nos seus limites técnicos e nas boas intervenções de Ramon, Everton Sena, Gedoz (que ajudou bastante fazendo a cobertura de Capa). O rubro-negro pouco criava e assustou algumas vezes, quando Caicedo era lançado pelos flancos, onde o camisa 19 mostrou muita velocidade e força física. Já no segundo tempo foi um verdadeiro Deus nos Acuda, com o CRB dominando de cabo a rabo as ações do jogo, a ponto de ter 72% de posse de bola, à medida que o Vitória não conseguia encaixar um contra-ataque e nem evitar os rebotes da entrada da área para os jogadores do CRB. Somente nos 10 minutos finais do jogo é que o Leão teve 3 chances de matar o jogo, uma com Wesley, outra com Caicedo e a última com Capa que chutou da entrada da grande área exigindo uma bela defesa de mão trocada, do goleiro Vinícius.

Não gostei da atuação do Vitória, Carlos Amadeu foi muito retranqueiro e conservador na partida de hoje. Mudou errado e orientou um recuo excessivo por parte dos jogadores, que ficaram a maior parte do tempo atrás do meio de campo. Entretanto, a manutenção do placar em 1×0 é sim muito importante para a tentativa do rubro-negro virar a chave na competição e passar a pensar no pelotão de cima e não na fuga do rebaixamento à terceirona! Agora o Vitória fará dois jogos em sequência no Barradão e somar seis pontos é imperial, contra América-MG e Operário-PR!

VITÓRIA 2X0 PARANÁ | O Barradão é mágico!

A magia do Barradão voltou. Depois da derrota para o Cuiabá, o Vitória vem colecionando vitórias no Barraquistão. Se não estou enganado, os últimos três jogos no Santuário, o Leão da Barra garantiu os três pontos e ontem conseguiu o feito nos 45 minutos iniciais e dominou a partida na maior parte do tempo. Com o resultado positivo, o rubro-negro saiu da Zona de Rebaixamento e está à três vitórias do G4, pois quem está lá atualmente tem 7 vitórias e o Leão tem 4. Vale ressaltar que dos três próximos jogos, dois serão no Barradão e poderemos sim abocanhar esses seis pontos contra o América-MG e Operário-PR, além de buscar os três pontos diante do CRB, no Estádio Rei Pelé, em Maceió-AL.

Já mostrando uma nova sorte, o novo técnico do Vitória, Carlos Amadeus, venceu seu primeiro jogo sem grandes sustos, apesar do goleiro Martín Rodriguez ter feito algumas intervenções importantes. Bem diferente de Osmar Loss (que Deus o tenha hehehe) que só veio vencer seu primeiro jogo com o Vitória lá por volta do quinto ou sexto jogo. A verdade é que mesmo com o zero à esquerda do Loss no comando, o elenco rubro-negro começava a dar sinais de pegar conjunto, entretanto a limitação técnica de Loss prejudicou o time em vários momentos, como a pardalice da escalação do time titular contra o Figueirense e de suas horrorosas alterações. 

A Série B de 2019 está mostrando que não é preciso ter 11 estrelas do futebol mundial ou nacional para se dar bem nela. Basta ter um conjunto minimamente organizado em campo, com jogadores aguerridos e um esquema tático ajustado com as peças do plantel. Além disso, o próprio tempo e repetição de uma espinha dorsal colaboram para o entrosamento. Mas Loss teimava em fazer alterações de um jogo para outro. Provavelmente se ele não fizesse isso com certa frequência teríamos uns 6 pontos a mais, por baixo. Bote fé! Agora é claro que o Vitória precisa urgentemente mudar o seu handicap fora de casa! Ainda não vencemos nenhuma, temos um percentual vergonhoso para um clube da estrutura do Vitória e que está numa Série B super limitada por baixo, a ponto de CRB, Cuiabá e outros menos votados estarem brigando entre os 8 primeiros e com cerca de 10 pontos em nossa frente!

No jogo de ontem, o Vitória mostrou maior disposição de seus atletas em campo, com maior luta pela posse de bola e isso ficou claro com Baraka e Lucas Cândido. Este último, por sinal, não pode mais ver Léo Gomes jogar. Cândido deu vários botes, fez desarmes, roubou bolas e deu passes curtos e rápidos, já que ele não tem tanto traquejo com a pelota no pé. A perda de Chiquinho com menos de 10 min de jogo foi um baque, mas Capa não fez tão feio assim, apesar de perder uma grande chance de matar o jogo com o terceiro gol, na metade do segundo tempo! O primeiro gol rubro-negro saiu aos 25 minutos quando Capa levantou na área para Jordy Caicedo, dominar e fuzilar no canto contrário do goleiro Thiago Rodrigues, fazendo assim, o seu primeiro gol com o manto rubro-negro. Belo cartão de visitas do equatoriano! Aos 39 minutos veio o segundo gol após Anselmo Ramon roubar a bola do zagueiro paranista (igual como ele fez contra o Criciúma), e na sequência levantar na área para o menino Wesley, que mostrou muita categoria para cabecear e aproveitar o rebote!

Já no segundo tempo, o Vitória puxou o freio de mão e controlou o jogo, enquanto o Paraná voltou pior, sem grandes ameaças. Do meio pro final da partida, o Leão teve a chance de ampliar o placar nos contra-ataques, mas Capa e Anselmo Ramon desperdiçaram as oportunidades! Aconteceram outras chances do terceiro gol, como numa cobrança de falta perigosa batida por Felipe Gedoz e a linda bola chutada por Eron que acertou a trave esquerda de Thiago Rodrigues, depois de fazer o arco. O lance lembrou e muito aqueles golaços que Allan Delon fez na Copa João Havelange de 2000, quando o camisa 28 estava inspiradíssimo e no auge de seus 20 e poucos anos!

O próximo compromisso do Vitória na Série B será no próximo domingo, 16h, quando vai à Maceió enfrentar o surpreendente CRB no Estádio Rei Pelé. Promessa de jogo duro e um grande desafio para o elenco rubro-negro em vencer a primeira fora de casa diante de um adversário que está se aprumando na parte de cima da tabela. Na sequência o Vitória fará duas partidas no Barradão, contra o América-MG numa quarta-feira e o Operário-PR, no final de semana!

Vitória 0x2 Bragantino | Já virou rotina…

Já virou rotina o EC VITÓRIA entrar em campo e sair dele com derrota. Desde a reta final do Brasileirão de 2018 essa sina não passa, inclusive pegando o fraquíssimo campeonato estadual e a primeira fase da Copa do Nordeste. Só nesta Série B são 5 derrotas em 6 jogos, sendo a quinta na noite de ontem, quando o Bragantino (conforme falei no pré-jogo) viria pra cá pra matar o jogo e que não teria dificuldades se o Vitória jogasse a mesma bolinha das últimas partidas. Aos nove minutos, o lateral Edimar abriu o placar num chute cruzado e no final do primeiro tempo, Thiago Ribeiro acertou um petardo da entrada da grande área sem chance para Ronaldo, que evitou uma derrota ainda maior!

Primeiro Tempo O Bragantino tratou logo de mostrar que não seria presa fácil ao rubro-negro. Partiu pro ataque desde o pontapé inicial e exigiu duas excelentes defesas de Ronaldo. Mas na terceira tentativa foi infalível e o lateral esquerdo Edimar, ex São Paulo, aproveitou a oportunidade na ponta esquerda e soltou o rojão. Bragantino 1×0. Se já tava ruim antes de tomar o gol, piorou depois. O Vitória continuava batendo cabeça e sem nenhum poder de reação, a ponto do goleiro do Bragantino não realizar uma defesa sequer. Antes de terminar a primeira etapa, o atacante Thiago Ribeiro pegou da ponta esquerda e da entrada da área mandou no ângulo! Bragantino 2×0.

Segundo Tempo Na etapa complementar o Massa Bruta cadenciou o jogo, recuando suas linhas de marcação, enquanto o Vitória tentava, de forma desordenada, atacar o Bragantino, porém sem criatividade e sem assustar o goleiro Júlio César. Foi assim até o término da partida, para decepção generalizada da torcida que não tinha outra reação a não ser de vaia e xingamentos. E parece que a lua de mel com Paulo Carneiro acabou. Já comecei a ver diversas cobranças em todos os meios da torcida, apesar de ainda ter, é claro, os pcminions pra contemporizar e culpar os antecessores, que de fato tem muito mais responsabilidade com a situação do clube. Entretanto, já temos diversos jogadores e o técnico trazidos pelo novo “velho” Presidente, ou seja, já está sim na hora de ser criticado, pois aí já entra a escolha dele de contratação.

O fato é que este elenco precisa ser REFORÇADO DE VERDADE. Não adianta mandar as mangas podres trazidas por Ricardo David, para trazer outras mangas também podres. Tem que trazer mangas maduras, doces, saborosas, que possam fazer um bom suco, uma boa polpa. O atual presidente, em campanha, não se vendeu como o único com expertise pra tirar o clube dessa situação? Que recuperaria o time em curto prazo? Então…tá na hora de ser cobrado mesmo. Se não quisesse ser cobrado, não entrasse no meio do furacão, ora bolas…

Atlético 1×1 Vitória | Melhora mínima, resultado mínimo e mais uma vez Ramon apronta

O Vitória teve uma leve melhora de rendimento na tarde de ontem, abriu o placar aos 8 minutos com Everton Sena numa forte cabeçada após cobrança de escanteio, mas permitiu o empate aos 4 min do segundo tempo, em cobrança de penalti de Mike, penalidade esta cometida mais uma vez por uma domingada de Ramon, que atua profissionalmente há quatro anos e não evoluiu 1% de 2015 pra cá. Com o resultado, o Leão da Barra caiu para a 18ª posição e o Atlético-GO se afastou um pouco mais do G4.

Primeiro Tempo Uma das surpresas na escalação foi a presença de Ronaldo entre os titulares e sinceramente, dos catadores de borboletas que temos, Ronaldo é o que cata menos. Aparentando mais organização tática entre as linhas, o rubro-negro baiano mostrou logo que estava em busca de apagar a má jornada passada. Aos oito minutos em cobrança de escanteio conseguiu logo o seu gol com Everton Sena, que tomou o posto de zagueiro-artilheiro de Edcarlos (bate na madeira!). Entretanto, a evolução do Vitória da semana passada para esta foi mínima. Tanto é que a criatividade do time inexiste, praticamente, e os volantes continuaram a dar vacilos, sobretudo na cobertura dos laterais, além dos extremos continuarem achando que não devem voltar pra marcar. Para piorar, perdemos Felipe Garcia no começo do jogo, por lesão, o que fez gastar uma substituição muito cedo. Porque, vamos ser justos, Felipe Garcia não faz lá diferença alguma né? Talvez por ser relativamente alto e forte, pode dar mais resultado como centroavante!

Segundo Tempo Precisando dar uma resposta a sua torcida, o Dragão voltou com tudo para a etapa complementar e não demorou muito para empatar. Aos 4 minutos, Ramon mostrou que continua sendo um zagueiro cabaço e deixou a perna do jeito que todo atacante manhoso quer pra simular a penalidade. O juiz caiu na simulação e marcou. Na cobrança, Mike empatou a partida. A partir de então voltou a ser aquele jogo em que o Atlético-GO estava mais próximo de virar do que o Vitória marcar o segundo e tomar as rédeas do jogo.

Entretanto, como disse no pré-jogo, o time do Atlético-GO não é nada brilhante, não tem o bom futebol como virtude e sim lampejos de um jogador ou outro e da letalidade de seus contra-ataques. Quando não está numa tarde muito inspirada não incomoda os adversários. Exceto pela entrada do arisco Héctor Bustamante, conforme também avisei na preleção, que é um ponta que incomoda, que tem habilidade e incendeia os jogos quando entra no 2º tempo. E após a expulsão de Matheus, do Dragão, o Vitória fez uma pequena blitzrieg nos minutos finais, tendo duas grandes chances de gol: Uma com Nickson, que o zagueiro tirou em cima da linha e outra num chutaço de Marciel de fora da área.

Vale ressaltar que do jogo de ontem deu pra perceber que Marciel não é volante. Seus melhores momentos do jogo foi quando ele passou a jogar mais adiantado, praticamente como um meia ao lado de Ruy. Assim como Rodrigo Andrade, por mais que tenha um extracampo complicado e uma tendência a engordar, é o nosso melhor volante, pois sabe marcar e tem qualidade na saída de jogo e toque de bola. Bispo parece ter sentido o jogo ontem, afinal é a primeira vez que ele disputa algo sem ser o Baianinho e a última divisão nacional e Léo Gomes não quer jogar mais pelo Vitória. É difícil compreender isso? Léo Gomes joga sem raça, sem comprometimento e vem errando passes de meio metro!

Outra coisa, ou contrata um lateral direito digno (e um goleiro também!!) ou bote um esquema sem laterais, já que CAPA também tem sido um ponto bastante fraco de nosso time. Existem o 3-6-1, o 3-5-2 e o 3-4-3, quando você pode escalar os caras da posição, Osmar Loss! Novamente vai teimar no 433 nem que seja improvisando volantes de laterais e atacantes lentos e cabeçudos como pontas? Se você não confia nas laterais, ao invés de improvisar volantes de laterais, escala três zagueiros e povoa o meio de campo, ô cabeção?! 

Para encerrar, até quando Neto Baiano vai ser titular ad infinitum no Leão? Quem é o padrinho dele no Vitória? Está na cara que Neto Baiano morreu para o futebol. Ele simplesmente não consegue acompanhar os lances, quando as raras bolas chegam nele, ele sempre tá fora de posicionamento ou simplesmente acontece o Mustela Putorius Furo, o furão! O cara não tem arranque, não tem ginga pra vencer no um-a-um, não tem mobilidade e só fica ou cometendo sucessivas faltas nos goleiros adversários ou batendo faltas medíocres na barreira e segue sendo o Sr. cobratudo! Acompanhem abaixo o scout dele no jogo de ontem:

1° TEMPO

1 min – cara de choro
5 min – abriu os braços
10 min – fez falta
29 min – fez falta
30 min – fez falta
45 min – cara de choro

2° TEMPO

1 min – cara de choro
5 min – abriu os braços
8 min – cobra falta na barreira
10 min – fez falta
11 min – fez falta
12 min – cara de choro
15 min – abriu os braços
18 min – cobra falta na barreira
21 min – faz cara de choro
30 min – fez falta
34 min – abriu os braços
35 min – cara de choro
38 min – fez falta
40 min – cara de choro
43 min – abriu os braços e reclamou
45 min – reclamou

Pós jogo nas redes sociais e durante a semana: Faz piadinha com o rival, chama ex companheiros de clube de corno na lives deles. Se irrita com críticas!